Flávio Dino

ARTIGO | Maranhão vencendo a crise

Foi muito difícil governar, nesses três anos e meio, o nosso estado, durante esta que já é a maior crise econômica dos últimos 100 anos no Brasil. Apesar deste cenário, conseguimos pagar os servidores em dia, inaugurar milhares de obras e ampliar serviços públicos. Nada disso foi fácil. Mas hoje olho e vejo que valeu a pena.

Enquanto no Brasil todo estão aumentando o desemprego e a precarização do trabalho, aqui estamos conseguindo ampliar a oferta de vagas com carteira assinada. É o que mostra nova pesquisa constante do CAGED divulgada esta semana. O Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged) é uma base de dados do Ministério do Trabalho e permite ver quantas vagas foram criadas em cada área e em cada estado. Em junho e julho, o Maranhão teve o melhor saldo na geração de empregos com carteira assinada do Nordeste. Levando em conta os últimos 12 meses, o Maranhão teve o maior salto da região na geração de empregos.

Números que são resultado prático de quem leva a sério as finanças públicas. Com muita responsabilidade fiscal, estamos ativando a economia, gerando novos postos de trabalho. Com uma política fiscal clara e justa, criamos um ambiente de negócios propício ao investimento, o que tem feito o PIB do Maranhão também bater recordes.

Além do quadro geral de estímulo à atividade econômica no Maranhão, temos investido em políticas específicas de criação de empregos. Assim, lançamos o Programa Mais Empregos, incentivo fiscal do governo por cada emprego gerado, com o qual conseguimos criar 500 postos de trabalho formal, na primeira etapa. Também criamos o Programa Mais Renda, que beneficiou milhares de empreendedores com equipamentos, capacitação e assessoria técnica. O mutirão Rua Digna vem melhorando o calçamento de 220 vias urbanas no estado, com a geração de milhares de empregos.

Os resultados estão aparecendo, com o Maranhão passando a liderar mais esse ranking regional: o da geração de empregos. Até bem pouco tempo atrás, estávamos acostumados a só procurar nosso estado nas últimas posições de todos os levantamentos nacionais. Agora ele tem passado a frequentar o topo de várias listagens, como obtivemos o 3º melhor IDEB do ensino médio na rede pública da região Nordeste.

Fico feliz que estejamos nos livrando das amarras dos que tentaram prender o destino do Maranhão aos seus interesses, acorrentando o estado nas últimas posições de todos os rankings. Muito ainda há por fazer, mas estamos no caminho correto.

Advogado, 50 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.

Deixe uma resposta