Flávio Dino

ARTIGO | Novembro azul: ser forte é se cuidar

Estamos iniciando o mês de novembro e todos nós, homens, somos despertados a uma reflexão pessoal extremamente necessária para que cuidemos de nossa própria saúde. Estudos têm apontado que os homens são mais vulneráveis às enfermidades graves e crônicas, justamente porque não buscam atendimento médico com regularidade.

A campanha Novembro Azul vem justamente nos lembrar do câncer de próstata, que é o segundo tipo de câncer que mais mata homens no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). É uma doença de desenvolvimento lento, que não produz sintomas e nem causa prejuízo aparente para saúde, o que dificulta sua identificação e aumenta a necessidade de prevenção e diagnóstico precoce.

Aqui no Maranhão, o governo também tem feito a sua parte. A Política de Atenção Integral à Saúde do Homem foi implantada nas 19 Regionais de Saúde, alcançando os 217 municípios. O esforço é para garantir o acesso dos homens ao atendimento primário, que permite conscientização sobre métodos de prevenção e identificação da doença.

Realizamos mutirões de consultas e cirurgias urológicas no Hospital de Câncer do Maranhão, que recebeu investimentos do Governo para se tornar, pela primeira vez, uma unidade de atendimento exclusivo a pacientes oncológicos. O cuidado foi extensivo às famílias, que passaram a contar com a Casa de Apoio ao Hospital do Câncer, espaço adequado para o acolhimento durante todo o tratamento, com dormitórios e refeições garantidas.

Expandimos a rede de tratamento do câncer também para outras cidades do estado, criando uma inédita rede de prevenção e cuidados especializados. A Unidade de Oncologia de Caxias tem capacidade de realizar mais de 400 procedimentos quimioterápicos por mês, atendendo diretamente a cerca de 13 municípios.

Em Imperatriz, iniciamos o tratamento por radioterapia e também instalamos a primeira Unidade de Oncologia Pediátrica. São leitos clínicos, cirúrgicos e de UTI, além de consultas médicas especializadas, exames laboratoriais e por imagem, que atendem pacientes de 40 municípios da região.

Estamos modernizando e ampliando a Rede de Saúde do Maranhão, investindo na oferta de tratamentos especializados, especialmente o oncológico.

É o que faz um governo que trabalha pelo bem de todos. Mesmo em meio à maior crise da história do país, acumulando já mais de três anos de recessão econômica, temos feito um esforço gigantesco para manter nossos hospitais de portas abertas. Enquanto em outros Estados há milhares de leitos desativados e unidades fechadas, por absoluta falta de dinheiro. Vamos continuar lutando juntos, apesar de ainda não haver sinais de que o Brasil vai melhorar sua economia.

Deixe uma resposta