Flávio Dino

ARTIGO | O maior IDEB da história

O ensino médio da rede estadual do Maranhão teve, no nosso governo, a maior nota de sua história. O recorde foi divulgado esta semana com o resultado do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), medido pelo Ministério da Educação. É a confirmação técnica de que a educação do Maranhão realmente está melhorando.

Essa nota do IDEB é formada por vários itens e em todos tivemos melhoras significativas. Uma das áreas de maior destaque foi a permanência dos estudantes na rede de ensino. A evasão escolar chegou a seu menor nível na história do Maranhão.

Esse dado comprova que a melhora da estrutura física das escolas, uma das frentes do programa Escola Digna, tem impacto direto na qualificação do ensino. Em um ambiente saudável, limpo e adequado, os alunos se sentem mais estimulados a estudar.

O fato de pagarmos, em dia, o maior salário do Brasil também é um estímulo ao ensino. Um professor valorizado sente-se muito mais respeitado no exercício da sua nobre função.

Um dos componentes de maior peso na nota final do IDEB é o Saeb, sistema de avaliação do nível de conhecimento dos alunos por meio de provas de português e matemática. Nessas duas áreas, os alunos maranhenses do ensino médio tiveram a melhor nota da história.

No total, foi o maior crescimento que já tivemos, mais de 20% em relação ao IDEB deixado pela gestão anterior. Subimos da 21ª para a 13ª posição do país, ao lado de unidades federadas como Rio Grande do Sul e Distrito Federal, conhecidos nacionalmente por sua rede pública de qualidade. No Nordeste, ficamos em 3º lugar, atrás apenas de Ceará e Pernambuco – que foram justamente os dois estados que visitei assim que eleito para conhecer os sistemas exemplares de ensino médio.

Todos esses resultados são a prova da efetividade de uma política pública completa para a área que é o programa Escola Digna. Por meio dele, temos atuado tanto na qualificação do ambiente escolar, com a inauguração, reforma ou reconstrução de mais de 800 escolas, bem como a progressão de carreira e a gratificação por títulos de mais de 26 mil servidores da Educação. E a oferta de formação para mais de 50 mil professores, sendo muitos das redes municipais, o que comprova nossa preocupação não só com nossa própria rede, mas com todas as escolas públicas do Maranhão.

E esse é o nosso próximo desafio. Além de melhorarmos ainda mais o IDEB da rede estadual, vamos criar o Pacto Estadual pela Aprendizagem, em que a Secretaria estadual de Educação irá coordenar um trabalho junto às secretarias municipais para qualificar o ensino em todos os municípios. Depois de ajudarmos a construir escolas e qualificar professores, vamos trabalhar ainda mais para melhorar a qualidade do ensino em todas as redes.

É possível ver que, com seriedade, tratando a educação como prioridade, é possível mudar o nosso estado. Mesmo em tão pouco tempo e em meio à maior crise da história de nosso país.

Fico feliz que estejamos nos livrando das amarras dos que tentaram prender o destino do Maranhão aos seus interesses, acorrentando o estado nas últimas posições de todos os rankings. Muito ainda há por fazer, mas o caminho correto já começou.

Advogado, 50 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.

Deixe uma resposta