ARTIGO | Planejamento, ousadia e investimento

Por muito tempo prevaleceu em nosso estado o senso comum de que gestores públicos, eleitos para mandatos executivos a cada quatro anos, dedicavam metade deste período para ‘arrumar a casa’ e outra para realizar obras e serviços públicos.

O paradigma sustentado por muitos governantes, e por muito tempo, está sendo quebrado. O governador Flávio Dino (PCdoB) e o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT), têm sido protagonistas de gestões exitosas num ambiente econômico hostil, envoltos na maior recessão enfrentada pelo país, na história contemporânea. Crise que tem levado a maioria dos estados e municípios a comprometer serviços públicos essenciais e o pagamento dos servidores públicos.

Na semana passada, o Jornal Nacional mostrou quadro atual das contas públicas no país e a capacidade de investimento dos estados. Apenas nove estados têm sinal verde na relação equilíbrio de contas e capacidade de investimentos. Outros 14 estados apresentam situação de alerta, enquanto três estados estão no vermelho. Isto é, com vencimentos de servidores atrasados, problemas com pagamento de fornecedores e comprometimento na prestação de serviços públicos.

A despeito dos obstáculos de ordem econômica e financeira, o Maranhão tem hoje um dos maiores portfólios de obras entregues e em execução no país. Em mil dias de governo foram entregues 500 obras e muitas dezenas de outros serviços e obras estão em execução no estado. Em todas as áreas.

Todo este acervo resulta em grande medida de cultura diferenciada de fazer a gestão pública com planejamento, transparência e com clara opção pelos que mais precisam. Tanto em São Luís como no Estado os governos davam pouca ou quase nenhuma atenção ao quesito transparência das contas públicas.

O Maranhão era o estado com pior indicador de transparência do país. Por isso mesmo, obteve nota zero no ranking da CGU (Controladoria Geral da União) em 2014. Um ano depois, o estado passou à posição de líder em transparência reiterada no ano passado. Acabaram os filtros antes existentes, que deixavam mais de 60% dos gastos do governo inalcançáveis pelo cidadão.

Por certo, não é fruto do acaso o Maranhão dispor de boa saúde nas contas públicas e ter ampliado serviços para a população com mais e melhor atendimento na saúde, na educação, em segurança pública e oferecendo direitos e mais cidadania para a população.

Em São Luís, ainda em 2013, o prefeito Edivaldo reestruturou por completo o portal da transparência do município, antes praticamente inativo. Ano passado, São Luís obteve nota máxima no ranking da CGU.

Reeleito, o prefeito mantém ritmo intenso com mais de 100 quilômetros de asfalto nas ruas e avenidas de São Luís. A parceria com o governo do Estado garante mais 300 quilômetros na malha viária da ilha. Investimento que vem sendo realizado também na recuperação das escolas.

A nova geração de gestores tem mostrado que ficou para trás a era em que se convencionou reconhecer bom governo como aquele que arrumava a casa para depois investir em serviços e obras públicas. Agora, organização, ousadia e investimento caminham juntos.

Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.

Deixe uma resposta