Atletas amadores levam o nome do Maranhão para a Copa do Mundo da Rússia

O Festival realiza um Futebol misto, integrando meninos e meninas de 31 nacionalidades.  

Levando o nome do Maranhão para a Rússia, quatro jovens atletas amadores maranhenses participarão do Festival Futebol da Esperança, evento que acontecerá paralelo aos jogos oficiais da Copa do Mundo de Futebol, em junho.

Dois destes atletas integram projetos sociais da Secretaria de Estado da Juventude (Seejuv), como o Juventude Esporte em Ação, promovido pelo Governo do Maranhão em parceria com o Instituto Formação. O Festival realiza um Futebol misto, integrando meninos e meninas de 31 nacionalidades.

Antes da viagem, eles realizaram mais um momento de formação, com um treino na praia da Ponta d’ Areia. “Aqui é mais um encontro para a integração antes de irmos para o festival na Rússia. A ideia desse momento aqui na praia é que eles possam ter mais que um treino, é fazer uma vivência mostrando que na prática o jogo prima o respeito pelo próximo e a coletividade”, declara o coordenador do Instituto Formação, Fábio Cabral.

O coordenador reitera que o apoio do Governo do Maranhão é muito importante por ter consolidado uma prática de trabalho dentro das comunidades, das quais esses jovens fazem parte como mediadores.

“Eles vão levando o próprio esporte para dentro das comunidades, com práticas esportivas com crianças e adolescentes. E agora participar desse festival na Rússia é como se fosse a cereja do bolo. É uma oportunidade de trocarem a experiência com jovens de outros países. E a parceria com a Seejuv e os outros institutos potencializou o trabalho desenvolvidos com esses jovens”, destaca.

Cada jogo é divido em três tempos e será realizado da seguinte forma: no primeiro tempo eles debatem em conjunto as regras que regerão a partida. Regras estas debatidas entre os dois times e o mediador que faz o papel do árbitro.

Já no segundo tempo acontece a partida e no terceiro eles fazem uma avaliação do comportamento realizado dentro de campo, podendo até classificá-la como equipe vencedora a que não marcou gol ou que marcou menos gols, devido ao critério de avaliação que é regido pelo espírito de cooperação e de relação com o próximo.

“A modalidade é o futebol, mas este foge um pouco do convencional que a gente conhece. O objetivo desse futebol não é somente o gol. A ação envolve uma série de valores que eles constroem antes do início da partida, em conjunto com as pessoas das equipes, discutindo o que regerá a partida. A ideia é poder participar e se envolver com a metodologia”, comenta Cabral.

Além do Brasil, o festival é realizado com mais 30 país que serão representados por seus atletas.  A jovem Luana Cantanhede levará o nome do Maranhão junto com os outros colegas. Ela está empolgada com a viagem e já antecipa que é essencial a integração com os outros atletas maranhenses para que eles possam descobrir a cultura Russa.

“Vai ser muito proveitosa essa experiência de ir conhecer novos amigos e entender os costumes de outros povos. Além do jogo de hoje, existem outros momentos, onde nós temos aula de inglês, no intuito de aprender palavras básicas para nos comunicar na Rússia e para poder absorver a programação cultural que será ofertada durante os jogos”, relata.

A jovem Karolyne da Luz irá para a Rússia como a mediadora dos jogos, uma espécie de árbitro de futebol. Ela que já trabalha há um tempo com futebol de rua diz que é muito importante levar esses jovens para jogar com os outros países, e não contra eles.

“É interessante que existe uma homogeneização das nacionalidades, ou seja, no mesmo time pode estar jogadores do Brasil e da Alemanha por exemplo ou mesmo de outros países. Eles vão aprender muito, não só o futebol, pois ocorrerá muitas ações de inclusão. Eles aprenderão outros idiomas, como aula de inglês. Farão passeios culturais. Vai ser incrível”, detalha a jovem.

Deixe uma resposta