Aumenta a intenção de gastos para o Dia dos Pais 2018 em São Luís, aponta pesquisa

Pesquisa da Fecomércio-MA demonstra que os consumidores de São Luís pretendem gastar mais com presentes e comemoração. Rua Grande volta a ocupar a segunda posição nas opções de locais de compras.

O levantamento de intenção de consumo para o Dia dos Pais, realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), indicou que 54,0% dos consumidores ludovicenses estão predispostos a comprar presentes este ano. O resultado apresenta ligeiro recuo de -3,2% em relação à intenção de consumo registrada no mesmo período de 2017.

A desaceleração na perspectiva de consumo foi motivada pela migração dos consumidores para a zona de indecisão, uma vez que a parcela de ludovicenses que diz ainda não saber se irá comprar presentes subiu de 4,0% no ano passado para 7,4% este ano, revelando uma possibilidade de aumento do nível positivo de consumo.

“Apesar desse leve recuou na intenção de compras, o nosso estudo apresenta outros dados que devem desenhar um cenário de vendas positivo para o comércio de São Luís no Dia dos Pais. Além do aumento do número de indecisos, houve crescimento dos que desejam comprar mais de um presente e também na intenção de gastos para o período”, destacou o presidente da Fecomércio-MA, José Arteiro da Silva.

De acordo com o estudo, entre os consumidores que estão convictos que irão às compras no período, o percentual de ludovicenses que apontou que deverá comprar apenas um item para presentear foi de 66,6%, revelando uma redução de -18,5% nesse perfil de consumo e abrindo espaço para os consumidores que desejam comprar dois produtos, que era de 13,6% em 2017 e dobrou para 25,7% em 2018, e aqueles que têm a intenção de adquirir três presentes, que também dobrou de 3,3% no ano passado para 6,0% este ano.

Além disso, o levantamento realizado pela Federação do Comércio do Maranhão traz como destaques positivos o crescimento de +17,0% na intenção de comemorar, assim como o aumento da média do valor do presente (+2,0%) e do valor total da compra, que inclui os gastos com o produto e a comemoração, que avançou +21,5% este ano, reflexo da tendência do consumidor em adquirir mais de um presente este ano e da elevação da intenção de comemorar a data fora de casa.

De modo geral, a intenção de consumo apresenta-se mais favorável entre o público feminino (58,4%), consumidores com idade de 21 a 35 anos (64,6%), com ensino superior completo (59,1%) e renda familiar mensal superior a três salários mínimos (62,4%).

Produtos

O tripé formado pelos artigos de vestuário, calçados e itens de perfumaria segue liderando a preferência do consumidor assim como no ano anterior. No entanto, os artigos de vestuário deixaram a liderança isolada ao apresentar uma queda na intenção de consumo de -35,0% na comparação com 2017, mas se mantiveram como primeira escolha dos ludovicenses para o Dia dos Pais com 28,7% das indicações deste ano.

Na segunda e terceira posição na lista, os calçados, com 24,6%, e os perfumes, com 23,6% das escolhas em 2018, absorveram a queda da intenção de consumo pelos artigos de vestuário e registraram crescimentos percentuais de, respectivamente, +72,0% e +110,7% na passagem do ano passado para este ano.

Na análise por gênero, o público feminino apresenta uma opção acima da média pelos artigos de vestuário (31,6%) e itens de perfumaria (28,6%). Já o público masculino destaca-se com uma escolha acima da média para os materiais esportivos (12,4%).

Em relação à faixa etária do consumidor, o público mais jovem, de até 20 anos, apresenta maior intenção de consumo pelos itens de perfumaria (33,1%), enquanto para consumidores com mais de 36 anos a preferência é pelos calçados (29,0%).

Na avaliação a partir do nível de renda, os consumidores com renda familiar mensal de até 3 salários mínimos apresentam preferência pelos artigos de vestuário (34,0%). Para os consumidores com renda de 3 a 6 salários mínimos, a indicação mais preponderante é pelos itens de perfumaria (30,8%). Já para os consumidores com renda familiar superior a 6 salários mínimos, o destaque é pelos eletrônicos como acessórios para computador, tablets e celulares (23,4%).

Comemoração

O levantamento também avaliou o nível de intenção de comemorar o Dia dos Pais, que alcançou 57,2%.  Além do aumento da intenção de consumidores dispostos a celebrar de alguma forma a data, a pesquisa revela que o número de pessoas indecisas com relação à comemoração também aumentou de 3,1% em 2017 para 10,2% em 2018, fazendo recuar em -32,1% o percentual de consumidores convictos de que não irão comemorar a data este ano.

O público feminino, com 60,7% de indicação de que deseja comemorar a data, apresenta mais propensão à comemoração do que os consumidores do sexo masculino. Formam, ainda, o público com intenção de comemorar o Dia das Pais acima da média geral os consumidores com idade de 21 a 35 anos (74,5%), ludovicenses com ensino superior completo (64,9%) e aqueles com renda familiar mensal de 3 a 6 salários mínimos (65,2%).

Quanto ao local para a realização da comemoração, a intenção de celebrar a data em casa caiu -32,3% na comparação com o ano anterior, perfazendo o percentual de 58,8% de ludovicenses dispostos a comemorar na própria casa. A queda abriu espaço para o crescimento exponencial da intenção de comemoração em todos os demais locais em relação a 2017. Os shopping centers e cinemas deixaram o índice de 1,0% do ano passado para registrar 20,9% este ano, assim como os restaurantes, que apontavam apenas 1,6% e alcançaram 12,8%, além das praias ou clubes, com aceleração de 3,1% para 10,5% na passagem anual.

“O aumento da intenção de comemorar e também daqueles que desejam celebrar a data fora de casa, demonstram o aquecimento no setor de serviços que deve alcançar resultados positivos nesse período. Isso reflete também os bons resultados apresentados nos últimos meses quanto ao aumento das contratações realizadas no setor de serviços ludovicense, que encerrou o mês de maio com um saldo de 1.420 novas vagas de emprego criadas no segmento, e deve permanecer nessa perspectiva de crescimento”, explica José Arteiro da Silva.

Gastos e pagamento

A média de intenção de gastos com o presente em 2018 é de R$ 152,00, enquanto a média total de gastos, incluindo os presentes e a comemoração, é de R$ 220,00. O aumento no valor médio das compras foi puxado, principalmente, pelo público do sexo feminino, onde a média de gastos é de R$ 237,00. Para os homens, essa média cai para R$ 197,00.

Completam o perfil dos consumidores mais propensos aos gastos, levando-se em consideração o valor total dos gastos com a data, os consumidores com mais de 36 anos (R$ 254,00), aqueles com ensino superior completo (R$ 319,00) e renda familiar mensal superior a 6 salários mínimos (R$ 391,00). Para os consumidores com renda familiar inferior a 3 salários mínimos, a média de gastos com as compras recua para apenas R$ 163,00.

Em relação à forma de pagamento, as modalidades à vista mantiveram o mesmo nível do ano anterior com 85,7% dos consumidores optando pelo uso do dinheiro em espécie ou o cartão de débito. Em 2017 esse índice foi de 84,3%, o que revela uma variação de apenas +1,7%. No entanto, entre as duas modalidades de compra à vista, a escolha pelo uso do dinheiro em espécie recuou -23,0% na comparação anual e registrou 53,8% das indicações dos consumidores, enquanto a opção pelo uso do cartão de débito obteve um crescimento percentual de 121,5% entre 2017 e 2018, saindo de 14,4% para 31,9% este ano.

Por outro lado, um em cada quatro consumidores (25,5%) também apontou que deverá utilizar o cartão de crédito para financiar parte das compras relacionadas ao Dia dos Pais. A decisão pelo uso do cartão de crédito se destaca, principalmente, entre as pessoas na faixa etária de 21 a 35 anos (32,1%) e renda familiar mensal de 3 a 6 salários mínimos (36,5%).

Locais

Para os locais em que os consumidores pretendem realizar as compras, a preferência é pelas lojas dos shoppings, que registrou 55,8% e apresentou aceleração anual de +25,7% nas escolhas. O destaque do levantamento é para as lojas do Centro Comercial e da Rua Grande que, após duas datas comemorativas em queda acentuada, voltou a ocupar a segunda posição nas opções dos consumidores com 32,7% das indicações, tendo apresentado um recuo na comparação anual de apenas -3,2%. O resultado indica que os consumidores começam a se adaptar às complicações de acesso a essa área central da cidade ocasionados pelas obras de requalificação urbana da Rua Grande e Praça Deodoro.

As lojas de bairro e galerias comerciais pontuaram 13,0% da preferência e mantiveram o mesmo nível do ano anterior. Os supermercados ficaram na quarta posição com 9,8% das escolhas. Outros locais também apontados pelos consumidores ludovicenses foram os catálogos (4,6%), comércio informal (4,2%), internet (2,6%) e lojas no centro histórico (1,2%).

Outros dados

O dia planejado para ir às compras, de acordo com o levantamento, ficou disseminado entre a quarta-feira (15,5%), quinta-feira (16,0%), sexta-feira (21,2%) e o sábado (22,3%). Já para um em cada três consumidores (31,1%) ainda não existe um planejamento para o dia em que irá realizar as compras para o Dia dos Pais.

Quanto aos motivos que influenciam o consumidor na hora da compra, a pesquisa revelou que os preços são a maior preocupação dos consumidores para este ano, com 59,3% dos ludovicenses indicando esse fator como determinante para a concretização da compra. As promoções, que lideravam a lista até o ano passado, passou para a segunda colocação com 45,0% das indicações. Outros motivos apontados foram a variedade dos produtos na loja (34,5%), qualidade dos produtos (22,7%) e atendimento dos vendedores (11,0%).

Saiba mais

A Pesquisa de Intenção de Consumo para o Dia dos Pais 2018 em São Luís, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), entrevistou 700 consumidores na capital maranhense, entre homens e mulheres com idade acima dos 18 anos, nos principais pontos de movimentação da cidade no período de 11 a 14 de julho de 2018. A margem de erro da amostra é de 3,7% e a margem de segurança é de 95%.

Deixe uma resposta