Aumenta o número de presos trabalhando no maranhão

O número de presos trabalhando no Maranhão subiu 253% entre 2014 e 2018. Isso significa mais do que ressocialização. Significa também economia para os cofres público.

Em 2014, eram 600 detentos fazendo algum tipo de trabalho. Ao fim de 2018, eram 2.119. Esse numero, é cerca de 3,5 vezes maior que em 2014. O sistema penitenciário tem 136 oficinas de trabalho, onde os presos aprendem diversos ofícios, entre eles, a produção de blocos de concreto que abastecem o programa “rua digna”, a confecção dos próprios uniformes diminuindo os gastos com os detentos.

O trabalho dos detentos trouxe uma economia de 39% no preço de cada preso, significa economia para os cofres públicos e possibilita a ressocialização e diminuição da pena para os encarcerados.

“No atual Governo do Maranhão, a lei é para todos. Com mão firme contra o crime, mas criando oportunidades de reintegração à sociedade. Esse é o caminho mais longo, porém é aquele que efetivamente melhora a segurança de toda a sociedade”, diz o governador Flávio Dino.

Deixe uma resposta