Banco de Alimento garante desperdício de comida de qualidade

O Banco de Alimentos, instalado, pelo Governo do Maranhão, no Centro de Distribuição de Hortifrutigranjeiros (Ceasa), em São Luís, possui equipe de nutricionistas, técnicos e demais profissionais que fazem a coleta, seleção, processamento e distribuição de alimentos que são captados junto a rede de doadores.

“Nós recebemos alimentos que estão fora da linha de comercialização e que seriam desperdiçados. Aqui fazemos todos os procedimentos para verificação das propriedades nutricionais e condições sanitárias desses alimentos. Somente após todas essas etapas de verificação, é que providenciamos a doação para as instituições cadastradas”, explica o coordenador do Banco, Ricardo Azevedo.

Além do Ceasa, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes), coordenadora do programa, promoveu parcerias com Supermercados e Atacadistas, Distribuidores de Alimentos, Armazéns, Padarias, Produtores Rurais e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Além de legumes, frutas e verduras, o Banco de Alimentos também seleciona e processa as doações de grãos e cereais, massas frescas, carnes, aves, peixes, leites e derivados, pães e bolos sem recheio e sem cobertura. Os alimentos doados são coletados em locais e dias indicados pelos doadores.

Estabelecimentos comerciais e pessoas físicas podem fazer as doações para o Banco de Alimentos. Nesse caso, basta procurar a Sedes e fazer um cadastro.

De acordo com o planejamento da Sedes, mais de 40 toneladas de alimentos devem ser distribuídos mensalmente. Até o momento, 58 entidades já estão aptas para o recebimento, além de outras 14 em cadastro de reserva. Somente no primeiro dia de distribuição, para quatro entidades em São Luís, foram entregues mais de duas toneladas entre alimentos perecíveis e cestas básicas.

“É um sonho que estamos realizando na gestão do governador Flávio Dino. Nossa expectativa está sendo superada, uma vez que quando começamos a trabalhar com a captação dos doadores, verificamos um potencial muito grande com expansão para a rede de supermercados”, diz a secretária adjunta de Segurança Alimentar da Sedes, Lourvidia Caldas, ao explicar que o ritmo das doações depende da rede de doadores.

Para José Ribamar Carneiro, coordenador de uma creche que atende 90 crianças entre dois e cinco anos, a iniciativa do Governo do Maranhão é muito importante para complementar a alimentação das crianças da comunidade. “Garantimos a alimentação dessas crianças exclusivamente com doações. Elas são atendidas aqui diariamente, das 7h30 às 16h, e com as doações do Banco de Alimentos, vamos garantir a qualidade da alimentação diária”, afirma.

Além do Banco de Alimentos, o Governo do Maranhão está reforçando as políticas de Segurança Alimentar e Nutricional, combatendo a fome em todo o Estado. O município de Centro Novo acaba de ganhar um novo Restaurante Popular. O município faz parte do Plano Mais IDH, que leva uma série de ações para melhorar a qualidade de vida nas 30 cidades mais carentes do Estado.

“Mais do que um restaurante popular, as unidades que são instaladas nos municípios pertencentes ao Mais IDH funcionam como Centros de Referência Nutricional, oferecendo capacitação com oficinas, atividades físicas, e cursos para que a população, também, tenha alternativas de geração de renda”, explica a secretária adjunta Lourvídia Caldas.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Márcio Honaiser, explicou que uma das prioridades da Sedes é entregar as unidades dos Restaurantes nos 30 municípios do Plano Mais IDH. “Iniciamos a instalação de 30 Restaurantes Populares nos municípios que fazem parte do Mais IDH. Atualmente, o governo garante mais de 75% do valor das refeições servidas, que são muito importantes para ajudar a segurança alimentar da nossa população”, acentua o secretário.

Deixe uma resposta