Boletim de Conjuntura apresenta análise do cenário econômico do Maranhão no último trimestre

No cenário fiscal estadual, a Receita Total registrou crescimento real de 1,3% no acumulado do período janeiro a outubro, sobre o mesmo período de 2016.

O Grupo de Conjuntura Econômica do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) divulgou as mais recentes projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) maranhense em 2017. Os índices divulgados sobre o último trimestre do ano apontam para uma taxa de crescimento do PIB maranhense de 2,4, em 2018.

O PIB é um indicador que mede o dinamismo da atividade econômica, sendo usado pelos economistas para avaliar crescimento de um país ou região. Além da avaliação do Produto Interno Bruto, o Boletim de Conjuntura faz uma ampla análise da economia maranhense, bem como análise dos cenários nacional e internacional, avaliando indicadores relacionados à produção industrial, comércio, endividamento e inflação.

“O cenário-base construído pelo Grupo de Conjuntura Econômica Maranhense, com base nos dados disponíveis até o momento, aponta para uma taxa de crescimento do PIB maranhense de 2,4% em 2018, em linha com o nível nacional”, analisa Felipe de Holanda.

Para o presidente do Imesc, Felipe de Holanda, o cenário nacional ainda representa um desafio para a economia de todo o país.

No cenário fiscal estadual, a Receita Total registrou crescimento real de 1,3% no acumulado do período janeiro a outubro, sobre o mesmo período de 2016.

Felipe de Holanda ressalta a importância da “continuidade de uma gestão fiscal cuidadosa, compensando a frustração das transferências federais com otimização da arrecadação própria, de modo a impulsionar o bloco de investimentos em infraestrutura e as políticas de inclusão sócio-produtiva que vêm conferindo ao Estado do Maranhão excelente posicionamento dentre os Estados da Federação”.

Deixe uma resposta