Busca Implacável fez mais de 180 mil abordagens nos ônibus em 2017

A cena se repete várias vezes ao dia: policiais militares montam barreiras em lugares distintos da cidade e iniciam as abordagens em ônibus que fazem linha em toda a região metropolitana de São Luís. De forma educada e clara, os policiais se identificam aos passageiros, motoristas e cobradores e iniciam a abordagem. Trata-se da Operação Busca Implacável.

As ações fazem parte das estratégias da Secretaria de Estado de Segurança Pública, realizada com efetivo de todos os setores da Policia Militar – batalhões, motos, viaturas e cavalaria – para conter os índices de assaltos a coletivos na Grande São Luís.

As 115 equipes da PM envolvidas na operação tem uma meta diária de pelo menos 20 coletivos por dia, totalizando 180 mil abordagens durante todo o ano de 2017.

Segundo o coordenador operacional do Gabinete do Comando Geral da PM, tenente-coronel Frederico Beltrão, as operações vão muito além de números, alcançando resultados muito mais expressivos na garantia da segurança da população.

“São aproximadamente 15 mil abordagens por mês. São revistas e apreensões, mas principalmente são inúmeros roubos a coletivos e assaltos a passageiros coibidos. Se a pessoa tiver a intenção de realizar algum delito dentro do coletivo, ela vai pensar duas vezes vendo a ação forte da polícia”, destaca o tenente-coronel Beltrão.

A Busca Implacável é realizada de acordo com o monitoramento das áreas mais vulneráveis como paradas em locais considerados de grande risco de assaltos e pontos finais de coletivos, promovendo ainda fiscalização com barreiras fixas em avenidas estratégicas de fluxo intenso e com histórico de registros de assaltos.

“Esse tipo de operação foca principalmente na prevenção dos assaltos. Vendo que a polícia não tem local definido para realizar as buscas, nem linhas especificas, os envolvidos se inibem, deixam de andar com armas e drogas”, afirma o coordenador.

Registro das operações

O acesso aos ônibus é feito por meio de cartões magnéticos, elaborados em conjunto com a Segurança e a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes. A cada passagem dos policiais pelo aparelho instalado nos ônibus, as informações são enviadas automaticamente. E a partir daí é construído o relatório do dia de operação das equipes.

Mais operações

O tenente-coronel Frederico Beltrão também destaca que as abordagens a coletivos são realizadas por outras operações.

“Além da Busca Implacável, outras operações têm como objetivo a retirada de drogas e armas das ruas que acabam contemplando também as abordagens a coletivos, fazendo que o número real de abordagens a ônibus seja bem maior”, destaca Beltrão.

Deixe uma resposta