Caema inicia instalação de macromedidores para melhorar abastecimento

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) se prepara para começar, nos próximos dias, a instalação de aparelhos macromedidores com telemetria. Estes aparelhos serão responsáveis por enviar, em tempo real, informações sobre a vazão e a pressão do volume de água destinada para cada zona de abastecimento da capital.

Segundo a Gerência de Desenvolvimento e Controle Operacional, a implantação e uso deste tipo de aparelho vai permitir agilizar ações no combate a problemas de desabastecimento originado por diversos fatores, como por exemplo, uma possível despressurização nas redes em algumas localidades. Além disso, os aparelhos macromedidores também contribuirão para a utilização da vazão e volumes de água de forma mais eficaz, ajudando inclusive no combate a perdas.

O diretor de Operação, Manutenção e Atendimento ao Cliente, André dos Santos Paula, assinala que os macromedidores são ferramentas importantes para que se possa combater perdas de água nas redes que a Caema opera em São Luís.

“A partir da utilização destes medidores e estudo dos dados coletados, a Caema poderá ter indícios de que a diminuição brusca de pressão ou da vazão pode significar perda ou fuga de água devido a problemas de vazamento nas redes”, explicou o diretor, reiterando que o benefício da rapidez se estende também a resolução do problema, seja intervenção para conserto das redes ou realização de manobras para envio de mais água para um determinado ponto.

A instalação efetiva dos aparelhos está prevista para ser iniciada no dia 4 de junho. “Os macromedidores foram confeccionados na Itália e, atualmente, já estão sendo preparados para serem enviados do estado de Minas Gerais, em direção ao Maranhão. Somente a aquisição destes equipamentos representa um investimento de cerca de R$ 1,2 milhões que a Caema está destinando em automação da leitura e gestão da vazão para modernizar esse processo e melhorar o envio de água para os bairros de São Luís”, comentou o gerente de Desenvolvimento e Controle Operacional, Eduardo Figueiredo Bustamante.

Ele explica ainda que, junto com os macromedidores, estão sendo adquiridos os softwares que irão possibilitar a compilação e o recebimento dos dados nesses pontos de macromedição. Todos os dados serão reunidos e acessados a partir de uma central. “Estes equipamentos são dotados de um chip que vai coletar e enviar esses dados pra nossa central, evitando, entre outras coisas, um custo que temos com deslocamento para averiguação destes dados in loco”, explica Eduardo Bustamante.

“Além da entrega e instalação dos equipamentos feito pela empresa fornecedora, ela ainda realizará treinamentos junto a nossas equipes de profissionais da Caema, para que todos envolvidos estejam capacitados e aptos a operar esse sistema”, acrescenta Bustamante.

Georreferenciamento

A Caema também vem desenvolvendo outro projeto que terá forte impacto positivo frente à modernização, automação e gestão de dados dentro da empresa. Um projeto piloto de geoprocessamento já está sendo finalizado e recebendo os últimos ajustes para começar a ser utilizado. O geoprocessamento tem a capacidade de ler o banco de dados dos diversos softwares que a Caema possui, como o de Energia, Poços, entre outros.

Segundo Bustamante, será possível cruzar diversas informações, como por exemplo, o cadastro técnico e comercial. Além disso, a ferramenta vai permitir trabalhar com essas informações de uma forma muito mais ágil. “É uma ferramenta de muito potencial. No momento, estamos estruturando o banco de dados do projeto. Também estamos estruturando um tutorial de 53 páginas que vai auxiliar os funcionários a utilizarem este programa a partir do mês de julho”, disse o gerente.

Deixe uma resposta