Com HTO, assistência em saúde na área de ortopedia e traumatologia é ampliada

O número de atendimentos de ortopedia e traumatologia deve quintuplicar com funcionamento do Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO).

O número de atendimentos de ortopedia e traumatologia deve quintuplicar com funcionamento do Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO). O atendimento em ortopedia, antes realizado no Hospital de Câncer do Maranhão, passa a ser oferecido na primeira unidade do estado em referência em trauma e ortopedia, em São Luís.

O secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, enfatizou que a entrega do HTO à população maranhense representa um marco na saúde pública do estado, que está sendo transformada na gestão do governador Flávio Dino. “Vamos multiplicar por cinco as cirurgias que fazemos. Atualmente, realizamos 70 cirurgias por mês no Hospital de Câncer do Maranhão, o antigo hospital geral. Com o HTO, a capacidade passa a 400 cirurgias por mês. Temos 2 mil pessoas na fila aguardando procedimentos ortopédicos ou decorrentes de traumas. Lidamos diariamente com o que há de mais precioso, que é a vida das pessoas. O HTO vai servir para toda rede e vai impactar na vida das pessoas”, disse o titular da pasta.

O médico ortopedista e diretor do HTO, Newton Gripp, destacou a expansão da rede e a estrutura capaz de trabalhar patologias ortopédicas. “Hoje, temos cerca de dois mil pacientes na fila para operar no estado, um pouco mais de oito mil pessoas a espera de cirurgia na rede pública federal. O HTO trará a celeridade necessária aos cuidados com os pacientes de trauma ortopedia”, afirmou.

De acordo com Mariano de Castro Silva, assessor técnico da SES, o impacto do atendimento no HTO será, também, na diminuição do tempo na fila de espera por atendimentos desta natureza, assim como a quantidade de pacientes que aguardam por intervenções cirúrgicas de ortopedia.

“Agora, outros hospitais da rede vão poder demandar para o Hospital de Traumatologia e Ortopedia pacientes que necessitam de procedimento de alta complexidade e que precisam de prótese especializada. Isso tem impacto positivo para a vida dos familiares e do próprio paciente, pois vão deixar de ter um ou dois anos na fila de espera para ter meses ou até semanas”, destacou Mariano de Castro.

Esta evolução da rede, também, pode ser vista na quantidade de procedimentos realizados desde o começo da gestão do governador Flávio Dino. Foram quase duas mil cirurgias em todo o estado durante o ano de 2017 e uma previsão de 400 intervenções cirúrgicas mensais com a inauguração do HTO.

Estrutura do hospital

Com 44 novos leitos oferecidos pelo HTO, sendo 10 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e com médicos especialistas em ortopedia e traumas, a saúde pública do estado avança no cuidado humanizado, uma das prioridades da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

O hospital, inaugurado esta semana pelo governador Flávio Dino, conta com três centros cirúrgicos, posto de enfermagem, sala de repouso, salas de curativo e alas especializadas no tratamento pediátrico e de idosos. A população ainda poderá contar com atendimento ambulatorial com marcação de consultas, análises clínicas, exames de imagem (radiologia, tomografia), eletrocardiografia e agência transfusional.

A população ainda vai poder contar com cirurgias de ombro e cotovelo, joelho, quadril, quadril, coluna, mão e micro cirurgia, pé e tornozelo, trauma e ortopediatria. Além disso, o hospital disponibilizará atendimentos em cardiologia, cirurgia plástica, cirurgia vascular e geral, assim como acolhimento em enfermagem, nutrição, fisioterapia, serviço social e psicologia. O Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO) foi instalado na Rua Barão de Grajaú, no Jardim Eldorado.

Novos leitos 

O Governo do Maranhão entregou à população seis hospitais, entre macrorregionais e regionais, nas cidades de Pinheiro, Caxias, Santa Inês, Imperatriz, Bacabal e Balsas. Para 2018, a ampliação da Secretaria de Estado da Saúde (SES) prevê mais 544 leitos de internação, totalizando até o final da atual gestão, 1.499 novos leitos.

Deixe uma resposta