Corpos de meninas de Bacabal, vítimas de deslizamento de rochas no Chile, são velados no Gavião

Os corpos de Khalida Carvalho Trabulsi Lisboa, 3 anos, e Isadora Pereira Bringel, 7 anos, já estão em São Luís. Elas morreram no início da semana após um deslizamento de rocha em um ponto turístico na Cordilheira dos Andes, na região metropolitana de Santiago, no Chile.

Na tarde desta sexta-feira (07) os corpos das crianças chegaram no Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado. De lá, o corpo de Khalida Trabulsi será preparado na empresa Pax União para ser velado na Igreja Batista Filadélfia, no bairro Vinhais.

Familiares e amigos de Isadora Bringel poderão prestar as últimas homenagens na Central de Velórios da Pax União, na rua Oswaldo Cruz, Centro de São Luís. O sepultamento das duas crianças acontece na manhã deste sábado (08), no Cemitério do Gavião, no bairro Madre Deus.

Isadora era filha dos médicos Marcelo Bringel Carvalho e Slavya Bringel. As famílias estavam desde a semana passada no Chile e já se preparavam para retornar ao Maranhão, o passeio era um dos últimos roteiros do grupo no país. A morte das maranhenses ganhou repercussão na imprensa chilena e a governadora da Província de Cordilheira chegou a declarar que o local visitado pelo grupo é perigoso e, por isso, é sinalizado de que o acesso não é permitido. Apesar disso, visitantes e pessoas que testemunharam o momento em que ocorreu o deslizamento de pedras, afirmaram que o local não está fechado para pedestres.

A prefeitura de Bacabal emitiu uma nota de pesar pelo falecimento das crianças. As autoridades chilenas estão investigando a responsabilidade pelas mortes das duas maranhenses.

 

Deixe uma resposta