Em sabatina, Ciro Gomes diz que Temer vai para a cadeia

Pré-candidato à presidência pelo PDT afirmou que o MDB é o único partido com quem descarta aliança, além de fazer críticas a Jair Bolsonaro: “É um tresloucado, boçal, despreparado”

Candidato Ciro Gomes durante sabatina no Correio Braziliense. Brasilia 06-06-18. Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Ciro Gomes, pré-candidato à presidência da República pelo PDT, resolveu disparar sua metralhadora giratória e o alvo principal foi Michel Temer. Em sabatina promovida pelo Correio Braziliense, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) afirmou que Temer será preso e que o MDB é o único partido com o qual não pensa em fazer alianças. Além disso, segundo reportagem de Daniel Carvalho, da Folha de S.Paulo, criticou o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), a quem chamou de “tresloucado, boçal despreparado e câncer”.

“Peguei um tempo em que estava em pleno comando da Câmara o Michel Temer e o Eduardo Cunha, batendo bola um com o outro para roubar a nação. Fui processado por ambos. Um já está na cadeia e o outro vai”, disse. Depois, citando Romero Jucá (MDB-RR), reafirmou que não faz aliança com seu partido. “Se deixar a porta aberta, vai vir abanando o rabo, mas está avisado que por esta porta não entra. Ladrão do PMDB vai me fazer oposição. O problema é essa hegemonia quadrilheira que tomou conta do país há muito tempo e que hoje está aí capitaneando o golpe”, destacou.

Ciro Gomes, pré-candidato à presidência da República pelo PDT, resolveu disparar sua metralhadora giratória e o alvo principal foi Michel Temer. Em sabatina promovida pelo Correio Braziliense, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) afirmou que Temer será preso e que o MDB é o único partido com o qual não pensa em fazer alianças. Além disso, segundo reportagem de Daniel Carvalho, da Folha de S.Paulo, criticou o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), a quem chamou de “tresloucado, boçal despreparado e câncer”.

“Peguei um tempo em que estava em pleno comando da Câmara o Michel Temer e o Eduardo Cunha, batendo bola um com o outro para roubar a nação. Fui processado por ambos. Um já está na cadeia e o outro vai”, disse. Depois, citando Romero Jucá (MDB-RR), reafirmou que não faz aliança com seu partido. “Se deixar a porta aberta, vai vir abanando o rabo, mas está avisado que por esta porta não entra. Ladrão do PMDB vai me fazer oposição. O problema é essa hegemonia quadrilheira que tomou conta do país há muito tempo e que hoje está aí capitaneando o golpe”, destacou.

Deixe uma resposta