Em São Luís, família busca ajuda para criança com doença rara

A pequena Isabela, de três anos, foi diagnosticada com anemia falciforme, e precisa de um transplante de medula que só será possível com a fertilização in-vitro de sua mãe

Quando maranhense Isabela nasceu, seus pais, Carla e Rodrigo Valois, estavam realizando um sonho de ter um bebê que tanto planejaram. A pequena nasceu prematura, com 32 semanas, e no teste do pezinho a família descobriu que Isabela tinha uma doença congênita e grave, a anemia falciforme.

A doença é rara, menos de 150 mil casos por ano no Brasil, e é caracterizada por um grupo de distúrbios que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue deformem e quebrem.

“Ficamos desesperados no início, porque até então não conhecíamos a doença. E tudo que a gente pesquisava só nos mostrava o quão grave a doença poderia se apresentar”, contou Carla, que é fisioterapeuta.

Isabela faz acompanhamento com hematologista desde a descoberta, e, segundo sua mãe, a pequena não havia tido nenhum problema com a doença até maio deste ano.

“Quando nós fomos fazer o doopler transcraniano (que é um exame para acompanhamento da velocidade do sangue que passa nas artérias da cabeça, com o intuito de evitar o AVC) e foi detectado que a Isabela corria um sério risco de ter um AVC”, disse a mãe.

Agora, a família precisa de ajuda para salvar a pequena Isabela, que hoje passa por transfusões de saúde mensais, mas isso não garante a completa saúde da menina, o que só será possível com um transplante de medula óssea. E é aí que a ajuda é necessária.

Para realizar o transplante, primeiro é necessário achar um doador 100% compatível, o que só existe entre irmãos, mas Isabela não tem nenhum. Ela precisa de um irmão para ficar boa.

Mas, para lhe dar este irmãozinho, ou irmanzinha, Carla precisa passar por uma fertilização in-vitro, um procedimento caro por sí só, mas que neste caso depende de seleção embrionária, para garantir que o feto não terá a mesma doença de Isabela. O procedimento custa 100 mil reais, dinheiro que a família não possui.

“É partindo dessa fertilização que nós iremos tentar o transplante, visto que não se trata de algo simples, é necessário avaliação dos médicos em Ribeirão Preto em São Paulo dos riscos e benefícios. Já tivemos contato com eles, e eles só irão nos receber caso haja o doador 100% compatível.

Nós iremos em São Paulo capital, dia 30 de julho, e iremos refazer todos os exames feitos aqui em São Luís, pois ainda temos esperança de que lá nós podemos mudar a realidade do que estamos vivendo”.

A família está colhendo doações de algumas formas, depósito em conta poupança, vakinha virtual e também com a venda de rifas.

No site vakinha.com.br basta procurar pela campanha Todos por Isabela. As rifas podem ser conferidas nos perfis de Instagram da família @carlachristinematos e @rodrigaovalois.

Carla e Rodrigo, que também é fisioterapeuta, deixam uma mensagem especial apara aqueles que ajudarem a pequena Isabela: “Que Deus abençoe abundantemente você e sua família. O que você faz ao próximo, Deus fará em dobro por você”.

Para quem quiser doar direto, há duas contas:

a) Bando do Brasil

Agência – 1638-1

Conta poupança – 70923-9

B)Caixa Econômica Federal

Agência – 0227

Operação – 013

Conta poupança – 4181-1

CPF: 620.368.973-47

2 thoughts on “Em São Luís, família busca ajuda para criança com doença rara

Deixe uma resposta