Familiares de Kardec dizem que crime foi encomendado

Se confirmado, será mais um na lista de encomendas de Johanthan Silva, condenado pelo assassinado do jornalista Décio Sá, em 2012.; Polícia Civil está investigando o crime ocorrido no dia 7 de janeiro.


Familiares do detento Alan Kardec, assassinado pelo também detendo Johnathan Silva, dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, dizem que o crime foi mais uma encomenda na lista de Silva, condenado pelo assassinato do jornalista Décio Sá, em 2012.

Segundo a denúncia registrada na 5ª Delegacia Distrital, no Anjo da Guarda, Johnathan teria sido contratado por um chefe do narcotráfico conhecido como Tobias para matar Kardec. O pagamento seriam R$ 2 mil. As informações são do jornal O Imparcial.

O caso está sendo investigando desde o dia 7 de janeiro pela 12ª Delegacia Distrital, no Maracanã.

Segundo o depoimento de Johnathan, ele vinha sendo ameaçado por Kardec após desentendimentos dentro da cadeia. Após ouvir o amolar de faca na madrugada de domingo, Johanathan teria aproveitado o banho de sol para roubar um chuchu do banheiro e desferir golpes contra Kardec.

O detendo vítima chegou a ser socorrido e levado ao hospital, mas não resistiu.

Informações sobre a participação ou não de Kardec com facções criminosas são confusas, uma vez que Johnathan disse que ele seria um dos fundadores do Bonde dos 40, mas ambos estavam em celas separadas de presos de facções por terem declarado à administração penitenciária que não pertenciam a nenhuma.

De Redação.

Deixe uma resposta