Governador entrega centro para atendimento de pessoas com autismo

Flávio Dino realizou a entrega do espaço voltado para assistência a pessoas com Transtorno do Espectro do Autista (TEA).

Na semana em que se comemora o Dia Mundial de Conscientização do Autismo (2 de abril), o governador Flávio Dino realizou a entrega, nesta segunda-feira (3), de um espaço voltado para assistência a pessoas com Transtorno do Espectro do Autista (TEA), com foco nas crianças e adolescentes. Em mais uma iniciativa inédita do Governo do Maranhão no país, o novo ambiente garantirá atendimento personalizado e contínuo, todos os dias da semana, com equipe técnica de referência, no Centro Especializado em Reabilitação e Promoção da Saúde (CER) no Olho d’Água, em São Luís.

Durante a entrega do equipamento, o governador lembrou que assim que assumiu a gestão recebeu familiares, entidades da sociedade civil e profissionais que lidam com o TEA, que reivindicavam a expansão e especialização do atendimento a estes pacientes. “Agora estamos expandindo o atendimento, com equipes especializadas, e, inclusive, com profissionais que tem mestrado e doutorado na área, para prestar o atendimento adequado às famílias. Este atendimento a pessoa com Transtorno do Espectro Autista é a prova de que todos os segmentos sociais merecem atenção, neste caso, estamos especialmente satisfeitos de ver que há um envolvimento grande das famílias e de entidades ajudando para que esse serviço funcione bem e tenho certeza de que será um grande sucesso”, destacou o governador Flávio Dino, certo de que este é mais um passo importante.

Mantido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o centro de atendimento a pessoas com o TEA oferecerá tratamento através da abordagem ABA, baseada na análise do comportamento aplicado e é pioneiro no Brasil. A estratégia de assistência especializada às pessoas que tem o transtorno abrange atendimento em sete cabines individuais, simultâneo, e seis em grupo, totalizando 42 por turno e 84 atendimentos por dia. Juntos, os procedimentos contabilizam capacidade para mais de 1.100 atendimentos por mês.

Ao todo, são 28 profissionais, sendo oito psicólogos, seis terapeutas ocupacionais, seis fonoaudiólogos, seis psicopedagogos e dois educadores físicos, que foram treinados e capacitados para o serviço. O atendimento prevê intervenções diretas e multiprofissionais com analista do comportamento fazendo a supervisão de programas. Outro tipo de intervenção que será adotada é a indireta. Conhecida como intervenção via pais, que envolve um treinamento comportamental para os genitores aplicarem no ambiente domiciliar, onde vão ocorrer através de palestras e cursos.

Deixe uma resposta