Imigrantes deixam Costa Rodrigues e ficarão abrigados em casa cedida por igreja

Dezenove dos 25 africanos resgatados na costa maranhense deixaram o abrigo provisório no Ginásio Costa Rodrigues, na manhã desta sexta-feira (6), e ficarão abrigados em casa disponibilizada pela Igreja Batista Nacional Vicente Fialho, no bairro Araçagi.

Dezenove dos 25 africanos resgatados na costa maranhense deixaram o abrigo provisório no Ginásio Costa Rodrigues, na manhã desta sexta-feira (6), e ficarão abrigados em casa disponibilizada pela Igreja Batista Nacional Vicente Fialho, no bairro Araçagi.

Dos 25 imigrantes, cinco seguiram para outros estados, com despesas custeadas com recursos próprios e/ou ajuda de amigos e familiares residentes em São Paulo e no Paraná. Vinte permanecem em São Luís, um deles vai morar com conterrâneo de Senegal.

Todos os imigrantes  receberam documento Provisório de Registro Nacional Migratório e a emissão de CPF e Carteira de Trabalho e Previdência Social.

Leia íntegra da nota da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), informa que considerando o recebimento do documento Provisório de Registro Nacional Migratório e a emissão de CPF e Carteira de Trabalho e Previdência Social dos africanos resgatados na costa maranhense em 19 de maio deste ano, está encerrando as atividades no abrigo provisório do Ginásio Costa Rodrigues na manhã desta sexta-feira, 06 de julho. 

A partir de agora, aqueles que decidiram permanecer no Maranhão ficarão abrigados em uma casa disponibilizada pela Igreja Batista Nacional Vicente Fialho, no bairro Araçagi. Dos vinte e cinco (25) imigrantes, cinco (5) partiram para outros estados, com despesas custeadas com recursos próprios e/ou ajuda de amigos e familiares residentes em São Paulo e no Paraná. 

Vinte (20) decidiram ficar, sendo que um (1) irá morar com um conterrâneo senegalez em São Luís e os demais, total de dezenove (19), permanecerão provisoriamente, no imóvel cedido pela igreja até conseguirem emprego e moradia fixa.  A casa possui condições adequadas de qualidade e segurança para receber todos eles.

Deixe uma resposta