Iphan em parceria com a Prefeitura avança em obra com serviços em nova quadra da Rua Grande

Os serviços de requalificação na segunda quadra da Rua Grande compreendem o trecho entre as ruas de Santaninha e Santa Rita.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) deu início, esta semana, aos serviços de requalificação urbana na segunda quadra da Rua Grande, novo trecho da via contemplada com obras de requalificação executadas pelo Iphan, em parceria com a Prefeitura de São Luís. O projeto de revitalização da Rua Grande integra as ações do PAC Cidades Históricas, que também está recuperando todo o Complexo Deodoro, compreendido pelas praças Deodoro e Pantheon, além das alamedas Silva Maia e Gomes de Castro.

Os serviços na segunda quadra da Rua Grande compreendem o trecho entre as ruas de Santaninha e Santa Rita. No local, as equipes iniciaram o trabalho de retirada dos paralelepípedos velhos para colocação de novo piso; escavação do solo para implantação de tubulações de água e esgoto e construção dos poços de visitas da instalação elétrica subterrânea.

“A requalificação do maior centro comercial de São Luís é de grande importância para a cidade e trará benefícios em diversos aspectos, como a revitalização do comércio na região, geração de emprego e renda e melhoria da paisagem urbana. A parceria celebrada entre a Prefeitura e o Iphan tem sido fundamental para somar esforços com o município na restauração desses espaços tão importantes para nossa história e nossa gente”, afirmou o prefeito Edivaldo.

Segundo o superintendente do Iphan, Maurício Itapary, os serviços na primeira quadra da Rua Grande – entre as ruas do Passeio e de Santaninha – estão em andamento e serão concluídos gradualmente, visto que toda a infraestrutura subterrânea deste trecho já foi executada, restando apenas serviços de ligações domiciliares das redes subterrâneas, execução do trabalho de pavimentação e intervenções complementares.

“A execução segmentada por trecho visa gerar o menor impacto possível para os usuários e transeuntes da Rua Grande. Para o trabalho nessa segunda quadra, foram adotadas novas medidas de serviços para redução de riscos provocados pela obra, como por exemplo, a fixação dos tapumes mais próximo da pista de rolagem no sentido de permitir corredores mais largos, facilitando a passagem dos transeuntes e reduzindo os conflitos com as atividades comerciais do espaço”, observou Maurício Itapary.

O projeto da Rua Grande inclui ainda embutimento total da fiação telefônica e elétrica, drenagem profunda e esgotamento sanitário, drenagem fluvial, novos equipamentos urbanos, novo piso e pontos de acessibilidade, reduzindo barreiras físicas e melhorando o acesso de pedestres. O projeto prevê ainda pavimentação com nivelamento das vias, instalação de novo mobiliário urbano (bancos, lixeiras, etc), nova rede de iluminação pública, além de sinalização viária e turística.

Comerciantes e frequentadores do maior centro comercial popular da capital enaltecem os serviços na área. O vendedor ambulante João Batista Jorge Silva Pereira, 42 anos, destaca as obras no local como de grande importância para o crescimento das vendas no local. “Muitas pessoas deixaram de frequentar a Rua Grande por causo do estado de deterioração em que ela se encontrava. Com a reforma, creio que isso vai mudar e as pessoas vão voltar a frequentar com prazer a Rua Grande”, disse.

A dona de casa Fátima Nascimento, 48 anos, frequenta constantemente a Rua Grande. Ela analisa como positivo o serviço realizado na área. “Além de melhorar a estrutura do maior centro de comércio popular da cidade, a reforma vai dar um outro ânimo às pessoas que frequentam o local para fazer suas compras’, observou ela.

NOVA ESTRUTURA

Com a conclusão dos serviços nesses logradouros, o Centro da capital maranhense vai ganhar espaços com nova estrutura urbanística, deixando a área central mais aprazível para moradores e visitantes. De acordo com o projeto, as áreas vão ganhar novo reordenamento do espaço urbano, contemplando pedestres e possibilitando maior interação social. São diversas ações de urbanismo e arquitetura com objetivo de revitalizar e recuperar toda a área.

Na Praça do Pantheon, por exemplo, os serviços contemplam a colocação de nova pavimentação em concreto lapidado, renovando todo o piso; colocação de granito na área central e de grama nas áreas de canteiro, instalação de caramanchões, que são estruturas cobertas que vão proporcionar beleza e sombreamento aos ambientes, novo mobiliário urbano, entre outros elementos urbanísticos e arquitetônicos.

A Praça Deodoro ganha novo mobiliário urbano, com bancos de pedras de lioz e lixeiras. Para o espaço, também está prevista uma nova configuração da iluminação pública, com a utilização de luminárias mais eficientes. A praça vai ganhar também banheiros públicos, áreas para recebimento de atividades diversas e de fiscalização.

“Já estamos com mais de 75% dos serviços concluídos no Complexo Deodoro. Na área da Praça do Pantheon, por exemplo, falta praticamente apenas a parte de implantação de mobiliário urbano, como bancos, lixeiras e sinalização”, frisou o superintendente do Iphan.

PRAÇA DA MÃE D’ÁGUA

A Praça da Mãe d’Água, outro espaço do Centro da cidade contemplado por obras de requalificação executadas pelo Iphan, na região da Praça Dom Pedro II, também está com obras em fase adiantada de execução. O projeto no logradouro contempla a reforma do piso de pedra; novo paisagismo, recuperação da fonte da mãe d’água e nova instalação hidráulicas e elétricas no espaço. A fonte luminosa e a escultura da Mãe d´Água retornarão restaurados ao seu local de origem. As obras de reforma em todas as praças favorecerão ainda a acessibilidade, com faixas de pedestres, rampas nas calçadas com contrapiso em concreto, além de sinalização tátil.

Deixe uma resposta