Jamaica brasileira recebeu no sábado (30) programação especial

As pedras tocadas em louvor a Jah faziam com que o público dançasse do jeito que é só visto aqui no Maranhão

Parafraseando a banda maranhense Tribo de Jah, neste último sábado do ano (30) o reggae foi lei, o público dançou no toque, no pop, na Avenida Litorânea onde todo regueiro virou rei. No segundo dia do Réveillon de Todos, os regueiros puderam apreciar um dia exclusivo ao ritmo na Jamaica brasileira. O Réveillon de Todos é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur), e da Prefeitura de São Luís com apoio cultural do Grupo Mateus.

As pedras tocadas em louvor a Jah faziam com que o público dançasse do jeito que é só visto aqui no Maranhão, agarradinho, lento e apaixonado por se sentir cada nota ecoada pelas guitarras. O Réveillon de Todos atraiu milhares de maranhenses e turistas por possuir uma programação diversificada, os DJs Andrezinho Vibration e Henrique Chaves comandaram o palco principal e na tenda eletrônica os DJs Jorge Choairy, Leo Scarter e Ksyfux  tocaram as melhores músicas para agitar o público, entre os melôs estavam os reggaes exclusivos e os mais conhecidos pelos públicos.

Quem também fez o público dançar e cantar ao som do roots foram as bandas Raiz Tribal, Capital Roots, Barba Branca e a Orquestra Maranhense de Reggae. A noite não poderia ser completa sem a presença dos ícones regueiros do Maranhão como os cantores Santa Cruz e Célia Sampaio, que abalaram todas as estruturas.

E para que a noite fosse ainda mais especial, a cantora jamaicana Etana que visitou o Brasil pela terceira vez animou o público ao som do soul reggae cantando as suas principais faixas, entre elas estavam Blessings e Richest Gil. Etana ainda interpretou canções do rei do reggae Bob Marley, como It’s Love e Redemption Song.

Com som marcante, Etana segue uma linha musical ousada de folk, soul, jazz e reggae, apoiada numa poderosa extensão vocal inspirada no espírito ancestral da sul-africana Miriam Makeba, na realeza do reggae da rainha Marcia Griffiths e na verve soul da americana Etta James. O nome de Etana significa “A Forte” em Swahili. Etana é, atualmente, uma das mais prestigiadas artistas da Jamaica ao redor do mundo. Durante o show, a banda Raiz Tribal fez a banda base para a cantora jamaicana durante a apresentação.

Público ficou admirado

Para quem visitava o Maranhão pela primeira vez como é o caso das turistas Rose Braga e Débora Freitas, o segundo dia do Réveillon de Todos foi uma grande surpresa, principalmente por se ouvir falar que o estado é a Jamaica brasileira e pela segurança encontrada.

“Escolhemos passar as festas de fim de ano aqui no Maranhão porque alguns amigos vieram no ano passado e falaram que o melhor réveillon é aqui, pois o é muito organizado e seguro”, disse a paraense Rose Braga.

Já para Débora Freitas que chegou no sábado pela manhã de viagem de Belém disse que ficou encantada com o que viu, pois não imaginava que o Maranhão possuía uma energia tão contagiante.

“Acabei de assistir a projeção no Palácio dos Leões e vim correndo para cá para assistir aos shows e curtir o reggae. Estou impressionada com tudo o que vi e me arrependo de não ter vindo conhecer o estado antes, sinto que posso andar por aqui tranquilamente, não tenho aquela sensação de perigo que geralmente encontramos em outros  lugares”, falou a turista.

O secretário Estado de Cultura e Turismo, Diego Galdino, disse que o Maranhão é reconhecido por suas belezas naturais e pela sua cultura, e o dia dedicado ao reggae no Réveillon de Todos é uma vitória dos povos que lutam pelo reggae no estado, além de ser uma oportunidade de estimular a economia criativa e atrair o turismo.

“O Maranhão tem suas raízes voltadas para o reggae, ficamos muito felizes em trazer uma cantora internacional que é a Etana, que levou alegria ao público representando esse estilo musical tão amado e ainda marginalizado. Além disso, ações como essas com o Réveillon de Todos movimentam a economia criativa do nosso estado e proporcionam o turismo”, relatou o secretário.

Deixe uma resposta