Julgamento de ‘Corumbá’ por morte de turista acontece hoje (22)

O acusado teria ainda comido partes do cérebro de Núria Fernandez Collada e bebido seu sangue em um ritual de magia negra.

O julgamento de José Vicente Mathias, serial killer conhecido como Corumbá, pelo assassinato da turista espanhola Núria Fernandez Collada, de 27 anos, acontece hoje (22), em Alcântara.

Núria Collada foi morta a pauladas em 18 de março 2005 em uma praia em Alcântara. O acusado teria ainda comido partes do cérebro da vítima e bebido seu sangue em um ritual de magia negra.

O assassino em série é acusado de assassinar pelo menos cinco mulheres, entre 1999 e 2005. Preso em Goiás, ele agia sempre em cidades turísticas, se fazendo passar por artesão. Corumbá já foi condenado por matar uma russa, naturalizada israelense, Katryn Rakitov, que foi vista pela última vez em agosto de 2004, em Pirinópolis, perto de Goiânia.

Ainda no Maranhão, Corumbá é acusado de matar a turista alemã Maryanne Kern, de 49 anos. O corpo de Kern foi achado com sinais de espancamento em uma cova rasa, em uma praia de Barreirinhas.

Nos depoimentos, Corubá entrou em diversas contradições. Por vezes, mencionou sofrer “influências” do Diabo, que teria sussurrado em seu ouvido a suposta missão de matar sete mulheres. Alegou também, como sendo motivos para seus crimes, xenofobia e chacotas sofridas por sua impotência sexual. Ele já possuía passagens pela polícia por estupro e atentado violento ao pudor.

Vítimas do serial killer:

 

  • Núria Fernandez Collada (2005) – a turista espanhola de 27 anos, foi morta a pauladas na cabeça. Teve pedaços do cérebro e sangue ingeridos após ritual de dança. Ela foi morta na praia de Itatinga, em Alcântara, no Maranhão.
  • Maryanne Kern (2004) – turista alemã de 49 anos, foi morta em Barreirinhas no Maranhão e encontrada numa cova rasa.
  • Katryn Rakitov (2004) – russo-israelense de 29 anos. Foi morta em Pirenópolis, Goiás.
  • Lidiane Vieira de Melo (2004) – a goiana de 16anos passou um dia e meio amarrada enquanto Corumbá bebia seu sangue. Depois de morta, teve o corpo esquartejado. Ela foi morta em Goiânia, em janeiro de 2004.
  • Simone Lima Pinho (2000) – artesã baiana de 26 anos foi assassinada a pauladas e pedradas em junho de 2000 no município de Lençóis na Bahia.
  • Natália Canhas Carneiro (1999) – a mineira de 15 anos foi morta em setembro de 1999, no município de Três Marias, Minas Gerais.

Deixe uma resposta