Maranhão já recebeu 12 delegacias novas e seis reformadas desde 2015

A nova delegacia de Coroatá e a nova sede da Polícia Civil em São Luís entregues nesta semana fazem parte do ciclo de renovação dos prédios da Segurança Pública do Maranhão que vem desde 2015.

A nova delegacia de Coroatá e a nova sede da Polícia Civil em São Luís entregues nesta semana fazem parte do ciclo de renovação dos prédios da Segurança Pública do Maranhão que vem desde 2015. Quanto mais prédios adequados, mais condições a polícia tem para trabalhar. Isso tem ajudado a reduzir os índices de criminalidade no Estado.

Neste período, foram entregues 12 novas delegacias pelo Governo do Maranhão. Isso representa também mais condições para a população ser atendida.
“Antes a Delegacia de Coroatá funcionava num prédio muito ruim, sem condições de trabalho e nem de atendimento. Agora entregamos esse sonho antigo para a população”, diz o secretário de Segurança Pública (SSP), Jefferson Portela.

Além de Coroatá, foram construídos novos prédios nas cidades de Bacabal, Barreirinhas, Peritoró, Santa Inês, São Bento, São Mateus do Maranhão e São Luís (com a unidade do Centro e a da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa).

O Governo do Maranhão também instalou mais duas delegacias em prédios cedidos pelas prefeituras de São Luís (Maracanã) e Cururupu.

Reformas

O ciclo de renovação também inclui reformas nas delegacias já existentes. Foram seis concluídas até agora: Governador Edison Lobão, Penalva, São José de Ribamar e três em São Luís (Araçagi, Delegacia do Menor Infrator e Plantão Central).

Novas unidades estão previstas. Em Barra do Corda, por exemplo, está sendo construída uma nova delegacia. Em Itinga do Maranhão, uma reforma está em execução.

Unidades administrativas

A Polícia Civil também funciona em outros prédios além das delegacias. São as chamadas unidades administrativas, que abrigam boa parte dos trabalhos de investigação. Esses prédios vêm sendo ampliados e reformados.

Em São Luís e Imperatriz, foram ampliadas as unidades do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops). Na capital, houve a reforma e a modernização da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic); a reforma do Instituto de Criminalística (Icrim); e reforma da Superintendência de Combate a Crimes de Corrupção (Seccor).

As mudanças ainda incluem as reformas do Plantão Central da Polícia Civil e da Sede da Delegacia Geral, também em São Luís.

DNA

Hoje, o Maranhão tem um moderno laboratório para identificar e comparar DNAs, acelerando as investigações e a descoberta de autoria de crimes. Trata-se do Instituto de Genética Forense (IGF) do Maranhão, órgão que passou a integrar a Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC).

Com a nova unidade, a Perícia Criminal da Polícia Civil do Maranhão dobrou o número de laudos emitidos para solucionar crimes, dando celeridade e soluções aos casos. O instituto tornou possível a análise de elementos do perfil genético – sangue, unha, fio de cabelo, saliva, suor, osso e pele – para detectar autorias de crimes.

Deixe uma resposta