Mobilização Nacional da Lei Seca promove mais de 1 mil testes do etilômetro na capital

A Mobilização Nacional foi uma iniciativa do Fórum Permanente da Operação Lei Seca, que é formado por representantes de nove Estados.

O Batalhão da Polícia Militar Rodoviária (BPRv) e o Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA) efetuaram grandes barreiras em São Luís durante a Mobilização Nacional da Operação Lei Seca, promovida entre os dias 12 e 14 de janeiro. Durante o período, foram realizados 1.010 testes do etilômetro e identificados 106 flagrantes de alcoolemia.

Do total de casos de embriaguez, 79 motoristas foram autuados por se recusarem a fazer o teste do etilômetro e 24 foram flagrados pelo equipamento, dois com resultado acima de 0,33 mg/L, o que caracteriza crime de trânsito, segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Em todo o país, foram totalizadas 10.933 abordagens e 1.037 flagrantes de alcoolemia.

A Mobilização Nacional foi uma iniciativa do Fórum Permanente da Operação Lei Seca, que é formado por representantes de nove Estados, entre eles o comandante do BPRv, tenente-coronel Augusto Magalhães, e a coordenadora de Educação para o Trânsito do Detran-MA, Rositânia Farias. Segundo ela, a Operação Lei Seca salva vidas todos os dias.

“A Operação Lei Seca já tirou das ruas milhares de pessoas que dirigiam sob o efeito de álcool. É uma operação respeitada pelo caráter ostensivo e compromisso de todos com o cumprimento da lei”, afirmou a coordenadora.

Para o tenente-coronel Augusto Magalhães, a Operação Lei Seca tem mudado a cultura da cidade. “As pessoas estão mais conscientes e informadas. Elas sabem que desobedecer à Lei Seca é uma infração gravíssima, que tem como penalidades a suspensão do direito de dirigir e multa de quase três mil reais”, destaca.

O Detran-MA está presente na Operação Lei Seca desenvolvendo as ações de educação para o trânsito. Educadores do Detran-MA conversam com os motoristas e passageiros e entregam material informativo sobre a Lei Seca e os riscos de beber e dirigir, paralelamente à realização dos testes pelos policiais.

A professora Eliana Freire decidiu não beber e foi a motorista da família na noite de sábado. Ela foi parada na barreira montada da Av. Beira Mar, no Centro da capital, fez o teste do etilômetro e reconhece a importância da Lei Seca: “Fico feliz quando vejo uma blitz da Lei Seca. Me sinto mais segura, pois sei que a blitz não deixa passar os motoristas imprudentes e que ainda insistem em misturar álcool e direção”.

O estudante Eduardo Cardoso aprovou a presença dos educadores na blitz. “Depois da abordagem policial, eles me orientaram sobre os detalhes da legislação e da responsabilidade que temos que ter quando assumimos a direção de um veículo. Foi bem interessante e esclarecedor”, revelou.

Deixe uma resposta