OMS confirma avanços da saúde no MA

Organização enfatiza entrevista do governador Flávio Dino ao pontuar os avanços no setor que continuam mesmo em tempo de crise

À Rádio Timbira, Flávio Dino destacou parcerias em prol da saúde (Foto: Karlos Geromy/SECOM-MA)

Em entrevista à rádio Timbira, o governador Flávio Dino destacou que atualmente os avanços na saúde do Maranhão continuam mesmo em tempo de crise. Ele pontuou diversos assuntos no setor e entre eles afirma eu atualmente há “mais leitos hospitalares em todas as áreas do que havia no passado”. Tais avanços e o fortalecimento da saúde são confirmados também pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que está cooperando com demais ações positivas para esta área.

Desde outubro de 2015, a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil e a Secretaria de Saúde do estado ministraram oficinas de capacitação e articulação aos gestores estaduais e municipais, bem como aos profissionais de saúde que trabalham diretamente com assistência materna e infantil.

O apoio técnico prestado pela Organização tem como objetivo reduzir os índices de mortalidade das gestantes maranhenses e de seus bebês. Recentemente, um termo de cooperação técnica firmado entre OPAS/OMS, Ministério da Saúde e governo do Maranhão está auxiliando a Secretaria de Saúde do estado a desenvolver uma série de atividades previstas no projeto “Estruturação da Atenção à Saúde”.

Principal problema do Brasil atualmente, a saúde vem sofrendo cortes desde a esfera federal até a municipal em todo o país. Mas no Maranhão a área anda na contramão da crise nacional. O governador Flávio Dino destacou que hoje o estado tem “mais leitos hospitalares em todas as áreas do que havia no passado”. Ele citou a abertura dos hospitais macrorregionais de Pinheiro, Caxias, Imperatriz, Santa Inês, Bacabal, além de UPAS como as de Chapadinha, Açailândia e Imperatriz e do apoio para reforma e construção de unidades em dezenas de cidades.

Entre as estratégias, está uma nova abordagem de atenção pré-natal e a gestão de emergências obstétricas. Além disso, está sendo promovida a descentralização dos polos de assistência ao parto e ao nascimento, que anteriormente estavam restritos aos municípios de São Luís, Imperatriz e Caxias, com profissionais qualificados em técnicas de prevenção e manejo de hemorragias puerperais.

O projeto inclui atividades que serão desenvolvidas em conjunto nos próximos anos, entre elas, a criação e o fortalecimento dos serviços de saúde orientados à atenção integral ao longo da vida, conhecimento da incidência de hanseníase, fortalecimento do Programa de Hipertensão e Diabetes, implantação da Sala de Situação da Secretaria Estadual de Saúde e cooperação técnica entre países, estados e municípios, além do fortalecimento da gestão da informação e do conhecimento.

Por meio dessas ações e serviços, será possível alcançar uma maior eficácia na produção de saúde, uma melhora na eficiência da gestão do sistema de saúde em todo o estado, diminuir as taxas de mortalidade e contribuir para a qualificação da gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) em suas regiões.

Cidade Sentinela

O apoio técnico prestado pela OPAS/OMS tem como objetivo reduzir os índices de mortalidade das gestantes maranhenses e de seus bebês. (Foto: EBC)

O Maranhão inaugurou em janeiro deste ano, em parceria com a OMS, o primeiro Centro de Sentinela de Planejamento Reprodutivo do mundo, na cidade de Balsas. O serviço oferece às maranhenses orientações sobre a escolha de métodos contraceptivos e saúde reprodutiva. Outro objetivo é contribuir para a redução dos casos da síndrome congênita do vírus zika.

 

 

Deixe uma resposta