OPINIÃO | Conquista histórica

O resultado alcançado Maranhão no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgado pelo Ministério da Educação (MEC), é uma conquista histórica para todos nós maranhenses.

Fazendo uma analogia futebolística é como se o Maranhão deixasse a zona de rebaixamento para integrar o grupo dos melhores da competição nacional. Um feito inédito e fantástico!

Até 2014, nosso estado ocupava a 21ª colocação no ranking dos estados. Era, portanto, um dos piores desempenhos. Agora, estamos entre os 13 estados mais bem colocados nacionalmente. São oito posições conquistadas em menos de quatro anos. A nota do Maranhão no IDEB cresceu extraordinariamente de 2,8 para 3,4. Mais de 21,4%.

Nunca antes na história do Maranhão, o IDEB cresceu duas vezes no mesmo governo.

No Ranking regional, o resultado é ainda mais notável. O Maranhão está entre os três estados com o melhor IDEB. Era o quinto. É quase a conquista de uma Copa do Nordeste da Educação. Foi o maior crescimento registrado, acima da média do Nordeste. O Maranhão teve ainda a maior taxa de aprovação e menor taxa de abandono escolar, além de menor taxa de reprovação.

Os excepcionais resultados conquistados pela educação do Maranhão são fruto de política séria e eficaz implantada pelo governador Flávio Dino, que prioriza o ser humano e o conhecimento como vetores do desenvolvimento do Estado. Políticas públicas executadas com muita competência pelos profissionais da educação, liderados pelo jovem Felipe Camarão.

São programas e ações que tem transformado a rede estadual de ensino. Algo inimaginável até o início da década passado, quando apenas 58 dos 217 municípios tinham escolas de Ensino Médio.

A política de negação do direito fundamental à educação adotado pelos poderosos de outrora foi revertida. Prova disto é o investimento atualmente realizado nesta área. Mais da metade das escolas da rede estadual agora oferecem condições dignas para professores a alunos. Foram construídas, reformadas ou reconstruídas. Professores valorizados e capacitados, que percebem a maior remuneração da categoria entre os 27 estados brasileiros. Alunos motivados com a instituição do protagonismo juvenil e a democracia estabelecida nas escolas com eleições diretas para gestores. Pais e profissionais dando as mãos pela educação de qualidade.

A construção da rede de Institutos de Educação Ciência e Tecnologia (Iemas) e escolas do programa Mais Educação, que ofertam ensino em tempo integral. Em toda a história o Maranhão jamais houve esta modalidade de ensino na rede pública. Agora, são mais de quatro dezenas de escolas de tempo integral.

O resultado do IDEB demonstra como investimentos na educação são essenciais para o desenvolvimento, com mudança de verdade e duradoura na vida das pessoas.

É também a constatação prática de que a negação de conhecimento à população está entre as causas principais da pobreza do Maranhão. Felizmente, este tempo está ficando para trás.

Vivemos o melhor momento da educação na história do Estado. Uma honra para o Maranhão. Exemplo para o Brasil.

Radialista, jornalista, Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.

Deixe uma resposta