Prefeitura estende horário de funcionamento em postos de saúde para vacinação contra a gripe

Com a finalidade de reforçar a cobertura, Semus mantém esta semana algumas unidades de saúde abertas até às 18h e fará busca ativa entre o público-alvo da campanha.

A Prefeitura de São Luís está se empenhando em cumprir a meta de vacinação contra a gripe estipulada pelo Ministério da Saúde que é imunizar, na capital, 209.974 pessoas pertencentes ao grupo de risco. Com a cobertura de sábado (26), quando a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) promoveu o Dia D Municipal, foi atingida 65% da meta. Como forma de intensificar a vacinação, o poder público municipal está estendendo o horário de funcionamento em algumas unidades municipais de saúde para reforçar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que encerra nesta sexta-feira (1º).

“O Dia D Municipal foi muito importante para alavancar a cobertura que devemos ter até o final da campanha, e ele será complementado com outras ações que faremos ao longo dessa última semana. Trabalhamos para cumprir a meta, pois a vacinação contra a influenza tem contribuído para a redução de complicações e internações decorrentes da gripe, especialmente na população de risco”, disse o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho.

As Unidades Mistas e os centros de saúde Paulo Ramos, Turu, Cohab, Genésio Rego, Liberdade, Bezerra de Meneses, São Francisco, Djalma Marques, Fabiciana, Janaina, Clodomir Pinheiro e Vila Bacanga atenderão até às 18h, uma hora a mais do horário regular de funcionamento. O horário estendido tem como objetivo ampliar o acesso do público-alvo à vacina para garantir a cobertura da meta proposta pelo Ministério da Saúde.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, afirmou que a Prefeitura está realizando diversas ações de mobilização para atingir a meta estabelecida para a capital. “Além de estendermos o horário de funcionamento das unidades de saúde, estamos, inclusive, levando os serviços de imunização contra a influenza às escolas e aos órgãos públicos, fazendo uma espécie de busca ativa para alcançarmos o máximo possível o público-alvo da campanha”, afirmou o secretário.

Ainda segundo o gestor da Saúde municipal, desde o início da campanha, o município tem vacina disponível em todas as unidades. “Mesmo assim, a adesão à vacinação em alguns grupos está abaixo do esperado. Por esse motivo estamos realizando essa força-tarefa para que as pessoas que integram os grupos prioritários da campanha sejam imunizadas”, frisou Lula Fylho.

A mobilização articulada pela Prefeitura de São Luís para imunizar o máximo de pessoas contra os tipos mais comuns do vírus da gripe visa diminuir a possibilidade de complicações causadas pela doença aos grupos de pessoas considerados mais suscetíveis ao problema, como são os idosos e as crianças, por exemplo.

A campanha de vacinação tem como público-alvo crianças de seis meses a menores de cinco anos, pessoas acima dos 60 anos de idade, trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, além da população privada de liberdade, dos funcionários do sistema prisional e das pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis.

EFICÁCIA

Segundo o Ministério da Saúde a vacina contra gripe é segura e tem eficácia de seis a 12 meses. A dose reduz as complicações que podem gerar casos mais graves da doença, internações ou até mesmo óbitos. Informa ainda que a vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é trivalente, pois protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano, no Hemisfério Sul, de acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS): o A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.

A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). O Ministério da Saúde orienta à população em geral, a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

Ainda conforme o Ministério da Saúde, a vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. Após a aplicação da vacina podem ocorrer, de forma rara, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção. São manifestações consideradas benignas, cujos efeitos costumam passar em 48 horas.

Deixe uma resposta