Rua Digna chega às cidades mais pobres do Maranhão

O programa estadual alcança milhares de maranhenses com a pavimentação de vias públicas e melhoria da infraestrutura de pontos que nunca receberam qualquer tipo de intervenção.

“Com o pavimento na minha rua, eu ganhei mais lazer e independência, pois antes eu não conseguia sair sozinha. Agora eu faço minha caminhada todo fim de tarde pela rua, que hoje nos oferece mais dignidade e segurança”, conta Maria Conceição, que é cega, e tinha dificuldade de locomoção por causa da precariedade da via. Ela é moradora da Primeira Travessa Gonçalves Dias, no município de Primeira Cruz. A via recebeu mais de 500 metros de pavimentação do Programa Rua Digna, do Governo do Maranhão.

A obra faz toda a diferença para a vida dos 15 mil habitantes da cidade, que fica a cerca de 100 quilômetros de São Luís, na microrregião dos Lençóis Maranhenses. O resultado do programa Rua Digna na cidade de Primeira Cruz será entregue oficialmente na próxima semana. A pavimentação realizada através do Programa Rua Digna utiliza bloquetes, que são blocos pré moldados de concreto com grande resistência, permeáveis e anti-derrapantes.

O programa estadual alcança milhares de maranhenses com a pavimentação de vias públicas e melhoria da infraestrutura de pontos que nunca receberam qualquer tipo de intervenção. O Rua Digna já tem dez obras em seis municípios maranhenses que integram o Plano de Ações Mais IDH. Primeira Cruz, Araioses, São João do Caru, Santo Amaro, Cajari e Água Doce são os municípios contemplados.

Nesta primeira fase, serão realizadas 60 obras em cidades maranhenses beneficiadas com o Plano Mais IDH, que busca melhorar a qualidade de vida nos 30 municípios mais pobres do estado. A ação é executada pela Secretaria de Estado do Trabalho e Economia Solidária (Setres).

Trabalho e renda

O Rua Digna gera trabalho e renda para a população, uma vez que são os moradores que trabalham na obra. “Este é um programa essencial para muitas famílias e que alcança diversos setores da nossa sociedade, pois além de melhorar a mobilidade das pessoas, sendo deficientes ou não, ele propicia geração de renda para os trabalhadores que estão desempregados e residem na rua em que está acontecendo as obras”, diz o secretário de Estado de Trabalho e Economia Solidária, Julião Amin.

Além das cidades do Plano Mais IDH, o Rua Digna também está em São Luís. “Outro ponto interessante é que na capital parte do material que está sendo usado nas pavimentações do programa é fabricada pelos internos do sistema penitenciário de Pedrinhas, dando ocupação e reinserção social a estes internos”, acrescenta Julião Amin.

Até de barco

Na região do Baixo Parnaíba Maranhense, o município de Araioses também receberá, nos próximos dias, uma vistoria técnica da equipe da Setres para avaliar o ritmo das obras. Lá, no local conhecido como Ilha das Canárias, os materiais para a construção das vias têm chegado pelo canal fluvial, via embarcações. Nos próximos dias, mais uma obra pelo programa Rua Digna está prevista para ser iniciada na região.

Localizado a 360 quilômetros de São Luís, o município de São João do Caru tem mais de 12 mil moradores e muitas ruas nunca haviam recebido asfalto ou projetos de melhorias. Agora, o Governo do Maranhão está realizando duas das seis intervenções que fará durante o programa.

“É de extrema importância essa sensibilidade do Governo de identificar antigos problemas, como o que vinha acontecendo no interior do Maranhão Agora nós estamos assinando uma série de projetos que foram aprovados para levar o Rua Digna até estas comunidades”, afirma a coordenadora do Programa Rua Digna, Daniella Arraes.

Bom também para o turismo

Em outro ponto do Maranhão, na região dos Lençóis Maranhenses, a cidade turística de Santo Amaro, com mais de 15 mil moradores, também recebe o Rua Digna.  Atualmente, são duas intervenções, o que também dará mais comodidade aos turistas que têm escolhido cada vez mais o destino como ponto de descanso e lazer.

Com 70% das obras concluídas, o município de Cajari, na Baixada Maranhense e a 200 quilômetros de São Luís, é outra cidade do Mais IDH beneficiada. No Leste Maranhense, a cidade de Água Doce é a mais recente a receber a assinatura de dois projetos que contemplarão vias até então abandonadas.

Sobre o programa

O Rua Digna foi disponibilizado para organizações da sociedade civil localizadas dentro da Grande São Luís (São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa) e para os 30 municípios do Mais IDH. Com a inspeção de técnicos do Mutirão Rua Digna, o prazo máximo para execução é de 90 dias, a contar do início da obra. Já a prestação de contas é de 60 dias após o recebimento do recurso.

Deixe uma resposta