São Luís lidera a geração de empregos com carteira assinada no Maranhão

Mais uma vez o Maranhão apresenta expressivo número de empregos gerados com carteira assinada.

Mais uma vez o Maranhão apresenta expressivo número de empregos gerados com carteira assinada. Em maio, foram criados 2.075 novos postos de trabalho, liderados pelo setor de Serviços, atingindo um patamar de crescimento de 0,9% do estoque de empregos com carteira, similar ao observado no plano nacional, que cresceu 1%. Esse foi o melhor resultado desde 2007 para o mês de maio, quando foram registradas 2.309 vagas de emprego formal, o que proporcionou o 5º lugar no Brasil em criação de empregos com carteiras.

O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) monitora os dados sobre o mercado formal de trabalho no Maranhão, por meio de informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego. A nota completa sobre os resultados para o mês de maio pode ser lida acessando o link: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/21/233

Dentre os oito setores de atividade verificados pelo estudo do Caged, foi registrado desempenho positivo em seis, com a abertura de vagas sendo lideradas pelo setor de Serviços, com 1,8 mil novas vagas; e Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUP, que registrou 335 postos de trabalho. Os municípios de São Luís e Balsas foram os principais responsáveis pela criação de empregos formais no acumulado de 2018.

Na capital do estado, o setor de Serviços liderou a geração de postos de trabalho de janeiro a maio de 2018, com a criação de 4,7 mil novas vagas, com destaque para as atividades de Associações de Defesa de Direitos Sociais e Cobranças e Informações Cadastrais, com 1,4 mil e 917 novos postos, respectivamente. Somente em maio deste ano, o setor registrou 1,4 mil empregos formais, em especial no segmento de Associações de Defesa de Direitos Sociais, com 1,2 mil novas vagas.

Observando a comparação dos resultados de 2018 com o ano anterior, tanto no acumulado do ano quanto no mensal, o Maranhão apresenta melhor desempenho na geração de postos de trabalho.

O presidente do Imesc, Felipe de Holanda, ressalta que o Maranhão apresentou o segundo maior ritmo de crescimento do Emprego Formal da região Nordeste, com registro de 4,2 mil contratações líquidas no acumulado do ano. “Esse dado sinaliza um processo de recuperação do emprego formal em relação ao acumulado de 2017, quando foram eliminados cerca de 5 mil postos de trabalho”, afirma.

No Brasil

No mês de maio de 2018 foram abertas 33,7 mil vagas no mercado de trabalho formal brasileiro, marcando o quinto mês consecutivo em que se verificou saldo positivo de emprego celetista. Em termos setoriais, o emprego formal foi liderado pela Agropecuária, com a criação de 29,3 mil novas vagas; e Serviços, com 18,6 mil vagas, enquanto que o Comércio eliminou 11,9 mil vagas.

Os dados do Caged revelam que a maioria das regiões registraram criação de emprego formal em maio de 2018, sendo mais expressivas na região Sudeste, que contratou liquidamente 30,8 mil trabalhadores com carteira assinada. Em relação à Região Nordeste, o Maranhão registrou o segundo maior saldo de emprego formal em maio de 2018, com 2,1 mil novos postos.

Deixe uma resposta