Servidor Público é valorizado com o Prêmio Você Faz a Diferença

A 2ª edição do Prêmio Você Faz a Diferença colocou em evidência servidores públicos estaduais pela autoria de projetos inéditos voltados para o desenvolvimento social e econômico do Maranhão e modernização da gestão pública. Foram 27 servidores foram reconhecidos e os três melhores receberam premiação em dinheiro.

“Os 27 projetos, todos já são vencedores. O fato de o servidor tirar um pouco do seu tempo para fazer projetos como esses já fez dele uma pessoa diferenciada”, disse a secretária de Estado de Gestão Patrimônio e Assistência dos Servidores, Lílian Guimarães, que idealizou a premiação. Além de kit personalizado, os vencedores receberam troféu e premiação em dinheiro no valor de R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil, respectivamente.

“Espero que a ideia proposta contribua para a distribuição de justiça social por meio da aproximação dos órgãos da segurança pública e a comunidade, principalmente aos que se encontram em situação de vulnerabilidade social”, disse Felipe Freitas Zenkner, o autor do projeto vencedor. Ele é servidor do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA).

O projeto de Felipe Freitas Zenkner, inscrito na área temática Programa Pacto pela Paz, é voltado à implantação de Núcleos de Mediação Comunitária nas unidades da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) como forma de resolução de conflitos sociais, visando fomentar políticas públicas que fortaleçam a cultura político-democrática e, principalmente, a cultura da paz.

A segunda colocada foi Alana Vasquez Nava Loiola, servidora da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), que inscreveu projeto na área temática Programa Escola Digna. Ela propôs estimular o conhecimento e a prática das danças e ritmos musicais populares da cultura maranhense na educação formal, especificamente no ensino médio, para resgatar a cultura e ser um instrumento de controle da evasão escolar.

Já o terceiro colocado, Ricardo Lúcio Braga Reis, lotado na Casa Civil, seguiu a linha Gestão Pública. Sua ideia é desenvolver e manter um sistema de recepção de matérias para o Diário Oficial como forma de otimizar o processo, avaliar a arrecadação e seu histórico e a inadimplência, ganhando controle e agilidade nas publicações.

Deixe uma resposta