Suspeitos de tráfico de pessoas são detidos em São Luís

O grupo de refugiados migrou, possivelmente, em decorrência de conflitos bélicos em seus países de origem.

Dois brasileiros foram detidos pela Polícia Federal no Maranhão como suspeitos de transportar ilegalmente um grupo de estrangeiros resgatado em um barco pesqueiro na costa do estado no último sábado (19).

Um inquérito para apurar se houve a prática de tráfico de pessoas foi instaurado pela PF.

Os 25 migrantes são de origem africana, possivelmente de cinco países: Senegal, Nigéria, Guiné, Serra Leoa e Cabo Verde.

O grupo estava à deriva há 35 dias quando desembarcaram no Cais de São José de Ribamar, na Ilha de São Luís. O mastro do barco havia quebrado e o motor da embarcação pifado.

A embarcação com os refugiados foi rebocada por um barco pesqueiro, Tampinha I. Com a chegada do barco com os migrantes no cais, foram acionadas as agências governamentais para permitir refúgio aos migrantes.

“Através da agência da Capitania dos Portos de Camocim, Ceará, fomos informados que havia uma embarcação, passando daquela jurisdição e estava seguindo para nossa região. Evacuamos a área de São José de Ribamar e por volta das 23h fizemos o resgate, conforme as medidas cautelares”, explicou Márcio Ramalho Dutra da Capitania dos Portos do Maranhão.

O Governo do Estado, a Polícia Federal e a Marinha do Brasil, estão prestando ajuda humanitária aos africanos resgatados. Eles migraram em decorrência de conflitos bélicos em seus países de origem.

O grupo foi trazido para São Luís, sendo abrigado no Ginásio Costa Rodrigues, localizado no Centro da capital. “Vamos dar assistência à saúde, hospedagem e alimentação até que a Polícia Federal e o ministério da Justiça definam o status desses refugiados no Brasil”, explicou Francisco Gonçalves, secretário de Direitos Humanos.

Deixe uma resposta