Homem é preso por tentativa de estupro em Imperatriz

Suspeito de tentativa de estupro em Imperatriz, Elivandro Mendes de Melo, foi preso nesta terça-feira (23).

De acordo com a vítima, uma mulher, a tentariva de estupro teria ocorrido no último dia 15, no interior de uma loja no Centro da cidade.

Após reconhecer o agressor transitando novamente próximo ao local do crime, a vítima acionou a polícia.

Segundo ela, Mendes teria entrado no estabelecimento comercial fingindo ser um cliente. Com uma faca, ele a mandou tirar a roupa ao mesmo tempo em que também se despia a mostava as partes íntimas.

Ele teria tentado o estupro, mas a vítima consegiu figir pelos fundos da loja. Elivanro Mendes já havia sido preso há duas semanas por tráfico de drogas.

O acusado também teria roubado vestuário íntimo da loja.

Este é o terceiro caso de estupro ou tentativa de estupro em Imperatriz, sendo dois deles contra crianças.

De Redação.

Acusado de estupro no Angelim foi apresentado na Casa da Mulher Brasileira

As forças de segurança do Maranhão apresentaram nesta sexta-feira (22), na Casa da Mulher Brasileira, em São Luís, Gabriel Batista Ferreira, preso em flagrante pelos crimes de estupro e roubo realizados na última quinta-feira (21), na capital.

O acusado foi preso horas depois de cometer o crime, por meio de uma força tarefa que reuniu policias civis e militares de vários departamentos e batalhões.

“A conclusão das investigações e identificação da autoria foi resultado de um trabalho articulado entre perícia e investigação em que, não apenas a Delegacia da Mulher juntamente com a perícia, mas também outras unidades policiais especializadas auxiliaram no trabalho de busca de vestígios, de busca de informações, até que se conseguisse localizar, no prazo bem razoável, a identificação do autor”, destaca a coordenadora das Delegacias da Mulher, delegada Kazumi Tanaka.

Durante a coletiva foi informado que a coleta de dados genéticos e impressões papilares no local do crime ajudaram rápida confirmação da autoria do crime e na posterior prisão de Gabriel. “Precisamos deixar claro que o fator determinante para identificar o acusado como autor do estupro foi a preservação do local do crime até que as equipes de perícia chegassem ao local. A partir daí nós conseguimos colher os materiais biológicos e impressões digitais em diversos vestígios que levaram a certeza absoluta que ele é o autor dos fatos”, destacou o diretor do Instituto de Criminalística (ICRIM), Robson Mourão.

“Temos conhecimento de outras vítimas e pedimos que quem reconhecer o acusado como seu agressor, procure a CMB para fazer o reconhecimento e o B.O. Nós garantimos todo atendimento humanizado e um ambiente seguro para as vítimas de violência”, afirma a delegada da Mulher, Wanda Moura.

Casa da Mulher Brasileira

Durante a coletiva, também foi destacado o importante papel desenvolvido pela Casa da Mulher Brasileira (CMB), entregue no último mês pelo governador Flávio Dino. A unidade, localizada no Jaracati, reúne diversos órgãos e entidades de referência no tratamento e resolução de casos de violência doméstica, estupros, agressões e todo tipo de crime contra a mulher no Maranhão.

“A Casa é vinculada à Secretaria de Estado da Mulher onde nós damos, além do atendimento especifico da SEMU, aqui é uma rede de atendimento montado com serviços especializados e humanizados, disponíveis a essas mulheres que sofreram qualquer tipo de violência”, conta a secretária de Estado da Mulher (Semu), Terezinha Fernandes.

Funcionando 24 horas por dia, a CMB oferece todo o tipo de assistência a mulheres vítimas de violência, como explica a diretora geral da Casa da Mulher Brasileira, Susan Lucena.
“Toda mulher que precisar de atendimento, a qualquer hora, pode contar conosco. A Casa está de portas abertas para atender, de forma humanizada, casos de violência doméstica familiar, casos de estupro, com garantia total de resguardo das denunciantes”, destaca Susan.

Entre os diferenciais da Casa estão a oferta de salas de acolhimento, recepção, abrigo de passagem com alojamentos e brinquedoteca. “Além disso, fazemos o encaminhamento aos órgãos de referência, promovemos ações de geração de emprego e renda, a partir dos serviços do Sine Mulher – primeiro do Brasil – coordenado pela Secretaria de Estado do Trabalho e da Economia Solidária (Setres)”, finaliza.

Participaram da coletiva, a secretária de Estado da Mulher (Semu), Terezinha Fernandes; a diretora geral da Casa da Mulher Brasileira, Susan Lucena; a diretora do Instituto de Genética Forense (IGF), Christiane Cutrim; o diretor do Instituto de Criminalística (ICRIM), Robson Mourão; a delegada da Mulher, Wanda Moura; do direto do Instituto Médico Legal (IML), Wanderley Júnior; e da coordenadora das Delegacias da Mulher, delegada Kazumi Tanaka.