Com títulos inéditos, alunos do Iema somam mais de 1.200 medalhas em olimpíadas do conhecimento em 2018

O incentivo à autonomia e à busca de conhecimentos continua garantindo o bom desempenho dos estudantes do Iema em competições nacionais. Só este ano, já são 1.226 medalhas conquistadas em competições nacionais e internacionais de conhecimento. As mais recentes foram as premiações nas Olimpíadas Brasileiras de Geografia, Ciências da Terra e a de Astronomia.

O instituto, que oferece ensino médio aliado à educação técnica em escolas de tempo integral em diversas regiões do estado, é mantido pelo Governo do Maranhão e tem resultados expressivos desde o primeiro ano de funcionamento.  Este ano, por exemplo, já enviou 15 alunos para a Olimpíada Internacional de Matemática, na Tailândia.

“São duas combinações, primeiro o ensino, o modelo pedagógico é inovador, faz esses alunos encontrarem seu caminho, um objetivo de vida e o segundo, o estímulo, eles são permanentemente estimulados a competir, buscar tanto para eles quanto para a instituições eles participam a superação de desafios e estamos aqui como instituição para apoiá-los nisso”, explicou o reitor do Iema, Johnatan Almada.

Conquistas recentes

Na Universidade de Brasília (UnB), em 21 de outubro, alunos do Iema de Bacabeira conquistaram medalhas de prata e bronze na II Olimpíada Brasileira de Ciências da Terra e na IV Olimpíada Brasileira de Geografia. Os responsáveis pela conquista foram os estudantes Erick Roberto, que ganhou duas pratas, Mateus Henrique, uma prata e um bronze e, Yago Silva, que conquistou um bronze.

Na XX Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, com premiação realizada no Rio de Janeiro, o estudante Guilherme Souza Maciel, do Iema de Axixá, garantiu o ouro inédito na competição, além disso, os estudantes da unidade também trouxeram um bronze e uma prata.

Já alunos das unidades de Axixá, Bacabeira e São José de Ribamar também conseguiram a classificação para a final da Mostra Brasileira de Foguetes, que será realizada entre os próximos dias 30 de outubro a 02 de novembro, em Barra do Piraí, Rio de Janeiro. O instituto já foi vice-campeão na mostra nos anos de 2016 e 2017.

Para assegurar a continuidade dos bons resultados, observados desde 2016, um núcleo especial é mantido no instituto.

“Montamos um núcleo de Olimpíadas do Conhecimento, que funciona em todas as 13 unidades do Iema e que existe para elaborar tanto um calendário anual com
esses eventos como acompanhar o desempenho dos estudantes”, explicou o diretor de Pesquisa e Extensão do Iema, Dario Soares.

“O incentivo a essas olimpíadas do conhecimento abrem portas, incentivam a entrada deles em universidades e amplitude de navios, outros horizontes”, completou.

Prefeitura levará alunos da rede municipal de ensino para visitar Pontos de Cultura da capital

São Luís tem cultura espalhada por toda cidade, prova disso é a Rede São Luís de Pontos de Cultura que inclui nove macrorregiões, englobando 20 bairros da capital e 40 grupos culturais, entre entidades e coletivos. A Prefeitura, por meio das secretarias municipais de Cultura (Secult) e Educação (Semed) inicia, nesta quarta-feira (26), o projeto São Luís de Ponto a Ponto, um roteiro cultural nas sedes dos Pontos de Cultura para os alunos da rede municipal de ensino, que tem o objetivo de mostrar a cidade de ponto a ponto através da cultura.

O secretário de Cultura, Marlon Botão, ressalta que a Rede São Luís de Pontos de Cultura foi consolidada no ano passado e é uma das mais plurais do país. ” A Rede é responsável por desenvolver um trabalho importantíssimo em toda cidade. A ideia é que o projeto entre para o nosso calendário de ações e seja uma atividade permanente, em que os alunos conheçam os diferentes segmentos culturais da cidade e aprendam sobre nossas manifestações. Os estudantes vão até as sedes dos Pontos de Cultura e terão um momento de imersão naquele espaço, vivenciando um pouco da pluralidade cultural que temos”, explicou o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão.

“É importante para a formação das crianças e adolescentes da rede municipal de ensino esse tipo de intercâmbio, pois ele possibilita a experiência e vivência com as manifestações da cultura popular, aproximando os estudantes de nossa história e de nossas origens, gerando neles a possibilidade de pertencimento e identidade”, disse o titular da Semed, Moacir Feitosa.

As escolas são escolhidas por proximidade da sede dos Pontos, para que os alunos possam voltar outras vezes e criem um vínculo com a entidade cultural. As visitas acontecerão das 14h às 17h. O primeiro Ponto de Cultura a ser visitado será o Boi de Leonardo (Sociedade Junina Bumba Meu Boi da Liberdade), na Liberdade, pelos estudantes da U.E.B. Ministro Mário Andreazza, do mesmo bairro.

Já estão agendadas para visita o grupo GDAM (U.E.B. Alberto Pinheiro), Laborarte (U.E.B. Bandeira Tribuzzi e U.E.B. Justo Jansen), Grêmio Recreativo Escola de Samba Flor do Samba (U.E.B. Luís Serra), Instituto Mariana – Biblioteca Comunitária Monteiro Lobato (U.E.B Gov. Jackson Lago), Rede Leitora Ler pra Valer (U.E.B. Prof°. Rubem Almeida), Boi da União da Vila Mauro Fecury I (U.E.B. Carlos Saad), Boi de Maracanã (U.E.B. Major Augusto Mochel) e Grupo Grita (U.E.B. Ministro Carlos Madeira).

A rede maranhense tem 14 diferentes segmentos culturais: teatro, dança, tambor de crioula, bumba meu boi, centro cultural, capoeira, cultura e educação, escola de samba, bloco tradicional, mídia livre, moda, Festa do Divino, música e ocupação cultural. No projeto, os alunos irão conhecer diferentes territórios culturais e os Pontos de Cultura que integram aquele espaço. O intuito é olhar a cidade através de grupos culturais, dando visibilidade para a Rede e para a cultura espalhada por toda cidade.

REDE SÃO LUÍS DE PONTOS DE CULTURA

Desde 2015, por meio de edital de seleção, 40 iniciativas culturais dos mais diversos segmentos artísticos da capital foram selecionadas para receber premiação e participar de um programa de capacitação, formando a Rede São Luís de Pontos de Cultura. O projeto é uma das ações efetivas da Política Nacional de Cultura Viva, programa do Governo Federal executado pela Prefeitura de São Luís por convênio.

Em 2017 foram realizadas sete oficinas para 80 pessoas de grupos culturais, que serão multiplicadoras em suas regiões de atuação. Os temas trabalhados focaram no desenvolvimento da economia da cultura local e da articulação em rede, alinhados com as políticas do Sistema Nacional de Cultura e do Plano Municipal de Cultura de São Luís. Foram abordados temas como Política Nacional de Cultura Viva, Cultura de Rede; Redes Associativas; Elaboração de Projetos e Captação de Recursos; Comunicação Comunitária; Comunicação Visual e Portfólios Culturais; e Cultura Empreendedora.

A consolidação da Rede aconteceu no final de 2017 com um Fórum para apresentar os resultados. Os componentes da Rede receberam um catálogo com os qualitativos e informações sobre cada entidade e coletivo, incluindo DVDs com informações em audiovisual.

SAIBA MAIS – CONHEÇA OS PONTOS DE CULTURA

Centro de Cultura e socialização Comunidade Viva;

Instituto Mariana;

Sociedade Junina Bumba meu Boi da Liberdade;

Casa das Minas Gege do Maranhão;

Clube Cultural de Bumba meu boi de Zabumba e Tambor de Crioula do Maranhão;

Coteatro;

Centro educacional e profissional do Coroadinho;

Grêmio Recreativo Escola de Samba Flor do Samba;

Bloco Carnavalesco Tradicional os Foliões;

Grupo Folclórico União da Baixada;

Grupo Grita;

Formação Centro de Apoio a Educação Básica;

Laborarte – Laboratório de Expressões Artísticas;

Associação Cultural Beneficente Junina Pindareense;

Centro de Atividades Rosa Branca;

Associação Folclórica Brilho da União da Vila Mauro Fecury I;

Associação Folclórica Cultural e Beneficente Oriente;

Grupo Folclórico Lírio do Sertão;

Associação Recreativa e Beneficente Folclórica e Cultural de Maracanã;

Associação de Cultura da Capoeira e da Raça;

União dos Moradores da Vila dos Frades;

Grupo de Danças Afro Malungos-GDAM;

Sociedade de Boa União;

Associação Folclórica Tambor de Crioula Arte Nossa;

Associação Cultural Tambor de Crioula Manto de São Benedito;

Associação Folclórica Tambor de Crioula Mimo de São Benedito;

Tramando Teatro;

União dos Moradores da Vila Embratel II;

Sociedade Maranhense de Mídia Alternativa Mutuca;

Xama Teatro;

A capoeira e as Danças de Matriz Africana;

Casa do Coreiro do Maranhão;

M@trizes.Com Cartografia Cultural Colaborativa;

Coroado de Natal Fortalecendo a Identidade Cultural do pólo Coroadinho;

Festa do Tambor de Crioula Proteção de São Benedito II;

Grupo Bumba Ópera Brasil Cantatas;

Grupo de capoeira Tombo da Ladeira;

Lizzi Fashion Artistique Collectif;

Movimento Sebo no Chão;

Tambor de Crioula Mestre Amaral Centro Cultural.

Prefeitura realiza de ações de educação ambiental para mais de 5 mil alunos na Cidade Operária

Ao longo de todo o mês de agosto, a Prefeitura de São Luís intensificou as ações de educação ambiental junto às escolas da rede municipal localizadas no bairro Cidade Operária. As ações fazem parte da campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza, uma iniciativa da gestão do prefeito Edivaldo desenvolvida pelo Comitê Gestor de Limpeza Urbana, com o objetivo de conscientizar a população para o descarte ambientalmente adequado de resíduos sólidos. Ao longo do mês, mais de 5.600 estudantes da rede municipal do bairro receberam a visita do Cidadão Limpeza e aprenderam mais sobre sustentabilidade, coleta seletiva e reciclagem.

Além das atividades operacionais diárias, o Comitê Gestor de Limpeza Urbana desenvolve ações de educação ambiental. As ações são realizadas por meio da campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza, lançada em abril deste ano pela Prefeitura de São Luís. A campanha é voltada para o desenvolvimento da conscientização ambiental, visando provocar uma reflexão sobre a quantidade de resíduos gerados, os impactos dos resíduos descartados inadequadamente na cidade e o papel do cidadão para a manutenção da limpeza urbana.

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, informa que as ações são constantes e ocorrem em escolas, associações de bairro, ações de rua entre outras atividades educativas. “Temos um cronograma fixo de ações de educação ambiental e desde abril integramos esta programação com a campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza lançada este ano pela Prefeitura de São Luís. Para 2018, nossa meta é dobrar as ações realizadas em comparação a 2017, levando estas atividades ao maior número de bairros e escolas da nossa capital”, disse.

RECEPÇÃO DOS ALUNOS

Em todas as ações realizadas nas escolas o Cidadão Limpeza é recebido com muita empolgação pelos alunos que participam de todas as atividades propostas, tiram dúvidas sobre a coleta seletiva e debatem entre si a importância da limpeza urbana para a preservação do meio ambiente. O Cidadão Limpeza é um personagem criado pela Prefeitura de São Luís para conscientização da população para o descarte correto do lixo. O objetivo do personagem é levar, de maneira leve e descontraída, a mensagem ao cidadão que uma cidade limpa, sustentável e bonita deve ser compromisso de todos.

As atividades tiveram início pela Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Tancredo Neves e foram encerradas nesta segunda-feira (3) na U.E.B. Estevam Angelo de Sousa e incluíram também os estudantes do Ensino de Jovens e Adultos (EJA) da U.E.B. Professor Nascimento de Moraes. A ideia é que a atividade seja uma aula mais descontraída que as do dia a dia, tendo o Cidadão Limpeza como professor. As atividades são planejadas conforme a idade dos estudantes, sendo realizadas desde brincadeiras lúdicas até palestras educativas.

AÇÕES EDUCATIVAS

Além das visitas em escolas, a Campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza inclui visitas guiadas de estudantes aos Ecopontos, palestras em associações de bairro para discutir com os moradores com melhorar a limpeza urbana na sua comunidade. Também são feitas ações de ruas para chamar a atenção da população para o problema que é o descarte irregular de resíduos sólidos e as consequências que ele traz para o meio ambiente, a saúde pública e o paisagismo urbano.

Ao longo de setembro, as ações serão expandidas para os bairros Cidade Olímpica, São Raimundo – onde a Prefeitura de São Luís implantou o 11º Ecoponto da Cidade -, Coroado entre outras localidades. “As ações de educação ambiental completam o trabalho de profissionalização da gestão de resíduos sólidos implantada na gestão do prefeito Edivaldo. Precisamos conscientizar a população de que estamos vivendo um novo modelo na gestão de resíduos e que esse trabalho só dará os resultados que todos esperam se ele for consorciado entre o poder público e a sociedade civil”, afirma Carolina Moraes Estrela.

Município tem prazo de 48 horas para disponibilizar transporte escolar para alunos da rede pública

O Município de Turiaçu deverá disponibilizar, no prazo de 48 horas (a contar da ciência da decisão), transporte escolar gratuito para todos os alunos da rede pública situada na sua área geográfica e que dependam do serviço para o seu deslocamento diário até a escola, sob pena de multa diária no importe de R$ 10 mil, limitada a R$ 200 mil. A determinação consta de decisão que concedeu tutela provisória de urgência, proferida pela juíza Urbanete de Angiolis, titular da comarca de Turiaçu.

Na ação, o Ministério Público relatou que instaurou Procedimento Administrativo no mês de junho de 2016, para investigar irregularidades na oferta de transporte escolar para atender crianças e adolescentes matriculados na rede pública de Turiaçu. Narrou, ainda, que recebeu diversas reclamações formais de moradores dos Povoados Alto da Alegria, Capoeira Grande e Santa Rita, todos localizados no entorno do Município, afirmando que não existe oferta de transporte escolar aos alunos que frequentam o ensino público em escolas localizadas na respectiva zona rural.

O MP afirma que em 12 de março deste ano foi realizada uma vistoria, na qual teria sido constatado que apenas um ônibus escolar, de uma frota de oito veículos, estaria em condições razoáveis para prestação desse importante serviço público. Ressaltou, ainda, entre os problemas relatados, a existência de “pneus carecas”, tacógrafos avariados, bancos rasgados, entre outros, que colocariam em risco a segurança do transporte dos estudantes.

O Município de Turiaçu apresentou prestação de contas do período de 2015, 2016 e 2017, comprovando o recebimento de R$ 283.777,97 (duzentos e oitenta e três mil setecentos e setenta e sete reais e noventa e sete centavos) de verba oriunda do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar/PNATE, consistente na transferência automática de recursos financeiros para custear despesas com manutenção, seguros, licenciamento, impostos e taxas, pneus, câmera, serviço de mecânica em freio, suspensão, câmbio, motor, elétrica e funilaria e etc.

O MP ressaltou ainda que, por omissão ou desídia, o Município também não teria aderido ao Programa Estadual de Apoio ao Transporte Escolar no Estado do Maranhão/PEATE/MA, que propicia acesso a recursos financeiros pelos municípios para prestação do serviço de transporte escolar dos alunos do ensino médio da rede pública estadual residentes na zona rural, o que agravaria, ainda mais, o estado caótico verificado. Por fim, ressaltou que a falta de transporte escolar implicaria em outros problemas, além da previsível evasão escolar, como também a utilização de motocicletas por menores, a fim de se deslocarem às suas escolas, o que constituiria ilícito de trânsito e ainda colocaria em risco a vida de tais crianças e adolescentes.

“Verifico o absoluto estado de precariedade dos ônibus pertencentes a frota escolar municipal, circunstância nefasta esta que, não só atenta contra a dignidade de crianças e adolescentes usuários do serviço, quanto coloca em risco a vida destas pessoas, na medida em que, quando conduzidas, são submetidas a utilizar veículos, visivelmente, avariados e sem mínimas condições de segurança”, observa a juíza na sentença.

Para a magistrada, o próprio Município demonstrou que vem recebendo verba pública para o custeio do serviço. “Frente a isso, não se faz justificável, tampouco, razoável, admitir que crianças e adolescentes deixem de ter acesso ao serviço de transporte escolar adequado ou mesmo que sejam atendidos em veículos mecanicamente inseguros, havendo recurso financeiro específico para as despesas com manutenção, seguros, licenciamento, impostos e taxas, pneus, câmera, serviço de mecânica em freio, suspensão, câmbio, motor, elétrica e funilaria, dentre outros”, diz a decisão.

Além da imposição já citada, o Poder Judiciário determinou que, no prazo de 60 (sessenta) dias, o requerido submeta os veículos da frota escolar municipal à inspeção do DETRAN/MA, adequando os respectivos veículos às exigências dos artigos 136 e 137 do Código de Trânsito Brasileiro, tudo sem a interrupção do serviço e mediante comprovação no processo, sob pena de multa diária de R$ 2 mil, limitada a R$ 100 mil.

Ocupação Trapiche #09 traz exposição fotográfica e atividades voltadas para alunos da rede pública

Com a proposta de imergir os alunos nas artes visuais e fazer com que aprendam sua importância histórica, a Prefeitura de São Luís realiza um projeto de arte-educação, por meio da Galeria Trapiche Santo Ângelo, equipamento municipal de cultura. Trata-se da Ocupação Trapiche #09, exposição que reúne 53 fotografias de estudantes do Liceu Maranhense, escola pública mais antiga do Brasil. A mostra fica em cartaz até o dia 14 de setembro e, durante este período, uma série de atividades estão sendo realizadas como parte da programação.

“Esta é a 9ª edição da Ocupação Trapiche, que é que um projeto de ocupação deste espaço público com exposições e atividades que possam movimentar o equipamento. A mostra é resultado de uma chamada pública que selecionou trabalhos para expor ao longo do ano na Galeria. Paralelo à exposição, são realizadas outras ações correlacionadas ao tema para dinamizar a programação”, explicou a diretora da Galeria Trapiche, Camila Grimaldi.

A abertura contou com um recital de poesia, declamado pelo professor de literatura do Liceu, José Aparecido. “A proposta é interagir a poesia e fotografia, mostrando que as artes são transversais. É muito bom participar de projetos assim e ver meus alunos do noturno saindo da zona de conforto que a escola traz e indo para novos horizontes. Esta exposição mostra que é possível romper desafios e mostrar resultados de produções exitosas”, destacou o professor. Na oportunidade, ele recitou um poema de sua autoria, intitulado ‘A procura (eu)’, escrito neste ano.

A exposição ‘Retratos e Identidades do Liceu Maranhense’ é fruto de um processo didático em arte-educação com alunos do ensino regular noturno do Liceu Maranhense, durante o ano de 2017, coordenado pelas professoras de Arte Elma Ferreira e Ellen Viana. “O projeto envolve mais de 120 alunos do 2º e 3º ano do Ensino Médio Regular Noturno, o que tira aquele estigma que o turno da noite é improdutivo. No fim do ano passado nós fizemos uma exposição no Departamento de Comunicação da Universidade Federal do Maranhão e apresentamos no Simpósio Nacional de Arte e Mídia, em Alcântara, mas trazer isso para uma Galeria de Arte pública, ganha uma proporção ainda maior”, contou Ellen Viana.

A professora Elma Ferreira ressaltou o retorno positivo que o projeto vem trazendo para os estudantes. “É notório como esse projeto já nos faz colher bons frutos, é um motivo de orgulho para professores e estudantes. Em especial por serem alunos do noturno, nos mostra que é possível sim trabalhar produções com estes estudantes, eles são muito receptivos e abraçam as ideias. A proposta é fazer uma vivência da arte da fotográfica no cotidiano escolar, por isso teremos outras atividades dentro da programação”, disse.

O aluno Edvan Barbosa Silva, é um dos expositores. Ele retratou a fotografia ‘My Great Grandfather Looks Just Like Johnny Depp’, que encontrou na internet e achou interessante para fazer o retrato. “A proposta era nos fazer ver fotografias antigas, como eram diferentes das que temos hoje. Quando começamos o trabalho, achamos que era só mais uma atividade da escola, não sabíamos que iria virar uma exposição e ter toda esta repercussão. Estou feliz pela proporção que tomou”.

A mostra apresenta imagens em preto e branco, que buscam refletir sobre a relação entre fotografia e educação. Foi concebida a partir de pesquisa histórica e da utilização de celulares e smartphones em sala de aula, levando os alunos a compreender a fotografia como uma expressão artística, assim como um resgate histórico na identidade de um povo. Além disso, faz um confronto com os dias atuais que revelam uma banalização da imagem, sobretudo, da fotografia.

PALESTRA

Uma das atividades realizadas dentro da Ocupação Trapiche #09 foi a palestra ‘Imagem e Identidade – Observações teóricas sobre a exposição Retratos do Liceu: Uma vivência da arte da fotografia no cotidiano escola’, ministrado pelo pesquisador e historiador João Carlos Pimentel Cantanhede. A ação foi voltada para os alunos do 1º ano vespertino do Liceu Maranhense.

Na oportunidade, os alunos visitaram a exposição na Galeria e fizeram uma viagem pelo tempo com a história da imagem. O pesquisador da história da arte no Maranhão, João Carlos Pimentel, fez uma abordagem sobre costumes e influências da época de cada fotografia retratadas na exposição. Também falou sobre a trajetória da imagem até os dias atuais, trazendo obras importantes para a história e nomes como Van Gogh, Leonardo da Vinci e Tarsila do Amaral. “Momentos como este são significativos para aprendizagem. O fato de você se deslocar já desperta um outro olhar nos alunos, prende a atenção deles para aprender sobre arte, ainda mais em um espaço como a Galeria Trapiche”, falou o pesquisador.

Para a aluna Leyd Sofia Louzeiro, que visitou a exposição e participou da palestra, surge um interesse maior pela fotografia. “Muda nossa forma de ver as fotografias, que é algo tão comum hoje para a gente. A exposição é uma ideia interessante e diferente para todos os alunos, mesmo para a gente que só visita. A palestra também veio pontuar e ensinar muito sobre nossa própria história, de como a imagem faz parte dela”.

Dando continuidade à programação, nos dias 28, 29 e 30 de agosto, os alunos do Liceu participarão do curso Fotografia em Pinhole, das 14h às 17h, coordenado pelo professor do Instituto Federal de Educação, Eduardo Cordeiro. No dia 5 de setembro, a professora de fotografia da UFMA, Áurea Costa, fará uma palestra sobre fotografia, às 14h. No dia 12, será realizada uma mostra de vídeos com temas relacionados com a história da fotografia, aberta ao público.

O encerramento será no dia 14 com debate sobre Imagem na Arte, explanado pela professora Mônica Rodrigues, e performance com alunos do Liceu Maranhense. A Galeria Trapiche fica localizada na Av. Sen. Vitorino Freire – Centro (em frente ao Terminal de Integração da Praia Grande) e está aberta ao público para visitação de segunda a sexta, no horário das 14h às 19h.

Prefeitura leva mais de 500 alunos da rede municipal para visitar exposição de peças africanas

Mais de 500 estudantes de 10 escolas da rede pública municipal de ensino de São Luís já visitaram a exposição ‘O Diálogo das Formas’, que reúne peças da cultura africana, retratada por meio de esculturas, máscaras e objetos cerimoniais ou de uso cotidiano. Esta semana foi a vez dos alunos do 5º e 6º anos do Ensino Fundamental da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Rivanda Berenice Braga conhecerem a mostra. As visitas das escolas integram uma parceria entre a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e o Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM), local que abriga a exposição.

“O contato dos estudantes com os objetos da cultura africana reforça o conteúdo curricular e amplia os seus conhecimentos, na medida em que oportuniza novos meios e formas de aprendizado e a parceria da Prefeitura de São Luís com o Centro Cultural Vale Maranhão só reforça o compromisso da gestão com a educação, que é prioridade para o prefeito Edivaldo”, destacou o secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa.

Entre os estudantes da U.E.B. Rivanda Berenice Braga, estava Helouisy Fabiana Costa da Silva, 11 anos, do 5º ano, residente no Barreto. Ela disse ter amado a visita ao Centro Cultural, que fica no Centro Histórico da cidade. “É legal ver de perto coisas que na maioria das vezes vemos só por livros ou pela televisão. As esculturas e máscaras de animais retratam muito bem a cultura africana”, observou a estudante.

O aluno da rede municipal Vinicius Rafael Lopes Oliveira, 12 anos, conta que o vídeo da cultura africana, exibido antes da visitação à exposição, foi muito interesse, pois mostrou a música, a dança, e outras questões da cultura africana de forma simples e bonita. “As máscaras das mais diferentes formas e o vídeo foram as coisas que mais me chamaram a atenção. Gostei demais de ter vindo”, disse o estudante.

A cuidadora Louise Raphaelly de Azevedo Ramos, que trabalha na escola Berenice Braga, declarou ser “de grande importância a visitação dos estudantes ao espaço, para a ampliação do aprendizado e maior conhecimento da cultura africana, que tanto influenciou e continua influenciando a cultura brasileira”.

Para o coordenador educativo do Centro Cultural Vale Maranhão, Ubiratã Trindade, a parceria com a Prefeitura de São Luís dá, de fato, sentido à política de incentivo à cultura. Ubiratã Trindade diz ainda que a exposição faz acontecer a experiência da arte-educação fora dos muros da escola. “É de extrema importância o incentivo dos pais e professores para que os estudantes visitem exposições e outros locais de artes com o objetivo de ampliar o aprendizado. É bom poder discutir, refletir e até mesmo repensar as questões da cultura e religião de um povo”, assinalou.

MAIS SOBRE A EXPOSIÇÃO

Máscaras, esculturas e objetos cerimoniais ou de uso cotidiano, como bancos e apoios de nuca, compõem a exposição ‘O Diálogo das Formas’. São obras representativas da arte de 62 povos que habitam 14 países africanos. São ao todo 196 peças da coleção do médico pernambucano Eduardo Couto. Entre elas estão obras produzidas pelos povos Iorubá, da Nigéria; Luba, do Congo; Dan, da Libéria; Fang, do Gabão; Bobo e Gurunsi, de Burkina Faso; e Dogon, do Mali.

Alunos da rede de ensino recebem orientação sobre descarte correto de resíduos sólidos

A Prefeitura de São Luís iniciou o segundo semestre letivo nas escolas da rede municipal e com a volta às aulas foram retomadas as ações de educação ambiental da campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza, desenvolvidas pelo Comitê Gestor de Limpeza Urbana. O objetivo da campanha, uma iniciativa da gestão do prefeito Edivaldo, é despertar desde cedo a consciência ambiental e incentivar o manejo e descarte correto dos resíduos sólidos. A primeira ação do segundo semestre foi realizada nesta quinta-feira (9), para alunos da Educação Infantil da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Emir Justino Ribeiro, no São Bernardo.

Por meio do trabalho são realizadas palestras em escolas da rede municipal e nos bairros da cidade para chamar a atenção da população para os transtornos causados pelo descarte irregular de resíduos sólidos em vias públicas, incentivando o uso dos Ecopontos e promovendo a coleta seletiva e reciclagem.

As ações são coordenadas pelo Comitê Gestor de Limpeza Urbana e a expectativa é de que ao longo do mês de agosto mais de 2000 alunos da rede pública municipal participarão das atividades. “Temos um cronograma fixo de ações de educação ambiental e desde abril integramos esta programação com a campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza lançada este ano pela Prefeitura de São Luís. Para 2018, nossa meta é dobrar as ações realizadas em comparação a 2017, levando estas atividades ao maior número de bairros e escolas da nossa capital”, afirmou a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela.

ESTUDANTES ATENTOS

Durante os períodos matutino e vespertino cerca de 300 alunos da Educação Infantil (3 a 5 anos) da U.E.B. Emir Justino Ribeiro tiveram uma aula bem diferente, assistindo uma palestra divertida. De forma lúdica, eles aprenderam sobre os diferentes tipos de materiais recicláveis, como separá-los e que eles devem ser entregues nos Ecopontos para que sejam reaproveitados pelas cooperativas de catadores.

As crianças ficaram empolgadas com a presença do Cidadão Limpeza na escola e participaram de todas as brincadeiras propostas por ele. Atentas, elas responderam todas as perguntas sobre a separação correta dos materiais recicláveis como a cor do coletor para cada tipo de material (papel, plástico, metal e vidro). Elas também ouviram com atenção as histórias criadas por ele para ensiná-las a importância da preservação do meio ambiente.

CAMPANHA CIDADÃO LIMPEZA

De abril a julho de 2018, já foram realizadas 38 ações de educação ambiental por meio da campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza, totalizando quase quatro mil pessoas beneficiadas entre estudantes das redes pública e privada, além de moradores dos mais diversos bairros de São Luís por meio das visitas guiadas a Ecopontos, palestras em escola e ações de rua. As ações de educação ambiental são desenvolvidas dentro do planejamento da Campanha Cidadão Limpeza Cidade Beleza que foi desenvolvida para informar e educar a população sobre o manejo adequado do lixo domiciliar.

As ações ocorrem em escolas públicas ou privadas, universidades, associações de moradores, entidades de classe entre outras interessadas em aprender mais sobre sustentabilidade, coleta seletiva, descarte ambientalmente adequado dos resíduos sólidos domiciliares entre outros. A divulgação dos Ecopontos também faz parte das ações de educação ambiental, por meio de visitas guiadas quando estudantes e comunidades do entorno dos Ecopontos conhecem melhor o equipamento e tiram suas dúvidas quanto ao seu funcionamento.

Desta forma, são desenvolvidas atividades de mobilização social, palestras, visitas técnicas, compensação ambiental, entre outras mostrando, assim, o interesse e a responsabilidade da Prefeitura de São Luís em trabalhar na educação ambiental de forma pontual e objetiva, fortalecendo práticas sustentáveis em busca do meio ambiente equilibrado para as presentes e futuras gerações.

Alunos da UFMA desenvolvem técnica para auxiliar no diagnóstico precoce de câncer de pulmão

Recentemente, pesquisadores da Universidade Internacional de Catalunha (Barcelona – ES), publicaram um estudo sobre a taxa global de mortalidade por câncer de pulmão. As projeções feitas com dados de 52 países, incluindo o Brasil, mostram que o número de mortes da população feminina em decorrência da doença deve aumentar, em 43%, até 2030.

Esses dados são alarmantes e para redução desses quantitativos, os pesquisadores do curso de Ciência da Computação da Universidade Federal do Maranhão, Robherson Wector, Giovanni da Silva, Antonio Carvalho Filho, Aristófanes Silva, Anselmo Paiva e Marcelo Gattass, desenvolveram uma metodologia, publicada na revista internacional Medical & Biological Engineering & Computing, que pode contribuir para o diagnóstico precoce de câncer de pulmão, com precisão de 91%.

Segundo Robherson Wector, a metodologia propõe o diagnóstico de nódulos pulmonares, avaliando-os em tumores benignos e malignos, com base no processamento de imagens e técnicas de reconhecimento de padrões. “Atualmente, temos dois tipos de sistemas para o diagnóstico: CAD – um sistema de detecção assistida por computador e o CADx – um sistema de detecção e diagnóstico também assistida por computador. A metodologia que propomos tem o intuito de complementar o CADx. No sistema, são realizadas várias etapas: reconhecimento dos nódulos, a segmentação desses nódulos e sua classificação, sendo esta última o foco do nosso trabalho”, explicou o estudante.

Assim, a metodologia proposta utilizou apenas características de textura para classificação de nódulos pulmonares. “Trabalhamos com o nódulo segmentado em imagem 3D, no qual as diferenças de cores correspondiam às texturas diferentes. A partir daí, podemos classificar o nódulo em benigno ou maligno”, completou.

O conhecimento é transformador

Wector não acreditava que seu curso poderia ter conexão com a área da saúde. “Foi uma surpresa, para mim, contribuir com a medicina, pois entramos no curso de computação com a mente limitada, pensando em criar apenas programas para empresas bancárias, jogos para celulares ou aplicativos. A oportunidade que a UFMA nos ofereceu foi singular, pois desenvolvemos nosso trabalho no Núcleo de Computação Aplicada da instituição”, disse.

Depois da publicação do artigo, o jovem percebeu que é imprescindível os estudos e aperfeiçoamento nas imagens constituídas, principalmente, por tomografia computadorizada (TC), para auxiliar no diagnóstico do médico. “A maneira mais fácil de diagnosticar o câncer de pulmão é por meio de raio-X do tórax complementado por tomografia computadorizada, no entanto a detecção de nódulos nas áreas das imagens de TC não é uma tarefa fácil, uma vez que as densidades dos nódulos podem ser semelhantes às das outras estruturas pulmonares”, ressaltou.

O impacto na sociedade

O trabalho dos estudantes tiveram resultados superiores aos estudos já realizados na mesma área, com a melhor sensibilidade de 93,42%, especificidade de 91,21%, acurácia de 91,81% e área sob a curva ROC, que é a medida do desempenho do modelo baseada em classificação, de 0,94.

A metodologia proposta foi testada em imagens de TC utilizando a base de dados gratuita, intitulada Lung Image Database Consortium e Image Database Resource Initiative (LIDC-IDRI), criada pelo Instituto Nacional do Câncer e pela Fundação para os Institutos Nacionais de Saúde.

“Entendemos que as ferramentas computacionais podem fornecer uma segunda opinião aos médicos especialistas e o nosso papel é facilitar essa interação ajudando-os a levar um tratamento mais adequado e eficaz para os pacientes. Dessa maneira, essa técnica poderá ser integrada a um sistema de diagnóstico na Tomografia Computadorizada para análise do nódulo, com a precisão de demonstrar, em tantos por centos de certeza, se o nódulo é benigno ou maligno”, ressaltou Wector.

Além de aumentar a precisão do diagnóstico de câncer de pulmão, o estudo contribuirá para a diminuição de gastos do dinheiro público. “Se tivermos diagnósticos mais precisos, principalmente no sistema público de saúde, não teremos biópsias inconsistentes sendo realizadas, consequentemente, diminuirá o número de operações, gerando, diretamente, a diminuição de gastos médicos”, finalizou.

IEMA chega a 14 mil alunos em unidades vocacionais e apresenta resultados a Flávio Dino

O governador Flávio Dino participou, nesta segunda-feira (11), de encontro com supervisores e alunos dos cursos profissionalizante do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), no auditório do Palácio dos Leões. O reitor do IEMA, Jhonatan Almada, apresentou um balanço com os dados referentes ao desempenho da instituição desde seu início de funcionamento, em 2016.

Com a temática “Do Virtual ao Real”, o balanço dos cursos profissionalizantes do IEMA deu ênfase à expansão das unidades vocacionais do instituto, de 18 para 90 cidades maranhenses, alcançando aproximadamente 14 mil alunos de diversas regiões. Mais de 10 mil estudantes já foram certificados após a conclusão dos cursos ofertados pelas unidades de ensino profissionalizante pelo programa Bolsa Formação.

O relatório apresentou também o perfil dos beneficiários das unidades vocacionais, sendo 34% de pessoas desempregadas, 30% de empregados, 43% de estudantes, 11% de estudantes que possuem nível superior e 63,3% de estudantes com diploma de conclusão do Ensino Médio.

Elogiando a atuação do IEMA, o governador Flávio Dino disse que esse é um momento especial pela concretização dos sonhos de muita gente, com a formação profissional. O encontro serviu ainda para uma reflexão sobre o direcionamento dos projetos na instituição.

“Muito bom termos este momento de avaliação, até para sabermos se estamos indo no caminho certo. Esse também é o momento de ouvir os anseios de cada comunidade. É preciso manter esse diálogo para entender a grandiosidade do projeto do IEMA”, disse o governador.

Missão 

O reitor Jhonatan Almada pontuou que o encontro visou reunir os representantes de 90 cidades do Maranhão onde o IEMA oferece cursos: “Isso significa o quanto o IEMA cumpriu com a missão que o governador nos deu, que era de democratizar a educação. E hoje, em toda região, nós temos um curso do IEMA levando educação profissional para as pessoas, ajudando a gerar emprego, renda e trabalho”.

O coordenador da unidade vocacional do IEMA em São Mateus, Francisco Barata, disse que é um prazer participar de uma frente de trabalho que garante aprendizado e emprego para a população. “Estar aqui e saber que o governador tem investido em profissionalização em nosso município é muito empolgante. Temos vários casos de sucessos, onde tiramos os alunos da vulnerabilidade e colocamos em uma profissão”, contou.

Antonio Wilson da Silva Nascimento, de 48 anos, morador de Pedreiras, é um desses resultados positivos do curso e já expande seu trabalho no ramo de produção de massas. “Escolhi fazer o curso para aprimorar os meus conhecimentos, porque já trabalhava com massas. A equipe do IEMA de Pedreiras é muito boa, são pessoas pacientes, atenciosas e competentes.  O curso foi importante, porque além de ensinar a teoria e a prática, também ensina a ter uma visão empreendedora que o mercado tanto exige. Forneço produtos como massas de pizzas, pizzas prontas, amanteigados, biscoito água e sal e pão de ló para quase todos os supermercados da cidade”, detalhou.

Ele reiterou que a região é beneficiada diretamente, pois o curso ajuda na geração de empregos e renda. “Acredito que seja esse o objetivo do Governo Flávio Dino, um governo que faz tudo para melhorar cada vez mais a realidade do nosso estado. A iniciativa do curso é importante, porque aprender é fundamental”, encerra Antonio Wilson.

Alunos do Ensino Fundamental visitam setores do Detran-MA

O Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA) está realizando uma série de ações educativas, em virtude do Movimento Maio Amarelo. Entre elas, o Projeto Conhecendo o Detran, uma atividade que promove a apresentação dos principais setores do órgão para alunos de escolas públicas e particulares da Região Metropolitana de São Luís. Na quarta-feira (9), alunos do 5º ano do Ensino Fundamental da UEB Dr. Oliveira Roma, do Recanto do Vinhais, se fizeram presentes na sede do Departamento, na Vila Palmeira.

O objetivo do projeto é apresentar o Detran-MA para os alunos incentivando-os com dicas de segurança no trânsito. A visita foi guiada por educadores e personagens do Transitart, criados para levar a mensagem do Maio Amarelo, “Nós Somos o Trânsito”, e sobre a segurança viária. Os alunos visitaram os setores da Divisão de Exames Práticas, da Vistoria e depois foram até a sede do Batalhão de Policia Rodoviária (BPRV), no São Cristóvão.

A educadora de trânsito Ariana Barros, que encena a personagem “Fadinha Bibi”, estimulou os alunos a se manifestarem. Durante a passagem pelo Setor da Vistoria, os alunos Ismael da Silva e Marcia Ramos, ambos com 10 anos, questionaram o palestrante. O primeiro quis saber sobre a fabricação de uma placa de veículo e a segunda, o que significava a sigla Detran. O assistente administrativo Marcos Veloz, que explicava a importância do registro do veículo como segurança de proteção, respondeu a todas as perguntas dos visitantes.

A diretora geral do Detran-MA, Larissa Abdalla, destaca a importância do Projeto Conhecendo o Detran-MA, que abraça crianças e adolescentes com o objetivo de formar cidadãos responsáveis no futuro.

“Quando ensinamos uma criança sobre o respeito às leis de trânsito, a informação acaba chegando também aos seus pais e parentes ou ao público adulto. Elas se tornam multiplicadores de atitudes adequadas nas ruas, e, ao mesmo tempo, fiscalizadoras do comportamento dos pais”, afirma da diretora.

A diretora da UEB Dr. Oliveira Roma, Lindalva Araújo de Sousa, disse que reconhece o Conhecendo o Detran-MA como um projeto que contribui na formação dos alunos. “A nossa escola já recebeu o Projeto Detran-MA e os alunos foram muito receptivos. Agora, eles vieram conhecer a importância do órgão e como ele funciona. Assim ficará mais fácil para eles entendem suas responsabilidades no trânsito”, afirmou.