Prefeito Edivaldo recebe visita de embaixador de Israel no Brasil

O prefeito Edivaldo recebeu, na manhã desta terça-feira (10), no Palácio La Ravardière, a visita de cortesia do embaixador de Israel no Brasil, Yossi Avraham Shelley. Na ocasião, o diplomata formalizou convite ao chefe do Executivo Municipal para participar da 5ª edição da Home Land Security – HLS & Cyber 2018, umas das maiores conferências e exposições internacionais em segurança pública e cibernética do mundo, que será realizada em Tel Aviv, em novembro. Durante o encontrou também foi tratado sobre possíveis parcerias que possam resultar em investimentos para o desenvolvimento social e econômico da cidade.

“Recebemos aqui pela segunda vez a visita do embaixador de Israel, que muito nos honra com sua presença. Esses encontros são sempre muito relevantes para a manutenção das relações institucionais do governo com outros países e para a troca de experiências exitosas nas mais diversas áreas de interesse público, visando sempre melhorias para nossa cidade e para a população”, afirmou Edivaldo.

O embaixador de Israel, Yossi Avraham Shelley, reforçou o interesse em contribuir com informações e experiências nas áreas de maior desenvolvimento de seu país, que é um dos grandes exportadores internacionais de tecnologia em diversas áreas, como biotecnologia, agrobiotecnologia, bioinformática, além de segurança pública, entre outras tecnologias.

“Queremos que São Luís participe desse grande evento na área de segurança pública realizado em Israel e adquira o que de melhor é apresentado nessa importante feira internacional. Esta é a segunda reunião que realizamos com o prefeito Edivaldo, na qual falamos sobre assuntos de interesse para a cidade, sempre buscando trocar experiências e possibilidades viáveis para a cidade. Todos sabem que Israel é um dos países mais avançados no setor da segurança pública, por isso mesmo queremos ofertar aos participantes toda a expertise que o país tem na área”, observou o embaixador.

Yossi Avraham Shelley acrescentou, ainda, que o evento é aberto ao setor público e privado, que podem formar suas delegações para participação da conferência. “Vamos tocar ideias, experiências, tecnologias, numa grande agenda positiva para promover a economia e a segurança pública das cidades participantes do evento, que reúne as maiores empresas na área”, frisou o embaixador.

Participaram também da reunião desta terça-feira (10), o secretário de Relações Institucionais do Governo do Estado, pastor Porto; o secretário municipal de Governo, Pablo Rebouças; o subsecretário da Casa Civil, Da Hora Júnior; o gestor de Programas Especiais do Governo do Estado, Enos Ferreiro; e a representante da Frente Global, Odinea Ketlen.

HOME LAND SECURITY

A HLS & Cyber é um evento bianual realizado em Tel Aviv e reúne os mais recentes avanços tecnológicos e as últimas evoluções no setor da segurança pública e cibernética. O evento conta com a presença de especialistas internacionais no setor e promove reuniões individuais com executivos de alto escalão das maiores empresas de segurança do mundo e com delegações internacionais dos países participantes.

A HLS 2014 é organizada pela Israel Export & Instituto de Cooperação Internacional em parceria com os ministérios das Relações Exteriores, Segurança Pública, Defesa e Economia locais. A Conferência inclui, ainda, palestras, seminários, mesas-redondas e exibições das próximas gerações de tecnologias e sistemas industriais, assim como os melhores exemplos já aplicados em campo. O evento também oferecerá oportunidades de networking e possibilidades de negócios por meio de reuniões formais e informais.

Copa do Mundo fica entre europeus

Com informações da RBA

São Paulo – O sonho do hexacampeonato foi adiado mais uma vez. A seleção brasileira caiu diante da revelação belga, perdendo por 2 a 1, na Arena Kazan, na tarde desta sexta-feira (6), diante de quase 43 mil torcedores. Foi um dia de derrotas sul-americanas, já que o Uruguai havia perdido pouco antes para a França, que enfrentará a Bélgica na próxima terça-feira (10), às 15h (horário de Brasília). Agora, só há europeus na Copa do Mundo.

Foi apenas a segunda derrota brasileira na “era Tite”, em 26 jogos. E a primeira vez que o time sofreu dois gols. Os “diabos vermelhos” abriram 2 a 0 no primeiro tempo e sempre levaram perigo no contra-ataque. A seleção foi para cima na segunda etapa, conseguiu diminuir e tentou até o fim, pressionando de forma desordenada, mas dando trabalho ao gigante Courtouis, de 1,99 metro.

Neste sábado (7), saem os outros semifinalistas. Às 11h, jogam Suécia e Inglaterra e às 15h, Rússia e Croácia. Com isso, a Copa de 2018 terá um decisão inédita no próximo dia 15. Sobraram apenas dois campeões mundiais,  Inglaterra e França.

Assista os melhores momentos e gols:

Brasil e Bélgica vencem e se enfrentam nas Quartas de final

Brasil e Bélgica se enfrentam nas Quarta de final da Copa do Mundo da Rússia. O confronto será realizado na próxima sexta-feira (6), na Arena Kazan, às 15h.

A Seleção Brasileira venceu o México por 2 a 0, na manhã desta segunda (2). Os gols brasileiros foram marcados por Neymar e Firmino.

Os belgas venceram o Japão numa virada impressionante. A Bélgica perdia por 2 a 0, mas virou o placar para 3 a 2 com o gol da vitória no último minuto da partida.

Veja os melhores momentos de Brasil x México e Bélgica x Japão

Brasil vence a Costa Rica e lidera Grupo E; veja os melhores momentos

Com gols de Philippe Coutinho e Neymar, a Seleção Brasileira venceu a Costa Rica por 2 a 0, na segunda rodada do Grupo E da Copa do Mundo, na Rússia.

O resultado deixa o Brasil na liderança do grupo com quatro pontos ganhos. A Sérvia têm três pontos seguida por Suíça com um ponto. Os costa riquenhos ainda não pontuaram.

O Brasil fecha a participação na primeira fase da Copa contra a Sérvia, na próxima quarta-feira (27), às 15h.

Veja os gols e os melhores momentos:

Maranhão é o 5º Estado que mais criou emprego com carteira assinada em maio

Pelo terceiro mês seguido, o Maranhão teve crescimento no número de empregos com carteira assinada. Além disso, o Estado registrou o quinto maior aumento de novos postos, segundo dados do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

O Maranhão gerou 2.075 empregos formais em maio. É o melhor desempenho para o mês desde 2007, há onze anos. Em relação a maio do ano passado, o aumento foi de 165%.

O Estado só ficou atrás de São Paulo, Minas Gerais Bahia e Espírito Santo. Proporcionalmente, o crescimento dos empregos formais no Maranhão (0,45%) ficou bem acima da média do Nordeste (0,17%) e do Brasil (0,09%). E também foi o maior do Nordeste.

O setor que mais criou empregos no Maranhão em maio foram os Serviços, os Serviços Industriais de Utilidade Pública e a Agropecuária.

Investimentos

Esse cenário tem muito a ver com os investimentos e incentivos feitos pelo Governo do Maranhão. O Estado foi o quarto que mais ampliou investimentos em 2017 em todo o país, com alta de 25,64%. O total foi de R$ 1,176 bilhão, mesmo em meio à grave crise fiscal.

São centenas de obras e empreendimento em execução, o que estimula o mercado de trabalho. Na Indústria e no setor de Serviços, por exemplo, um dos exemplos mais recentes para atrair negócios é o novo Parque Empresarial de São Luís.

O local já despertou o interesse de dezenas de empresas, e um dos empreendimentos já está aberto, o que gerou 500 empregos imediatamente e vai chegar a 2 mil.

Imigrantes resgatados no MA recebem documentação de permanência provisória no Brasil

A Polícia Federal concedeu aos 25 africanos, resgatados na costa maranhense no último dia 19 de maio, documento provisório de Registro Nacional Migratório. Com esse documento lhes é garantindo o direito de circular livremente em todo território nacional e de tirar documentação básica (CPF e Carteira Nacional de Trabalho) que já foi solicitada à Receita Federal pela Defensoria Pública da União (DPU).

A Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) tem coordenado toda a assistência humanitária aos imigrantes e durante levantamento realizado pela equipe de Proteção e Combate à Violação, foi identificado que apenas sete, do total de africanos, declararam o desejo de deslocamento para outros Estados do país, enquanto os demais afirmaram o interesse em permanecer no Maranhão. Cumpre observar que dos 18 que manifestam vontade de ficar no Estado, cinco vislumbram permanência à conquista de um trabalho, em hipótese contrária, irão tentar em outros Estados.

Neste sentido, a Sedihpop os orientou a procurar o SINE para realizar o cadastramento para concorrer às vagas de emprego no país, como qualquer outro brasileiro. Em seus países de origem alguns deles desempenhavam atividades como pedreiro, marceneiro, motorista, lanterneiro, professor, entre outros.

Como a grande maioria não fala português e a incapacidade de se comunicar é uma preocupação comum a todos eles, a Sedihpop está articulando a oferta de um curso de português instrumental, como protocolo humanitário adotado por várias organizações que recebem imigrantes no Brasil e que os ajuda a transpor uma das barreiras na procura pelo emprego no país.

De modo geral, o grupo mostra-se ansioso para iniciar seus projetos de vida, com boas expectativas de conseguirem trabalho, sem aparente preocupação com as dificuldades pelo fato de serem estrangeiros.

PIB cresce 0,4% no primeiro trimestre de 2018, diz IBGE

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil teve alta de 0,4% no primeiro trimestre de 2018, na comparação com o último trimestre de 2017. O indicador foi divulgado na manhã de hoje (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e mede a soma das riquezas produzidas no país em janeiro, fevereiro e março.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, a economia brasileira também cresceu nos meses pesquisados, com uma variação de 1,2%.

A gerente de contas nacionais do IBGE, Claudia Dionísio, comparou que o crescimento do PIB no primeiro trimestre de 2018 fez a economia brasileira atingir o mesmo nível do primeiro semestre de 2011.

“Se fôssemos comparar, hoje estaríamos no patamar do primeiro semestre de 2011”, explicou ela. A pesquisadora acrescentou que a economia havia avançado até 2014 e, nos anos de crise, retrocedeu até números de 2010, patamar a partir do qual a economia tem avançado desde o início de 2017.

Em valores correntes, o Produto Interno Bruto brasileiro somou  R$ 1,641 trilhão no primeiro trimestre de 2018.

O crescimento em relação ao final do ano passado foi o quinto resultado positivo consecutivo. O setor da economia que mais avançou foi a agropecuária, com uma alta de 1,4%. A indústria e o setor de serviços ficaram perto da estabilidade, com variação positiva de 0,1%.

A gerente de contas nacionais do IBGE, Claudia Dionísio, ponderou que o crescimento da agropecuária no primeiro trimestre foi impulsionado pela safra da soja, enquanto no quarto trimestre o destaque do setor era a cana-de-açúcar, que, além de ter menor peso na economia, teve um desempenho abaixo do esperado. “Pela ótica da produção, a agropecuária foi quem mais favoreceu o crescimento de 0,4%”.

Na comparação entre os primeiros três meses de 2018 e o mesmo período de 2017, Claudia Dionísio também fez uma ponderação: a safra do ano passado foi recorde para a soja e para toda a lavoura, o que faz a base de comparação ser muito elevada. “A soja não está caindo, ela está crescendo 0,5% este ano. Mas é 0,5%  em cima de números muito bons”, disse Claudia, que apontou perda de produtividade, porque a área plantada aumentou mais do que o crescimento.

A indústria de transformação recuou 0,4% e a indústria da construção, 0,6%. As atividades industriais ligadas à eletricidade, gás, água, esgoto e limpeza urbana, cresceram 2,1%.

No setor de serviços, tiveram expansão o comércio (0,2%), os serviços de transporte, armazenagem e correios (0,7%) e as atividades imobiliárias (0,5%). Os serviços de informação caíram 1,2% e os de intermediação financeira e seguro, 0,1%. Apesar de ter crescido frente ao fim de 2017, a agropecuária caiu 2,6% se comparada com os meses de janeiro, fevereiro e março do ano passado. A indústria cresceu 1,6% nessa base de comparação e os serviços, 1,5%.

Consumo e investimentos

Pela ótica da despesa, o primeiro trimestre deste ano teve alta no consumo das famílias (0,5%) e na formação bruta de capital fixo (0,6%), que mede os investimentos. O consumo do governo caiu 0,4%.

Se comparado com os mesmos meses de 2017, o consumo das famílias aumentou 2,8% no primeiro trimestre de 2018, e os investimentos registraram elevação de 3,5%. As despesas do governo caíram 0,8% na comparação com o mesmo período do ano passado.

A taxa de investimento cresceu em relação ao mesmo período de 2017 e chegou a 16% do PIB, contra 15,5% nos mesmos meses do ano passado. A taxa de poupança também aumentou, de 15,8% para 16,3%.

A poupança bruta atingiu R$ 266,8 bilhões, acima dos R$ 250,3 bilhões que somava no mesmo período do ano passado.

COMÉRCIO EXTERIOR

As exportações brasileiras de bens e serviços cresceram 1,3% na comparação com os três últimos meses de 2017. As importações tiveram alta de 2,5%.

O IBGE também informou que, na comparação com os primeiros três meses do ano passado, as exportações subiram 6%, enquanto as importações tiveram uma expansão ainda maior, de 7,7%.

Cláudia Dionísio explicou que o resultado do comércio exterior contribuiu negativamente para o PIB, porque as importações superam as exportações quando os resultados de janeiro, fevereiro e março são comparados com outubro, novembro e dezembro.

“Essa contribuição já vinha negativa desde o terceiro e quarto trimestres do ano passado. São três trimestres seguidos nessa base de comparação. Na taxa interanual, é a primeira vez, porque no quarto trimestre ainda era positiva”.

Maranhão tem o terceiro menor imposto sobre a gasolina em todo o Brasil

O Maranhão é o Estado que tem a terceira carga tributária mais baixa sobre a gasolina em todo o país. Isso se reflete no preço da gasolina para o consumidor nas bombas, que é o mais barato no território nacional.

A carga tributária – que está diretamente ligada ao ICMS – no Maranhão só não é menor que a de Santa Catarina e São Paulo.

“Nós temos uma carga tributária incidente sobre o combustível menor que a da maioria dos Estados porque temos o menor preço médio e uma alíquota também baixa, na comparação com as demais unidades federativas”, diz o secretário de Estado da Fazenda, Marcellus Ribeiro.

Fiscalização 

Entre os fatores que fazem com que a gasolina seja mais barata no estado, também está a fiscalização para o combate a fraudes com combustíveis, realizada pelo Instituto de Proteção e Defesa do Cidadão e do Consumidor (Procon/MA) e pelas polícias.