Procon-MA constata mais de 300% em diferença de preços dos brinquedos

Dia 12 está chegando e a criançada já está ansiosa pelo presente. Pensando nisso, o Procon-MA lança sua pesquisa de preços sobre brinquedos e livros infantis na Grande Ilha. Um total de 61 itens foram pesquisados entre os dias 24 de setembro e 5 de outubro, e o boneco Spider Man da fabricante Hasbro foi o produto que alcançou maior variação: 356,71%, custando entre R$ 49,90 no Supermercado Bom Preço (Jaracaty) a R$ 227,90 na Cantinho Doce (Centro).

Os brinquedos pesquisados foram divididos nas categorias jogos de tabuleiro, quebra-cabeças, brinquedos para o ar livre, bonecos e bonecas. Dentre os brinquedos, a Bicicleta Aro 12 apresentou a segunda maior variação (250,03%), custando de R$ 99,99 nas Lojas Americanas (Renascença) até R$ 349,99 na Ri Happy (Rio Anil Shopping), a depender do fabricante.

Já entre os livros pesquisados estão clássicos infantis nacionais e internacionais e best-sellers. O primeiro lugar do ranking de variação, o livro O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry, apresentou variação de 292,13%, podendo ser encontrado com preços entre R$ 8,90, na Livraria Themis (Tropical Shopping), a R$ 34,90, na Livraria Tempo de Ler (Rio Anil Shopping), a depender da editora.

Segundo a presidente do Procon-MA, Karen Barros, os consumidores precisam ter atenção aos preços em qualquer data comemorativa, mas principalmente no Dia das Crianças. “É importante pesquisar para encontrar o preço mais barato e evitar o endividamento. É importante que os pais não gastem excessivamente, pois assim também conseguem educar seus filhos desde cedo de que o consumo não pode comprometer o orçamento da família”, afirmou a presidente.

Participaram da pesquisa as lojas Le Biscuit (Centro, Tropical Shopping, Cohama e Pátio Norte Shopping), Mateus Supermercados (Centro, Cohama e Pátio Norte Shopping), Supermercados Bom Preço (Jaracaty), Casa Freitas (Av. Guaxenduba, Centro), Ri Happy (Rio Anil Shopping e Shopping da Ilha), Lojas Americanas (Rua Grande e Renascença) e Cantinho Doce (Centro). Participaram também as livrarias Tempo de Ler (Rio Anil e Pátio Norte Shopping), além da Livraria Themis (Tropical Shopping) e Leitura (São Luís Shopping).

Paper toys: uma nova maneira de preservar a cultura maranhense

O Maranhão é um lugar cheio de encantos e mistérios. As antigas histórias contadas pelos ancestrais que por aqui estiveram, desde os primórdios, se tornaram parte do imaginário popular.

É por meio dessas lendas que a cultura de um povo segue viva. Mas que tal conhecer tais histórias de maneira criativa e bem divertida? Uma forma de mostrar a crianças e adultos um jeito novo e diferente que o antigo pode sim fazer parte do dia a dia dos mais jovens.

Foi com este objetivo que surgiu o projeto “Diz a Lenda – Educação e Cultura nas Escolas”, idealizado pela Éguas! Paper Toy com o patrocínio da Cemar e Governo do Estado do Maranhão, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.

A iniciativa é inovadora e busca contar as lendas maranhenses com a ajuda de bonecos feitos de papel, ou se você preferir, com a ajuda de paper toys. A ideia é de João Manoel Santos e Roouse Santos, que perceberam a necessidade de manter vivo o desejo em divulgar as mais ricas histórias do Maranhão.

“Nosso desejo é de resgatar, preservar e recontar as lendas maranhenses, unindo design e cultura, de uma forma criativa, inovadora, lúdica e atual. Foi aí que criamos a coleção ‘Diz a Lenda’. Difundir essas histórias em nosso estado e para além das fronteiras do Maranhão, levando um pouco da nossa cultura”, explicou o designer João Santos.

O projeto “Diz a Lenda” é uma verdadeira viagem cultural, com foco na união da literatura e do teatro para estimular e transmitir ao público infantil o fortalecimento da cultura popular do Maranhão. Além de terem acesso à cultura maranhense, os alunos serão estimulados a desenvolver habilidades motoras a partir da construção de bonecos de papel com direcionamento ao tema cultural.

Em cada edição do projeto, os alunos receberão os paper toys da coleção “Diz a Lenda”. Com auxílio de monitores, os próprios estudantes irão participar de uma oficina e aprender a montar os personagens, que serão utilizados, posteriormente, na contação de histórias.

“Transformamos histórias em paper toys. Então, praticamente qualquer coisa pode virar um boneco para nós. E as lendas maranhenses são uma verdadeira inspiração da nossa terra, do desejo de ver união entre design e folclore de maneira criativa e inovadora”, comentou Roouse Santos.

Diz a Lenda

O projeto “Diz a Lenda – Educação e Cultura nas Escolas” surgiu em 2014 como uma maneira de usar a arte dos paper toys como meio de educação para difundir a cultura imaterial popular do Maranhão e auxiliar no desenvolvimento educativo de crianças.

A princípio, seis lendas maranhenses serão trabalhadas com estudantes de escolas da rede pública de São Luís a partir do mês de março. São elas: A Carruagem de Ana Jansen, A Manguda, A Serpente Encantada, O Rei Touro Dom Sebastião, A Gangue da Bota Preta, e, Pai Francisco e Catirina.

Paper toys

Paper toys ou brinquedos de papel são modelos em miniaturas 3D de objetos ou personagens capazes de estimular a curiosidade de crianças e adultos. É uma arte mundialmente conhecida que na coleção ‘Diz a lenda’ está somada à riqueza cultural e artística da cultura maranhense.

Assim, o material integrante da “Diz a lenda” é composto por seis histórias muito conhecidas em todo o estado e pela representação de seus principais personagens em paper toy e em um livro braile e fonte ampliada que poderá ser utilizado nas ações de escolas, bibliotecas e associações de pessoas com deficiência visual.

É um recurso inédito e inclusivo que possibilita o democrático e imensurável acesso aos mais diversos públicos.

De Assessoria.

Inmeq-MA fiscaliza e recolhe brinquedos em São Luís

O Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial do Maranhão (Inmeq-MA) recolheu centenas de brinquedos irregulares nos comércios de São Luís e Paço do Lumiar. O trabalho faz parte da Operação Dia das Crianças, que começou esta semana em todo o país. O Inmeq-MA é um órgão delegado, no Maranhão, do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que é uma autarquia federal.

A fiscalização, que começou segunda-feira (02), termina nesta sexta-feira (06). Os fiscais percorreram, até o momento, lojas do Centro da Cidade e da Cohab, em São Luís e do conjunto habitacional Maiobão, em Paço do Lumiar. Centenas de brinquedos irregulares foram recolhidos por estarem sem a certificação do Inmetro ou com selo irregular.

O Inmeq-MA alerta aos pais para terem muita atenção na hora de escolher os brinquedos para seus filhos. “O selo do Inmetro, informações sobre material e indicação da idade são itens obrigatórios para brinquedos utilizados por crianças e adolescentes até 14 anos”, alerta o diretor técnico do Inmeq-MA, Zois Gantzias.

Todo brinquedo comercializado no país, seja nacional ou importando, deve ter certificação do Inmetro. O Inmeq-MA já fiscaliza este tipo de produto no dia a dia. Esta semana, a fiscalização foi intensificada em razão do Dia da Criança. O objetivo é retirar os produtos irregulares do mercando que oferecem riscos à segurança das crianças.