Carro derrapa e sai da pista na BR 135

Um carro modelo Ônix, de placas OJA 4400, derrapou e sai da pista, no fim da tarde desta segunda-feira (14), na BR 135, em São Luís.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, ninguém ficou ferido no acidente.

Os três ocupantes do veículo faziam o trajeto de Chapadinha até São Luís, quando o veículo derrapou logo após passar pelo elevado da Alumar, possivelmente em decorrência da chuva forte que caía.

Um guincho foi solicitado e retirou o carro do local com uma prancha por volta das 18h.

Prefeitura realiza obra para conter erosão na Avenida Jerônimo de Albuquerque

Com a finalidade de minimizar os impactos causados pelas chuvas dos últimos dias, equipes da Prefeitura de São Luís realizam serviços para conter erosão em trecho da Avenida Jerônimo de Albuquerque, Cohafuma. Na quinta-feira (3), foram iniciados os trabalhos para reconstrução da estrutura e concretagem. Nesta sexta-feira (4), prosseguem os serviços com a reconstrução da caixa de passagem e calçada. A ação se soma à série de obras promovidas para prevenção, manutenção e reconstrução de estruturas atingidas pelas chuvas. Pontos em diversos bairros da capital recebem as ações nesta semana.

“A Prefeitura de São Luís trabalha para que problemas como este ocorrido na Jerônimo de Albuquerque sejam resolvidos com a maior brevidade possível. As frentes de trabalho estão a postos e priorizando bairros que tiveram algum prejuízo com as chuvas. É uma determinação do prefeito Edivaldo que as equipes estejam alertas e que a população tenha suas demandas atendidas”, pontua o secretário municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), Antonio Araújo.

No trecho da pista, sentido Vinhais, um buraco se formou por conta das fortes chuvas e danificou a caixa de passagem, instrumento que faz a ligação com o bueiro para escoamento da água de esgoto e chuvas. Com o rompimento da caixa de passagem a calçada ficou comprometida e será reconstruída pela Semosp.

AÇÕES DE INFRAESTRUTURA

A Prefeitura tem realizado trabalho na melhoria de infraestrutura nas avenidas Guajajaras, São Luís Rei de França, Daniel de La Touche e João Pessoa; Estrada do Gapara, Rua Freire Hermenegildo (Aurora) e no bairro João de Deus, com ações do programa Asfalto na Rua.

Equipes mecanizadas realizaram terraplanagem na Rua Brasília (Santa Baárbara), Avenida São Jerônimo e Rio Grande; e concretagem nas ruas Militar e Brasília e drenagem na Rua Celso Magalhães, Centro. Outras áreas como Vila Conceição e Jambeiro, receberam serviço mecanizado em canal natural; e Areinha, na desobstrução de bueiros.

Santa Helena fica alagada com chuvas da madrugada de segunda (30)

A cidade de Santa Helena ficou debaixo d’água com as chuvas fortes que caíram sobre o Maranhão, na madrugada desta segunda-feira (30).

O Rio Turi encheu e invadiu as ruas, danificando o cais da Beira Rio. Ribeirinhos serão alojados pela Prefeitura, segundo informações.

A previsão do Clima Tempo não é nada esperançosa. Segundo o sistema, novas chuvas fortes podem desaguar durante o dia.

A segunda será de tempo nublado e espaços momentos de aparição do sol no estado.

União de esforços foi essencial para ajudar vítimas da chuva, diz comandante dos Bombeiros

O comandante do Corpo de Bombeiros do Maranhão, coronel Célio Roberto de Araújo, diz que os resultados positivos da série de ações do Governo do Estado em 12 municípios atingidos pelas intensas chuvas foram fruto do planejamento e da integração. Corpo de Bombeiros e as Secretarias de Estado da Saúde (SES), das Cidades (Secid) e do Desenvolvimento Social (Sedes) deram respostas imediatas aos danos provocados.

“A primeira ação realizada pela Defesa Civil municipal de cada cidade foi essencial para o andamento do sistema. Esse trabalho todo foi coordenado e planejado pelo Corpo de Bombeiros e cada pasta do governo atuando dentro da atribuição que é própria, somou forças”, afirmou Célio Roberto em entrevista à Nova 1290 Timbira.

“Nós realizamos o envio de equipes que prestaram ações de emergência com medidas de resposta. Conduzimos para abrigo, realizamos o levantamento e o quadro de saúde dos atendidos.  Esse trabalho foi feito em parceria com a Força Estadual de Saúde em todos os municípios em que houve desabrigados. A ideia era evitar os contágios comuns de enchentes e do período chuvoso. E o resultado foi que não tivemos quadros graves registrados”, acrescentou.

Voltando para casa

Ele diz que “estamos agora no período de volta à normalidade. Nos municípios de Trizidela e Pedreiras, o rio que chegou a 8 metros já está baixando significativamente, alcançando 5,60 metros. As famílias começam a voltar para casa. O período mais intenso passou”, diz o comandante em relação ao cenário meteorológico nos municípios do Maranhão, principalmente na microrregião do Médio Mearim, uma das áreas mais atingidas pela chuva.

De acordo com o coronel, as previsões apontam chuva com regularidades, sem grandes episódios de desastres naturais e com concentração na área do Litoral Maranhense. “Na região do Médio Mearim, já não tem mais tanta chuva com intensidade. Na medida em que o rio vai baixando, as famílias estão sendo orientadas a voltar para casa. Vale ressaltar que antes orientamos a higienização da casa, evitando riscos de contaminações de doenças”, enfatiza.

Comitê

O coronel Célio Roberto destaca que, para atender de pronto às demandas, foi criado um comitê emergencial formado por representantes do Governo, das prefeituras e outras entidades. O objetivo do grupamento é reunir os principais agentes envolvidos para discutir as necessidades prioritárias e a assistência a ser prestada a cada região, de acordo com os danos.

As medidas desenvolvidas pelo Governo do Maranhão vão desde a execução de programas como o Mais Asfalto, para recuperar as vias danificadas pelas águas; e auxílio do programa Cheque Minha Casa (aos que estão em situação de emergência) a ser utilizado pelos afetados para compra de mantimentos, utensílios e eletrodomésticos, dependendo da necessidade da família, além da tradicional funcionalidade do programa, que é para reforma da casa danificada pela enxurrada.

O Governo do Estado mantém, ainda, reforço do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Centro Tático Aéreo (CTA) e secretarias estaduais para prestar o acolhimento aos atingidos pelas chuvas. Também está sendo dado apoio com distribuição de mantimentos às populações, dependendo da demanda. Entre estes, cestas básicas de alimentos, medicação e itens como roupas, colchonetes, filtros e água. Foram enviados cerca de 1.900 mantimentos às cidades atingidas. Beneficiários do programa Bolsa Família tiveram os repasses mensais adiantados em cidades em situação de emergência.

“É gratificante fazer parte deste momento porque essa ação humanitária traz um benefício muito grande para essas famílias. A gente poder dizer para o cidadão atingido pela cheia que ele vai ser alcançado pelos nossos programas, como o Cheque Minha Casa, reparando seus bens materiais atingidos pela chuva”, conclui o coronel Célio Roberto.

Com o aumento do volume de chuvas, Prefeitura intensifica serviços em diversos bairros de São Luís

Por ocasião das fortes chuvas na capital, a Prefeitura de São Luís intensificou o cronograma de serviços para conter erosões, executar reparos em estruturas e realizar desobstrução de bueiros e galerias. Diversos bairros são alvos das ações, sendo priorizadas as áreas onde foram identificados pontos de acúmulo de água. Até esta quarta-feira (18) já choveu quase 80% do previsto para todo o mês de abril. Ações de drenagem, limpeza, manutenção e infraestrutura, que são feitas ao longo do ano pelo poder público municipal, recebem reforço neste período de chuvas.

Na Avenida Jerônimo de Albuquerque, as equipes da Semosp realizaram desobstrução com hidrojato no trecho próximo ao Palácio Henrique de La Roque. O trabalho de desobstrução alcançou ainda pontos na Jerônimo de Albuquerque, na altura da Curva do Noventa, com contenção de erosão do canal e desobstrução com retroescavadeira. E ainda a sondagem para construção de ponte entre os bairros Divinéia e Vila Luizão.

No cronograma de serviços da Prefeitura realizado nesta quarta-feira (18), foram limpos os vários bueiros na extensão da Avenida Colares Moreira, que passa nos bairros São Francisco e Renascença. O trecho concentra um dos maiores recortes viários da cidade e possui diversos pontos de lançamento de águas pluviais.

Com a limpeza e drenagem, os pontos foram desobstruídos e estão em seu funcionamento regular. “São ações que integram a política pública do prefeito Edivaldo, realizada periodicamente, ao longo do ano. Temos um mapeamento que orienta todo o plano de serviços e sem essas ações de limpeza, principalmente no período chuvoso, as vias poderiam ficar comprometidas”, explica o secretário municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), Antonio Araújo.

Rua Josué Montello, no Renascença, recebeu serviços da Prefeitura

O secretário Antonio Araújo ressalta que um dos principais resultados dessa ação de limpeza é a drenagem mais rápida das águas das chuvas, por exemplo. “Graças a esse trabalho, em alguns pontos, mesmo com o volume de chuvas, não houve alagamentos, a exemplo da área do Mercado Central e outras, como a Avenida Colares Moreira, em que os pontos de alagamentos cessaram brevemente”, exemplifica.

A gestão do prefeito Edivaldo priorizou obras de drenagem, com fins a prevenir alagamentos, destaca Antonio Araújo. “A gestão do prefeito Edivaldo tem realizado investimentos, mantendo os serviços permanentes e intensificando nos períodos chuvosos”, pontuou. O secretário reforça que é uma rotina de trabalho para evitar os alagamentos.

Os canais do Cohatrac e Santa Clara, além de trecho do Tropical Shopping (Renascença) são algumas das áreas que receberam drenagem diminuindo pontos de alagamentos. A Prefeitura atua com escavadeiras, ações manuais, caminhão, escavadeira hidráulica e outros equipamentos para atender à demanda dos bairros na desobstrução e drenagem.

DESCARTE IRREGULAR

Com o trabalho de limpeza, a Prefeitura tem retirado cerca de 300 toneladas de lixo e outros resíduos, fruto do descarte irregular nestas estruturas, o que impede o adequado escoamento das águas.

“É importante que se compreenda que o lançamento de resíduos irregulares inviabiliza as ações de drenagem e promove os alagamentos e entupimentos dos bueiros e galerias”, ressalta. Segundo Antonio Araújo, as equipes já retiraram sofás e colchões que estavam bloqueando a passagem das águas nestas estruturas.

PROGRAMAÇÃO

Os serviços da Prefeitura nesta semana contemplam ainda ações do Asfalto na Rua nas avenidas São Luís Rei de França, Franceses, Guajajaras, Jerônimo de Albuquerque, Daniel de La Touche, Vitorino Freire, Holandeses, Carlos Cunha, Paulo VI e no bairro João de Deus. Na zona rural, acesso ao Cujupe e Rua Brasília (Santa Bárbara), as equipes mecanizadas realizaram terraplanagem.

No bairro Olho d’Água, estão sendo feitas ações de manutenção preventiva com tratamento superficial do asfalto. Trata-se da colocação de camada de proteção no pavimento para garantir mais durabilidade ao pavimento. Serviços de concretagem no cruzamento de vias no bairro Janaína e de desobstrução de galerias na Vila Lobão também estão sendo executadas.

Ainda, drenagem na Avenida Jerônimo de Albuquerque para evitar avanço de erosão com solo cimento. Na margem do Rio Pimenta, uma ação preventiva com solo cimento evitará erosão. O poder público municipal trabalha ainda na desobstrução de bueiros na Curva do Noventa.

Ação imediata da prefeitura reduz transtorno causado pelas fortes chuvas

A Prefeitura de São Luís atuou de forma intensa e imediata nesta segunda-feira (16) com o objetivo de conter os transtornos causados à população em razão das fortes chuvas que caíram desde o início da manhã. Equipes da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) foram deslocadas para os pontos onde houve maior acúmulo de água para realizar ações de desobstrução de canais e galerias, recuperação de bueiros e contenção de erosão. A Defesa Civil também reforçou o monitoramento com vistorias em locais de risco para avaliar os impactos das chuvas. Segundo o Núcleo de Meteorologia da Universidade Federal do Maranhão (Uema), em alguns pontos da cidade, o índice pluviométrico chegou à 100 mm, quase um quarto da média climatológica do mês.

“Foi uma chuva muito intensa. Desde as primeiras horas da manhã todas as equipes já estavam trabalhando para minimizar os impactos da tempestade desta segunda-feira. Estamos adotando todas as medidas necessárias para garantir a tranquilidade da população, como as ações de desobstrução de canais, bueiros e galerias, permitindo o fluxo do excessivo volume de águas pluviais, além de ações de contenção de erosão. Fora isso, já temos um trabalho grande de investimento no sistema de drenagem, que tem reduzido bastante os transtornos causados pelas grandes chuvas. Sem esses investimentos os transtornos para a cidade e a população neste momento seriam sentidos mais fortemente”, asseverou o prefeito Edivaldo.

Entre os locais que receberam equipes da Semosp estão a Avenida Jerônimo de Albuquerque, Curva do Noventa e Divinéia. Segundo o secretário de Obras e Serviços Públicos (Semosp), mesmo com o expressivo volume pluviométrico registrado na cidade, as obras de drenagem executadas pela Prefeitura nos pontos mais críticos da capital têm respondido a contento ao que foi planejado. “Observamos que os alagamentos acontecem nos picos das tempestades, mas que em poucos instantes após cessarem as chuvas a lâmina d´água nesses locais é zero, o que significa que a captação está sendo feita perfeitamente pelo sistema de drenagem. Antes das intervenções, qualquer volume de água, mínimo que fosse, transformava a cidade em um verdadeiro caos e a água ficava acumulada na via”, frisou o secretário da Semosp, Antonio Araújo.

Diante do aumento no volume de chuvas previsto para este ano, a Prefeitura de São Luís tem trabalhado permanentemente para minimizar os impactos de um dos períodos chuvosos mais rigorosos dos últimos tempos, segundo dados da Uema. Para isso, a Semosp vem monitorando os pontos mais suscetíveis a inundações, colocando suas equipes nas ruas diariamente para identificar e sanar os problemas de escoamento d´água, entre outras intervenções de caráter preventivo para melhorar a captação e a fluidez do volume de água pela rede de drenagem da capital.

REDE DE DRENAGEM

Para reduzir alagamentos e prevenir inundações, a Prefeitura de São Luís tem investido na ampliação e melhoria do sistema de drenagem na capital, com a implantação de 30 km de rede de drenagem, contemplando dezenas de pontos da cidade. “A gestão do prefeito Edivaldo foi a que mais investiu na área, com obras cruciais para sanar problemas graves e históricos de alagamentos”, acrescentou o titular da Semosp.

Os serviços de ampliação da rede de drenagem da capital – com a construção de canais e galerias para escoamento da água pluvial, visando estruturar a cidade para enfrentamento às grandes chuvas – contemplaram dezenas de bairros e foram determinantes para amenizar os problemas verificados nos pontos mais críticos e emblemáticos da capital. Entre os pontos anteriormente considerados críticos que receberam obras de drenagem profunda da Prefeitura de São Luís estão o setor do Mercado Central e Canal do Portinho, no Centro; Curva do Noventa; avenidas Presidente Juscelino e Holandeses, no Calhau, assim como bairros como Cohatrac, Apaco, Parque Sabiá, Vila Natal, São Cristóvão, Santa Clara, Rio da Bicas, Rio Gangan, entre outros setores da cidade.

Além de melhorar o escoamento, todas as obras de drenagem feitas pela Prefeitura estão proporcionando às comunidades outros benefícios que não usufruíam antes, que vão desde a melhoria na mobilidade urbana local, a conservação do pavimento, com impactos no aspecto urbanístico de modo geral e, também, reflexos na área da saúde. “Melhoria da drenagem é uma política pública prioritária do prefeito Edivaldo. São obras que tiraram essas comunidades do estado de calamidade sofrido há décadas em todo período chuvoso”, lembrou Antonio Araújo.

A Prefeitura realiza também, permanentemente, os serviços preventivos na rede de drenagem, com intensificação do trabalho durante o período chuvoso, quando realiza serviços de manutenção com limpeza de galerias, canais e bueiros pela cidade.

Paralelamente ao trabalho de manutenção preventiva do sistema de drenagem, a Prefeitura de São Luís intensifica também os serviços de limpeza nas ruas, com coleta domiciliar e evitando o descarte irregular. Com o serviço, o Comitê Gestor de Limpeza Urbana recolhe diariamente cerca de 1,3 mil toneladas de resíduos das ruas.

Durante todo o ano, é realizado ainda trabalhos de conscientização junto à população a fim de promover o descarte adequado do lixo, principal responsável pela obstrução do sistema de drenagem na cidade. “Nós sabemos que é um trabalho que requer muito a colaboração da população e nós conclamamos os moradores a ajudarem a Prefeitura nesse processo, no sentido de não jogar lixo nos bueiros e canais, para evitar a desobstrução da rede de drenagem e, consequentemente, os alagamentos verificados nos períodos de chuvas intensas”, concluiu o secretário Antonio Araújo.

DEFESA CIVIL

O papel da Defesa Civil é fundamental para acompanhar a situação e orientar os moradores, desenvolvendo estratégias de convencimento para que as pessoas possam deixar a área de risco. O secretário municipal de Segurança com Cidadania, Heryco Coqueiro, destaca o papel do poder público nessa área. “Nossa intenção é prevenir e assistir a população em caso de ocorrências. A gente vem trabalhando continuamente a fim de garantir a segurança das pessoas que moram em habitações localizadas em locais vulneráveis” destaca o secretário.

De acordo com a superintendente da Defesa Civil Municipal, Elitânia Barros, informou que nesta segunda-feira as equipes da Defesa Civil visitaram áreas no Cohafuma, Jaracati, Vila Bacanga, Jordoa, Olho D´Água, Vila Luizão, Bairro de Fátima e Divineia, entre outras localidades onde o índice de chuva foi muito intenso. .

Nessas áreas, a Defesa Civil atua identificando os riscos, orientando a população e, se houver necessidade, encaminhando os casos para órgãos competentes como a Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), responsável pelo benefício do aluguel social.

Comitê emergencial de enchentes do Governo atende 20 cidades atingidas pelas chuvas

Segundo levantamento da Defesa Civil do Estado, são 20 municípios atingidos pelas fortes chuvas, sendo que 11 decretaram estado de emergência e seis estão em alerta. Totalizam 8.877 pessoas afetadas, em situação de desabrigo ou desalojamento. Os danos incluem habitações danificadas ou destruídas; prédios públicos, ruas e obras de infraestrutura prejudicadas. O comitê emergencial, criado pelo Governo do Estado, prossegue em diálogo com as prefeituras para atender as demandas prioritárias das comunidades.

A Defesa aponta que as chuvas provocaram inundações nas cidades de Pedreiras, Trizidela, Caxias, Presidente Vargas, São João do Sóter, Codó, São Luís Gonzaga e Formosa da Serra Negra; em Lago dos Rodrigues, Bacabal, Imperatriz e Tuntum, moradores foram surpreendidos por alagamentos; e em Marajá do Sena e Brejo, os prejuízos foram causados pelas enxurradas.

Permanecem em estado de alerta as cidades de Rosário, Timbiras, Cantanhede, Nina Rodrigues, Paulino Neves e Araioses. Os primeiros problemas com as chuvas foram identificados na cidade de Lago dos Rodrigues, em fevereiro, segundo levantamento da Defesa. Aos municípios que já decretaram situação de emergência, o Governo envia cestas básicas de alimentos, roupas, colchonetes, filtros e água, entre outros mantimentos. Já foram distribuídos cerca de 1,9 mil itens.

Equipes da Defesa, Corpo de Bombeiros e prefeituras realizam levantamento das situações para avaliar a concessão dos recursos do Cheque Minha Casa às famílias. O valor pode chegar a R$ 5 mil para ser utilizado na compra de utensílios, eletrodomésticos e outros itens, dependendo das perdas. Com as ações do Mais Asfalto serão recuperadas ruas e avenidas danificadas pelas águas.

“As solicitações estão chegando e a gestão atendendo de pronto, com a maior brevidade possível e tentando, junto às prefeituras, minimizar os danos causados pelas chuvas. É um momento delicado para os milhares de pessoas que tiveram sua rotina alterada e para as quais a gestão estadual vem prestando todo o apoio”, reforça o coordenador da Defesa Civil, coronel Izaac Muniz Matos.

O suporte do Governo do Estado conta ainda com efetivo do Corpo de Bombeiros, Centro Tático Aéreo (CTA) e apoio das secretarias estaduais para atendimento às populações.

Fesma faz centenas de atendimentos para evitar doenças entre moradores prejudicados pelas chuvas

A Força Estadual de Saúde do Maranhão (Fesma) já fez cerca de 500 atendimentos em três cidades que foram prejudicadas pelas fortes chuvas que vêm caindo no Estado. Os esforços estão focados tanto nas casas de quem não foi desalojado quanto nos abrigos para onde foram as pessoas prejudicadas.

A Fesma, criada por Flávio Dino para trabalhar nos 30 municípios do Plano Mais IDH, está atuando emergencialmente em Trizidela do Vale, Pedreiras e Marajá do Sena por causa das chuvas.

A ideia é prevenir a disseminação de doenças comuns após enchentes, como febre e diarreia. “Atendemos, distribuímos itens e damos orientações quanto à higiene. Também estamos tratando das doenças que mais aparecem por conta das enchentes”, conta a enfermeira Glauciane Fernanda, que está em Trizidela do Vale.

“Temos três equipes em Trizidela e Pedreiras. Todo dia nós vamos visitar os abrigos”, acrescenta a profissional da Fesma.

A lavradora Leidy Maria, de Trizidela, diz que os médicos e enfermeiros “estão dando a maior atenção para gente. Apesar da situação ser triste, nós estamos tendo apoio de muita gente”.

Missão

Atendimento em Marajá do Sena. (Foto: Divulgação)

“Enviamos três equipes da Força Estadual de Saúde, cuja missão e prioridade é prestar assistência, sobretudo às famílias que estão desalojadas e que possam vir a apresentar algum agravo à sua saúde, desde viroses, comuns nessas situações, ou doenças febris ou diarreias”, explica o secretário de Estado de Políticas Públicas, Marcos Pacheco.

Resultados

A Fesma foi criada para atura no Plano Mais IDH, que leva uma série de ações para melhorar a qualidade de vida nas 30 cidades com os piores índices sociais do Maranhão.

Em pouco mais de dois anos de atividades, as equipes da Fesma têm importantes resultados. Foram realizados mais de 750 mil atendimentos, com foco nos grupos prioritários (gestantes, crianças menores de um ano, hipertensos, diabéticos e busca ativa de casos de hanseníase); elaboração em parceria com os municípios de 150 planos de intervenção; implantação de 28 Farmácias Vivas e construção de três hortos; triagem de aproximadamente 15 mil pacientes para o programa Sim, Eu Posso!; participação em 56 atividades de mobilização assistencial (Caravana de Todos, Dia D Mais IDH e mutirões); adoção da metodologia da Planificação da Atenção Primária nos 30 municípios do Mais IDH, entre outras atividades.

São Luís tem vários pontos de alagamento com as chuvas fortes desta segunda-feira

São Luís acordou sob forte chuva nesta segunda-feira (16), com diversos pontos de alagamento pela Ilha. O aguaceiro que começou na madrugada não deu trégua e causou ainda engarrafamentos quilométricos.

Carros foram vistos boiando embaixo da Ponte Bandeira Tribuzzi e no retorno do Olho D’água.

As avenidas Colares Moreira, no Renascença, e Jerônimo de Albuquerque, no Cohafuma, ficaram com o trânsito completamente parado.

Ainda na Colares Moreira, em frente o Tropical Shopping, a área ficou completamente alagada. O mesmo ocorre na Avenida dos Africanos, no Coroado.

No Alto do Calhau, parte do muro do Condomínio Brisas Calhau caiu com a força dá água acumulada da chuva.

A previsão do tempo para São Luís é de chuva durante todo o dia, com trovoadas. A máxima é de 29º e a mínima é de 24º.

Vídeos: Reprodução WPP.

Maranhão recebe a maior quantidade de chuva do Nordeste

Pelo menos até terça-feira (17),  o Maranhão e o centro-norte do Piauí irão receber a maior quantidade de chuva do Nordeste. É o que diz o boletim do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais,

A maior parte da chuva que cai sobre a Região está relacionada ao tempo quente e úmido e a áreas de instabilidade associadas à ZCIT – Zona de Convergência Intertropical que estão bastante ativas há alguns dias sobre a costa norte do Nordeste.

Entre o Maranhão e o Piauí,  há previsão de pancadas de chuva que por vezes podem cair com forte intensidade, principalmente em Teresina e São Luis, alertam os meteorologistas. Pelo menos até terça-feira (17),  o Maranhão e o centro-norte do Piauí irão receber a maior quantidade de chuva do Nordeste. O acumulado pode ultrapassar os 100 milímetros de chuva.