Feriado de Nossa Senhora da Conceição terá comércio aberto em São Luís

O comércio funcionará em horário livre durante o feriado de Nossa Senhora da Conceição, nesta sexta-feira (8), em São Luís.

A decisão foi tomada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA) e pelo Sindicato dos Empregados no Comércio de São Luís.

Os estabelecimentos comerciais tem autorização para funcionar, mas terão de pagar o acréscimo de hora extra em 100% sobre o valor da hora normal e mais uma gratificação de R$ 50,00, ao final do expediente, para cada empregado que estiver trabalhando no dia.

Supermercados e farmácias, que são classificados como atividades essenciais, funcionarão normalmente.

Órgãos públicso estaduais e municipais, entretando, não terão expedinte no feriado.

Bancos e agências correspondentes também não irão funcionar. Operações financeiras poderão ser feitas pelos terminais de auto-atendimento e aplicativos de aparelhos móveis.

Confira os horários de funcionamento dos shoppings da cidade no feriado:

Rio Anil Shopping – das 10h às 22h

Shopinga da Ilha – das 10h às 22h

Golden Shopping – das 10h às 22h, com cinema das 13h30 às 23h30

Pátio Norte – das 14h às 20h

São Luís Shopping – cinema das 13h às 22h, praça de alimentação do meio dia às 22h

Tropical Shopping, Shopping Monumental e Passeio ainda não informaram seus horários.

Dia do Comerciário: todo o comércio fechado em São Luís nesta segunda (23)

Lojas de rua, supermercados e lojas de centros comerciais, como malls e shoppings terão seu funcionamento interrompido no dia 23 de outubro, próxima segunda-feira, em São Luís, em atenção ao Dia do Comerciário.

Farmácias funcionam normalmente, por serem consideradas como serviços de primeira necessidade. Repartições públicas e agências bancárias também terão funcionamento regular.

A data móvel, observada sempre na penúltima segunda-feira do mês de outubro, foi decidida em acordo entre patrões e empregados pela Convenção Coletiva de Trabalho.

CDL São Luís e Banco Central discutem sobre a falta de troco no comércio local

Em reunião na Cãmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de São Luís, o presidente da casa, Fábio Ribeiro, e os analistas do Banco Central do Brail, Hélio Pires Teixeira e George Santos, discutiram uma solução para a dificuldade em se passar troco na capital maranhense.

A falta de moedas afeta diariamente as atividades comerciais em São Luís. Segundo a CDL, os associados tem feito reclamações constantes sobre este problema, agravado pela falda de moedas e cédulas de pequeno valor, como as de R$ 2 nos caixas.

“O consumidor tem o direito de receber seu troco integralmente, mas muitas vezes o lojista não consegue uma quantidade suficiente de moedas porque o volume que circula é muito pequeno, e não atende à demanda”, explica Fábio Ribeiro.

Para os analistas do BC, o problema não é exclusivo da cidade, mas uma realidade em todo o país, onde apesar da grande produção de moedas, a circulação delas é reduzida.

“É um produto que tem uma perda significativa. Além disso, muitas ficam guardadas e deixam de circular. Nós já constatamos que a cada 10 moedas em circulação, só seis são usadas no dia a dia”, disse Hélio Teixeira.

De acordo com a CDL o problema se agrava no fim do ano, com o aumento das vendas no comércio. Os analistas garantiram que os bancos serão abastecidos normalmente.

As informações são do O Estado.

Presentes de Dia dos Pais tem variação de até 77% nos preços, aponta pesquisa

Segundo pesquisa apresentada pelo Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) os preços do presente do dia dos pais pode variar até 77%.

Os calçados esportivos alcançaram maior variação de preços em São Luís (77,23%), custando entre R$ 179,99 e R$ 319. Confira a pesquisa completa no site do Procon/MA.

Outros produtos populares são as camisas de times maranhenses, que atingiram baixa variação. A camisa oficial do Maranhão Atlético Clube (MAC) custa entre R$ 135,90 na Degraus e R$ 149,90 nas Lojas Torcedor (10,30% de diferença). A camisa do Moto Club apresentou variação de apenas 0,06%, com preços entre R$ 149,99 na Centauro e R$ 149,90 nas Lojas Cruzeiro. E a camisa oficial do Sampaio Correia atingiu variação de 5,89%, entre R$ 169,90 na Degraus e R$ 179,90 na Centauro.

A pesquisa foi realizada entre os dias 4 e 8 de agosto em 23 fornecedores. Ao todo, foram levantados os preços de 65 produtos, entre artigos esportivos, livros, ferramentas, bebidas e perfumaria, sendo os calçados da Linha Nike Hipervenom e da Linha Mercurial (ambos esportivos) os que apresentaram maior variação de preços. A Linha Hipervenom apresentou preços a partir de R$ 179,99 na Polyelle, e a partir de R$ 319 na BM Sports do Centro.

A segunda maior variação (65,18%) também ficou com os calçados da Nike, da Linha Mercurial, que têm preços a partir de R$ 229,99 na Polyelle e a partir de R$ 379,90 nas Lojas Cruzeiro, no Centro.

Para o presidente do Procon/MA, Duarte Júnior, a pesquisa de preços é uma importante arma para o consumidor evitar o superendividamento. “Pesquisar antes de comprar é fundamental. Esta prática se torna ainda mais necessária durante as datas comemorativas, quando são realizadas inúmeras promoções. A pesquisa realizada pelo Procon mais uma vez demonstra uma grande diferença de valores entre produtos da mesma marca e modelo. Assim, o nosso objetivo é direcionar o consumidor para os estabelecimentos que têm mais qualidade e menor preço, em prol de uma melhor valorização de seu orçamento”, afirmou o presidente.

Bebidas

O terceiro lugar da lista de maior variação (59,51%) ficou com o litro de uísque Old Eight com coco, que de R$ 23,19 no Mateus Supermercados chega a custar R$ 36,99 no Supermercado Maciel. Em seguida ficou o vinho Chileno Ventisquero, de 750ml, com variação de 55,37% e preços entre R$ 44,99, no Supermercado Maciel, e R$ 69,90, no Empório Fribal.

Dentre as bebidas mais em conta, estão o vinho Lambrusco Montecchio e o Lambrusco Montecchio Bosco (ambos R$ 29,99 no Supermercado Maciel).

Ferramentas

A Serra Mármore sem disco da marca Bosch apresentou a maior diferença de preços dentre as ferramentas, atingindo 30,28%, com preços entre R$ 249,90 na Potiguar da Cohama e R$ 325,56, no Centro Elétrico do São Francisco. Na sequência ficou a Furadeira de Impacto GS550, também da Bosch, que custa entre R$ 319,57, no Centro Elétrico do São Francisco, e R$ 370,20, no Jacaré Home Center (15,84% de diferença).

A ferramenta mais em conta verificada na pesquisa é a Parafusadeira 3,6 Volts da marca Black & Decker (R$ 115,61 no Centro Elétrico do São Francisco).

Livros

Os livros foram os artigos com menor variação de preço. Os clássicos O Diário de Anne Frank e Toda Luz que Não Podemos Ver, de Anthony Doerr, encabeçam a lista com variação idêntica de 25,06%. O primeiro custa entre R$ 39,90 na Livraria Mundo de Sofia e R$ 49,90, na Tempo de Ler (ambas no Rio Anil Shopping). O segundo apresentou preços também de R$ 39,90, na Tempo de Ler e R$ 49,90, na Leitura (Shopping São Luís).

Dentre outros títulos mais em conta estão O Papai é Pop Vol. 2, de Marcos Piangers (R$ 24,90 na Themis do Tropical Shopping); Segredos de Pai para Filho, de Reinaldo Morais (R$ 29,90 na Themis e na Leitura); e Tite, de Camila Mattoso (R$ 37,90 na Themis).

Perfumaria

Devido à especificidade de cada produto de perfumaria por tipo e marca, não é possível comparar preços. Mas você pode ver na pesquisa completa sugestões de desodorantes, sabonetes e colônias das marcas O Boticário, Natura, Mary Kay e Avon de R$ 30 a R$ 150.

Inmeq recolhe o brinquedo hand spinner do comércio de São Luís

Cerca de 600 unidades do brinquedo conhecido como hand spinner já foram recolhidas pelo Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial do Maranhão (Inmeq-MA) do comércio de São Luís durante esta semana. Em alguns casos, os brinquedos recolhidos ostentam o selo de certificação do Inmetro nas embalagens do produto, porém, pode ser falsificado, uma vez que as informações estão incompletas.

Um dos indícios que reforçam a suspeita de falsificação do selo do Inmetro é que nas embalagens dos brinquedos recolhidos consta a indicação para crianças a partir de 3 anos, contudo o brinquedo é contraindicado para crianças com idade inferior a 6 anos, de acordo com o Inmeq-MA, órgão delegado do Inmetro no Maranhão.

No início desta semana, o Inmeq-MA deflagrou uma operação especial de fiscalização voltada para brinquedos, com foco no hand spinner. A operação ainda está em andamento.

“Temos várias equipes de fiscais que estão percorrendo lojas do comércio da capital para recolher os brinquedos que estão sendo vendidos de forma irregular. Então, já encontramos uma grande quantidade do spinner e de outros brinquedos que também já foram recolhidos do mercado, pois estavam sendo comercializados irregularmente”, afirmou o presidente do Inmeq-MA, Geraldo Carvalho Júnior.

O consumidor deve ficar atento quanto aos perigos que o brinquedo oferece. Existem relatos de acidentes envolvendo o spinner em outros países, principalmente o engasgamento provocado pela ingestão de partes pequenas, como os rolamentos.

O brinquedo possui três pontas, cuja a graça é fazê-lo girar em diversas posições e partes do corpo. Nos modelos movidos a motor, há o risco de engasgamento com as baterias de botão utilizadas no brinquedo. Além dos riscos de acidentes, o Inmeq-MA faz um alerta, principalmente aos pais, o brinquedo não deve ser utilizado por crianças com idade abaixo de seis anos.