Manifestantes ocupam o centro de São Luís nesta quinta-feira (30) em segundo dia de protestos contra cortes na Educação

Mais uma vez São Luís foi palco de uma grande manifestação de estudantes, professores e demais insatisfeitos com o contingenciamento de verbas destinadas às instituições federais de ensino anunciado pelo Ministério da Educação em março deste ano. Na tarde desta quinta-feira (30), em torno das 16h, milhares de manifestantes ocuparam a Avenida Beira-Mar.

A concentração foi na praça Deodoro, de lá, o protesto seguiu pela Rua Rio Branco, Praça Gonçalves Dias, Praça Maria Aragão, e terminou no Centro Histórico de São Luís.

Desde que o governo federal contingenciou R$ 5,8 bilhões da educação, a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e a Universidade Federal do Maranhão (Uema) se manifestam pedindo a revogação da decisão.

A UFMA já declarou que, caso o bloqueio persista, não será possível manter as atividades da universidade no próximo semestre. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) suspendeu a concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

Em suas redes sociais o governador Flávio Dino (PCdoB) postou fotos da manifestação na capital maranhense. “Em São Luís, muita gente compareceu à passeata em defesa da Educação. Espero que o Governo Federal convide entidades do segmento para um amplo diálogo em favor dessa importante causa patriótica: proteger nosso sistema de educação, ciência e tecnologia”, escreveu o governador.

Ao todo, 121 cidades do Brasil participaram do segundo dia de protestos em defesa da educação.

Segundo ato contra corte de verbas na Educação acontece nesta quinta-feira (30) em São Luís

A segunda manifestação contra os cortes na educação está marcada para acontecer em São Luís nesta quinta-feira (30), com concentração às 15h, na Praça Deodoro.

Alunos e professores da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) protestam contra os cortes que podem levar ao fechamento das duas instituições a partir do segundo semestre.De acordo com um levantamento da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da CUT, são cerca de 150 cidades com manifestações marcadas, seja por secundaristas, universitários, pós-graduandos, professores e trabalhadores.

A mobilização se iniciou ainda nesta manhã, quando docentes mantiveram a entrada da UFMA paralisada até 9h.

Em nota oficial, a universidade sugeriu a paralisação das atividades do dia e convocou a comunidade estudantil a participar do ato à tarde. “Dada a gravidade da situação que se apresenta, haja vista afetar o cotidiano das Instituições Públicas de Ensino Superior e ameaçar seu pleno funcionamento no segundo semestre de 2019, a manifestação de hoje torna-se um marco histórico fundamental para que se reveja essa decisão e se compreenda (…) que educação é investimento no futuro do país, é a possibilidade do desenvolvimento social, cultural, tecnológico e humano”, diz a nota da UFMA.

As manifestações desta quinta-feira também colocam em pauta a” reforma” da Previdência e a greve geral, marcada pelas centrais sindicais, no dia 14 de junho. A CUT e entidades filiadas, como a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam), aderiram à mobilização.

Varias tendas com exposições de projetos de pesquisa estão na praça Deodoro como parte da programação do Segundo Dia Nacional de Greve Nacional pela Educação.

No Instituto Federal do Maranhão do bairro Monte Castelo acontece o debate “a contrarreforma da previdência e seus impactos na Educação Pública”, com Amauri Fragoso, professor da Universidade Federal de Campina Grande; a atividade, que ocorre durante a manhã, também faz parte da programação do ato em defesa da educação.

UEMA divulga edital de matrícula para segundo semestre

O início do período letivo do segundo semestre de 2019 está previsto para o dia 12 de agosto.

As matrículas dos calouros serão realizadas nos seguintes locais: Em São Luís nas secretarias dos respectivos cursos, das 8h30 às 11h30 e das 14h às 17h30, e nos cursos noturnos, das 18h às 21h. Nos campi de Bacabal, Barra do Corda, Caxias, Codó, Colinas, Coroatá, Lago da Pedra, Itapecuru-Mirim, Pedreiras, Pinheiro, Presidente Dutra, São Bento, São João dos Patos e Timon, nas secretarias dos respectivos cursos, das 8h30 às 11h30 e das 14h às 17h30, e nos cursos noturnos, das 18h às 21h.

ENEM 2019 | Prazo para inscrições encerra nesta sexta-feira (17)

Os estudantes tem até têm esta sexta-feira (17) para efetuar sua inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. As inscrições devem ser realizadas no site do Exame (enem.inep.gov.br). O alerta é da A Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Na sexta-feira (17), também, encerra o prazo para solicitar atendimento especializado e específico, alterar dados cadastrais, município de provas e opção de língua estrangeira.

O prazo para os pedidos de atendimento por nome social será de 20 a 24 de maio. As provas do Enem 2019 serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro.

As notas do Exame poderão ser usadas para o ingresso no ensino superior, em instituição pública por intermédio do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), com bolsa parcial ou integral em faculdade particular com o Programa Universidade para Todos (ProUni) ou, ainda, financiar a faculdade por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Manifestantes lotam ruas pelo Brasil inteiro contra contingenciamento de recursos para educação

Manifestantes do Brasil inteiro se reuniram nesta quarta-feira (15), para protestar contra o bloqueio de recursos destinados às instituições de ensino superior anunciado pelo Ministério da Educação. Em São Luís, a concentração ocorreu por volta das 15h na Praça Deodoro. De lá os manifestantes caminharam pela Praça Maria Aragão e chegaram na Praça dos Catraieiros, onde se concentraram até as 18h, quando a manifestação encerrou.

 

Na Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e no Instituto Federal do Maranhão (IFMA) as aulas foram canceladas hoje. Na manhã de hoje, um outro protesto já havia sido realizado na porta da UFMA.

Vários manifestantes carregavam cartazes favor da educação, alguns faziam referência à declaração dada pelo presidente Jair Bolsonaro na qual ele chamou os manifestantes de “idiotas”, “imbecis” e “massa de manobra“.

Ao todo, os manifestantes contabilizaram cerca de 20 mil pessoas no protesto. A Polícia Militar contabilizou 5 mil pessoas. Além de São Luís, foram realizados atos nos municípios de Pinheiro, Balsas, Santa Inês e Imperatriz.

De acordo com o Ministério da Educação, o bloqueio é de 24,84% das chamadas despesas discricionárias — aquelas consideradas não obrigatórias, que incluem gastos como contas de água, luz, compra de material básico, contratação de terceirizados e realização de pesquisas. O valor total contingenciado, considerando todas as universidades, é de R$ 1,7 bilhão, ou 3,43% do orçamento completo — incluindo despesas obrigatórias.

Em 2019, as verbas discricionárias representam 13,83% do orçamento total das universidades. Os 86,17% restantes são as chamadas verbas obrigatórias, que não deverão ser afetadas. Elas correspondem, por exemplo, aos pagamentos de salários de professores, funcionários e das aposentadorias e pensões.

Segundo o governo federal, a queda na arrecadação obrigou a contenção de recursos. O bloqueio poderá ser reavaliado posteriormente caso a arrecadação volte a subir. O contingenciamento, apenas com despesas não obrigatórias, é um mecanismo para retardar ou deixar de executar parte da peça orçamentária devido à insuficiência de receitas e já ocorreu em outros governos.

Manifestantes vão às ruas nesta quarta-feira (15), em São Luís, contra bloqueio de recursos destinados à educação

Estudantes e servidores da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA), realizaram na manhã desta quarta-feira (15) manifestações contra o bloqueio de verbas destinadas à educação. Durante o ato, os manifestantes bloquearam a entrada da UFMA e o trânsito da Avenida dos Portugueses, em São Luís, ficou parado. Uma nova manifestação deve ser realizada ainda hoje na capital, às 15h, com concentração na Praça Deodoro. A UFMA e o IFMA cancelaram as aulas de hoje para realizar o protesto.

Em abril, o Ministério da Educação divulgou que  todas as universidades e institutos federais teriam bloqueio 30% de recursos.  De acordo com o Ministério, o bloqueio é de 24,84% das chamadas despesas discricionárias — aquelas consideradas não obrigatórias, que incluem gastos como contas de água, luz, compra de material básico, contratação de terceirizados e realização de pesquisas. O valor total contingenciado, considerando todas as universidades, é de R$ 1,7 bilhão, ou 3,43% do orçamento completo — incluindo despesas obrigatórias.

Em 2019, as verbas discricionárias representam 13,83% do orçamento total das universidades. Os 86,17% restantes são as chamadas verbas obrigatórias, que não deverão ser afetadas. Elas correspondem, por exemplo, aos pagamentos de salários de professores, funcionários e das aposentadorias e pensões.

Segundo o governo federal, a queda na arrecadação obrigou a contenção de recursos e o bloqueio poderá ser reavaliado posteriormente caso a arrecadação volte a subir.

No início de maio, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou sobre a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

 

IFMA Campus São Luís – Maracanã abre seletivo para professor e tutor

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus São Luís – Maracanã está com vagas abertas para professor formador e para tutor para atuação como bolsista no curso de Licenciatura em Geografia (modalidade a distância) no âmbito da Universidade Aberta do Brasil – UAB.

As inscrições estarão abertas de 20 a 23 de maio, das 14h às 17h, no Laboratório de Informática da Educação a distância do campus.

Para a atuar como professor, há vagas para candidatos com Licenciatura em Pedagogia; Licenciatura em Estatística, Matemática ou Física; Letras/Língua Inglesa; Geografia; e Licenciatura em História. É necessário ainda ter mestrado e/ou doutorado em áreas afins e experiência mínima de um ano no magistério superior.

Para a vaga de Tutor, o candidato precisa ser experiência mínima de 1 (um) ano de magistério e ser licenciado em Pedagogia ou em outra área com pós-graduação em Educação.

A seleção será composta por uma fase de caráter eliminatório e outra de caráter classificatório. A fase eliminatória corresponderá à análise da ficha de inscrição e dos documentos comprobatórios entregues pelo candidato no ato da inscrição. Já a fase classificatória corresponderá à avaliação de títulos.
O resultado provisório será divulgado a partir do dia 28 de maio.

Ministro da Educação é convocado à Câmara nesta quarta-feira (15) para explicar cortes de verbas

O plenário da Câmara aprovou nesta terça-feira (14), por 307 votos a 82, a convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, para explicar aos parlamentares os cortes no orçamento das universidades públicas e de institutos federais.Por se tratar de convocação, o ministro é obrigado a comparecer à comissão geral que o ouvirá no plenário da Câmara nesta quarta-feira (15), às 15h.Apesar de ter sido convocado para participar de comissão geral, a presença de Abraham Weintraub já era prevista na Câmara dos Deputados às 10h desta quarta-feira. O ministro havia sido convidado para dar explicações sobre os cortes no Orçamento da Educação na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público.Segundo o autor do pedido, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), o ministro precisa explicar como será feito o bloqueio dos recursos. “É uma oportunidade para que o povo brasileiro perceba que a Câmara dos Deputados está sensível ao clamor da sociedade, já que amanhã as ruas serão ocupadas por gente preocupada com a cultura e a educação. O ministro vai explicar o corte de 30% das universidades e institutos federais”, comentou.Antes da votação, a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) havia declarado que o ministro da Educação está preparado para debater e esclarecer a situação da pasta. “O ministro [da Educação] é preparado para falar sobre o assunto. A convocação não é agradável, mas é do jogo democrático e, se a maioria quiser convocá-lo, ele virá”, afirmou. Apenas PSL e Novo orientaram seus parlamentares a votar contra a convocação.

Inscrições para o Cartão Transporte Universitário abrem nesta quarta-feira (15)

As inscrições para obtenção do Cartão Transporte Universitário começam nesta quarta-feira (15). Os estudantes têm até o dia 15 de junho para se cadastrar no programa.

Nesta edição, o programa contemplará 1.000 jovens em todo estado que receberão um benefício financeiro no valor de R$ 800,00 por semestre letivo para custear seu deslocamento diário no trajeto domicílio (ida e volta) não inferior a 100 km, assegurando de modo efetivo o direito à educação superior, diminuindo os altos índices de evasão acadêmica.

Para concorrer as vagas, os estudantes devem fazer sua inscrição exclusivamente online, no site. É necessário obedecer os critérios estabelecidos em edital.

Sem dinheiro, UFMA deve parar atividades em julho

O pró-reitor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Prof. João de Deus Mendes da Silva, deu declaração, na tarde de ontem, sobre a situação da UFMA com o bloqueio de 30% das verbas destinadas às instituições federais de ensino superior. Segundo o pró-reitor, se o bloqueio, anunciado pelo Ministério da Educação, não for revertido as atividades da UFMA devem parar em julho deste ano.

“Nós recebemos essa informação do bloqueio dos recursos da Universidade Federal do Maranhão com bastante preocupação, visto que desde 2015 nós temos os recursos já bastante cortados.” declarou o Prof. João de Deus.

“Estamos envidando esforços junto com a bancada maranhense, e a gente acredita que o bom senso prevaleça e nós consigamos reverter isso. Em relação aos problemas, seriam diversos, porque os recursos que foram contingenciados são recursos do custeio da universidade, da manutenção. Então, segurança, limpeza, pode nos prejudicar muito se não conseguirmos reverter”, disse ainda, o pró-reitor.

Veja abaixo o vídeo com o pronunciamento do pró-reitor Prof. João de Deus Mendes da Silva.

A União Nacional dos Estudantes (UNE), Associação Nacional dos Pós-Graduandos (ANPG) e União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) fizeram pedido de suspensão do bloqueio. Mas, na semana passada, o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Sérgio Kukina, rejeitou a liminar de suspensão do contingenciamento de verbas.

Para o ministro, os argumentos apresentados pelas entidades, ‘assim parece, baseiam-se, sobretudo, em entrevistas concedidas’ pelo ministro da Educação, ‘restando enfraquecidos’. O magistrado disse, ainda, que não há ‘perigo de demora’ para avaliar a ação das entidades.