Nota do Enem 2017 é divulgada

As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 foram divulgadas nesta quinta-feira (18). O resultado só pode ser consultado individualmente. Para isso, os candidatos devem acessar a Página do Participante e incluir CPF e a senha cadastrada. Pouco antes das 12h (horário de Brasília), o site apresentava instabilidade.

O resultado dos treineiros só será divulgado no dia 19 de março. Na mesma data, o Ministério da Educação também vai disponibilizar os espelhos da redação.

Nesta quinta, o Ministério da Educação divulgou o balanço sobre o desempenho dos candidatos na edição de 2017 do exame. Apenas 53 alunos tiraram nota mil na redação, porém a nota média subiu de 541,9 para 558.

Com a nota do Enem 2017, os estudantes podem pleitear uma vaga em uma universidade pública que tenha aderido ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2018. Serão 130 instituições no Brasil – 30 estaduais e 100 federais -, que ofertarão 239.601 vagas na graduação.

Nesta quinta-feira (18), o ministro Mendonça Filho afirmou que o período de inscrição do Sisu vai ser antecipado para os dia 23 a 26 de janeiro. As inscrições serão feitas no site do programa (http://sisu.mec.gov.br).

Para participar, é necessário ter tirado nota acima de zero na redação do Enem 2017. Como nos anos anteriores, cada candidato poderá se inscrever em até duas vagas, especificando a ordem de preferência e o turno no qual pretende estudar. Também é necessário definir qual a modalidade no qual o aluno se encaixa – ampla concorrência ou alguma relativa às ações afirmativas (com critérios raciais ou sociais).

Mesmo que o candidato faça sua inscrição no primeiro dia, ele poderá alterar suas opções até as o prazo final. O sistema mostra, a cada dia, uma nota de corte parcial, baseada nas notas das pessoas que já se inscreveram até o momento naquele curso.

Enem 2018: inscrições e datas das provas

O Enem 2018 será aplicado em 4 e 11 de novembro. O edital será publicado em 21 de março e as inscrições serão realizadas de 7 a 18 de maio.

Do G1.

Divulgação do resultado do Enem é antecipado para 18 de janeiro

O Ministério da Educação antecipou em um dia a divulgação do resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. A partir de 18 de janeiro os estudantes poderão consultar os resultados individuais na Página do Participante, na internet. A nova data foi divulgada hoje (12) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

É necessário informar o CPF e a senha cadastrada no momento da inscrição no Enem. Quem não se lembra da senha pode recuperá-la na Página do Participante. É com ela que o estudante também terá acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que ficará aberto de 29 de janeiro a 1º de fevereiro.

Os resultados dos participantes com menos de 18 anos, comumente chamados de treineiros, serão liberados 60 dias depois da divulgação regular. O mesmo prazo vale para os espelhos de correção das redações. O acesso ao espelho de correção é uma forma de o participante saber como se saiu em cada uma das cinco competências avaliadas pela prova.

Os estudantes podem usar o resultado das provas do Enem em processos seletivos para vagas no ensino público superior, pelo Sisu, para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Enem para pessoas privadas de liberdade começam hoje

Cerca de 32 mil pessoas privadas de liberdade farão hoje (12) e amanhã (13) as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em mais de mil unidades prisionais de 577 municípios. Também será realizado hoje e amanhã o Enem para os participantes que tiveram direito a uma segunda aplicação do exame.

O Enem para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL) é destinado a pessoas submetidas a penas privativas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade. Os participantes com mais de 18 anos poderão utilizar o desempenho como mecanismo para acesso à educação superior. Já os menores de 18 anos, considerados “treineiros”, só poderão utilizar os seus resultados individuais para a autoavaliação de conhecimentos.

No dia da aplicação da prova, todos os professores são convocados para ajudar na aplicação do exame. As provas são realizadas nos núcleos de ensino que ficam dentro das unidades prisionais. Os agentes penitenciários ficam do lado de fora das salas de aula fazendo a segurança.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mais de 197 mil pessoas presas e jovens sob medida socioeducativa já participaram do exame entre 2011 e 2016. O Enem PPL é uma iniciativa do Inep, em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania (Depen/MJC) e com a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

De Agência Brasil.

Mais de 70 mil alunos tiveram ônibus gratuito no Maranhão no segundo dia do Enem

Aproximadamente 65 mil alunos na Grande São Luís e 12 mil na Região Metropolitana de Imperatriz puderam fazer o segundo dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no domingo (12), sem precisar pagar as passagens de ônibus. A medida foi estabelecida pelo governador Flávio Dino para garantir a maior presença possível dos alunos no exame. No domingo anterior (5), mais de 70 mil estudantes já tinham sido beneficiados.

O benefício foi concedido a alunos com carteiras de estudante registradas no Sindicato das Empresas de Transportes (São Luís) ou no departamento de Bilhetagem Eletrônica da empresa Ratrans (Imperatriz). Eles puderam circular gratuitamente para fazer as provas em São José de Ribamar, Raposa, Paço do Lumiar, São Luís, além de Imperatriz e cidades vizinhas.

“Sei que tem gente que teve que pegar três ônibus e essa ajuda é muito importante para quem precisa, para quem busca um futuro melhor”, disse Ivanielson de Jesus Araújo, de 23 anos, que fez a prova.

“É um incentivo muito bom para os estudantes, eu não ia fazer a prova, mas não poderia perder essa chance, ainda mais saindo de graça”, afirmou Elza Gonçalves, de 23 anos.

O governador já anunciou que o benefício será mantido e estendido nas próximas edições do Enem.

O Enem é usado por diversas universidades como parte do processo de seleção dos candidatos.

Operação da PF combate fraudes no ENEM no Maranhão e mais 12

A Polícia Federal desencadeou ontem (12) a operação Passe Fácil, com o cumprimento de 31 mandados de busca e apreensão e 31 de condução coercitiva em 13 estados por suspeitas de fraudes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Os mandados foram cumpridos no Maranhão e mais 12 estados (Pernambuco, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Piauí, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo).

“A partir dos dados colhidos hoje, a investigação terá continuidade, e podemos ter desdobramentos nos próximos dias”, explicou o delegado da Polícia Federal Franco Perazzoni. Segundo ele, tanto beneficiários como integrantes da quadrilha foram identificados.

A operação buscou desvendar e desarticular esquema de candidatos interessados em fraudar o processo a partir da resolução da prova por especialistas em determinadas áreas de conhecimento, chamados de pilotos, que posteriormente repassavam os gabaritos aos candidatos que os contrataram.

O delegado explicou que a operação teve como alvo pessoas com grande probabilidade de terem fraudado exames anteriores e que estavam inscritas na prova de hoje. A PF, no entanto, ainda não identificou indícios de fraudes no Enem deste ano. Segundo o delegado, não foram realizadas prisões hoje, pois nenhum dos alvos estava portando escutas, por exemplo.

O delegado avaliou que esta edição do Enem foi mais tranquila do que em anos anteriores. “Este ano tivemos muito mais tranquilidade do que em anos anteriores. Tivemos apenas ocorrências normais”, disse o delegado.

Para o ministro da Educação, Mendonça Filho, o anúncio de novas medidas de segurança, como a identificação das provas e o reforço com detectores de metal e de ponto eletrônico em cada local de aplicação, ajudaram a prevenir fraudes. “Isso tudo ajudou para que pudéssemos repelir preventivamente qualquer tentativa de fraude”, disse.

De Agência Brasil

 

Gratuidade de passagens de ônibus incentiva estudantes no segundo dia de Enem

O Governo do Estado concedeu passagens de ônibus gratuitas para estudantes neste domingo (12), como incentivo à participação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A iniciativa repete experiência do último domingo (5), primeiro dia de provas do exame.

Para usufruir do benefício, os alunos devem portar carteiras estudantis e estarem devidamente matriculados em instituições de ensino.

A medida foi adotada na Grande São Luís e na Região Metropolitana de Imperatriz, onde estudantes com carteiras de transporte do Sindicato das Empresas de Transportes (São Luís) ou do departamento de Bilhetagem Eletrônica da empresa Ratrans (Imperatriz), tem direito a circular gratuitamente por São José de Ribamar, Raposa, Paço do Lumiar, São Luís e entre Imperatriz e as cidades vizinhas.

A estudante Elza Gonçalves, de 23 anos, usou a gratuidade no último dia 5 e também para chegar ao local de prova neste domingo (12). “No último domingo até achei que ia pagar, mas na hora não descontou nada. Continuei com o mesmo saldo na carteira”, conta.

“É um incentivo muito bom para os estudantes, eu nem ia fazer a prova, mas não poderia perder essa chance, ainda mais saindo de graça”, diz a candidata, que fez prova no Centro de São Luís.

Ivanielson de Jesus Araújo, de 23 anos, já é universitário, mas vê no Enem a chance de conseguir entrar em outro curso. Ele destaca a ação do Governo do Estado: “É muito bom que o governador Flávio Dino esteja dando essa oportunidade para os jovens que querem entrar na universidade”.

“Sei que tem gente que teve que pegar três ônibus e essa ajuda é muito importante para quem precisa, para quem busca um futuro melhor”, acrescenta o estudante.

Quem também não teve o valor da passagem descontado no saldo da carteira de transporte foi Bianca Mayara Cordeiro, de 18 anos, aluna de escola pública que também aprova o apoio do Governo aos alunos da rede estadual.

“Esse é mais um incentivo para os estudantes fazerem as provas do Enem. Estudo no Geraldo Melo, uma escola que foi reformada recentemente, e vejo de perto que a mudança que vem acontecendo é um incentivo para todos os alunos maranhenses”, frisa.

Beneficiados
No domingo passado, mais de 70 mil alunos foram beneficiados com a gratuidade nas regiões metropolitanas de São Luís e Imperatriz. Para ter o benefício, os estudantes só tiveram que apresentar as carteiras de transportes das instituições parcerias na ação.

“É a educação que transforma e que gera oportunidade para os alunos, então o governador Flávio Dino viu essa forma de estimular a juventude, de estimular a participação dos estudantes maranhenses no Enem”, diz o secretário de Governo, Antonio Nunes.

Alunos do Enem terão ônibus gratuito novamente neste domingo em São Luís e Imperatriz

Dezenas de milhares de estudantes da Grande São Luís e da Região Metropolitana de Imperatriz terão passagem gratuita nos ônibus neste domingo (12) para fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A medida adotada pelo Governo do Maranhão valeu para o domingo passado e também será adotada neste último dia de exame.

No domingo passado, mais de 70 mil alunos foram beneficiados com a gratuidade. Para ter o benefício, as regras continuam as mesmas: basta estar matriculado na escola e apresentar as carteiras de transporte do Sindicato das Empresas de Transportes (São Luís) ou do departamento de Bilhetagem Eletrônica da empresa Ratrans (Imperatriz).

A gratuidade vale para Região Metropolitana de São Luís (São José de Ribamar, Raposa, Paço do Lumiar e a capital) e de Imperatriz e cidades vizinhas.

Sem cobrança

Ao passar na catraca, basta o estudante utilizar a carteira e não será cobrado valor algum. “O sistema já está atualizado para reconhecer os documentos e não descontar qualquer valor da carteira de estudante, que deve ser a mesma com a qual a pessoa compra a meia passagem”, diz o superintendente do Sindicato das Empresas de Transportes, Luís Claúdio Siqueira.

“É a educação que transforma e que gera oportunidade para os alunos, então o governador Flávio Dino viu essa forma de estimular a juventude, de estimular a participação dos estudantes maranhenses no Enem”, diz o secretário de Governo, Antônio Nunes.

“É uma boa iniciativa não ser descontado, em um dia que muitos estudantes estão tentando uma vaga para o ensino superior”, conta o candidato Renato Amorim, 23 anos, que usou o benefício no domingo passado.

Mudanças na aplicação do Enem reduziram o número de candidatos eliminados

Um total de 273 candidatos inscritos no Exame Nacional do ensino Médio (Enem) foram eliminados no primeiro dia de prova realizada no domingo (5). Desses, 264 foram por descumprimento de regras do edital, como portar equipamentos eletrônicos, ausentar-se antes do horário permitido, usar material impresso e não atender a orientações dos fiscais. Outros nove candidatos foram eliminados por porte de objetos proibidos identificados pelo sistema de detecção de metal.

O número de eliminações no primeiro dia de prova deste ano foi bem menor do que no ano passado, quando 3,9 mil pessoas foram eliminadas no primeiro dia e 4,7 mil no segundo dia. O principal motivo das eliminações em 2016 (44,3%) foi a falta de marcação do tipo de prova recebida. Neste ano, como foi usada a prova personalizada, com os cadernos de questões identificados com nome e número de inscrição do participante, não foi preciso marcar o tipo de prova recebida.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as medidas de segurança adotadas neste ano para deixar o Enem mais seguro resultaram na redução das eliminações. “A grande campanha de divulgação dessas novas medidas pode ter sido uma das causas que inibiram participantes com intenção de burlar o Enem 2017”, diz o Instituto.

O Enem 2017 estreou a prova personalizada e o uso de detectores de ponto eletrônico e teve a maior cobertura de detectores de metal desde que o recurso começou a ser usado: 100 participantes por detector.

De Agência Brasil.

Primeiro dia de provas do Enem tem 30% de abstenção

Dos 6,73 milhões de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, 30,2% não compareceram ao primeiro dia de provas. Esse é o maior índice de abstenção desde 2009, quando foram registradas 37,7% de ausência.

No total, 273 pessoas foram eliminadas no primeiro dia, sendo que 264 foram por descumprimento das regras gerais do edital e nove por terem algum equipamento identificado pelos detectores de metal. Em 2016, o exame teve 3.942 eliminações ao final do primeiro dia e 4.780 no segundo.

Não foi identificado nenhum caso de candidato usando ponto eletrônico, apenas uma pessoa que usava um fone de ouvido, que foi desclassificada. “A própria divulgação de que estamos utilizando equipamentos que identificam o uso de transmissores deve ter inibido os malfeitores que tentam ir no caminho dessa fraude”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho, em entrevista agora à noite. Neste ano, pela primeira vez foram utilizados detectores de ponto eletrônico.

O Inep também identificou dois casos de pessoas que saíram do local da prova antes do horário e também foram eliminadas. Um candidato foi identificado com um cigarro de maconha no bolso, mas ele pôde concluir a prova.

Duas turmas não conseguiram concluir a prova por falta de energia, uma em Teresina (PI) e outra em Uruaçu (GO). Esses alunos terão que refazer a prova em dezembro e, segundo o Inep, não serão prejudicados.

De acordo com o instituto, o participante isento de pagamento da taxa de inscrição do Enem 2017 que não compareceu às provas e deixar de justificar essa ausência do sistema de inscrição do Enem 2018, por meio de documento legal, perderá o direito a nova isenção.

Redação

O ministro disse que a decisão do MEC de não recorrer da decisão judicial que proibiu a atribuição de nota zero a redações que desrespeitem os direitos humanos no Enem foi para dar tranqüilidade aos candidatos. “A nossa preocupação foi assegurar a tranquilidade, porque o próprio clima de discussão com relação a que tese poderia prevalecer enseja dúvida na cabeça dos candidatos e isso não é algo positivo. Então, não havia tempo para a reversão do entendimento”, disse.

Segundo Mendonça Filho, mesmo que haja uma decisão contrária, o que vai valer para este ano é a decisão judicial em vigor. “Não há sentido se ter uma decisão judicial e, se porventura caísse mais adiante, retroagir para prejudicar as pessoas que tiveram o entendimento deferido a partir de uma decisão judicial que é válida e que nós respeitamos.”

Hoje (5) foi o primeiro dia do Enem, com provas de redação, linguagens (língua portuguesa e língua estrangeira) e ciências humanas (geografia, história, filosofia, sociologia e conhecimentos gerais). O segundo dia de provas será em 12 de novembro, com questões de matemática e ciências da natureza.

Este é o primeiro ano que o Enem é realizado em dois domingos consecutivos. Até o ano passado, as provas eram realizadas em um único fim de semana – sábado e domingo.

De Agência Brasil.

Entenda como é feita a correção das questões e da redação do Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgará o gabarito oficial do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no dia 16 de novembro. A correção é feita usando a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), em que o valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item.

Dessa forma, um item em que grande número dos candidatos acertaram a resposta será considerado fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. Já o estudante que acertar uma questão com alto índice de erros ganhará mais pontos por aquele item.

Por isso, não é possível calcular a nota final apenas contabilizando o número de erros e acertos em cada uma das provas. Se dois candidatos acertam o mesmo número de questões, não significa que terão a mesma pontuação. O estudante só tem como saber a nota final no Enem quando o resultado sair.

A correção é feita por meio de um sistema de reconhecimento, no qual a Fundação Getulio Vargas (FGV) e a Cesgranrio extraem os dados com as respostas das questões objetivas de cada participante, durante a etapa de digitalização. Por isso, é imprescindível que o preenchimento do cartão-resposta tenha sido realizado com caneta esferográfica de tinta preta. O mesmo vale para a folha de redação. Os rascunhos e as marcações assinaladas nos cadernos de questões não serão considerados para fins de correção.

O processo de correção é feito tanto pela Cesgranrio quanto pelo Inep, para conferência. As redação são corrigidas pela Fundação para Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp). O Inep, já com as notas da redação repassadas pela Vunesp e os resultados das questões objetivas, processa o resultado, dando origem ao Boletim de Desempenho, que será disponibilizado aos participantes em 19 de janeiro de 2018.

Redação

O texto produzido na redação do Enem é corrigido por pelo menos dois avaliadores, de forma independente, sem que um conheça a nota atribuída pelo outro. Esses dois professores avaliam o desempenho do participante de acordo com as cinco competências exigidas na redação.

Cada avaliador atribuirá uma nota entre 0 e 200 pontos para cada uma das cinco competências, e a soma desses pontos comporá a nota total de cada avaliador, que pode chegar a 1.000 pontos. A nota final do participante será a média aritmética das notas totais atribuídas pelos dois avaliadores.

Se entre as notas dadas pelos dois corretores houver diferença superior a 100 pontos (no somatório geral) ou de mais de 80 pontos em qualquer uma das cinco competências, a redação segue para um terceiro avaliador. No caso de a discrepância continuar depois da terceira avaliação, a redação será corrigida por uma banca com três professores, que vai dar a nota final.

A redação receberá nota zero se apresentar características como fuga total ao tema, texto com menos de sete linhas, não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa, cópia integral de textos motivadores da proposta, impropérios, e se a folha de redação for entregue em branco.

Ontem (4), a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, decidiu manter a decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região que determinou a suspensão da regra que previa a anulação da redação que violasse os direitos humanos. Apesar disso, a competência cinco, que vale 200 pontos, determina que a redação deve ter uma proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos. Esse item não foi modificado pela decisão judicial.

O título é opcional na produção da redação e será considerado como linha escrita. Porém, o título não será avaliado em nenhum aspecto relacionado às competências da matriz de referência.

De Agência Brasil