AGENDA CULTURAL – SEXTOU!

Por: Ezequias Castro 

Motivos para comemorar? Mas é claro. É sexta-feira!!! Mais um fim de semana chegou e pensando em você o pagina 2 selecionou as melhores atrações para embalar a sua Sexta (12). Confira:

Encontro de Brechó / Foto: Divulgação

Nesta sexta (12) acontece a 20ª edição do Encontro de Brechós de São Luis. O evento será realizado na Praça do Reggae, no centro histórico, das 14:00 às 18:00. O encontro contará com a presença de mais de 40 brechós que oferecem uma variedade de roupas, acessórios e calçados. No evento também será realizado a venda de comidas, plantas e artesanato. Levem suas ecobags e bom garimpo!

Foto: Divulgação

Está de volta aberta a temporada de festas na Halls 337 e nesta sexta (12), a partir das 21h,  acontece a Tropikana. A festa promente ser recheada de muitos ritmos, cores e sabores. No comando da pista estarão os Dj’s: Brunoso, Grabriella Leão, Butantan e Suxx. A Halls fica localizada na Rua do Alecrim 337 – Centro. Ingressos no local do evento. Valor: R$20,00 inteira e R$10,00 meia entrada. A festa contará também com uma lista amiga até as 23h, com valores de R$ 10,00 e R$ 5,00 meia entrada. Para isso é necessário enviar os nomes no via direct no instagram.

Foto: Divulgação

A partir das 20h de hoje (12) no Buriteco Café  vai ter muito reggae com o grupo Cajuina Roots. Localizado na Rua Portugal, 188 – Centro Histórico. Cobra-se couvert no valor de R$ 10,00.

Foto: Divulgação

Nesta sexta-feira (12)  acontece a balada para todos os ritmos na Nate Club a partir das 23h. Tudo aos comandos dos Dj’s: Maciel Diniz, Marconni  Cutrim, Wastro Araújo e Igor Oliveira. Ingressos somente na bilheteria da casa. A inteira custa R$ 20 e meia-entrada R$ 10. Valores sujeitos a alterações. A boate fica localizada na Rua da Palma – Centro.

Foto: Divulgação

Um evento regado a muita música e solidariedade, acontece hoje (12), a partir das 20h, a Noite da Solidariedade. Comandada pela banda Andrey e Igo e diversas atrações como a drag Dj Danna Moss e outros. Você poderá curtir o evento doando 2kg de alimento não perecível na entrada da festa. O Sinuca Bar fica localizado na Rua da Estrela, 170-144 – Centro Histórico de São Luís.

 

 

Cause we like to party!

Reforma Trabalhista será um dos temas abordados em evento gratuito em São Luís

Gestão Tributária é um assunto muito amplo e complexo, e entender bem o seu funcionamento é tarefa obrigatória para profissionais da área, como contabilidade por exemplo. Nesse sentido, o Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG) realizará uma palestra gratuita com o tema “Fórum IPOG de Gestão Tributária”, nesta quarta-feira (31/01), às 17h30, no Auditório do Hotel Rio Poty, localizado no bairro Ponta D’areia, em São Luís.

O objetivo é ampliar os debates sobre assuntos que integram o universo da Gestão Tributária. Portanto, a palestra será assumida por três grandes profissionais que entendem do assunto: Marcos Antônio, que terá a fala voltada para as alterações do Simples Nacional neste ano; Francisco Marques, que discorrerá sobre a Reforma Trabalhista e Fellipe Guerra, que apresentará sobre SPED e Gestão Tributária.

Para participar, basta acessar o link e preencher o formulário de inscrição. As palestras realizadas pelo IPOG são grandes oportunidades para expandir os conhecimentos e absorver novas informações.

Sobre os Palestrantes

Coordenador da Comissão do Simples Nacional CRC – CE e Co-Autor do Livro de Prática Contábil, Marcos Antônio possui uma rica experiência na área contábil e integra o quadro de professores do IPOG. O professor Fellipe Guerra também possui uma trajetória consolidada na contabilidade e é especialista em SPED, tendo sido, inclusive, eleito o contador mais influente da internet no ano passado. Já o professor Francisco Johnatan Abreu é economista, especialista em eSocial e atua há mais de 11 anos como palestrante e professor nas áreas trabalhista e previdenciária em diversos estados do Brasil.

Serviço

Data: 31/01/2018

Horário: 17h30

Local: Auditório do Hotel Rio Poty – Avenida dos Holandeses, Lote 2/5, quadra 32, S/N – Ponta D’areia, São Luís (MA)

Informações e Inscrições: http://pages.go.ipog.edu.br/forum-ipog-de-gestao-tributaria-sao-luis-c15

Tráfico de pessoas é tema de seminário no Maranhão

O Governo do Maranhão realiza nesta quinta-feira (27), às 8h30, no auditório da Secretaria de Estado da Fazenda (Av. Carlos Cunha, Calhau), o seminário ‘Tráfico de Pessoas: como identificar e como denunciar’, como atividade integrante da campanha ‘Coração Azul Contra o Tráfico de Pessoas’, promovida pela Secretaria Estadual de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop). A entrada é gratuita.

Durante o seminário será realizada uma conferência e mesa de debates onde serão apresentados os avanços e os desafios em âmbito nacional e estadual da política de enfrentamento ao tráfico de pessoas, considerado a terceira maior fonte de lucro do crime organizado no mundo, precedido apenas pelos crimes de tráfico de drogas e de armas, e uma das mais graves violações de direitos humanos.

A mesa contará com a presença de Natasha Barbosa Mercaldo de Oliveira, analista técnica da Secretaria Nacional de Justiça e Cidadania do Ministério da Justiça e Segurança e Pública, que falará sobre a Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

“A política nacional de enfrentamento ao crime de tráfico de pessoas vai completar dez anos, desde que o país tornou-se signatário do Protocolo de Palermo que orienta diretrizes internacionais de combate a este crime. A Lei de Tráfico de Pessoas (Lei 13.344), instituída em outubro do ano passado, passou a punir como crime este tipo de violação de direitos humanos”, explicou Natasha de Oliveira.

Natasha falou também sobre a importância do diálogo entre o governo e a sociedade civil no sentido de garantir mais esclarecimento e informação sobre formas de combate ao tráfico de pessoas e de como identificar e denunciar o crime.

“O tráfico de pessoas produz também outros tipos de violação de direitos. Um exemplo recorrente no país é o caso de meninos aliciados por agentes de times de futebol com a promessa de se tornarem jogadores em clubes profissionais. O suposto agente retira o adolescente da convivência social e familiar, colocando a vítima em situação de vulnerabilidade, com cárcere privado e extorquindo da família dinheiro para pagamento de dívidas”, exemplificou Natasha.

A maioria das denúncias sobre tráfico de pessoas está relacionada ao trabalho escravo, mas elas podem adquirir outras formas de exploração, como a remoção de órgãos, a exploração sexual, a servidão e adoção ilegal.

“As redes sociais são um lugar muito fácil de aliciadores encontrarem vítimas em potencial ao vender a elas um projeto de sonho de vida, persuadi-las com o desejo da mudança de vida. É necessário que os familiares das vítimas tenham bastante atenção com procedimentos simples, caso tenha alguém próximo nessa condição e todos os canais de denúncia são válidos para garantir eficiência na ação de combate ao tráfico”, finalizou.

Como denunciarAs denúncias podem ser feitas pelo Disque 100, Disque 180 ou também nas delegacias da Polícia Civil.

Entre os anos de 2011 e 2013, quadruplicaram o número de denúncias recebidas através do Disque 100 e pela Ouvidoria de Direitos Humanos, que em 2013 contabiliza o registro de 254 brasileiros vítimas do crime de tráfico de pessoas.

De acordo com dados do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, a maioria das vítimas são jovens entre 16 e 25 anos com baixa escolaridade; de famílias numerosas e classes populares.

Programação
O Seminário ‘Tráfico de Pessoas: como identificar e onde denunciar’ contará com a participação dos membros do Comitê Estadual de Enfrentamento e Prevenção ao Tráfico de Pessoas, Secretaria Estadual da Mulher, Secretaria de Segurança Pública, Ministério Público Federal e Associação de Profissionais do Sexo do Maranhão.

A Campanha Estadual teve início no dia 25 (terça), com panfletagem informativa no Centro Histórico, e prossegue até o dia 30 (domingo), o Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Evento debate a cultura de cidades inteligentes e o crescimento urbano sustentável

O conceito de Smart Cities está atrelado à necessidade de projetos urbanos para promover a sustentabilidade nas cidades. Ao desenvolver uma cultura de cidades inteligentes, encontramos oportunidades de influenciar e discutir a importância de fortalecer uma ocupação ordenada, a sustentabilidade e a contribuição com soluções inteligentes e criativas para questões mais relevantes nos seus territórios, considerando a integração com o meio ambiente e seu entorno para tornar a vida das pessoas mais prazerosa.

O Connected Smart Cities 2017, que acontece nos dias 21 e 22 de junho, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, tem o objetivo de debater iniciativas para tornar as nossas cidades mais inteligentes e conectadas e, no dia 22, a partir das 14h, trará o assunto “Urbanismo Sustentável nas Cidades” para serem discutidos em diversos painéis com participantes engajados em transformar as cidades inteligentes em cidades sustentáveis.

Sérgio Myssior, arquiteto especialista em meio ambiente e urbanismo, sócio da Myr Projetos Sustentáveis e comentarista do programa “a BH que queremos” na rádio CBN/BH estará presente e afirma que é preciso pensar de forma integrada: “os municípios estão diante de um enorme desafio: reverter as desigualdades, repensar as cidades, incrementar os instrumentos de planejamento, gestão e participação, reduzir os déficits de infraestrutura, instituir ações de curto, médio e longo prazos para resgatar a qualidade de vida nas cidades. O país precisa repensar as suas cidades e incorporar rapidamente as melhores práticas no planejamento e gestão urbana, com transparência e participação”, afirma Sergio.

As cidades, de acordo com o arquiteto, têm inúmeras responsabilidades e desafios, sem, contudo, dispor dos recursos necessários, já que o orçamento e a estrutura municipal não são suficientes para lidar com questões de sustentabilidade, mobilidade, habitação, segurança, dentre outros.

“Sabemos que o ordenamento territorial acaba influenciando o custo da prestação dos serviços públicos e criando barreiras para o acesso aos menos favorecidos. Portanto, o maior desafio é conseguir instituir um pacto pela melhoria da qualidade de vida urbana, reunindo todos os setores da sociedade. Construindo um plano de desenvolvimento sustentável para a cidade (e não um plano de governo), com ações de curtíssimo prazo, médio e longos prazos. Instituir uma visão holística e integrada de todos os pontos, afinal todos os aspectos se inter-relacionam, especialmente quando refletidos no tecido urbano”, afirma Sergio.

A importância de se discutir o planejamento das cidades para o desenvolvimento de cidades mais humanas e inteligentes vem ao encontro de que o modelo de crescimento e desenvolvimento das cidades parece ter se esgotado, pois as dificuldades são cada vez maiores e já ultrapassam os limites do município, merecendo uma abordagem regional e metropolitana.

“As questões relacionadas com a sustentabilidade, mudanças climáticas e mais recentemente os ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, indicam a necessidade de se repensar as cidades, notadamente em relação ao modelo de desenvolvimento, oferecendo uma clara mudança nos parâmetros até então adotados. Por isso é necessário se discutir o planejamento das cidades, pois estamos diante da necessidade de mudanças neste paradigma e também de deficiências crescentes, bem como da demanda por gestões participativas e inclusivas”, destaca Sérgio.