Josué Montello e a cidade de Alcântara em alta na Feira do Livro

A obra ‘Noite sobre Alcântara’, do escritor maranhense Josué Montello, foi destaque na tarde desta quarta-feira (15), na Feira do Livro de São Luís (FeliS 2017), que acontece na Praia Grande.

Em palestra concorrida, com o tema “Noite sobre Alcântara: crônica de uma profecia contrariada”, o poeta maranhense e jornalista, Paulo Melo, discorreu  sobre a fascinante obra de Josué Montello, que coloca cidade histórica de Alcântara como o centro do romance. “Alcântara hoje tem uma vida cultural e  turística. É uma cidade que está viva e além de sua história e casarões, tem um patrimônio imaterial riquíssimo”,  destacou.

O poeta também ressaltou seus estudos e pesquisas sobre Alcântara e o livro que está escrevendo a respeito da cidade.

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, que foi mediador da palestra, realçou a importância de um dos principais escritores da literatura maranhense e brasileira. “É fundamental trazer a discussão sobre Josué Montello para feira pela importância do legado que ele deixou para todos nós, sobretudo, ao falar sobre Alcântara, que é um patrimônio vivo do povo do Maranhão. Foi um honra contribuir com FeliS ao mediar esse debate”, enfatizou.

A professora universitária, Herli de Sousa Carvalho, parabenizou pela palestra e destacou a riqueza de Alcântara.”Quando você lê essa obra chega o momento em que paramos a leitura para viajar até a cidade e ter a experiência de conhecer as riquezas daquele lugar”, revelou.

O livro ‘Noite sobre Alcântara’ está sendo reeditado pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e será lançado em fevereiro de 2018.

São Luís será capital da literatura com a realização da FeliS

A identidade racial e de gênero estará no centro dos debates da 11ª edição da Feira do Livro de São Luís (FeliS), que será realizada de 10 a 19 deste mês, das 10h às 22h, na Praia Grande.

A romancista maranhense Maria Firmina dos Reis, referência por quebrar barreiras, se destacar numa área onde homens dominavam e ter marcado em seus escritos a postura antiescravagista, é patrona do evento. Esta edição da feira – realizada pela Prefeitura de São Luís em parceria com o Governo do Estado – vai se concentrar na obra da escritora e outras literaturas de referência afrodescendente.

“A Feira do Livro de São Luís é um importante instrumento que incentiva a cultura local e se soma às muitas ações realizadas pela nossa gestão que tem trabalhado no sentido melhorar nossos indicadores educacionais. Devemos articular os diversos segmentos em um momento único em prol da nossa educação e cultura, valorizando os escritores maranhenses e aproximando a comunidade dos livros”, enfatizou o prefeito Edivaldo destacando ser a Feira um grande expediente literário da cidade.

A grandiosidade da FeliS se traduz em uma das mais referenciais manifestações culturais maranhenses e representa a memória histórica de berço da literatura que é a capital, pontuou o governador Flávio Dino.

“São Luís, que já foi a Atenas Brasileira, tem neste evento o resgate das boas produções, a descoberta de novos talentos e, sobretudo, um espaço para os autores e nomes das nossas letras. Nós acreditamos na leitura como um patrimônio de um povo, meio de desenvolvimento e construção social. A feira reflete todo este contexto e exalta nossa cultura e população”, enfatizou o governador.

A FeliS terá 40 estandes de livreiros, 10 espaços para sebos, 10 performances poéticas, sete intervenções artísticas, 60 contações de história, sete espetáculos circenses de rua, uma orquestra e 55 lançamentos de livros. São esperados mais de 200 mil visitantes e venda de mais de dois milhões de livros, a fim de superar o evento do ano passado. Criada pela Lei Municipal, nº 4. 449/2005, a Feira do Livro de São Luís é ferramenta de fortalecimento da vocação e produção literária maranhense.

“É uma grande satisfação estarmos envolvidos neste evento de referência para a literatura maranhense, que este ano traz um projeto específico para os estudantes da rede pública e vem se consolidando como um fomento ao turismo. Mais uma vez, uma parceria de resultados entre as duas gestões”, enfatizou o secretário de Estado de Educação (Seduc), Felipe Camarão.