Prefeitura atinge meta de imunização contra gripe, doses para o público-alvo continuam disponíveis

São Luís atingiu a meta de vacinação contra a gripe Influenza, estipulada pelo Ministério da Saúde, que era imunizar 90% das pessoas dos grupos mais suscetíveis à doença. Mesmo atingindo a meta da campanha, a Prefeitura dá prosseguimento a vacinação para que 100% do público-alvo possa se proteger da gripe. A vacinação continua disponível nos postos de saúde do município até o fim dos estoques e pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

A Prefeitura de São Luís vai manter a disponibilidade das doses para o público-alvo, em especial para crianças, que tiveram a idade limite estendida de cinco para até nove anos. Os idosos também tiveram a idade alterada. Antes podiam se vacinar idosos a partir de 60 anos, agora podem ser imunizadas pessoas a partir dos 50 anos de idade.

O secretário municipal de Saúde (Semus), Lula Fylho, reforçou que as ações da campanha realizadas pela Prefeitura de São Luís foram exitosas, mas é importante que pais e mães levem suas crianças para serem imunizadas. “Atingir a meta representa mais tranquilidade à população, mas, precisamos avançar na vacinação das crianças. Por isso, é importante que os responsáveis compareçam aos postos de saúde e garantam a proteção de seus filhos desta forma de gripe”, apela o gestor ressaltando que entre as ações realizadas pela gestão municipal destacam-se o Dia D de Vacinação Municipal e a busca ativa em escolas da rede pública.

Nesta nova fase integram o grupo prioritário para vacinação pessoas a partir de 50 anos; crianças de seis meses a nove anos; trabalhadores de saúde; professores das redes pública e privada; povos indígenas; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); pessoas privadas de liberdade, inclusive adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas; além dos funcionários do sistema prisional.

A superintendente de Vigilância Epidemiológica e Sanitária da Semus, Terezinha Lobo, enfatiza a necessidade de imunizar as crianças “e que as famílias precisam ter essa atenção e sensibilidade para não deixar de protegê-las da gripe”, diz

.

PROTEÇÃO

A vacina tem eficácia de seis a 12 meses e reduz as complicações que podem gerar casos mais graves da doença, como internações ou até mesmo óbitos. Protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano, no Hemisfério Sul, de acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS): o A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.

A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

Maranhão encerra campanha contra gripe com 93,01% dos grupos prioritários vacinados

O Governo do Maranhão superou a meta da Campanha de Vacinação contra a Influenza, estabelecida pelo Ministério da Saúde, vacinando 1.373.965 maranhenses, nos 217 municípios do estado. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), esse número representa 93,01% de cobertura na vacinação, 3.01% a mais do que é estabelecido pelo Ministério da Saúde.

No ranking de imunização, 13 estados atingiram a meta da campanha. O Maranhão ocupa a sétima posição nacional. Os estados de Goiás (105,77%), Ceará (103,45%), Amapá (99,84%), Distrito Federal (97,95%), Espirito Santo (95,56%) e Alagoas (93,30%) ocupam as seis primeiras posições do ranking nacional.

Ao todo, 192 municípios maranhenses superaram a meta de 90% de cobertura vacinal proposta pelo Governo Federal. Entre as cidades do interior do Maranhão, o município de Afonso Cunha ficou acima do público previsto: alcançou 123,74% de cobertura vacinal. São Domingos do Maranhão chegou a 114,28%. Em terceiro lugar está Brejo de Areia com o registro de 114,18% e 1.345 doses aplicadas, depois São Roberto com 113,76% de cobertura e 1.298 doses aplicadas.

A chefe do Departamento de Doenças Imunopreveníveis da SES, Helena Almeida, reiterou que o objetivo de reduzir a mortalidade, complicações e hospitalização por infecções pelo vírus da influenza na população alvo da vacinação foi alcançado. A vacina que aplicada na campanha é a trivalente, que protege contra os vírus da influenza A (H1N1), A (H3N2) e B.

“É muito importante a superação da meta de vacinação dos grupos prioritários no Maranhão. A maioria dos municípios alcançou a meta e imunizou a população contra Influenza. As cidades que não conseguiram bater a meta vão continuar vacinando, priorizando os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias”, destacou Helena Almeida.

A partir desta segunda-feira (25), caso haja disponibilidade de vacinas nos municípios do Maranhão, a imunização, também, poderá ser estendida para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos, e continuar a vacinação em grupos prioritários.

Grupos prioritários 

A Campanha de Vacinação contra a Influenza no Maranhão terminou no dia 22 deste mês com o cumprimento do cronograma para a imunização dos grupos prioritários, formado por idosos com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, povos indígenas, professores das escolas públicas e privadas, crianças na faixa etária de seis meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses, 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), grupos de portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, além da população privada de liberdade.

Maranhão atinge mais de 90% de cobertura da vacinação contra gripe

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), mobilizou os 217 municípios para Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza. O Maranhão superou a meta do Ministério da Saúde e registrou, até o momento, 90.50% de cobertura vacinal no estado. A vacinação será encerrada nesta sexta-feira (22).

No Maranhão, 180 municípios atingiram a meta de 90% de cobertura vacinal, correspondendo a 82,94% do estado imunizado. Foram 1.336.922 doses aplicadas da vacina contra gripe. No ranking de imunização, alguns municípios vacinaram acima do público previsto como Afonso Cunha que ocupa a primeira posição com 123,74% de cobertura vacinal sendo 1.663 doses aplicadas, seguido de São Domingos do Maranhão com 114,28% e 8.485 doses aplicadas. No terceiro lugar está Brejo de Areia com o registro de 114,18% e 1.345 doses aplicadas, depois São Roberto com 113,76% de cobertura e 1.298 doses aplicadas.

A Campanha de Vacinação contra a Influenza teve início no Maranhão no dia 23 de abril e prossegue até o dia 22 de junho, com o cumprimento do cronograma para a imunização dos grupos prioritários. Com a realização da vacinação, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) visa reduzir as complicações e mortes decorrentes das infecções pelo vírus da influenza na população alvo para a vacinação. A vacina que está sendo aplicada na campanha é a trivalente, que protege contra os vírus da influenza A (H1N1), A (H3N2) e B.

O grupo prioritário é formado por idosos com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, povos indígenas, professores das escolas públicas e privadas, crianças na faixa etária de seis meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses, 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), grupos de portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, além da população privada de liberdade.

A chefe do Departamento de Doenças Imunopreveníveis da SES, Helena Almeida, reiterou que o objetivo da vacinação é reduzir a mortalidade, complicações e hospitalização por infecções pelo vírus da influenza na população alvo da vacinação. “A vacinação de mais de 80% do público-alvo no Maranhão, priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias, evita epidemias e protege a população contra Influenza e de suas complicações”.

Vacinação
A partir do dia 25 de junho, caso haja disponibilidade de vacinas nos municípios do Maranhão, a vacinação também poderá ser estendida para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos. E, ainda, continuar vacinando os grupos prioritários.

Últimos dias de vacinação contra gripe no Maranhão

Em todo o Maranhão, a vacina contra gripe atingiu, até o momento, 1.258.597 pessoas. O dado representa 85,20% do público prioritário. O Governo do Estado alerta a população que a meta é continuar vacinando os grupos prioritários até o próximo 22 de junho, principalmente, crianças, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades.

Os grupos prioritários, formados por professores da rede pública e privada; profissionais de saúde; crianças entre 6 meses e cinco anos; gestantes; mulheres com parto recente (com até 45 dias); idosos a partir de 60 anos; povos indígenas; portadores de doenças crônicas, além da população privada de liberdade (inclui funcionários do sistema prisional e menores infratores) devem procurar os postos de saúde para receberem a vacina contra gripe.

“É muito importante que a população, classificada como público prioritário, procure imediatamente os postos de saúde. A gestão estadual adotou todas as medidas para distribuir o insumo nas regionais de saúde, capacitação de profissionais da rede pública e privada, e o abastecimento das unidades regionais com o medicamento oseltamivir. Contamos com o serviço ativo da Epidemiologia Estadual e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde, ampliando o monitoramento de eventuais surtos, epidemias e outras emergências em saúde pública no âmbito Regulamento Sanitário Nacional”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

O Departamento de Doenças Imunopreveníveis da SES realizou a dispensação da vacina para as 18 Unidades Regionais de Saúde e Região Metropolitana, abastecendo os municípios com o insumo e fortalecendo as ações preventivas, desde o início da campanha nacional de vacinação contra gripe, 23 de abril deste ano.

A vacina contra influenza contribui para a redução das complicações, das internações e, consequentemente, da mortalidade decorrente das infecções pelo vírus da gripe, orienta o Programa Nacional de Imunizações (PNI).

A partir do dia 25 de junho, caso haja disponibilidade de vacinas nos municípios do Maranhão, a vacinação também poderá ser estendida para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos. E, ainda, continuar vacinando os grupos prioritários.

H1N1

O Ministério da Saúde alerta que a influenza ou gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, ocasionada pelo vírus influenza, com elevado potencial de transmissão. Existem três tipos de vírus influenza/gripe que circulam no país: A, B e C, sendo que vacina contra gripe disponibilizada na rede pública protege contra estes tipos de vírus.

Prefeitura realiza busca ativa em escolas e intensifica vacinação contra gripe na capital

A Prefeitura de São Luís está intensificando as estratégias de busca ativa para alcançar o público prioritário da campanha de vacinação contra a gripe, que foi prorrogada para até dia 15 de junho. A iniciativa visa cumprir a meta de cobertura vacinal determinada pelo Ministério da Saúde, que é imunizar, na capital maranhense, 209.974 pessoas pertencentes aos grupos mais suscetíveis à doença. Até agora, 150 mil pessoas já tomaram a dose da vacina, o que representa pouco mais de 70% da meta prevista. As ações são coordenadas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e atendem a orientações do prefeito Edivaldo.

Segundo o titular da Semus, Lula Fylho, são todas estratégias adotadas para complementar a campanha nacional e alavancar a cobertura vacinal em São Luís. “Além de elevarmos a cobertura vacinal no município, o nosso maior objetivo é proteger as pessoas pertencentes aos grupos de risco dos graves problemas decorrentes da Influenza. E a vacinação tem contribuído muito para reduzir as complicações e as internações, especialmente de idosos e crianças, que são mais suscetíveis à doença”, afirmou Saúde, Lula Fylho.

Com as estratégias adotadas no município após a campanha nacional, a cobertura subiu de 65% para 71,4%. Entre as estratégias adotadas pela Prefeitura de São Luís para alcançar os grupos prioritários e atingir a meta de cobertura vacinal está a realização do Dia ‘D’ Municipal de Vacinação, que, pela primeira vez, foi desenvolvida em São Luís, reforçando a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Só no Dia ‘D’ Municipal de Vacinação foram imunizadas quase três mil pessoas.

BUSCA ATIVA

Outra estratégia adotada com essa finalidade é a busca ativa dos grupos de risco, levando a vacinação diretamente aos locais onde estes se encontram, como escolas e creches, por exemplo, para vacinar crianças de seis meses a menores de cinco anos e professores. Também faz a busca de grupos prioritários em órgãos públicos, disponibilizando e facilitando o acesso das pessoas à imunização contra a influenza.

“O grupo das crianças é o que tem tido menor cobertura, atingindo até agora 40,18% da meta, ou seja, 27.743 doses aplicadas em um universo de 69.045 de crianças que precisam tomar a vacina. Exatamente por esse motivo, foi intensificado o trabalho de busca ativa nas escolas, oportunidade na qual também estendemos o serviço a outro grupo prioritário importante, que são os professores, público que já atingimos 80,71% da meta”, observou a superintendente municipal de Vigilância Epidemiológica, Terezinha Lobo.

No universo de pessoas que necessitam tomar a vacina, Terezinha Lobo afirma ainda que a dose já foi aplicada em 80,30% das mulheres puérperas (mulheres com até 45 dias após o parto); em 78,66% dos idosos; em 75,72% dos trabalhadores na saúde e em 63,43% das gestantes. Ainda com fins a alcançar o maior número de pessoas dos grupos prioritários, na capital, a Prefeitura estendeu o horário de atendimento em alguns postos de saúde, que passaram a ofertar o serviço até às 18 horas, uma hora a mais do horário regular de atendimento. Entre os postos com horário ampliado estão as Unidades Mistas e os centros de saúde Paulo Ramos, Genésio Rego, Liberdade, Bezerra de Meneses, São Francisco, Djalma Marques, Turu, Cohab, Fabiciana, Janaina, Clodomir Pinheiro e Vila Bacanga.

Aquelas pessoas que por algum motivo não puderem se dirigir aos postos de saúde também receberão a vacina. Nestes casos, a orientação é que os familiares compareçam à unidade de saúde mais próxima de suas casas e lá façam o agendamento. No dia marcado, um profissional se dirigirá à residência e fará a imunização.

PÚBLICO-ALVO

A campanha de vacinação tem como público-alvo crianças de seis meses a menores de cinco anos, pessoas acima dos 60 anos de idade, trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, além da população privada de liberdade, dos funcionários do sistema prisional e das pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis.

Durante todo o período de prorrogação da campanha, a Semus enviará vacinadores às escolas e creches da rede, a fim de garantir a imunização das crianças. Nesta quarta-feira (6), equipes de imunização da Semus estiveram na Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Luís Martins, localizada na Travessa da Fortuna, bairro Bom Milagre. Foram disponibilizadas 100 doses da vacina para os alunos e professores. Pais compareceram para acompanhar seus filhos.

“É uma iniciativa louvável da Prefeitura e muito bem vinda por tornar mais facilitada a vacina às nossas crianças, garantindo saúde para eles e seus familiares”, pontuou a coordenadora pedagógica da escola, Luciana Marques Lopes. A ação foi estendida à comunidade do entorno. A unidade possui 60 alunos em turmas da creche e Ensino Infantil I e II.

Para a dona de casa Claudênia Fonseca Araújo, 28 anos, a iniciativa facilitou para diversos pais e mães que não conseguiram imunizar os filhos na primeira etapa da campanha. “Eu achei muito bom poder vacinar minha filha na própria escola e ficar em dias com a carteirinha dela. A saúde é tudo em nossa vida e desde que ela toma essa vacina, notei que teve menos gripe”, disse ela, que ficou ao lado da filha Clauane, de três anos, durante a vacina.

Mariana Arouche e a filha Júlia

A cuidadora de idosos, Mariana Arouche Santos, 30 anos, acompanhou a pequena Júlia Lorayne, quatro anos, para a vacina. “Gostei da ideia, porque não tive tempo de ir ao posto na primeira ação e já estava preocupada. Essa vacina é importante e garante a saúde das nossas crianças”, disse ela. A oportunidade serviu para a dona de casa Leidiane Menezes, 29, vacinar as filhas Nicole, de quatro anos e Maria Fernanda, de oito meses. “Uma iniciativa muito boa para nós. É uma tranqüilidade saber que minhas filhas já estão vacinadas. Gostei muito dessa ação da Prefeitura”, enfatizou.

TRIVALENTE

Segundo o Ministério da Saúde a vacina contra gripe é segura e tem eficácia de seis a 12 meses. A dose reduz as complicações que podem gerar casos mais graves da doença, internações ou até mesmo óbitos. Informa ainda que a vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é trivalente, pois protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano, no Hemisfério Sul, de acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS): o A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.

A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). O Ministério da Saúde orienta a população em geral, a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada até 15 de junho

A campanha de vacinação contra a gripe foi prorrogada até dia 15 de junho. A medida partiu do Ministério da Saúde, em função da greve dos caminhoneiros. A partir desta segunda-feira (4), a vacina continuará disponível nos postos da rede municipal de saúde. Até esta semana, a Prefeitura de São Luís já imunizou, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), cerca de 145 mil pessoas integrantes do público prioritário, o que representa quase 70% da meta de cobertura. A meta estipulada pelo Ministério, na capital, é a imunização de 209.974 pessoas, o que corresponde a 90% do público-alvo.

A Prefeitura de Sao Luís não tem medido esforços para atingir a meta estipulada pelo ministério. Para tanto, tem promovido ações como o Dia D Municipal de Vacinação, além de estender o horário em alguns postos de saúde que passam a atender a população até às 18h, de segunda a sexta-feira.

Entre as unidades de saúde com horário de funcionamento estendido, por determinação do prefeito Edivaldo, estão os centros de saúde Paulo Ramos, Turu, Cohab, Genésio Rego, Liberdade, Bezerra de Meneses, São Francisco, Djalma Marques, Fabiciana, Janaina, Clodomir Pinheiro e Vila Bacanga. Estes atenderão até às 18h. O horário estendido tem como objetivo ampliar o acesso do público-alvo à vacina para garantir a cobertura da meta proposta pelo Ministério da Saúde.

“Vamos, por determinação do prefeito Edivaldo, manter até o dia 15 todas as estratégias que deram certo para cumprirmos a meta. Essa é uma oportunidade importante para que as pessoas dos grupos prioritários procurem os postos de saúde, caso ainda não tenham se vacinado, contribuindo para que a capital fique fora da lista de risco da gripe influenza. Que não deixem de vacinar, principalmente crianças e idosos que são o público mais vulnerável. Com esta prorrogação vamos intensificar a busca ativa para que possamos alcançar a meta e tornar a capital livre dessa doença”, destacou o secretário municipal de Saúde (Semus), Lula Fylho.

A vacina tem eficácia de seis a 12 meses e reduz as complicações que podem gerar casos mais graves da doença, internações ou até mesmo óbitos. Protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano, no Hemisfério Sul, de acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS): o A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.

PÚBLICO

O público-alvo inclui idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a cinco anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (mulheres em até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional. Pessoas com doenças crônicas, como asma ou diabetes, também integram o grupo prioritário.

Se sobrarem vacinas, o público poderá ser ampliado para crianças de cinco a nove anos e adultos com idades entre 50 e 59 anos, segundo determinou o Ministério da Saúde aos municípios. O Governo Federal distribuiu 60 milhões de doses aos estados.

De acordo com os últimos dados do governo, já foram vacinadas 35,6 milhões de pessoas no país, que equivale a 66% do público-alvo. Com a prorrogação da campanha, a esperança é de vacinar os 18,8 milhões de brasileiros que ainda não receberam a dose do imunizante (chegando, assim, à meta de proteger 54,4 milhões de indivíduos).

Prefeitura estende horário de funcionamento em postos de saúde para vacinação contra a gripe

A Prefeitura de São Luís está se empenhando em cumprir a meta de vacinação contra a gripe estipulada pelo Ministério da Saúde que é imunizar, na capital, 209.974 pessoas pertencentes ao grupo de risco. Com a cobertura de sábado (26), quando a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) promoveu o Dia D Municipal, foi atingida 65% da meta. Como forma de intensificar a vacinação, o poder público municipal está estendendo o horário de funcionamento em algumas unidades municipais de saúde para reforçar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que encerra nesta sexta-feira (1º).

“O Dia D Municipal foi muito importante para alavancar a cobertura que devemos ter até o final da campanha, e ele será complementado com outras ações que faremos ao longo dessa última semana. Trabalhamos para cumprir a meta, pois a vacinação contra a influenza tem contribuído para a redução de complicações e internações decorrentes da gripe, especialmente na população de risco”, disse o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho.

As Unidades Mistas e os centros de saúde Paulo Ramos, Turu, Cohab, Genésio Rego, Liberdade, Bezerra de Meneses, São Francisco, Djalma Marques, Fabiciana, Janaina, Clodomir Pinheiro e Vila Bacanga atenderão até às 18h, uma hora a mais do horário regular de funcionamento. O horário estendido tem como objetivo ampliar o acesso do público-alvo à vacina para garantir a cobertura da meta proposta pelo Ministério da Saúde.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, afirmou que a Prefeitura está realizando diversas ações de mobilização para atingir a meta estabelecida para a capital. “Além de estendermos o horário de funcionamento das unidades de saúde, estamos, inclusive, levando os serviços de imunização contra a influenza às escolas e aos órgãos públicos, fazendo uma espécie de busca ativa para alcançarmos o máximo possível o público-alvo da campanha”, afirmou o secretário.

Ainda segundo o gestor da Saúde municipal, desde o início da campanha, o município tem vacina disponível em todas as unidades. “Mesmo assim, a adesão à vacinação em alguns grupos está abaixo do esperado. Por esse motivo estamos realizando essa força-tarefa para que as pessoas que integram os grupos prioritários da campanha sejam imunizadas”, frisou Lula Fylho.

A mobilização articulada pela Prefeitura de São Luís para imunizar o máximo de pessoas contra os tipos mais comuns do vírus da gripe visa diminuir a possibilidade de complicações causadas pela doença aos grupos de pessoas considerados mais suscetíveis ao problema, como são os idosos e as crianças, por exemplo.

A campanha de vacinação tem como público-alvo crianças de seis meses a menores de cinco anos, pessoas acima dos 60 anos de idade, trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, além da população privada de liberdade, dos funcionários do sistema prisional e das pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis.

EFICÁCIA

Segundo o Ministério da Saúde a vacina contra gripe é segura e tem eficácia de seis a 12 meses. A dose reduz as complicações que podem gerar casos mais graves da doença, internações ou até mesmo óbitos. Informa ainda que a vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é trivalente, pois protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano, no Hemisfério Sul, de acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS): o A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.

A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). O Ministério da Saúde orienta à população em geral, a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

Ainda conforme o Ministério da Saúde, a vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. Após a aplicação da vacina podem ocorrer, de forma rara, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção. São manifestações consideradas benignas, cujos efeitos costumam passar em 48 horas.

Prefeitura de São Luís promove neste sábado (12) o Dia D de Vacinação contra a Gripe

A Prefeitura de São Luís realizará neste sábado (12) o Dia D de Vacinação contra a Gripe. A vacinação acontecerá em 63 unidades de saúde e mais 10 postos volantes e contará com a participação de cerca de 650 profissionais. A meta é vacinar mais de 230 mil pessoas que estão nos grupos de risco. A ação, executada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), integra as atividades da Campanha Nacional contra a Influenza, coordenada pelo Ministério da Saúde.

A campanha de vacinação tem como público-alvo crianças de seis meses a menores de cinco anos, pessoas acima dos 60 anos de idade, trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, além da população privada de liberdade, dos funcionários do sistema prisional e das pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis.

O Dia D de Vacinação é mais uma ação para a melhoria da saúde pública, especialmente na área da atenção básica. Contribuindo com os objetivos da campanha nacional que incentiva as pessoas a buscarem a vacina.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, explica que a intenção é fortalecer as ações da campanha e atingir a meta de vacinação. “O Dia D é uma estratégia importante porque chama a atenção da população para a importância da vacinação. A Prefeitura de São Luís mobiliza suas equipes para imunizar o máximo de pessoas contra os tipos mais comuns de vírus da gripe, e assim, diminuir a possibilidade de complicações causadas pela doença”, pontua o secretário.

Para ampliar o alcance da ação, além das unidades de saúde, a Prefeitura de São Luís está disponibilizando 10 postos volantes que estarão à disposição da população em locais como Convento das Mercês, Tropical Shopping, Associação dos Moradores da Ilha da Paz, Igreja Evangélica Templo da Esperança, Capela São Paulo, Capela Santo Antônio, Alto São Sebastião, Inhauma, Cajueiro, Igarau e Residencial 2000.

A gripe é responsável atualmente por grande parte das internações hospitalares. A febre é um dos sintomas mais evidentes e comuns da enfermidade e dura, normalmente, em torno de três dias. Além deste sintoma, a gripe também pode vir acompanhada de tosse, dor de garganta e dor de cabeça.

No Maranhão, Campanha contra Gripe vacinou mais de 100 mil pessoas em duas semanas

Mais de 100 mil pessoas foram vacinadas contra gripe no Maranhão. As doses da vacina contra os vírus H1N1, H3N2 e Influenza B estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde. A meta do Governo do Estado é vacinar pelo menos 90% dos maranhenses que integram o público-alvo, o que corresponde a 1.687.524 de pessoas – incluindo a população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com morbidades que, também, compõem o grupo prioritário estabelecido pelo Ministério da Saúde.

A chefe do Departamento de Doenças Imunopreveníveis da SES, Helena Almeida, pondera que a quantidade de pessoas vacinadas atualmente é significativamente maior do que a apresentada pelo balanço parcial. Também é aguardada a inclusão dos dados referente a cobertura vacinal de pessoas com doenças crônicas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

“Temos registrados até o momento 100.490 pessoas dos grupos prioritários imunizadas. Está havendo imunização de todos os grupos, inclusive das pessoas privadas de liberdade e funcionários dos presídios e dos doentes crônicos”, afirmou Helena Almeida.

A Campanha de Vacinação contra a Influenza teve início no Maranhão no dia 23 de abril e prossegue até 1º de junho, com o cumprimento do cronograma para a imunização dos grupos prioritários. O Dia D da campanha, no qual podem ser imunizados os integrantes de todos os grupos prioritários, será em 12 de maio. O balanço parcial da vacinação inclui dados sobre crianças, idosos, gestantes, mulheres pós-partos, profissionais da saúde, professores e população indígena.

Com a realização da vacinação, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) visa reduzir as complicações e mortes decorrentes das infecções pelo vírus da influenza na população alvo para a vacinação. A vacina que está sendo aplicada na campanha é a trivalente, que protege contra os vírus da influenza A (H1N1), A (H3N2) e B.

Governo inicia vacinação contra gripe no Maranhão

O Governo do Estado iniciou, nesta segunda-feira (23), a vacinação contra gripe. A meta no Maranhão é imunizar 1.687.524 pessoas. A imunização segue até o dia 26 de maio e as doses contra os vírus H1N1, H3N2 e Influenza B estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde, de segunda a sexta-feira.

No Centro de Saúde Genésio Rego, a aposentada Lucimar Martins Viana, de 66 anos, fez questão de procurar o serviço de saúde no primeiro dia de vacinação contra gripe. “Acho importante ter esse cuidado com a minha saúde. Idoso pega gripe fácil e graças a Deus desde que comecei a tomar a vacina não tive gripe forte”, relata.

Denise Maranhão Ferreira também não quis esperar e antes das 9h levou seu filho Yan Victor, de 9 meses, para receber a imunização. “A preocupação com a saúde dele está acima de tudo e essa é uma oportunidade que os pais não podem perder. É muito importante a vacinação, por isso trouxe ele o quanto antes”, afirma.

Segundo a chefe do Departamento de Imunização da SES, Helena Almeida, cada município definirá a estratégia da vacinação, mas a meta da Secretaria de Estado da Saúde (SES) é vacinar pelo menos 90% dos maranhenses que integram o público-alvo, o que corresponde a 1.687.524 pessoas.

“Estamos abastecidos com vacinas contra gripe e de todas as outras do calendário vacinal estabelecido pelo Programa Nacional de Imunização. Durante este período, todas elas continuarão sendo oferecidas, não somente as contra a Influenza H1N1/H3N2. Já no Dia D vacinaremos somente contra a gripe”, informa. O Dia D da campanha será em 12 de maio.

Além de idosos a partir de 60 anos, fazem parte dos 9 grupos prioritários atendidos na campanha de vacinação as crianças de 6 meses até 4 anos 11 meses e 29 dias; pessoas com doenças crônicas como: diabetes, hipertensão, câncer, asma, bronquite e doenças degenerativas do sistema nervoso central; gestantes, independente do mês gestacional; mulheres em pós-parto, até 45 dias após o nascimento do bebê; profissionais de saúde da rede pública ou privada; povos indígenas; população privada de liberdade; e servidores do sistema prisional.

A vacinação inclui também os professores ativos de escolas públicas e privadas (ensino infantil, fundamental, médio e ensino superior). As pessoas portadoras de doenças crônicas (de 5 a 59 anos) e condições especiais devem apresentar prescrição médica/receita de uso contínuo.

Precauções

Em doenças agudas febris, sejam moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Em caso de ocorrência de síndrome de Guillain-Barré (SGB) no período de até seis semanas após uma dose anterior, recomenda-se realizar avaliação médica criteriosa sobre os benefícios e risco da vacina antes da administração de uma nova dose.

Contraindicações

A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores bem como a qualquer componente da vacina ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. Reações anafiláticas graves a doses anteriores também contraindicam doses subsequentes.