São Luís está entre as 5 capitais com melhor nota das escolas estaduais no Brasil

A cidade de São Luís conseguiu a quinta melhor nota entre todas as capitais do Brasil na avaliação do ensino da rede estadual. Ou seja, é capital que oferece o quinto melhor ensino de todo o Brasil nas escolas mantidas pelos governos estaduais.

A avaliação é do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), feita pelo Ministério da Educação. São Luís ficou com nota 3,8, acima de capitais como São Paulo, Curitiba, Brasília, Rio de Janeiro e Florianópolis.

O Ideb já havia mostrado que toda a rede estadual do Maranhão tinha melhorado significativamente durante a gestão de Flávio Dino. O Ideb do Maranhão subiu 21% neste governo, revertendo a queda verificada na gestão passada.

No ranking nacional do Ensino Médio, o Maranhão passou do 22º para o 13º lugar.

Os resultados refletem os esforços feitos pelo programa Escola Digna desde 2015. Já foram entregues mais de 800 escolas construídas ou reformadas no Estado. Os professores têm sido valorizados com promoções e capacitações. O Maranhão paga hoje o maior salário para professores de 40 horas na rede estadual.

ARTIGO | O maior IDEB da história

O ensino médio da rede estadual do Maranhão teve, no nosso governo, a maior nota de sua história. O recorde foi divulgado esta semana com o resultado do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), medido pelo Ministério da Educação. É a confirmação técnica de que a educação do Maranhão realmente está melhorando.

Essa nota do IDEB é formada por vários itens e em todos tivemos melhoras significativas. Uma das áreas de maior destaque foi a permanência dos estudantes na rede de ensino. A evasão escolar chegou a seu menor nível na história do Maranhão.

Esse dado comprova que a melhora da estrutura física das escolas, uma das frentes do programa Escola Digna, tem impacto direto na qualificação do ensino. Em um ambiente saudável, limpo e adequado, os alunos se sentem mais estimulados a estudar.

O fato de pagarmos, em dia, o maior salário do Brasil também é um estímulo ao ensino. Um professor valorizado sente-se muito mais respeitado no exercício da sua nobre função.

Um dos componentes de maior peso na nota final do IDEB é o Saeb, sistema de avaliação do nível de conhecimento dos alunos por meio de provas de português e matemática. Nessas duas áreas, os alunos maranhenses do ensino médio tiveram a melhor nota da história.

No total, foi o maior crescimento que já tivemos, mais de 20% em relação ao IDEB deixado pela gestão anterior. Subimos da 21ª para a 13ª posição do país, ao lado de unidades federadas como Rio Grande do Sul e Distrito Federal, conhecidos nacionalmente por sua rede pública de qualidade. No Nordeste, ficamos em 3º lugar, atrás apenas de Ceará e Pernambuco – que foram justamente os dois estados que visitei assim que eleito para conhecer os sistemas exemplares de ensino médio.

Todos esses resultados são a prova da efetividade de uma política pública completa para a área que é o programa Escola Digna. Por meio dele, temos atuado tanto na qualificação do ambiente escolar, com a inauguração, reforma ou reconstrução de mais de 800 escolas, bem como a progressão de carreira e a gratificação por títulos de mais de 26 mil servidores da Educação. E a oferta de formação para mais de 50 mil professores, sendo muitos das redes municipais, o que comprova nossa preocupação não só com nossa própria rede, mas com todas as escolas públicas do Maranhão.

E esse é o nosso próximo desafio. Além de melhorarmos ainda mais o IDEB da rede estadual, vamos criar o Pacto Estadual pela Aprendizagem, em que a Secretaria estadual de Educação irá coordenar um trabalho junto às secretarias municipais para qualificar o ensino em todos os municípios. Depois de ajudarmos a construir escolas e qualificar professores, vamos trabalhar ainda mais para melhorar a qualidade do ensino em todas as redes.

É possível ver que, com seriedade, tratando a educação como prioridade, é possível mudar o nosso estado. Mesmo em tão pouco tempo e em meio à maior crise da história de nosso país.

Fico feliz que estejamos nos livrando das amarras dos que tentaram prender o destino do Maranhão aos seus interesses, acorrentando o estado nas últimas posições de todos os rankings. Muito ainda há por fazer, mas o caminho correto já começou.

Advogado, 50 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.

OPINIÃO | Conquista histórica

O resultado alcançado Maranhão no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgado pelo Ministério da Educação (MEC), é uma conquista histórica para todos nós maranhenses.

Fazendo uma analogia futebolística é como se o Maranhão deixasse a zona de rebaixamento para integrar o grupo dos melhores da competição nacional. Um feito inédito e fantástico!

Até 2014, nosso estado ocupava a 21ª colocação no ranking dos estados. Era, portanto, um dos piores desempenhos. Agora, estamos entre os 13 estados mais bem colocados nacionalmente. São oito posições conquistadas em menos de quatro anos. A nota do Maranhão no IDEB cresceu extraordinariamente de 2,8 para 3,4. Mais de 21,4%.

Nunca antes na história do Maranhão, o IDEB cresceu duas vezes no mesmo governo.

No Ranking regional, o resultado é ainda mais notável. O Maranhão está entre os três estados com o melhor IDEB. Era o quinto. É quase a conquista de uma Copa do Nordeste da Educação. Foi o maior crescimento registrado, acima da média do Nordeste. O Maranhão teve ainda a maior taxa de aprovação e menor taxa de abandono escolar, além de menor taxa de reprovação.

Os excepcionais resultados conquistados pela educação do Maranhão são fruto de política séria e eficaz implantada pelo governador Flávio Dino, que prioriza o ser humano e o conhecimento como vetores do desenvolvimento do Estado. Políticas públicas executadas com muita competência pelos profissionais da educação, liderados pelo jovem Felipe Camarão.

São programas e ações que tem transformado a rede estadual de ensino. Algo inimaginável até o início da década passado, quando apenas 58 dos 217 municípios tinham escolas de Ensino Médio.

A política de negação do direito fundamental à educação adotado pelos poderosos de outrora foi revertida. Prova disto é o investimento atualmente realizado nesta área. Mais da metade das escolas da rede estadual agora oferecem condições dignas para professores a alunos. Foram construídas, reformadas ou reconstruídas. Professores valorizados e capacitados, que percebem a maior remuneração da categoria entre os 27 estados brasileiros. Alunos motivados com a instituição do protagonismo juvenil e a democracia estabelecida nas escolas com eleições diretas para gestores. Pais e profissionais dando as mãos pela educação de qualidade.

A construção da rede de Institutos de Educação Ciência e Tecnologia (Iemas) e escolas do programa Mais Educação, que ofertam ensino em tempo integral. Em toda a história o Maranhão jamais houve esta modalidade de ensino na rede pública. Agora, são mais de quatro dezenas de escolas de tempo integral.

O resultado do IDEB demonstra como investimentos na educação são essenciais para o desenvolvimento, com mudança de verdade e duradoura na vida das pessoas.

É também a constatação prática de que a negação de conhecimento à população está entre as causas principais da pobreza do Maranhão. Felizmente, este tempo está ficando para trás.

Vivemos o melhor momento da educação na história do Estado. Uma honra para o Maranhão. Exemplo para o Brasil.

Radialista, jornalista, Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.

“É um salto extraordinário”, diz Flávio Dino à TV Brasil sobre o maior Ideb da história do Maranhão

O governador e candidato à reeleição Flávio Dino afirmou nesta terça-feira (3) que o desempenho do Maranhão no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) do Ensino Médio foi um “salto extraordinário” dado pelo Estado. Flávio foi entrevistado na TV Brasil.

O Ideb é a nota que as escolas recebem após avaliação feita pelo Ministério da Educação. O índice é medido a cada dois anos. Em 2015, no primeiro ano do Governo Flávio Dino, o Ideb tinha subido de 2,8 para 3,1, revertendo a queda verificada na gestão anterior.

Em 2017, a nota voltou a subir, chegando a 3,4. É a maior marca da história do Estado.

“Se você pegar os dados, vai ver um salto extraordinário da rede estadual do Maranhão. Nós pegamos com nota 2,8 e agora conseguimos 3,4. É a terceira melhor nota do Nordeste, atrás apenas de Ceará e Pernambuco, que investem há 20 anos em Educação. Temos a 13ª maior do país”, disse Flávio.

“Estou muito feliz e quero compartilhar com nossos colegas educadores. Mostramos que é possível fazer, motivar os estudantes, colocar de novos os professores motivados e acreditando na profissão; temos o maior salário do Brasil. Então estamos felizes e vamos continuar crescendo no Ideb”, acrescentou.

Nota das escolas do Maranhão sobe 21% e atinge maior nível da história

O Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) do Ensino Médio da rede pública maranhense subiu de 2,8 para 3,4 entre 2013 e 2017, de acordo com dados oficiais divulgados nesta segunda-feira (3). O aumento foi de 21% nesse período. É a maior nota da história no Maranhão.

O Ideb representa a nota que o ensino de cada Estado recebe. O responsável pelos dados é o Ministério da Educação. O índice é medido a cada dois anos.

Em 2015, no primeiro ano de Governo de Flávio, o Ideb tinha aumentado de 2,8 para 3,1, revertendo a queda registrada no governo anterior.

Ou seja, a nota do Ensino Médio público do Maranhão aumentou nas duas avaliações feitas desde que Flávio Dino assumiu o governo. É a única vez em que esse índice subiu duas vezes seguidas no Estado.

O Governo do Estado é responsável por 97% das matrículas no Ensino Médio.

Escola Digna

O Ideb do Maranhão subiu em 2015 e 2017 porque Flávio Dino adotou uma série de mudanças profundas logo que tomou posse. O carro-chefe das transformações foi o Escola Digna, que já construiu e reformou mais de 800 colégios no Maranhão.

O programa também valorizou os professores, com treinamentos e salários. O Maranhão paga o maior salário para professores em início de carreira com licenciatura plena e jornada de 40 horas semanais. São R$ 5.750,83. Nenhum Estado em todo o Brasil tem uma remuneração como essa.

Comitê do Mais Ideb faz avaliação positiva dos primeiros meses

Divulgação/Secap/KG

Além do maior programa de reestruturação física das escolas da história do Maranhão – o Escola Digna – o Governo do Estado investe no eixo ensino por meio do Plano Mais Ideb, com ações estratégicas para elevar os índices educacionais do estado. Nesta quinta-feira (08), o comitê central e executivo do projeto esteve reunido com o governador Flávio Dino, no Palácio dos Leões, para avaliar os primeiros meses de atuação e projetar a sequência das atividades.

Instituído em março de 2017, o Mais Ideb é o plano de ações estratégicas que visa a qualidade educacional maranhense expresso na elevação dos indicadores. O programa tem como eixos principais a formação de professores, o acompanhamento pedagógico do rendimento/fluxo escolar e a elevação da aprendizagem do estudante.

De acordo com o governador, o Mais Ideb é um esforço concentrado de toda a rede estadual, liderado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), mas com multiplicadores e coordenadores em todas as unidades regionais e nas escolas. “Para que nós possamos conjugar ações de formação, preparação, simulados, revisão de métodos para garantir que, progressivamente, a gente consiga a nota que mensure adequadamente a qualidade da educação no Maranhão”, destacou.

Flávio Dino ressaltou também que “nós recebemos o estado com uma nota muito baixa, conseguimos elevá-la em 10%, e agora estamos em um outro ciclo de mensuração do Ideb” e esse esforço, para o aprimorando do trabalho tem como foco conseguir um índice que retrate uma educação melhor para os maranhenses, para os filhos dos maranhenses, todos aqueles que moram no estado. “Me reuni com esse Comitê que coordena as ações e estou muito otimista, com muita crença que nós vamos conseguir um desempenho ainda melhor”, realçou o governador.

Os índices do Ideb são aferidos de dois em dois anos e, no Maranhão, apresentaram estagnação na nota 3,0 de 2009 para 2011 e queda para 2,8 de 2011 para 2013. O número voltou a subir no primeiro ano da gestão Flávio Dino (de 2,8 para 3,1 de 2013 para 2015) e as metas do Governo do Estado, com as ações estratégicas, são que ele continue subindo, em ritmo cada vez mais acelerado, até 2021.

Para isso, o Plano Mais Ideb realizou, nos seus primeiros meses de atuação, a formação de 5.800 professores de português e matemática em três etapas: formação de multiplicadores, multiplicação na escola e certificação. Foi executado também – por meio do Mais Gestão – a formação continuada de gestores, que atendeu 20 tutores e 395 gestores escolares.

“Com essas ações coordenadas a equipe da Seduc está desenvolvendo ações em todo o estado do Maranhão de qualificação, de formação dos professores, envolvendo os estudantes, realizando simulados, e ações nos 217 municípios para que no próximo ano o nosso índice no Ideb seja qualificado, incrementado e a gente possa alcançar patamares melhores”, enfatizou o secretário de Educação, Felipe Camarão.

No eixo do acompanhamento pedagógico, o Mais Ideb realizou encontro com articuladores para alinhamento, organização e avaliação das ações, além da definição de estratégias para controle da frequência escolar dos estudantes e supervisão das escolas com alto nível de abandono escolar.

A coordenadora do Comitê Executivo do Mais Ideb, Silvana Machado, disse que o diagnóstico dos primeiros meses de trabalho é bastante positivo e pode ser percebido pelo feedback dos professores nas redes sociais e na avaliação que eles fizeram, “inclusive pediram que tivesse outro momento e nós já estamos planejando. Iniciativa assim para todos os professores, desta forma, nunca tinha acontecido na história do Maranhão”.

Elevação da aprendizagem

No âmbito das ações de elevação da proficiência dos alunos, o Mais Ideb realizou o ‘Dia D’ de mobilização das escolas para a inscrição dos estudantes concludentes da 3ª série do Ensino Médio no Enem. A iniciativa garantiu grande número de inscrições registrado por discentes da rede pública estadual maranhense no exame.

Outra ação voltada para a elevação da proficiência é a realização de simulados com o objetivo de diagnosticar as aprendizagens e habilidades apresentadas em formas de descritores por meio da Matriz de Referência da Avaliação Nacional do Rendimento Escolar. Serão elaborados boletins de desempenho por escolas e, como forma de estímulo, as unidades que alcançarem a meta estipulada pelo Governo do Estado serão premiadas.

“Realizaremos na próxima terça-feira, dia 13 de junho, o simulado para todos os estudantes do 3º ano do ensino médio e, em seguida, mais dois para todos os estudantes. Serão simulados que irão ajudar tanto para o Ideb, evidentemente, mas também para treinar os alunos para o Enem”, explicou Felipe Camarão.

Segundo Silvana Machado, a partir desses simulados “vamos saber o que o aluno sabe ou não sabe dentro das capacidades que nós estamos avaliando”, e a Seduc irá retornar para a escola com o boletim “especificando o que o aluno precisa reforçar para que haja o direcionamento do acompanhamento da aprendizagem”.

A coordenadora afirmou que nesses três primeiros meses o Mais Ideb trabalhou na estruturação, formatação do plano e com a formação dos professores. “Dia 13 vai ser a primeira avaliação do estudante. Aí vamos ter uma prévia para que em agosto, após as férias, iniciemos todo um trabalho em cima do resultado desse primeiro simulado, desse diagnóstico mais específico”, completou a coordenadora.

 

Da Secap