Ação voltada para idosos e encerramento do Festival de Folclore movimentam Feirinha São Luís

A Feirinha São Luís deste domingo (30), foi palco para a culminância da II Caminhada de Valorização da Pessoa Idosa, que ocorreu em comemoração à Semana do Idoso e também em alusão ao Dia do Idoso, comemorado em 1º de outubro. O local também foi o escolhido para o encerramento do Festival Internacional de Folclore e Turismo do Maranhão que reuniu cerca de 200 bailarinos de delegações de países como do Chile, Geórgia, Colômbia, e também do estado do Pará. A Feirinha São Luís, uma iniciativa da Prefeitura na gestão do prefeito Edivaldo, tem como um de seus principais objetivos promover o escoamento dos produtos da agricultura familiar e proporcionar opção de lazer e cultura aos domingos no Centro Histórico com uma variedade de atrações culturais, gastronomia, literatura, turismo, artesanato e artes plásticas.

A II Caminhada de Valorização da Pessoa Idosa foi realizada pela Prefeitura de São Luís e teve concentração na Praça Dom Pedro II, culminando na Praça Benedito Leite, com aulão de zumba. A ação encerrou uma semana de atividades voltadas para este segmento da população e teve o objetivo de promover a interação social e reforçar a importância dos idosos na sociedade, bem como sensibilizar as pessoas para as questões do envelhecimento e a necessidade de proteger e cuidar desta população, para que tenham melhores condições e qualidade de vida.

“A gestão do prefeito Edivaldo tem diversos serviços assistenciais destinados exclusivamente à terceira idade, mas a saúde envolve também valorização da autoestima e promoção do bem-estar e qualidade de vida; por isso, realizamos a caminhada e estamos sempre oferecendo ações para a integração da pessoa idosa”, disse Lula Fylho, secretário Municipal de Saúde.

A caminhada, contou com a participação dos idosos do Centro de Atenção Integral à Saúde do Idoso (CAISI). Ações de saúde, lazer, cultura, dança, entre outras atividades voltadas à promoção do envelhecimento saudável são desenvolvidas pela gestão do prefeito Edivaldo dentro das políticas públicas implementadas pela Prefeitura de São Luís para este segmento da população da capital.

“Essa caminhada vem reforçar a política de valorização da pessoa idosa e se soma aos esforços da gestão municipal no atendimento às demandas deste público. Foi um momento para sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e a necessidade de proteger e cuidar da população mais idosa”, pontuou o coordenador do Caisi, Paulo França.

Francisca Cantanhede Vera Cruz, de 74 anos, participou da caminhada e do aulão de zumba. “Quando estou no Caisi eu estou me divertindo, cuidando da minha saúde, movimentando o corpo e a mente. O importante é não deixar a peteca cair, faço ainda parte de bloco tradicional de Carnaval, grupo da igreja, e ainda sobra energia”, garantiu dona Francisca, uma das mais animadas da caminhada.

O Centro de Atenção Integral ao Idoso (Caisi) é uma das políticas públicas desenvolvidas pela Prefeitura de São Luís na gestão do prefeito Edivaldo em atenção à saúde e ao bem-estar desse público. A instituição, que é coordenada por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), realiza uma média de 13 mil atendimentos por mês, individualmente e em grupos, estimulando a prática de atividades sociais, esportivas, culturais, artes manuais, terapia ocupacional, alongamento, entre outros. O espaço oferece ainda assistência nas áreas de geriatria e gerontologia, educação física, psicologia, enfermagem, fonoaudiologia, terapia familiar, assistência social, atividades culturais e artísticas, com aulas de canto e dança, entre outras ações.

A professora de educação física do Caisi, Keila Gomes de Araújo explica que a elaboração das atividades para os idosos preza pelo bem-estar e saúde dos alunos. “São exercícios com uma intensidade bem moderada, e a gente mistura o que está dentro das possibilidades com hidroginástica e dança. O retorno desse trabalho é muito amor e carinho deles. É gratificante trabalhar com a terceira idade, eu aprendo todo dia um pouco mais”, destacou Keila.

FESTIVAL

Em sua 65ª edição, a Feirinha São Luís celebrou ainda o encerramento do Festival Internacional de Folclore e Turismo do Maranhão, que reuniu, desde o dia 25 de setembro na capital, cerca de 200 bailarinos – entre eles, as delegações do Chile, Geórgia, Colômbia, e do vizinho estado do Pará.

O Festival é promovido pela World Association of Performing Arts e Council Internacional Dance, órgãos ligados à Unesco e presentes em mais de 122 países. “Recebemos pela segunda vez consecutiva na Feirinha São Luís o Festival Internacional de Folclore e Turismo do Maranhão com grande satisfação, reunindo diferentes culturas em um só espaço, promovendo para o nosso público esse intercâmbio cultural, por determinação do prefeito Edivaldo”, destacou o secretário municipal de Articulação Política e coordenador da Feirinha São Luís, Ivaldo Rodrigues.

Animaram ainda o público presente na Feirinha São Luís as atrações Marabloco, Jorge Thadeu e banda, com participação especial do ator César Boaes, Thony Netto e Banda, Capoeira Campo de Mandinga e a anfitriã Banda da Feirinha.

Prefeitura convoca idosos e pessoas com deficiência para inscrição e atualização no CadÚnico

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), convoca os idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência, que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), para realizarem a inscrição ou atualização cadastral no Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal (CadÚnico). Os beneficiários têm até 31 de dezembro para procurar os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) da capital.

Segundo a secretária adjunta de Gestão da Semcas, Nazareth Garcez, desde o ano passado tem sido solicitado aos idosos que façam sua inscrição no CadÚnico. Agora, além dos idosos, as pessoas com deficiência também precisam fazer o cadastro. “É fundamental que as pessoas entendam que elas precisam se cadastrar ou fazer a atualização para que consigam continuar recebendo regularmente o benefício. Esse processo é uma determinação do Ministério do Desenvolvimento Social, então é obrigatório”, alertou Nazareth Garcez.

Para a realização desse processo de cadastramento, os idosos e portadores de deficiência precisam procurar um dos 20 Centros de Referência de Assistência Social (Cras) do município para evitar a perda do benefício.

Segundo o idoso Domingos Bogéa, 65 anos, que realizou sua inscrição no CadÚnico no Cras do bairro Bequimão, o BPC mudou sua vida porque o mesmo veio do interior para a capital maranhense, mora em casa alugada e não tinha uma renda fixa até conseguir receber o benefício. “Mudou a minha vida para melhor, porque já é uma ajuda para pagar as contas”, disse o beneficiário.

DOCUMENTOS

Para realizar o cadastro, os idosos e as pessoas com deficiência precisam estar munidos de RG, CPF, título eleitoral, carteira de trabalho e comprovante de residência atualizado, caso seja maior de 18 anos; certidão de nascimento ou RG e CPF, declaração escolar atualizada (a partir de 6 anos), carteira de vacinação (0 a 6 anos) e termo de guarda ou responsabilidade, para o caso de netos, sobrinhos e outros, para se inscrever no CadÚnico e garantir a continuidade do benefício.

O Benefício da Prestação Continuada (BPC), é a garantia de um salário mínimo mensal ao idoso com 65 anos ou mais ou à pessoa com deficiência de qualquer idade com impedimentos de natureza física, mental, intelectual ou sensorial de longo prazo, que o impossibilite de participar de forma plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas. Um dos requisitos para que o benefício seja recebido é a inscrição no Cadastro Único e o não cadastramento implica na perda do benefício.

MPF propõe ação em favor de pessoas com deficiência e idosos

O Ministério Público Federal (MPF) no Maranhão ajuizou na última quinta-feira (16), uma Ação Civil Pública (ACP), com pedido de tutela antecipada, contra a empresa Auto Viação Progresso e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que sejam assegurados no transporte rodoviário interestadual: a efetividade do passe livre a pessoas com deficiência, e o direito dos idosos à gratuidade (dentro do número pré-determinado de vagas) e ao desconto no valor das passagens para os idosos que excederem as vagas gratuitas.

O MPF recebeu diversas representações contra a empresa Auto Viação Progresso, as quais deram origem a Inquéritos Civis e a diligências externas, que apuraram tal conduta. O Relatório de Diligência Externa nº 01/2018 constatou que a situação irregular se agrava tendo em conta as exigências abusivas da empresa, como: o atendimento aos beneficiários é feito apenas aos sábados, a passagem precisa ser reservada com 45 dias de antecedência e as rotas possuem apenas uma viagem semanal em ônibus convencional (única categoria que abriga o benefício).

O direito das pessoas com deficiência, idosos e jovens de baixa renda à gratuidade ou ao desconto no transporte coletivo interestadual de passageiros está previsto na Lei 8.899/1994, que instituiu o Passe Livre. Está previsto também na Lei 10.741/2003, que instituiu o Estatuto do Idoso.

Além disso, a Resolução ANTT 4.282/2014 define que “a venda dos bilhetes de passagem devem iniciar-se com antecedência mínima de trinta dias úteis”, ou seja, exigências que excedam o prazo de três horas antes da viagem ou que limitem a aquisição de passe livre ao agendamento apenas uma vez por semana devem ser rechaçadas para garantia do direito de beneficiários deficientes e idosos.

Dessa forma, o MPF requer que a empresa Auto Viação Progresso disponibilize, em cada uma de suas linhas que passe pelo Maranhão, passe livre a pessoas com deficiência e pessoas idosas, nos termos da legislação pertinente, no mínimo três vezes por semana, em ônibus convencionais e outras modalidades, como leitos, semi-leitos e executivos. A empresa deve, ainda, instituir um sistema informatizado para o fim, e emitir declaração ou documento correspondente, em favor de qualquer requerente, sempre que lhe for negado o passe livre, especificando o motivo, a data da viagem e a linha de transporte. O agendamento deve ser feito durante todo o período de funcionamento dos guichês de atendimento, mediante disponibilidade de assentos.

O MPF requer, também, que a ANTT não permita que a Auto Viação Progresso mantenha uma quantidade reduzida de ônibus convencionais que passem pelo Maranhão sem que, como medida compensatória, assegure o direito do passe livre a pessoas com deficiência e idosos em outras modalidades, como leitos, semi-leitos e executivos. A ANTT deve, ainda, fiscalizar o período de agendamento e a concessão do passe livre.

Mantida pena de condenado que agrediu idosos e causou morte de um deles

Os desembargadores das Câmaras Criminais Reunidas do Tribunal de Justiça do Maranhão julgaram improcedente o pedido de revisão criminal ajuizado por Edílson Machado e mantiveram a pena fixada pelos crimes de homicídio consumado contra um idoso de 91 anos e de tentativa contra a esposa dele, de 88 anos, à época dos fatos. O condenado usou um pedaço de madeira para desferir vários golpes no casal, em março de 2011, no município de Vargem Grande.

Machado propôs a revisão criminal com o objetivo de desfazer o acórdão da 1ª Câmara Criminal do TJMA, em apelação relatada pelo desembargador Bayma Araújo. O condenado pediu o redimensionamento das penas.

Na decisão anterior, o relator foi desfavorável ao pedido feito na apelação e condenou Machado à pena de 18 anos e 8 meses de reclusão, por homicídio qualificado por motivo torpe, emprego de meio cruel e recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima; e de 12 anos, 5 meses e 10 dias, por tentativa de homicídio contra a idosa, com as mesmas características do crime que resultou na morte do marido dela. A soma das penas totalizou 31 anos, 1 mês e 10 dias de reclusão, em regime inicialmente fechado.

Em sua petição inicial, o requerente reagiu à dosimetria das penas aplicadas. Sustentou que, na fixação das penas-bases, não há motivação idônea para justificar como desfavoráveis a culpabilidade, a personalidade, as circunstâncias e consequências do crime.

O desembargador Vicente de Castro (relator da revisão) disse que, ao fixar a sanção imposta pelo conselho de sentença, o Juízo de 1º Grau estabeleceu as penas-bases acima do mínimo legal por ter valorado negativamente quatro das oito circunstâncias previstas no artigo 59 do Código Penal: culpabilidade, personalidade, circunstâncias e consequências dos crimes.

De acordo com o relator, segundo jurisprudências do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), é plenamente possível, quando presente mais de uma qualificadora, a utilização de uma delas como circunstância judicial desfavorável. Nesse caso, portanto, cabível uma para qualificar as condutas, enquanto as demais como circunstâncias judiciais negativas, suficientes para legitimar o aumento da pena-base de ambos os crimes.

Vicente de Castro observou, nos autos, que o requerente tinha uma relação de confiança com as vítimas e valeu-se de tal relacionamento para praticar as condutas dentro da própria residência delas. Frisou que a magistrada de base entendeu que o condenado possui personalidade deformada, cruel, perversa e dissimulada, o que justifica a valoração negativa na sentença em relação à personalidade.

O desembargador manteve também a decisão na parte que reconheceu como desfavoráveis as circunstâncias do crime. Já em relação às consequências, entendeu que, ainda que seja reconhecido o desacerto da decisão de 1º grau quanto à consideração como desfavoráveis, não há razão para acolher-se a pretensão da revisão, reduzindo as penas-bases, na medida em que o fixado foi benéfico para o requerente.

O relator acrescentou que, em relação ao crime de homicídio qualificado na forma tentada, o fato de a juíza não ter declinado os motivos para fixar o quantum mínimo da pena pela tentativa não traz como consequência imediata a fixação da fração de redução no seu grau máximo, como pretendia o requerente.

O magistrado destacou que o condenado não demonstrou que os atos por ele praticados não se aproximaram da consumação do homicídio, o que justifica a aplicação da fração de um terço pela juíza de base.

Vicente de Castro julgou improcedente o pedido de revisão, por considerar que não há que se falar em ausência de elementos a lastrear a condenação penal, tampouco em julgamento contrário à evidência dos autos. Os demais membros do órgão colegiado acompanharam o voto.

Mais de dois mil adultos e idosos são alfabetizados em Aldeias Altas pelo “Sim, Eu Posso!”

Letras que se juntam e formam palavras. O ato de ler e escrever se tornou uma das maiores vitórias para 2.365 jovens, adultos e idosos do município de Aldeias Altas, que se formaram, no sábado (1°), na segunda etapa da Jornada Alfabetizadora “Sim, Eu Posso!”.

A jornada é realizada pela parceria do Governo do Estado com o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e está presente em 15 municípios maranhenses, com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).

A primeira fase do projeto alfabetizou 2.197 pessoas, reduzindo, assim, 92,5% o número de analfabetos no município de Aldeias Altas. “Hoje essa festa além de ser uma comemoração para os alunos, é uma comemoração para a cidade. Aldeias Altas abraçou o ‘Sim, Eu Posso!’; abraçou o Governo do Estado e os resultados foram muitos bons”, comemorou a coordenadora municipal da Jornada Alfabetizadora, Gabriela Melo.

O clima de alegria tomou conta da cidade, as ruas foram tomadas por alunos, familiares e amigos dos formandos.

A professora Lucinda Ribeiro, comemorava duplamente a alfabetização dos pais Manoel Ribeiro da Rocha e Maria das Graças Ribeiro da Rocha, como filha e também como professora. “A experiência do Sim, Eu Posso! tem sido muito boa, porque além de dar aula, ter a experiência de trabalhar com os familiares da gente é ótimo. Porque além da gente ensinar, a gente aprende tantas coisas com as histórias e vida deles. Foi muito emocionante! Os meus pais não tiveram a oportunidade de estudar no tempo certo, e hoje eles sabem ler, escrever e até recitar poema”, comemorou Lucinda Ribeiro.

“Eu sinto muito prazer e alegria de estar aqui. Minha mulher aprendeu a ler comigo e a minha filha foi a nossa professora. Eu não tive a oportunidade de estudar e ‘botei’ ela. A primeira coisa que eu escrevi foi sim, eu posso. Eu estou muito feliz”, afirmou Manoel Ribeiro de 76 anos.

Para Dona Graciliana da Vitória, de 89 anos, ler e escrever o próprio nome é uma das maiores vitórias da sua vida. “Eu tive 14 filhos e não tive como estudar. Fui criando os filhos, netos, bisnetos e até os meus tataranetos. Antes não tinha esse ‘movimento’ pra fazer a gente estudar. Eu adoro a minha professora como se ela fosse a minha filha, porque ela tem paciência comigo. Coloca o meu nome para eu cobrir, me ensina direitinho”, diz emocionada a Dona Graciliana.

Estiveram presentes à solenidade o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão; o secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves; o prefeito de Aldeias Altas, Zé Reis, e os deputados federais Weverton Rocha e Zé Carlos.

“Hoje nós só temos que agradecer, a história do analfabetismo em Aldeias Altas está perto do fim. Essa noite é uma noite de conquista, mais de 2 mil pessoas que hoje sabem ler e escrever. Eu agradeço e parabenizo a todos que fizeram esse grande trabalho”, diz o prefeito Zé Reis.

“Essa é uma das mais belas noites de 2018. Um dos princípios dos direitos universais dos direitos humanos é o acesso à educação, só assim nós podemos mudar a triste realidade do povo do Maranhão. O hino do Estado do Maranhão fala de forma muito clara  ‘a liberdade é o sol que nos dá vida’, por isso Sim, Eu Posso!” afirmou o secretário de Direitos Humanos e participação Popular, Francisco Gonçalves.

“O governador Flávio Dino já disse que nós vamos fazer uma intervenção. Só que será uma intervenção constitucional educacional. É a melhor intervenção que existe: construindo, reformando escolas e alfabetizando as pessoas. Hoje estamos em festa. Viva a revolução! Viva Aldeias Altas! Viva o Maranhão!”, finalizou Felipe Camarão.

Mais de 200 idosos são imunizados no primeiro dia de vacinação no Centro Social do Servidor

Foram vacinados 204 servidores estaduais aposentados nesta terça-feira (22) no Centro Social dos Servidores do Estado do Maranhão. Até esta sexta-feira (25) o espaço funcionará como um posto de imunização contra a gripe – resultado de uma parceria entre o Governo do Estado, por meio do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado do Maranhão (Iprev) e a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus).

A vacinação para os aposentados está integrada ao rol de atividades oferecidas pelo Programa de Ação Integrada para o Aposentado (PAI), vinculado à Diretoria de Previdência Pública do Iprev. A diretora de Previdência, Larissa Tocantins, destacou a importância da iniciativa. “Oferecer a imunização num espaço que já é referência para os nossos aposentados aumenta o alcance dessa ação. É uma maneira de oferecermos mais saúde para a população dessa faixa etária, potencializando o trabalho que já desenvolvemos”, pontuou a diretora.

Para a coordenadora do PAI, Arlete Pontes, a vacinação no Centro Social também estimula a adesão dos servidores aposentados à campanha. “As pessoas gostam da vacinação aqui. Já temos inclusive uma demanda nesse sentido. Outro ponto positivo é que ajuda a quebrar a resistência deles com a vacina. Os idosos que frequentam aqui já conhecem a equipe, e um aposentado fica incentivando o outro para ir tomar a vacina”, contou ela.

Saúde

A imunização é oferecida no setor de saúde do Centro Social dos Servidores (antigo Ipem) até esta sexta-feira (25). O serviço é realizado por equipes da Prefeitura de São Luís, com apoio da equipe técnica do PAI. O serviço é oferecido das 8h30 às 12h e das 14h até às 16h30.

O representante comercial Roberto Batuíra, 65, estava levando a sogra para buscar contracheques no Centro Social e, como se encaixa no público-alvo da campanha do Ministério da Saúde, aproveitou para também tomar a vacina. “Tudo que ajuda a prevenir doenças é válido. O sistema de saúde coloca à nossa disposição várias ferramentas para garantia da nossa saúde, e é importante utilizá-las”, afirmou ele.

Além de garantir a imunização contra a gripe, a aposentada Conceição Leal, 80, também ganhou a sua primeira carteira de vacinação. “Durante muito tempo da minha vida eu fiquei sem tomar vacina. Não gostava. Mas no ano passado tomei e foi ótimo porque nunca mais fiquei gripada. Agora venho todo ano e recomendo para todos. É um jeito de cuidar de si mesmo para garantir a nossa melhor idade”, afirmou ela.

Maria dos Remédios Beleza, 70, também aproveitou a oportunidade. Ela tomou a vacina e levou também a tia, Yvone Beleza, 94, para se imunizar. “É muito importante. Antes eu gripava muito fácil, mas desde que comecei com a vacina todos os anos diminuiu muito”, constatou.

Campanha

A vacinação contra a gripe é uma iniciativa do Ministério da Saúde. A imunização protege contra três tipos diferentes de vírus da gripe (H3N2, H1N1 e B) pelo período de seis meses a um ano. A campanha é voltada para pessoas a partir de 60 anos; crianças entre seis meses e cinco anos; gestantes ou mulheres até 40 dias após o parto; trabalhadores da área de saúde; professores de escolas públicas e privadas; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais; população privada de liberdade; jovens em cumprimento de medidas socioeducativas; e funcionários do sistema prisional. A vacina está disponível também em todos os postos de saúde.

MPMA propõe ACP para criação de entidade para abrigar idosos

O Ministério Público do Maranhão propôs uma Ação Civil Pública nesta segunda, 5 de fevereiro, pedindo que a Justiça obrigue o Município de Imperatriz a instalar uma entidade de longa permanência para abrigar idosos.

Na ação, o titular da 4ª Promotoria de Justiça Especializada em Defesa dos Direitos do Idoso e da Pessoa com Deficiência de Imperatriz, Joaquim Ribeiro Júnior, solicita liminarmente a instalação de uma unidade de abrigamento no prazo de até 90 dias, sob pena de multa diária de R$ 20 mil.

O promotor de justiça relata que em Imperatriz não há uma entidade pública de longa permanência para idosos que necessitam de acolhimento. Joaquim Júnior ressalta que o município tem a obrigação de cumprir os deveres constitucionais de abrigamento de pessoas maiores de 60 anos em condições de vulnerabilidade.

“A única entidade de longa permanência para idosos existente em Imperatriz possui a forma jurídica de associação, sendo denominada de Lar São Francisco. Tal unidade está superlotada, pois, atualmente, conta com 47 idosos que foram abandonados pelos familiares ou que necessitaram de acolhimento por outras razões. Por esses e outros motivos se faz necessária a criação de uma instituição de abrigamento destas pessoas”, afirma o representante do Ministério Público, Joaquim Júnior.

De MPMA

Dupla de estelionatários especialistas em golpes contra idosos é presa

Um homem e uma mulher foram presos em São Luís, na noite desta terça-feira (5), acusados de estelionato contra várias pessoas idosas. Claudiane dos Santos Silva e Berenildes Alves Lima, foram presos em flagrante na Vila Janaína.

As vítimas, cinco idosos encontrados na casa no momento da prisão, contaram à polícia que a dupla lhes prometia empréstimos com taxas de juros mais baixa que no mercado regular.

Em depoimento, as vítimas do golpe contaram que são do interior e que seus documentos e cartões de banco foram retidos por Claudiane e Berenildes.

A polícia constatou vários saques das contas bancárias das vítimas realizados nos últimos dias. Claudiane dos Santos Silva e Berenildes Alves Lima foram encaminhados ao Complexo Penitenciário São Luís, e estão à disposição da justiça.

Idosos atendidos pela Prefeitura participam de mostra de talentos

Os idosos atendidos no Centro de Atenção Integral à Saúde do Idoso (Caisi), equipamento de saúde da Prefeitura de São Luís, realizaram nesta quarta-feira (29) a terceira mostra de talentos da unidade. Com o tema “A arte é a música que embala a vida”, a mostra aconteceu na Casa do Maranhão, na Praia Grande e reuniu atrações culturais e exposição de produtos artesanais. O objetivo do evento, organizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), é mostrar para a sociedade os resultados do trabalho desenvolvido no centro ao longo do ano.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, prestigiou a mostra e reforçou a importância de ações como essas. “Os idosos têm tido uma vida cada vez mais ativa. Levando isso em consideração, a Prefeitura tem promovido ações para inserir a terceira idade na vida sociocultural da cidade. É determinação do prefeito Edivaldo que trabalhemos não apenas a assistência em saúde, mas um conjunto de atividades que integram os idosos e mostram à sociedade que há uma nova concepção do processo de envelhecimento”, destacou o gestor.

A programação da mostra contou com exposição e venda de artesanato produzido pelos idosos, apresentação musical com o coral Vozes do Tempo, do Caisi; dança da ciranda; e declamação de poesias. Do evento, participaram também convidados com apresentação de dança portuguesa e música com os Fuzileiros da Fuzarca, que fecharam a mostra de talentos.

Pela primeira vez, a mostra aconteceu fora da unidade de saúde. “O evento é fruto do trabalho realizado no centro e o crescimento da mostra demonstra o interesse e envolvimento dos idosos e dos profissionais. Esse é um projeto que, além de estimular uma atividade que pode gerar uma renda extra, melhora a autoestima deles, o que impacta positivamente na sua qualidade de vida”, ressaltou o diretor geral do Caisi, Paulo França.

A terapeuta ocupacional do Caisi, Elayne Leite, explicou que a ação reforça os objetivos das atividades desenvolvidas diariamente pelo centro. “Trabalhamos também com a autoestima desses idosos. Uma das atividades da terapia ocupacional com eles envolve trabalhos manuais, que desenvolve a criatividade e a convivência em grupo. Essa é uma ótima oportunidade para mostrarem os seus trabalhos”, contou a profissional.

Para alguns, a mostra foi a primeira oportunidade de expor seus produtos. “Participo há nove anos das atividades no Caisi. Essa é a primeira vez que venho na Mostra de Talentos e gostei muito de participar. No centro estou sempre envolvida com as atividades especialmente na área de educação física, além de contar com acompanhamento médico e, quando necessário, encaminhamento para as especialidades”, disse a pensionista Dilva Ferreira, 69 anos.

As atividades despertam nos idosos o interesse pelo aprendizado. A aposentada Isabel Cardoso, 66 anos, enfatizou que o trabalho do centro é um estímulo aos idosos. “Estou aqui para aprender e também ensinar. Trabalho com artesanato e nas oficinas pude aperfeiçoar muitas técnicas. Esse é um serviço muito importante, pois nós, idosos, precisamos estar sempre envolvidos com essas atividades que estimulam a memória e o aprendizado. Eu estava parada antes de começar a frequentar o Caisi, agora desejo me desenvolver cada vez mais”, contou.

CAISI

Atualmente, cerca de 17 mil idosos são cadastrados no Centro de Atenção Integral à Saúde do Idoso. O centro oferece serviços especializados nas áreas de geriatria, educação física, fonoaudiologia, nutrição, psicologia, terapia ocupacional, fisioterapia, serviço social. Os idosos contam, ainda, com a assistência prestada através de grupos de convivência sobre saúde do homem e estímulo à memória, além de atividades como artes manuais, pilates, coral, dança e terapia familiar.

Prefeitura estimula a prática esportiva entre idosos

Alongamento, dança e outras atividades de movimentos do corpo. Assim foi a tarde desta terça-feira (28) para idosos beneficiados pelas ações do programa São Luís Saudável, executado pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Desporto e Lazer (Semdel). O grupo, que se reúne regularmente no Parque do Bom Menino, participa de atividades como caminhadas e passeios que estimulam, além da movimentação do corpo, a integração entre os membros do grupo e a independência dos idosos.

O secretário municipal de Desporto e Lazer, Rommeo Amin, enfatiza que a execução do programa, de determinação do prefeito Edivaldo, favorece os idosos e é uma oportunidade para que tenham, de forma orientada, uma vida mais saudável. “A regularidade das atividades físicas é fundamental para a melhoria da condição de saúde desses idosos. Esse é um serviço que permite que os acompanhemos de perto, com profissionais competentes que desenvolvem as atividades de modo que elas contribuam para o bem-estar dos integrantes do grupo”, diz o secretário.

SAÚDE

O programa São Luís Saudável é voltado para os idosos e é desenvolvido em 11 núcleos que abrangem vários bairros da capital maranhense. A ação já beneficia mais de 600 idosos em toda capital e objetiva fomentar a prática esportiva entre os idosos. Além do Parque do Bom Menino, as atividades do programa são desenvolvidas em polos como Vila Nova, Cohab, Bequimão, Parque Sabiás, Divinéia, Bairro de Fátima e Cidade Operária. O programa contribui, ainda, para inserir os profissionais de educação física nos espaços públicos.

A educadora física da Semdel, Kamilla Cutrim, acompanha os idosos inseridos no programa e destaca que é perceptível o desenvolvimento de cada um deles. “Alguns idosos chegam aqui com os movimentos comprometidos, com dificuldades de andar e até usando bengalas. Ao frequentar as atividades regularmente, eles passam a se movimentar melhor e chegam até a largar as bengalas. Isso é bom não só para a saúde como também para a autoestima deles, já que eles se sentem mais confiantes e independentes”, contou.

O programa incentivou a aposentada Maria Feliciana Fernandes, 83 anos, a sair da sua zona de conforto e buscar uma vida mais saudável. Ela conta como as atividades do programa têm contribuído para o seu bem-estar. “Gosto demais de vir. Não falto um dia de atividade. Lá em casa, ninguém conta comigo nesses dias. O dia que eu faço atividades aqui eu não sinto tantas dores à noite quando vou dormir”, aponta a aposentada.

De Agência São Luís.