Iema é primeira escola pública do Maranhão associada à Unesco

Marcado por uma história de conquistas, o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) tem mais um motivo para comemorar: a inclusão no Programa de Escolas Associadas (PEA) da Unesco. A comitiva do Iema – composta pelo reitor Jhonatan Almada, o diretor de Ensino do Instituto, Elinaldo Silva, a gestora da UP Cururupu Marileide Costa, a técnica da Diren Natália Abreu e o professor da unidade plena de Coroatá Marcos Antônio Viana – recebeu na tarde desta quarta-feira (12), em Salvador, o título de Escola Associada da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O Instituto é a primeira escola pública do estado a participar do Programa de Escolas Associadas (PEA). A certificação aconteceu durante o Fórum da Unesco realizado em Salvador na Bahia, durante os dias 11 a 15 deste mês.

De acordo com o reitor do Iema, Jhonatan Almada, o evento é um momento de troca de experiências e consolidação do trabalho do Instituto em âmbito internacional. “Nosso sentimento é de alegria, gratidão e orgulho de toda a nossa equipe. A certificação é um reconhecimento desse trabalho, a projeção da escola pública do Maranhão para o mundo e a aceitação internacional a esse trabalho, por isso a sensação é de grande alegria e gratidão. Nós vamos participar também dos debates da inovação pedagógica e das práticas desenvolvidas por outras escolas, tanto do Brasil quanto do mundo”, frisou.

Segundo o diretor de Ensino, Elinaldo Silva, a conquista é fruto do trabalho que o Iema vem desenvolvendo. “Estamos muito felizes com essa vitória que é de todas as unidades plenas e vocacionais do Instituto. Tivemos nossa candidatura apresentada há dois anos, e somente agora fomos contemplados, pois é um processo bastante burocrático. Hoje estarmos como escola associada para nós é um momento de glória e de extrema alegria porque prova de que compartilhamos dos mesmos princípios que a Unesco no mundo inteiro”, destacou o diretor. “Poderemos trocar experiências como as escolas brasileiras que são associadas, bem como escolas estrangeiras. Como pioneiro, o Iema tem agora a missão de divulgar o programa e expandir essa rede no estado”, acrescentou.
O objetivo principal do Programa de Escolas Associadas é criar e interligar uma rede internacional de escolas que trabalhem pela cultura da paz. Desta forma, o PEA realiza um estímulo a projetos ligados a um tema central que é o Ano Internacional proposto pela Unesco, ou simplesmente dirigidos à ampliação da consciência de cidadania. Toda escola que se associa ao programa recebe um certificado internacional de escola membro e tem o direito de utilizar a logomarca do Programa de Escolas Associadas e, também, do Ano Internacional do ano corrente, podendo receber ainda materiais produzidos pela Unesco, além de participação em concursos e eventos de âmbito internacional.

A gestora da unidade plena de Cururupu, Marileide Costa, que também compôs a comitiva, reiterou que o evento consolida a proposta de educação do Iema. “Para o nosso Instituto é uma certificação que nos traz mais responsabilidade, do ponto de vista que é a única escola pública associada do estado. É um feito que está além do que poderíamos imaginar porque o Iema só tem três anos de criação. Esse reconhecimento nos mostra que estamos no rumo certo”, reiterou.

Atualmente, o PEA conta com cerca de 11.000 escolas associadas em 182 países ao redor do mundo. As escolas associadas ao programa trabalham na promoção de projetos em um tema central, como o Ano Internacional das Organizações das Nações Unidas (ONU).

IEMA é ampliado em Axixá, Mirinzal inaugura Maranet, e Icatu recebe Mais Asfalto

O governador Flávio Dino fez uma série de entregas nas cidades de Axixá, Icatu, Mirinzal nesta quarta-feira (4). Entre elas, está a ampliação da Unidade Plena do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) em Axixá, que oferece ensino profissionalizante aos alunos do ensino médio.

Isso significa que os alunos saem com o diploma regular e também prontos para o mercado de trabalho.

Inaugurado em 2017 o prédio de Axixá já contava com quatro salas de aula, auditório, refeitório, diretoria, sala dos professores, salas administrativas e laboratórios de informática, biologia, matemática e física. O prédio atende a estudantes não só do município de Axixá, mas também dos vizinhos: Rosário, Morros, Cachoeira Grande, Presidente Juscelino e Icatu.

Agora o prédio do IEMA de Axixá conta com mais um bloco com banheiros masculinos e femininos acessíveis, 12 novas salas de aula, equipadas com mobiliários novos, data show e escaninhos.

A Unidade Plena de Axixá tem 320 estudantes matriculados, em turno integral (manhã e tarde), em cursos profissionalizantes nas áreas de Guia de Turismo, Informática, Eletrotécnica e Serviços Jurídicos. De acordo com a gestora geral do IEMA de Axixá, Lea Cristina Paixão, com a ampliação, a expectativa é iniciar o ano de 2019 com mais de 450 estudantes.

“Nossa expectativa com essa ampliação é que tenhamos ainda mais conforto. Nossa unidade já é bastante procurada por pais e responsáveis. No início deste ano já superamos todas as expectativas de matrículas e agora estamos felizes por poder receber ainda mais estudantes, dessa forma integral e profissionalizante e integrada ao Ensino Médio, com conforto e espaços adequados e de qualidade”, disse ela.

Para o estudante da 2ª série do Ensino Médio Profissionalizante em Informática Samuel Santos, 16 anos, a unidade escolar propicia mais aprendizado e principalmente, qualificação profissional: “Eu, inclusive, já viajei para outros estados representando o Maranhão em disputas nacionais de robótica e competições e informática. Essas são oportunidade que, se não fosse o IEMA, eu não teria”.

Em Axixá, Flávio Dino também entregou uniformes para alunos da rede pública estadual.

Mirinzal

Na cidade de Mirinzal, o governador entregou um novo ponto da Maranet, deu início a novas obras do Mais Asfalto, distribuiu fardamentos para alunos da rede estadual e fez a entrega simbólica do Canal no Povoado Estiva.

O Maranet permite conexão gratuita com a internet para até 200 pessoas ao mesmo tempo. “É uma inovação muito boa”, diz a estudante Cleice Vieira.

Flávio assinou a ordem de serviço para o início de uma nova etapa das obras do Mais Asfalto com investimento de R$ 1,5 milhão; e outros R$ 500 mil serão destinado em breve. O prefeito Jadilson lembrou que o governador já havia entregado outras obras na cidade, como uma nova escola.

“E agora a gente pode ver as máquinas do Mais Asfalto trabalhando, várias ruas vão ser beneficiadas. E recebemos também a notícia de que vamos ser contemplado com mais ruas”, disse o prefeito.

Flávio Dino lembrou que a presença do Governo do Estado na cidade tem sido reforçada desde 2015, com escola, equipamentos agrícolas, ônibus escolar e outras ações. Nesta semana, foi paga a primeira parcela do pagamento da construção do novo estádio.

Icatu

Na cidade de Icatu, Flávio Dino inaugurou outro ponto do Maranet, entregou 3.310 fardamentos e vistoriou obras do Mais Asfalto.

“Vamos alcançar os 217 municípios do Maranhão com o Programa Mais Asfalto, que com certeza vai melhorar muito as condições de trânsito nesses municípios e a vida da população no dia a dia”, comentou o secretário de Estado de Infraestrutura (Sinfra), Clayton Noleto.

Pindaré-Mirim ganha nova paisagem com praças reformadas, engenho restaurado, IEMA e tecnologia

Quem mora em Pindaré-Mirim ou passa por lá já notou uma mudança radical num dos principais pontos da cidade. O entorno do Engenho Central São Pedro está de cara nova e se transformou num cartão-postal que concilia o antigo e o moderno – respeitando as tradições sem esquecer o desenvolvimento do município.

O governador Flávio Dino esteve em Pindaré nesta quarta-feira (4) para entregar as obras que transformaram a área. A revitalização do Engenho Central foi entregue de forma simbólica, uma vez que já está quase tudo pronto para que a nova unidade vocacional do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) comece a funcionar.

O prédio construído em 1880 foi adaptado para receber o Centro Vocacional Tecnológico, com investimentos de mais de R$ 4 milhões. Foi uma parceria entre Governo do Maranhão, Prefeitura de Pindaré-Mirim, Ministério Público Federal, Ministério da Cultura e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O Engenho Central é um exemplar arquitetônico açucareiro, testemunho de um ciclo histórico agroexportador maranhense. No local eram refinadas toneladas de açúcar. Agora, passado e futuro estão representados neste prédio.

“Esse engenho vivia abandonado. Hoje o governo resolveu”, diz o aposentado Cesário Costa. “Nós estamos no paraíso agora. Antigamente era tudo quebrado, agora é a maior maravilha”, afirma o pescador Luís de França Ferreira.

O IEMA terá laboratórios, auditório para 154 lugares e outros espaços. A unidade vai oferecer os cursos de Informática, Patrimônio Imaterial, Inglês e Guia de Turismo. A proposta é que o imóvel funcione, também, como equipamento cultural e área para exposições.

Nova cara

Em frente ao engenho, está localizada a Praça São Pedro, que foi totalmente reformada, com piso e iluminação novos, além de paisagismo, jardinagem e uma academia ao ar livre. A praça também recebeu um ponto de internet grátis do Maranet, que vem se expandindo no Maranhão. A capacidade é para até 200 conexões ao mesmo tempo.

A Praça Matriz (Nagib Haickel), onde está localizada a igreja São Pedro, também está de cara nova: foram trocados piso e iluminação. Um playground foi instalado para as crianças.

“É importante dizer que o novo Engenho não é apenas um prédio bonito. Ele significa a valorização de Pindaré-Mirim, que já era uma das cidades mais bonitas do nosso estado. E a partir de hoje está mais bonita ainda. E com uma das melhores escolas do Maranhão, o IEMA”, disse Flávio Dino.

Também foram entregues novas obras do Mais Asfalto. O governador lembrou que o Estado já fez 12 quilômetros de pavimentação na cidade, além de diversas outras ações.

“O Governo do Estado e a prefeitura têm essa parceria, como está fazendo em todos os municípios. Com isso, o Maranhão está crescendo, desenvolvendo e melhorando a qualidade de vida do nosso povo”, afirmou o prefeito de Pindaré-Mirim, Henrique Salgado.

II Encontro de Líderes do IEMA começa nesta sexta-feira (15)

O Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) realiza, nos dias 15 e 16 de junho, o II Encontro de Líderes do IEMA, na unidade plena Itaqui-Bacanga, com o tema ‘Protagonismo Juvenil em Rede’, visando promover a integração entre os líderes de turma e aprimoramento em práticas e vivências juvenis. O público-alvo do encontro são os líderes de turmas e gestores gerais das unidades plenas de Axixá, São Luís, Bacabeira, Timon, Pindaré-Mirim, São José de Ribamar e Coroatá.

De acordo com o diretor de Ensino do IEMA, Elinaldo Silva, o tema que será explorado vai colocar em pauta a relação dos jovens com as mídias digitais, assunto de grande relevância na atualidade. “O protagonismo é um princípio do nosso modelo pedagógico, que possibilita ao educando o exercício de práticas e vivências de situações de aprendizagem, por meio das quais ele exercitará condições essenciais para o seu desenvolvimento pessoal e social. Essa será a base de construção de sua identidade; nesta perspectiva é que vemos o aluno como solução e nunca como problema”, explicou.

O diretor de Ensino acrescentou ainda que no decorrer do encontro haverá, além de palestras, oficina de capacitação para criação e uso de ferramentas comunicacionais, para que os jovens protagonistas tornem-se articuladores de suas lideranças na escola e comunidade.

Programação

A programação tem início na sexta-feira (15) no Cine System Rio Anil, onde será exibido o filme ‘Vingadores: Guerra Infinita’ para os alunos. No sábado (16), as atividades começam às 8h, com abertura da palestra ‘Protagonismo Juvenil no século XXI’, ministrada pela professora doutora Maria Izabel Calil, e encerramento às 16h30.

O encontro contará, ainda, com relatos de jovens protagonistas, apresentações culturais e práticas juvenis de laboratórios, em laboratório de escrita e imagem. Ao final, será apresentado um painel com a apresentação dos laboratórios.

IEMA conquista prêmios em São Paulo e garante vaga para Mundial de Robótica em Taiwan

Os alunos do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) conquistaram uma série de prêmios no Torneio Internacional de Robótica, em Guarulhos (São Paulo), na semana passada. O resultado garantiu vaga para o próximo Campeonato Mundial, em Taiwan, na China, no mês de agosto.

Um dos destaques da apresentação do IEMA foi o Roboizinho, que já havia conquistado outros prêmios anteriormente. Na categoria Dança, as equipes do instituto ficaram com o primeiro e o terceiro lugares.

As equipes eram compostas por alunos das unidades de São Luís, Bacabeira e Pindaré. Cada uma das unidades conquistou um primeiro lugar: a de São Luís conquistou em Registro Multimidiático; a de Pindaré-Mirim, em Resgate no Plano; e a de Bacabeira conquistou o primeiro lugar em Dança.

Além do primeiro lugar, a equipe de Pindaré conquistou duas posições de segundo lugar: no Cabo de Guerra e no Resgate de Alto Risco. A de São Luís conquistou, ainda, três posições de terceiro lugar: na Dança, no Resgate no Plano e no Cabo de Guerra.

O torneio reuniu 115 equipes de 15 Estados do Brasil, além de competidores internacionais.

Representar o Brasil

“Estou me sentindo muito agraciada pela oportunidade que estamos tendo. E agora vem a China. A gente não está representando apenas o IEMA, e sim todo o Brasil”, diz Carla Marvão, aluna da unidade plena de Bacabeira e integrante da equipe vencedora em Dança.

Augusto Ivan, colega de Carla, conta que “todos os professores nos incentivaram para fazer o melhor possível”.

Para o reitor do instituto, Jhonatan Almada, “é um orgulho para o Maranhão e também é o resultado dos investimentos do governador Flávio Dino na educação. Traz o reconhecimento do trabalho e do esforço de todos os estudantes e professores do IEMA”.

O coordenador de Práticas Experimentais em Robótica do IEMA, Fábio Aurélio Nascimento, acompanhou os alunos em São Paulo. “A gente conseguiu mostrar para todo o Brasil o trabalho que vem sendo feito no IEMA”, declarou o coordenador.

As conquistas do IEMA na robótica educacional chamam ainda mais atenção porque essa disciplina foi inserida em 2016. Em um curto período, houve grande avanço. Hoje ela faz parte do currículo de todas as unidades do instituto.

IEMA chega a 14 mil alunos em unidades vocacionais e apresenta resultados a Flávio Dino

O governador Flávio Dino participou, nesta segunda-feira (11), de encontro com supervisores e alunos dos cursos profissionalizante do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), no auditório do Palácio dos Leões. O reitor do IEMA, Jhonatan Almada, apresentou um balanço com os dados referentes ao desempenho da instituição desde seu início de funcionamento, em 2016.

Com a temática “Do Virtual ao Real”, o balanço dos cursos profissionalizantes do IEMA deu ênfase à expansão das unidades vocacionais do instituto, de 18 para 90 cidades maranhenses, alcançando aproximadamente 14 mil alunos de diversas regiões. Mais de 10 mil estudantes já foram certificados após a conclusão dos cursos ofertados pelas unidades de ensino profissionalizante pelo programa Bolsa Formação.

O relatório apresentou também o perfil dos beneficiários das unidades vocacionais, sendo 34% de pessoas desempregadas, 30% de empregados, 43% de estudantes, 11% de estudantes que possuem nível superior e 63,3% de estudantes com diploma de conclusão do Ensino Médio.

Elogiando a atuação do IEMA, o governador Flávio Dino disse que esse é um momento especial pela concretização dos sonhos de muita gente, com a formação profissional. O encontro serviu ainda para uma reflexão sobre o direcionamento dos projetos na instituição.

“Muito bom termos este momento de avaliação, até para sabermos se estamos indo no caminho certo. Esse também é o momento de ouvir os anseios de cada comunidade. É preciso manter esse diálogo para entender a grandiosidade do projeto do IEMA”, disse o governador.

Missão 

O reitor Jhonatan Almada pontuou que o encontro visou reunir os representantes de 90 cidades do Maranhão onde o IEMA oferece cursos: “Isso significa o quanto o IEMA cumpriu com a missão que o governador nos deu, que era de democratizar a educação. E hoje, em toda região, nós temos um curso do IEMA levando educação profissional para as pessoas, ajudando a gerar emprego, renda e trabalho”.

O coordenador da unidade vocacional do IEMA em São Mateus, Francisco Barata, disse que é um prazer participar de uma frente de trabalho que garante aprendizado e emprego para a população. “Estar aqui e saber que o governador tem investido em profissionalização em nosso município é muito empolgante. Temos vários casos de sucessos, onde tiramos os alunos da vulnerabilidade e colocamos em uma profissão”, contou.

Antonio Wilson da Silva Nascimento, de 48 anos, morador de Pedreiras, é um desses resultados positivos do curso e já expande seu trabalho no ramo de produção de massas. “Escolhi fazer o curso para aprimorar os meus conhecimentos, porque já trabalhava com massas. A equipe do IEMA de Pedreiras é muito boa, são pessoas pacientes, atenciosas e competentes.  O curso foi importante, porque além de ensinar a teoria e a prática, também ensina a ter uma visão empreendedora que o mercado tanto exige. Forneço produtos como massas de pizzas, pizzas prontas, amanteigados, biscoito água e sal e pão de ló para quase todos os supermercados da cidade”, detalhou.

Ele reiterou que a região é beneficiada diretamente, pois o curso ajuda na geração de empregos e renda. “Acredito que seja esse o objetivo do Governo Flávio Dino, um governo que faz tudo para melhorar cada vez mais a realidade do nosso estado. A iniciativa do curso é importante, porque aprender é fundamental”, encerra Antonio Wilson.

IEMA firma parceria para apoiar 40º Festival Guarnicê de Cinema

O Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) firmou parceria com o Departamento de Ações Culturais (DAC) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e será apoiador do 40º Festival Guarnicê de Cinema, que acontece de 9 a 16 junho no Centro Histórico de São Luís.

Este ano, o evento homenageia as mulheres com o tema “O protagonismo feminino no audiovisual”. Com a parceria, os alunos do IEMA do curso técnico em audiovisual e em cinema poderão participar das oficinas e demais atividades que fazem parte do evento.

De acordo com o reitor do IEMA, Jhonatan Almada, o evento é fundamental para a disseminação da sétima arte. “O IEMA possui o curso técnico em audiovisual na nossa unidade plena de São Luís, e também temos a Escola de Cinema como uma unidade vocacional importante. Isso justifica e reforça a necessidade de apoiarmos um evento como o Festival Guarnicê de Cinema”.

Jhonatan Almada acrescenta que o apoio ao festival é importante “tanto para a participação de nossos estudantes, quanto para o impacto que isso terá em nossos cursos técnicos, pois é um momento oportuno de aprendizado, debate e troca de experiências que irão enriquecer a formação que nós realizamos no IEMA”.

Para o diretor de Ensino do IEMA, Elinaldo Silva, é muito gratificante contribuir com o evento. “Recebemos a diretora do DAC da UFMA e estabelecemos parceria para apoiar o Festival. É de grande importância contribuir com o cenário do cinema no Maranhão. Para o IEMA é fundamental, tendo em vista que temos cursos relacionados ao cinema, e isso vai favorecer o contato dos estudantes com uma mostra que é nacional e reúne grandes nomes do cinema local e brasileiro”, destacou.

A diretora do DAC/UFMA e coordenadora do 40º Festival Guarnicê de Cinema, Fernanda Santos destacou que é de grande importância ter o IEMA como parceiro. “É um imenso prazer ter o Instituto como apoiador do nosso festival. O DAC está disponibilizando vagas nas oficinas realizadas durante o evento direcionadas à linguagem do cinema e também à participação dos alunos do Instituto na Mostra Jovem, além de outros projetos”, afirmou.

A diretora destacou, ainda, a participação dos estudantes do IEMA nas atividades que incentivam o interesse pelo cinema. “Queremos fazer com que mais maranhenses tenham acesso e vejam que é possível, até com celular, fazer um vídeo e estimular a produção local”.

Alunos do IEMA participam de seminário nacional no Rio Grande do Sul

O desenvolvimento de pesquisas no Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) tem alcançado resultados expressivos. Como exemplo, os alunos da UP São Luís irão ministrar a oficina “Aprendendo a programar com Scratch” no Seminário Nacional de Inclusão Digital, que começa nesta segunda-feira (7) e vai até o dia 9 deste mês, na Universidade de Passo Fundo, Rio Grande do Sul.

O evento está em sua quinta edição e traz como tema a “Cultura Digital na Educação”. O objetivo geral do Senid é divulgar a produção científica e experiências realizadas em âmbito nacional nas áreas de tecnologias e metodologias de inclusão digital.

O reitor do IEMA, Jhonatan Almada, destaca o sucesso da pesquisa desenvolvida em sala de aula. “Nós ficamos muito felizes com o fato destes estudantes, em conjunto com o seus professores orientadores, apresentarem um trabalho num seminário de âmbito nacional”, disse.

Para Jhonatan, “isso significa que alcançamos um determinado patamar em que a produção de conhecimentos dentro do Instituto é apresentada para o país, isso nos orgulha muito, em especial na área de programação com scratch, uma área transversal de todos os cursos técnicos de informática do IEMA”.

As oficinas do evento serão essencialmente práticas e ministradas em várias salas do laboratório central de informática da Universidade de Passo Fundo, das 8h às 12h. Os alunos Pablo Gabriel, Alisson Belfort, Ellen Vitória Lago e Ketly Cristiny Sale são do curso de informática e responsáveis pela oficina no Senid, eles terão apoio dos professores orientadores Cleriston Araújo e Wanderson Oliveira.

O professor de Física da UP São Luís, Cleriston Araújo conta a trajetória do projeto e explica as funcionalidades da ferramenta utilizada na pesquisa. “A ideia do projeto é desenvolver o raciocínio lógico e a programação utilizando ferramentas open source de acesso livre e, no caso, a ferramenta escolhida é o scratch. Tivemos uma primeira oportunidade de participar do edital ‘Juventude Com Ciência’ e mostramos que a lógica de programação e programação de computadores com baixo custo pode ser aplicada nas redes de ensino. O Senid tem essa dimensão de mostrar tecnologias e ações que tenham como finalidade a inclusão digital em seus mais diversos níveis, inclusão essa que vai desde aquele que não tem acesso ao recurso até aquele que tem dificuldades por meio da acessibilidade”, explica.

Cleriston acrescenta que “a ferramenta em si é um ambiente de desenvolvimento que tem um cenário em que tudo que se configura é executado. Para a programação existem comandos, movimento, sensores, variáveis, além de ser requisitada para o desenvolvimento de jogos, ou seja, essa é uma ferramenta em que processo de ensino se configura como uma tecnologia educacional vinculado à gamificação”.

Iema acolhe comunidade escolar da Unidade Plena do IEMA em Cururupu

O acolhimento é o primeiro contato e impressão dos alunos, pais e equipe escolar em relação ao Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA). Na recém-construída unidade plena (UP) do IEMA, no município de Cururupu, estudantes, pais e professores foram recepcionados, na quarta (2) e quinta-feira (3), com atividades organizadas pela Diretoria de Pesquisa e Extensão (Dipex).

O momento serviu para mostrar que todos os integrantes da escola são fundamentais na construção de uma educação de qualidade. Na programação, alunos protagonistas da UP São José de Ribamar apresentaram o modelo pedagógicos do IEMA por meio de dinâmicas, oficinas e apresentações artísticas.

“No primeiro dia recebemos a equipe escolar e pais dos alunos e, no segundo, foi o momento da culminância com acolhida dos novos alunos pelos jovens protagonistas. Os estudantes de Cururupu ficaram bastante entusiasmados com a iniciativa e os jovens protagonistas de São José de Ribamar desenvolveram um belo trabalho”, contou o diretor de Pesquisa e Extensão, Dario Soares.

O reitor do Iema, Jhonatan Almada, afirmou que a UP de Cururupu representa a continuidade do investimento que o governo Flávio Dino tem feito na expansão do IEMA. “É, justamente, para que mais jovens do Maranhão possam ter a oportunidade de cursar uma educação técnica e integral de qualidade”.

Jhonatan Almada afirmou que a recepção dos novos alunos pelos veteranos tem o objetivo, também, de apresentar a vivência e experiência aos alunos que estão chegando. “Isso integra a comunidade acadêmica, estabelece os laços entre os estudantes e ao mesmo tempo apresenta a nossa verdade através da voz mais autorizada que é a voz dos próprios estudantes”.

A professora Elizabeth Abreu, que acompanhou os jovens protagonistas da UP de São José de Ribamar, disse que o acolhimento é um dos diferenciais memoráveis do modelo IEMA. “Costumo dizer que estar no acolhimento é ficar na memória de quem é acolhido. Por isso se fez necessário uma formação para os jovens protagonista que irão acolher os novos alunos nas UPs, pois cada detalhe ficará marcado positivamente na memória e no coração de cada novo estudante, motivando-o para uma nova etapa na educação, o ensino médio”.

“Nossos jovens protagonistas sabem dessa doce responsabilidade do acolhimento e estão felizes em acolher assim como foram acolhidos ano passado. O que me deixa muito grata em fazer parte de uma instituição de ensino que de forma intrínseca desperta nos alunos a ação de receber e cuidar das pessoas”, afirmou Elizabeth Abreu

A aluna de meio ambiente da UP Cururupu, Amanda Gullar, conta sobre a alegria de ser acolhida na unidade. “O acolhimento foi incrível, despertou mais interesse pelo ensino do Instituto. Fiquei muito alegre pela recepção que recebi de pessoas que não conhecia, mas que me acolheram de coração aberto”, disse a aluna.

O aluno de agricultura orgânica da UP de São José de Ribamar, Daniel Farias, disse que o acolhimento é uma “experiência incrível” para quem organiza e executa. “É algo divertido, onde ganhamos novos amigos, conhecemos a realidade de cada estudante e transmitimos o que já vivemos dentro da escola”, afirmou. Ele acredita que os novos estudantes têm um futuro brilhante no IEMA.

A aluna do curso de Informática da UP de São José de Ribamar, Bruna Agnes, destaca a experiência com gratificante. “Nós jovens protagonistas conseguimos a essência do IEMA para os estudantes que com certeza irão levar esses dois dias para sua estadia no Instituto e para fora dele também”.

Grade curricular ideal deve respeitar diferenças, dizem especialistas reunidos pelo IEMA

Qual a grade curricular ideal para o ensino médio no Brasil? Qual disciplina não pode faltar? O que deve ser cada vez mais enfatizado? Em busca de ajuda para responder a essas questões, o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) reuniu na semana passada 12 especialistas de diversos locais do Brasil para falar sobre a Reforma do Ensino Médio e a Educação Profissional.

Todos eles estiveram presentes no o II Seminário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica no Maranhão (SNEPT), na capital maranhense.

O IEMA já virou referência no ensino profissionalizante, com diversos prêmios internacionais, apesar de ter começado a funcionar apenas em 2016. No IEMA, os alunos cursam o ensino médio ao mesmo tempo em que aprendem uma profissão.

O debate sobre a grade curricular é importante porque, no ano passado, foi aprovada a reforma do ensino médio no Brasil. Os Estados vêm formando grupos de trabalho para fazer o planejamento da reforma.

Com a reforma, vem a chamada flexibilização do currículo, com a possibilidade de as escolas adotarem disciplinas de modo menos rígido. O processo de implementação deve ter início em 2019.

Diversidade

Um dos consensos durante o encontro foi a necessidade de levar em contas as diversidades culturais, regionais, sociais e econômicas.

“A lei nos possibilitou fazer as mudanças. Como então fazê-las de forma atuante, eficaz e atrativa para esse estudante que procura a conclusão do ensino médio, mas que também tem o interesse em perpassar pela educação técnica e profissionalizante?”, perguntou a diretora de Articulação e Expansão das Redes de Educação Profissional e Tecnológica, do Ministério da Educação, Fernanda Massaro dos Santos.

Para ela, é importante considerar as múltiplas trajetórias na formação do estudante, respeitando suas habilidades e interesses.

De acordo com coordenadora de Currículo e Desenvolvimento Humano da Secretaria de Educação da Bahia, Jurema Oliveira, é preciso levar em conta a realidade de cada região, “respeitando as diversidades culturais e regionais existentes. Aproveitar o que temos na rede, o que já há de inovador e assim replicar os modelos exitosos”.

Para o ex-ministro da Educação Henrique Paim, é fundamental levar em consideração as desigualdades regionais para a reforma do ensino médio.

Singularidades

Anna Helena Altenfelder, presidente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), ressaltou ser “importante pensar que a reforma pretendida no Brasil deve ser para as juventudes, respeitando as singularidades de cada jovem e de cada região”.

Ela destacou que a reforma é um desafio não só para os alunos: “É um mundo novo para os educadores, que terão que estudar, aprender, discutir e refletir. Esse desafio traz uma possibilidade de uma maior interdisciplinaridade e flexibilidade. O grande risco deste novo modelo é não conseguir essa concomitância disciplinar ou voltar ao modelo antigo de ensino”.

O gerente de Desenvolvimento e Soluções do Instituto Unibanco, Alexsandro do Nascimento Santos, concorda: “Para uma reforma do ensino médio de excelência, é necessário investir em vários aspectos, como no caminho docente, na distribuição de carga horária dos professores, na formação docente, na infraestrutura escolar, na expansão de escolas e no financiamento da educação”.

Desafio a ser superado

O reitor do IEMA, Jhonatan Almada, disse que o seminário cumpriu o objetivo: “Conhecemos propostas de implantação, experiências em andamento e conseguimos obter subsídios importantes para que o IEMA também possa realizar sua reforma curricular à luz da nova base nacional comum para o ensino médio integrado à educação profissional”.

Para o governador Flávio Dino, que abriu o evento, “é um grande desafio, contudo, acreditamos que a reforma vai tornar o nosso currículo ainda mais interessante para os nossos estudantes”.