Réu é condenado a 16 anos de prisão por homicídio em Imperatriz

O réu Alisson Pereira Lima, de 23 anos, foi condenado em Imperatriz a 16 anos, sete meses e 15 dias de prisão pelo assassinato de Genildo dos Santos Lima, em 2014.

O crime ocorreu em 22 de fevereiro daquele ano, em um posto de combustível, na Avenidade Pedro Neiva de Santana.

Segundo o promotor do caso, Carlos Róstão, o réu nega a autoria do crime, mas o Ministério Público reconhece claramente que foi ele o assassino de Lima.

A tese usada pela acusação foi de homicídio qualificado por motivo torpe. O crime teria sido motivado pela desconfiança do réu de que a vítima estaria tendo um caso com sua esposa.

Alisson Lima já estava preso, cumprindo pena por um outro crime, praticado também em 2014, na Vila Redenção II.

Jovem é alvejado nas pernas em tentativa de homicídio

Um jovem de 20 anos, identificado apenas como Abrahão, sofreu uma tentativa de homicídio em Imperatriz, na segunda-feira (30), no bairro São José.

Segundo informações, ele foi alvejado nas pernas enquanto andava de bicicleta. Testemunhas identificaram o autor dos tiros como “Loirinho”.

Abrahão foi socorrido pelo Samu e levado para o Socorrão. Ainda segundo testemunhas, o crime teria ocorrido porque a vítima teria um relacionamento com a namorada do acusado.

O crime está sendo investigado pela Polícia Civil de Imperatriz.

São João de Todos cresce e faz uma semana inteira de festa em Imperatriz neste ano

Entre os dias 23 e 30 de junho deste ano, Imperatriz será palco de uma das maiores festas culturais do Estado, o São João de Todos. E desta vez com uma semana inteira de programação oficial do Governo do Maranhão.

O Governo do Estado já vinha apoiando o São João de Imperatriz e dezenas de cidades do interior maranhense por meio de parcerias e investimentos. Mas desta vez o município vai receber uma festa muito maior e mais completa, assim como na capital.

“Para gente, é uma vitória para a cultura e um avanço inovador. E principalmente uma comprovação que de fato é um Governo de Todos e para todos”, comemora Neto de Azile, presidente do Conselho Estadual de Cultura.

“Quando a gente expande as ações e respeita o diálogo cultural com os fazedores de culturas mais distantes, começamos então a construir o São João como fomento à diversidade cultural”, completa.

O investimento é um anseio antigo da comunidade cultural. Gestores, ativistas e grupos culturais já tinham o interesse de levar o evento para outras cidades maranhenses, e Imperatriz foi escolhida como projeto piloto.

“Nós estamos concretizando nossa meta de descentralizar as ações. É um grande desafio reafirmar a territorialidade de nossa cultura maranhense, dentro de uma região que, por conta da geografia, se distancia muito de nossas tradições mais fortes”, diz a secretária adjunta de Cultura, Vanessa Leite.

A festa terá atrações regionais da Região Sul e cidades circunvizinhas da cidade, além de grupos de artistas da capital e atrações nacionais.

Mostra Competitiva

Outra novidade é a mostra competitiva de quadrilhas juninas, que será a primeira na história do São João de Todos, além de uma disputa de prêmios nunca oferecidas.

“Em relação à mostra competitiva, nós vemos um ponto muito positivo para os nossos grupos, porque a gente consegue de fato alcançar a visão do Governo. Hoje nós vemos essa parceria bem sólida. Temos conversado muito com a Sectur, que tem nos abraçado para poder também levantar nossa causa, nosso movimento”, afirma o presidente da Federação das Quadrilhas Juninas do Maranhão (Fequajuma), Maurício Monteiro.

Os grupos se inscreveram na competição por meio de edital foram selecionados nesta semana pela Secretaria de Estado da Cultura (Sectur) em Imperatriz. Eles disputarão os seguintes prêmios:

1º lugar 1 carro 0km ou 25mil reais.
2º lugar 2 motos ou 18 mil reais
3º lugar 1 moto ou 10 mil reais.

PF cumpre mandados contra acusados de fraude pela internet em Imperatriz

A Polícia Federal iniciou na manhã desta quinta-feira (26) a Operação Backdoor no Tocantins, Maranhão e Goiás. A ação busca desarticular uma quadrilha especializada em fraudes bancárias pela internet. A investigação teve início depois da Operação Cracker, deflagrada em 2017 em Araguaína, norte do Tocantins. Segundo a polícia, o prejuízo causado pelo grupo foi estimado em R$ 10 milhões.

Segundo a PF, mais de 70 policias estão nas ruas cumprindo 24 mandados expedidos pela justiça, sendo oito de prisão preventiva e 16 mandados de busca e apreensão. Os mandados foram expedidos pela vara criminal de Augustinópolis, no norte do estado. Todos as as prisões foram cumpridas até às 7h.

São dois mandados de busca e um de prisão em Araguaína (TO), uma prisão e outro mandado de busca em Araguatins (TO), uma prisão e nove buscas em Maurilândia (TO), uma busca e uma prisão em Praia Norte (TO), uma prisão em Augustinópolis, uma prisão em Jussara (GO), além de duas prisões e duas buscas em Imperatriz (MA).

A polícia informou que após realizar perícia em computadores apreendidos com dois suspeitos durante a operação Cracker, em maio de 2017, encontrou um ‘rol de criminosos’ especialistas em fraudes pela internet. As investigações deram origem a operação Operação Dr. Cross, deflagrada no início desta semana, e a Operação Backdoor.

Esquema

O grupo agia criando páginas falsas de lojas virtuais e as anunciavam promoções por meio de redes sociais, como o Facebook. Ao clicar no anúncio falso, a vítima era enviada para a página de lojas virtuais clonada, ou seja, páginas falsas.

A vítima pensava que se tratava de uma loja verdadeira e fazia a compra, fazendo pagamento por boleto. Ainda segundo a PF, os boletos seriam de outros produtos já comprados pelos criminosos em outras lojas virtuais. Desta forma, a vítima pagava pela compra realizada pela quadrilha.

Os criminosos vão responder por furto mediante fraude pela internet contra instituições financeiras e comerciais, invasão de dispositivos de informática e estelionato cometidos em diversos estados.

Ainda segundo a Polícia Federal, o nome da operação faz referência ao nome do software era infiltrado no computador da vítima ilícita para realizar as fraudes.

G1-Tocantins.

Rapaz é assassinado e tem corpo carbonizado dentro de casa

Um rapaz de 29 anos, Bruno Marques de Sousa foi morto dentro de casa carbonizado. Ele foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros debaixo de um garga-roupas, em Imperatriz.

Os bombeiros foram acionados por vizinhos ara atender a uma ocorrência de incêndio no cruzamento das ruas Tupinambá e Piauí, no bairro Mercadinho.

Segundo informações da polícia, Bruno era usuário de drogas e tinha passagens pelo sistema criminal. A casa pertence à família da vítima, mas estava abandonada, sem portas e contendo apenas o guarda-roupas e um colchão no chão.

Ainda segundo a polícia, o local era frequentado por outros usuários de drogas, e um casal teria sido visto na tarde de quarta-feira com Bruno no local.

Problemas da educação na rede pública de Imperatriz são debatidos em videoconferência

Em reunião, realizada na tarde desta quarta-feira, 18, por meio de videoconferência, foram debatidos temas ligados à educação da rede pública de Imperatriz, como acúmulo ilegal de cargos por professores e locação de prédios em situação irregular onde funcionam escolas municipais.

Na sede da Procuradoria Geral de Justiça, em São Luís, participaram da discussão o procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho; os promotores de justiça Marco Antonio Santos Amorim (diretor da Secretaria para Assuntos Institucionais) e Sandra Soares de Pontes (da Assessoria Especial da PGJ); o secretário de estado da Educação, Felipe Camarão, acompanhado da secretária-adjunta deGestão das Regionais de EducaçãoRosyjane Paula Farias Pinto, e do secretário-adjunto de Assuntos Jurídicos, Daniel Carvalho; e o auditor de controle externo do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, Fábio Resende de Melo.

Em Imperatriz, participaram os promotores de justiça Nahyma Ribeiro Abas, titular da Promotoria Especializada na Defesa do Patrimônio Público e coordenadora da campanha contra o acúmulo ilegal de cargos públicos na Região Tocantina) e Lucas Mascarenhas, que responde pela promotoria de Defesa da Educação e da Criança e do Adolescente; o secretário de Educação de Imperatriz, JosenildoFerreira; o procurador-geral do Município, Rodrigo do Carmo Costa, e o chefe da Controladoria Geral do Município, Davi Cardoso, além de assessores do Ministério Público e da Prefeitura de Imperatriz.

Ao abrir a reunião, o procurador-geral de justiça enfatizou a importância de se juntar num mesmo momento gestores públicos e instituições de controle na busca de soluções para os problemas que afetam a educação pública.

De Imperatriz, a promotora de justiça Nahyma Abas discorreu sobre a situação de acúmulo ilegal de cargos na rede pública de ensino nos municípios de Imperatriz e da Região Tocantina e as consequências dessa prática para a qualidade da educação.

A representante do Ministério Público citou as audiências públicas já realizadas desde o ano passado para debater o tema, que reuniram gestores e servidores públicos de 15 municípios. “A partir dessa mobilização muitos servidores, identificados com acúmulo ilegal, já foram exonerados a pedido ou estão à espera de notificação para fazer a opção entre um cargo ou outro”, revelou.

A promotora de justiça acrescentou, ainda, que a campanha contra a acumulação ilegal busca conscientizar o servidor nessa condição (alguns com três ou até quatro matrículas, nos municípios e no Estado do Maranhão ou até fora do estado) de que, “ao ser exonerado, ele não está perdendo, mas sim possibilitando a outros, por ventura aprovados em concursos públicos, que sejam nomeados”.

PRÉDIOS ESCOLARES EM SITUAÇÃO IRREGULAR

Também foi abordada na reunião a questão do funcionamento de escolas em prédios alugados, cujos proprietários não possuam a escritura ou qualquer outro documento que comprove a propriedade do imóvel. Como o Município de Imperatriz condicionou o pagamento dos aluguéis à regularização dos imóveis, os proprietários ameaçam a suspensão do funcionamento das escolas, o que já ocorreu no ano passado, prejudicando centenas de alunos.

O promotor Lucas Mascarenhas informou que, embora a atual gestão municipal de Imperatriz, tenha feito um chamamento público para licitação de aluguel de prédios, a fim de regularizar a situação, ao final do processo, somente 40% dos imóveis foram regularizados.

Já o secretário de Educação de Imperatriz declarou que o município suspendeu o pagamento dos alugueis em decorrência da ilegalidade e devido ao receio de que seja responsabilizado criminalmente, caso autorize pagamento de fornecedor com situação irregular. Ele informou que o problema teve início, em 1994, quando o município repassou 29 escolas para o Estado.

Josenildo Ferreira reivindicou o apoio do secretário estadual de Educação para resolver o problema.

ENCAMINHAMENTOS

No que se refere ao acúmulo ilegal de cargos e às providências que podem ser adotadas para o enfrentamento da questão, foi acertada a realização de uma oficina de capacitação, a ser ministrada por técnicos do TCE-MA, destinada a gestores, servidores públicos, conselheiros do Fundeb e membros do Ministério Público. O objetivo é propiciar aos participantes os instrumentos legais, informações atualizadas e troca de experiências sobre o combate a esse tipo de irregularidade.

Esse treinamento deverá integrar a programação de um seminário a ser realizado em Imperatriz nos dias 28 e 29 de maio.

Nesse aspecto, o secretário Felipe Camarão informou sobre o processo de unificação de matrículas para professores da rede estadual que está em andamento, a partir do Decreto nº 31.538, de março de 2016, assinado pelo governador Flávio Dino. A unificação permite que o professor deixe de ser contratado por dois regimes diferentes e, em parte, contribui para a diminuição do acúmulo, à medida em que os profissionais do magistério com duas matrículas no estado e uma na rede municipal passariam a ter apenas duas, o que é garantido pela Constituição Federal.

Na questão dos prédios em situação irregular, os representantes do Município de Imperatriz foram orientados a efetivar o pagamento dos alugueis, por meio de um reconhecimento administrativo de dívida, já que houve a prestação do serviço. Também receberam recomendação que seja feita uma consulta ao Tribunal de Contas do Estado sobre como equacionar a questão.

Como forma de minimizar o problema, Felipe Camarão garantiu a cessão de duas escolas da rede estadual de ensino médio de Imperatriz para funcionar, em regime de gestão compartilhada, escolas da rede municipal com problemas no aluguel. Serão disponibilizadas salas dos Centros de Ensino Dorgival Pinheiro de Sousa e Vinicius de Moraes para o atendimento de alunos do ensino fundamental.

A formalização da cessão vai ocorrer no dia 28 de maio durante a realização de um evento organizado pelo Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação (CAOp Educação), em Imperatriz.

Polícia Militar prende homem com simulacro de arma de fogo em Imperatriz

Na última segunda-feira (16), a Polícia Militar do Maranhão por intermédio do 3º BPM da cidade de Imperatriz, conseguiu prender José de Oliveira Lima Júnior (24) em posse de um simulacro de arma de fogo no bairro Nova Imperatriz.

Segundo informações repassadas pelo comando da PM imperatrizense, o indivíduo foi avistado pela guarnição em atitudes suspeitas. Logo, os policiais fizeram uma abordagem e posteriormente uma revista pessoal, onde foi localizado o simulacro.

De imediato, foi decretada a prisão em flagrante de José Lima Júnior e em seguida encaminhado à delegacia de Polícia Civil para as providências cabíveis.

Homem reage a assalto e é morto em Imperatriz

O comerciante Genivaldo da Silva Cardoso, de 50 anos, foi morto com um tiro na nuca ao reagir a um assalto, no Centro de Imperatriz. Ele era morador do povoado Canto de Areia, no município de Ribamar Fiquene.

O crime ocorreu por volta das 15h30, desta quarta-feira (11). A vítima estava acompanhada da esposa, saíndo de uma agência bancária com um alto valor em dinheiro.

Genivaldo e a esposa foram abordados por assaltantes, e ele teria reagido. Após o disparo, a dupla fugiu, em uma moto preta, sem levar o dinheiro.

A polícia está à procura dos assassinos do comerciante, buscando apoio nas câmeras de videomonitoramento para identificá-los.

Moto Club perde, mas leva o título de Campeão Maranhense 2018

O Moto Club perdeu para o Imperatriz por 2 a 1, neste domingo (8), no Estádio Frei Epifânio D’Abadia, mas conquistou o título de campeão Maranhense 2018.

Como venceu a primeira partida por 3 a 0, os rubro-negros poderiam perder até dois gols de diferença. É o 26º título de campeão maranhense conquistado pelo Moto Club.

Os gols da partida foram marcados por Daniel Barros e Kanu. O gol do título motense foi marcado por Ricardo Maranhão. Todos no segundo tempo.

Moto vence de goleada e põe a mão no título Maranhense