Prefeitura abre edital para lançamento de livros na 12ª Feira do Livro de São Luís

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) divulgou o Edital Nº 03/2018 de credenciamento para lançamento de livros de autores maranhenses para compor a programação da 12ª Feira do Livro de São Luís (FeliS), que ocorrerá no período de 16 a 25 de novembro de 2018, no Multicenter Sebrae. Maior evento literário do Maranhão, a FeliS é realizada pela Prefeitura via Secult e Secretaria Municipal de Educação (Semed). A edição deste ano traz o tema “A Brasilidade na Cultura Contemporânea” e o patrono será Graça Aranha.

De acordo com o edital, a inscrição poderá ser realizada pelo autor, co-autor ou responsável legal pela obra, desde que atenda aos requisitos do documento: ficha de inscrição devidamente preenchida e assinada pelo proponente; resumo da obra para fins de apresentação no momento do lançamento; entregar um exemplar da obra no momento da inscrição, devidamente autografado, que após o lançamento será doado à Biblioteca Pública Municipal José Sarney e ser uma obra publicada no ano de 2018.

A ficha de Inscrição estará disponível no anexo da Chamada Pública no endereço eletrônico da Prefeitura de São Luís: www.saoluis.ma.gov.br, no menu “Editais”. Para realizar a inscrição, os interessados devem entregar a documentação na sede da Secult, situada na Rua do Mocambo, nº 253, Centro, São Luís – MA, até o dia 22 de outubro de 2018, das 13h às 18h, de segunda a quinta-feira, e das 8h às 12h, às sextas-feiras.

A lista com os nomes das obras e autores selecionados será divulgada no site da Prefeitura de São Luís, menu “Editais”, no dia de 25 de outubro. As sessões de lançamentos terão duração, no máximo, de 40 minutos, sequenciada pela sessão de autógrafo com o mesmo tempo de duração. A data e horário de cada lançamento será definido no ato da entrega da ficha de inscrição, conforme indicação do escritor.

12ª FELIS

A 12ª FeliS será realizada no período de 16 a 25 de novembro, no Multicenter Sebrae, espaço localizado em área privilegiada da cidade, de fácil acesso e com estrutura física com capacidade para receber grandes eventos, além de contar com amplo estacionamento.

“A FeliS é um movimento que dialoga com ações que apontam o livro e a literatura como instrumento de transformação e de inclusão social, fato que a consagrou como um dos mais importantes projetos culturais do Estado. Apresenta relevante extensão social, reunindo mais de 20 mil estudantes da rede municipal e estadual, além de jovens e visitantes de outras cidades”, pontua o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão.

O evento já homenageou como patronos grandes expoentes da literatura maranhense e brasileira. Esta 12ª edição, traz o tema “A Brasilidade na Cultura Contemporânea” e o patrono será Graça Aranha, escritor maranhense considerado um dos articuladores do movimento que renovou a literatura e a cultura brasileira, repensando identidades e a busca por referências estéticas que fossem próprias do Brasil: a Semana de Arte Moderna.

É dele a conferência de abertura do movimento cultural realizado no Teatro Municipal de São Paulo, em 1922, intitulada “A emoção estética na arte moderna”. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras (ABL) e autor do romance “Canaã”, sua principal obra. O ano de 2018 marca, ainda, seus 150 anos de nascimento.

Além do patrono, a FeliS irá prestar homenagens especiais aos também maranhenses Joaquim Gomes de Souza e João Antonio Coqueiro, o Coqueiro, ambos matemáticos de destaque nacional.

Josué Montello e a cidade de Alcântara em alta na Feira do Livro

A obra ‘Noite sobre Alcântara’, do escritor maranhense Josué Montello, foi destaque na tarde desta quarta-feira (15), na Feira do Livro de São Luís (FeliS 2017), que acontece na Praia Grande.

Em palestra concorrida, com o tema “Noite sobre Alcântara: crônica de uma profecia contrariada”, o poeta maranhense e jornalista, Paulo Melo, discorreu  sobre a fascinante obra de Josué Montello, que coloca cidade histórica de Alcântara como o centro do romance. “Alcântara hoje tem uma vida cultural e  turística. É uma cidade que está viva e além de sua história e casarões, tem um patrimônio imaterial riquíssimo”,  destacou.

O poeta também ressaltou seus estudos e pesquisas sobre Alcântara e o livro que está escrevendo a respeito da cidade.

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, que foi mediador da palestra, realçou a importância de um dos principais escritores da literatura maranhense e brasileira. “É fundamental trazer a discussão sobre Josué Montello para feira pela importância do legado que ele deixou para todos nós, sobretudo, ao falar sobre Alcântara, que é um patrimônio vivo do povo do Maranhão. Foi um honra contribuir com FeliS ao mediar esse debate”, enfatizou.

A professora universitária, Herli de Sousa Carvalho, parabenizou pela palestra e destacou a riqueza de Alcântara.”Quando você lê essa obra chega o momento em que paramos a leitura para viajar até a cidade e ter a experiência de conhecer as riquezas daquele lugar”, revelou.

O livro ‘Noite sobre Alcântara’ está sendo reeditado pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e será lançado em fevereiro de 2018.

11ª FeliS destaca escritores maranhenses com lançamentos de livros

O público da 11ª Feira do Livro de São Luís (FeliS) vai ter a oportunidade de acompanhar o lançamento de 56 obras literárias, com destaque para 40 livros de escritores maranhenses. Os lançamentos vão acontecer no Cine Praia Grande, Centro de Criatividade Odylo Costa, filho. A FeliS acontece de 10 a 19 de novembro em diversos pontos do Centro Histórico da capital maranhense e é promovida pela Prefeitura de São Luís e Governo do Maranhão.

Entre as temáticas abordadas nas publicações, quatro falam sobre a vida e obra da patrona do evento, a escritora maranhense Maria Firmina dos Reis e sete outras são de literatura infantil. “A Casa do Escritor Maranhense é um dos espaços mais visitados dentro da Feira por conta do lançamento de livros. Para nós é imprescindível este apoio aos nossos escritores, que têm a oportunidade de lançar sua obra no maior evento literário de todo Maranhão”, ressaltou o secretário municipal de cultura, Marlon Botão.

O secretário estadual de educação, Felipe Camarão, destacou o fomento à produção literária local. “A FeliS é um evento de grande importância literária, pois abre possibilidades para todos. Grandes escritores terão suas obras divulgadas e escritores independentes, que aproveitarão o espaço para o lançarem seus livros. Nesta edição, vários lançamentos estão previstos para ocorrer, o que estimula a produção literária em nosso estado e valoriza os nossos escritores”, disse Camarão.

Nesta edição da Feira, a primeira romancista brasileira, a escritora maranhense Maria Firmina dos Reis, será homenageada com o lançamento dos livros ‘Maria Firmina dos Reis: Uma missão de amor’, de Dilercy Adler (11/11, às 19h), ‘Maria Firmina em Cordel’, de Raimunda Pinheiro de Souza Frazão (12/11, às 16h), ‘Úrsula – 6º edição’, organizado por Eduardo do A. Duarte (15/11, às 18h) e ‘Cantos à Beira Mar / Gupeva’, de Dilercy Adler e Osvaldo Gomes (15/11, às 19h).

INFANTIL

Sobre literatura infantil, o livro ‘Histórias, Fortuna do Céu’ é uma coletânea com 12 histórias escritas por autores mirins com idade de 8 a 12 anos, que será lançada na terça-feira (14), às 16h. Os pequenos autores fazem parte do Núcleo de Enriquecimento para Estudantes com Características de Altas Habilidades ou Superdotação (NEECAHS), localizado na Rua de Santana (Centro), ligado à Secretaria Municipal de Educação (Semed). As histórias abordam vários temas como bullying, tolerância, respeito, lendas, reciclagem, tecnologia, entre outros.

Ainda sobre livros para a criançada, há as obras ‘A lenda da carruagem encantada de Ana Jansen’, de Beto Nicácio (12/11, às 17h), ‘Balaiada – A Guerra do Maranhão – 2ªed.’, de Iramir Alves Araújo (12/11, às 20h), ‘As aventuras de uma gotinha d’água / O gatinho que não sabia miar’, de Natinho Costa Fênix (13/11, às 17h), ‘João, o menino cantador (biografia)’, de Andréa Oliveira (16/11, às 19h), ‘Diário Mágico: Um segredo para contar’, de Sharlene Serra (18/11, às 16h) e ‘A Bruxinha Lelenzinha e as cores’, de Anízia Nascimento (18/11, às 18h).

LANÇAMENTOS DE LIVROS – PROGRAMAÇÃO COMPLETA

SÁBADO (11)
Título: Eles não fogem a luta! As valentes mulheres do Maranhão (de Catarina Mina a Roseana Sarney)
Autor: Lúcia Castro
Horário: 16h

Título: Revivescência: A vida e a arte dos Paula Barros
Autor: João Carlos Pimentel Cantanhede
Horário: 17h

Título: Fragmentos de mármore
Autor: Jeanderson de Sousa Mafra e Jean Kley Mafra Cruz
Horário: 18h

Título: Maria Firmina dos Reis: uma missão de amor
Autor: Dilercy Adler
Horário: 19h

Título: Festa no céu e outros contos
Autor: Joseane Maia Santos Silva
Horário: 20h

DOMINGO (12)
Título: Maria Firmina em Cordel / Homenagem às mães em cordel
Autor: Raimunda Pinheiro de Souza Frazão
Horário: 16h

Título: A lenda da carruagem encantada de Ana Jansen
Autor: Beto Nicácio
Horário: 17hs

Título: O vale das Trutas
Autor: Sanatiel Pereira
Horário: 18h

Título: Politicotopia
Autor: Aleluia Leonardo de Melo
Horário: 19h

Título: Balaiada – A Guerra do Maranhão – 2ªed.
Autor: Iramir Alves Araújo
Horário: 20h

SEGUNDA-FEIRA (13)
Título: Coletivo de literatura de Cordel
Autor: Escritores Mirins do Instituto Manaain
Horário: 16h

Título: As aventuras de uma gotinha d’agua / O gatinho que não sabia miar
Autor: Natinho Costa Fênix
Horário: 17h

TERÇA-FEIRA (14)
Título: Ciranda de Saberes: Percursos cartográficos e práticos artesanais em Alcântara e na Baixada Maranhense
Autor: Raquel Gomes Noronha; Andréa Costa; Gisele Saraiva; Marcio Guimarães; Raiama Portela
Horário: 15h

Título: Coletânea: histórias Fortuna do Céu
Autor: NEECAHS/SEMED – Escritores mirins
Horário: 16h

Título: Sou Benedito/Conto do dia/ Buba/ O mercenário
Autor: Diego Pires Araújo
Horário: 17h

Título: Abelhas Assassinas
Autor: Nygel Filho
Horário: 18h

Título: Coletânea de Crônicas “Escritores Maranhenses”: 1955-1965
Autor: Josué Montello – CCJM
Horário: 19h

QUARTA-FEIRA (15)
Título: Esplêndido, o guará que não conseguia ficar vermelho
Autor: Claudio Lima
Horário: 16h

Título: Mata Roma: O Tântalo de Chapadinha (Biografia) com apêndice: visão histórica da literatura Chapadinhense
Autor: Herbert Lago Castelo Branco
Horário: 17h

Título: Úrsula – 6º edição
Autor: Eduardo do A. Duarte (org.)
Horário: 18h

Título: Cantos à Beira Mar / Gupeva
Autor: Dilercy Adler e Osvaldo Gomes
Horário: 19h

Título: Quando a Brisa do dia sopra
Autor: Olga Colvara Gomes de Sousa / Pseudônimo: Jani Munn
Horário: 20h

QUINTA-FEIRA (16)
Título: Lili Ifrit e o mundo dos humanos
Autor: Jaqueline da Costa Dutra de Morais
Horário: 16h

Título: Cenas escondidas de um trabalho árduo
Autor: Maria Goreth Cantanhede
Horário: 17h

Título: Palavras de um pequeno poeta Cordel
Autor: Renato Lucas Pereira Gomes
Horário: 18h

Título: João, o menino cantador (biografia)
Autor: Andréa Oliveira
Horário: 19h

SEXTA-FEIRA (17)
Título: Receitas da Vovó Lourdes – 3ª edição
Autor: Maria de Lourdes
Horário: 16h

Título: Um olhar inclusivo sobre o ensino das ciências e de matemática
Autor: Fabio Henrique Silva Sales e Regiana Sousa Silva
Horário: 17hs
Entidade: Academia Maranhense de Letras – AML / Lançamento das reedições 2017
Horário: 18h

Autor – Título:
Antonio Lopes – Os novos atenienses
Artur C. Moreira – Gomes de Castro, Benedito Leite e Urbano Santos
Domingos Vieira Filho – Breve história das ruas e praças de São Luís
Hastimphilo de Moura – Da primeira à segunda República
João Mohana – Maria da tempestade
Josué Montello – Cais a sagração
Nauro Machado – Erasmo dias e noites
Raimundo Lopes – O torrão maranhense
Reis Perdigão – Revolução de 1930 no MA

Título: São Luís em palavras
Autor: Celso Borges
Horário: 19h

Título: Uma charge do Brasil
Autor: Francisco das Chagas
Horário: 20h

SÁBADO (18)
Título: Diário Mágico: um segredo para contar
Autor: Sharlene Serra
Horário: 16h
Entidade: Academia Maranhense de Letras – AML / Lançamento das novas edições 2017
Horário: 17h

Autor – Título:
Adelman Correia – Meus dias na cadeia
Alex Brasil – Sangue Azul
Bandeira Tribuzi – 10 estudos
Cícero Monteiro de Sousa – O Newton do Brasil
Ivan Sarney – Congresso das garças
José Ewerton – O entrevistador de lendas
Laura Rosa – Poesia reunida
Lino Moreira – Casa, crônicas e outras memórias
Lourival Serejo – Casa Blanca
Ronaldo Costa Fernandes – A literatura na cidade
Waldemiro Viana – Maria Celeste da terra e do mar

Título: A Bruxinha Lelenzinha e as cores
Autor: Anízia Nascimento
Horário: 18h

Título: Contramaré
Autor: Samara Volpony
Horário: 19h

Título: Maranhão 666
Autor: Ramusyo Brasil
Horário: 20h

DOMINGO (19)
Título: Música para afogamentos
Autor: Arnaldo Vieira
Horário: 16h

Título: Alto de Pinho e Anil – Parceiros inesperáveis e o segredo da família Gonzaga
Autor: Jorge Fernandes
Horário: 17h

Semear livros

“Senhor Deus! quando calará no peito do homem a tua sublime máxima – ama a teu próximo como a ti mesmo – e deixará de oprimir com tão repreensível injustiça ao seu semelhante!”. As palavras de Úrsula marcam a alma de nosso país até hoje. O primeiro romance abolicionista do Brasil foi escrito por uma maranhense – a primeira mulher e negra a publicar um livro no país. É em homenagem à ludovicense Maria Firmina dos Reis que estamos realizando a 11ª FeliS, a Feira do Livro de São Luís, em parceria com a prefeitura municipal e outras instituições. Que palavras como as dela sirvam de semente para sonhos no futuro, em que a terrível escravidão não continue a reverberar, como vemos todos os dias no Brasil.

Realizar eventos literários é parte fundamental dos nossos sonhos. Este ano, estamos viabilizando a estrutura da Feira de Livro, com estandes e divulgação. Uma tradição em nossa capital, que será no Centro Histórico, sublinhando seu valor cultural e turístico. Faremos atividades de incentivo à leitura também na Casa do Maranhão, Centro de Criatividade Odylo Costa Filho, na Casa de Cultura Josué Montello, na Biblioteca Pública Benedito Leite e nos museus.

A Feira de São Luís vem na sequência de outro grande evento destinado a semear livros. Estive nessa semana que passou em Imperatriz, para o Salimp (Salão do Livro de Imperatriz), outro evento cultural que apoiamos. É sempre um prazer estar na cidade e ver sua enorme dinâmica. Pela terceira vez consecutiva, estamos patrocinando o Vale-Livro, uma iniciativa do deputado Marco Aurélio que faço questão de apoiar. São R$ 20 por aluno para compra de livros durante o salão, um benefício este ano para 15 mil alunos das redes estadual e municipais da Região Tocantina, representando um investimento de R$ 300 mil, com extraordinários resultados.

A leitura é a melhor forma não só de ampliar conhecimentos ou de ter entretenimento, mas sobretudo de fomentar o pensamento crítico. Quem lê, aprimora a sua autonomia, a capacidade de pensar com a própria cabeça e de repelir manipulações de grupos que controlam os aparelhos de circulação de ideias. Por isso, a oligarquia que por 50 anos dominou nosso estado não investia em educação. Não queria que a população adquirisse conhecimentos, pois seria o fim do domínio de poucos sobre todos.

Faço da busca por igualdade de direitos o eixo principal de meu governo, que é um governo indignado com as injustiças de nosso estado e que vai até o limite de suas capacidades para mudar a realidade. Nessa luta, o incentivo à leitura como política pública abrange a remoção de todos os obstáculos materiais e imateriais que impedem a concretização desse direito. Assim, consideramos que eventos como os mencionados tem um enorme papel, daí porque apoiamos as suas realizações e eu faço questão de a eles comparecer.

Como disse Castro Alves, no final do século 19:

“ Bendito o que semeia
Livros à mão cheia
E manda o povo pensar!
O livro, caindo n’alma
É germe – que faz a palma,
É chuva – que faz o mar!”
Advogado, 49 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.

Alunos da rede municipal recebem formação e kit de livros do IBGE

Fomentar a leitura e o conhecimento em todas as áreas é uma das diretrizes da Biblioteca Municipal, equipamento de cultura da Prefeitura de São Luís. Desta maneira, os alunos da rede pública municipal, da U.E.B. Rosário Nina, participaram de uma ação promovida pela Biblioteca, em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, em que aprenderam sobre o funcionamento do IBGE e sobre o Censo Agropecuário, além de terem recebido um kit de livros, Atlas e agenda para incentivar os estudos.

Na oportunidade, o economista e técnico do IBGE na supervisão de disseminação de informações, Reinaldo Barros, esclareceu aos estudantes alguns termos técnicos, como o que é uma pesquisa e o que são questionários. Ele também explicou sobre o Censo Agropecuário e falou da importância de passar informações corretas ao IBGE. Estas pesquisas são encaminhadas ao Governo Federal e delas serão desenvolvidas políticas públicas para melhorar e atender a real necessidade daquele local.

Os estudantes puderam viver na prática um pouco do trabalho desenvolvido pelo Instituto, fazendo o papel de recenseador e recenseado, em uma dinâmica que usou como exemplo um levantamento para compra de calçados, usando os dados da pontuação dos calçados da turma. O aluno do 8º ano, Paulo Henrique Silva Pinto achou a atividade interessante e pôde notar uma grande variação nesta pequena experiência. Ele disse que já passaram na casa dele para realizar outros tipos de pesquisa.

A diretora da Biblioteca Municipal, Rita Oliveira, contou que este trabalho de conscientização desde a infância é de fundamental importância para que as melhorias cheguem. “Fizemos esta parceria com IBGE por entender que precisamos disseminar estes conhecimentos e reconhecer o trabalho que o Instituto desenvolve. Estamos formando cidadãos conscientes e que irão colaborar para que as políticas públicas aconteçam em todo país”.

Segundo Rita Oliveira, a parceria será estendida para a 11ª Feira do Livro de São Luís. “Iremos fazer uma exposição na Feira para orientar a população do quanto é importante dar informações corretas, pois são a partir delas que muitos projetos de desenvolvimento serão implantados”, completou. A 11ª FeliS irá acontecer de 10 a 19 de novembro, no Centro Histórico – Praia Grande, realizada pela Prefeitura de São Luís e Governo do Estado.

Ao todo, 30 kits foram entregues com livros de estudo do 6º ao 9º ano, com conteúdos de História, população, relevo, clima, regiões do Brasil e conhecimentos gerais do país. Dentro das ações realizadas pela Biblioteca de incentivo à leitura já foram distribuídos diversos kits literários e didáticos à escolas, bibliotecas de bairros e instituições comunitárias, além da implantação de Espaços de Leitura para comunidades da capital maranhense.

De Secom.

Livraria Cultura adquire a operação brasileira da Fnac

A Livraria Cultura comprou a totalidade da Fnac no Brasil, se tornando uma das maiores do setor na América Latina. As informações são do site Volts.

A operação brasileira da rede francesa inclui 12 lojas em 7 estados além de uma forte presença online.

O movimento, como era de se esperar, vem com a chegada e crescimento das vendas da gigante Amazon no Brasil, cuja operação é exclusiva de livros físicos e eletrônicos, mas que em vários outros países é um nome forte do varejo.

A Livraria Cultura atua há 70 anos no mercado, com uma rede de 18 lojas e é pioneira no e-commerce editorial no país. A união entre os dois grupos criará valores e sinergias, compartilhando culturas similares e o comprometimento com a promoção da cultura no Brasil e permitirá que a Livraria Cultura diversifique seus negócios adicionando novas linhas dos produtos e serviços.

Por outro lado, a compra garante a permanência da rede francesa no Brasil. A Fnac havia anunciado em fevereiro que deixaria o Brasil por não conseguir reestruturar sua operação frente à concorrência.