Lula: ‘Sigo tranquilo e acredito na Justiça. E indignado como todo inocente injustiçado’

RBA

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou hoje mensagem em que agradece o apoio que vem recebendo em diversas partes do mundo. E em especial, à pessoas que participam do Acampamento Lula Livre, em Curitiba. De acordo com o bilhete lido pela presidenta do PT, senadora Gleisi Hoffmann, Lula afirmou ter ouvido as músicas cantadas durante o ato cultural na tarde desta segunda-feira (16).

“Eu ouvi o que vocês cantaram. Estou muito agradecido pela resistência e presença de vocês neste ato de solidariedade. Tenho certeza que não está longe o dia em que a Justiça valerá a pena. Na hora em que ficar definido que quem cometeu crime seja punido. E que quem não cometeu seja absolvido”, diz a mensagem.

O ex-presidente reafirma ainda confiança na Justiça, reafirma as críticas aos condutores da Operação na Lava Jato e mostra indignação. “Continuo desafiando a Polícia Federal da Lava Jato, o Ministério Público da Lava Jato, o Moro e a segunda instância a provarem o crime que alegam que eu cometi. Continuo acreditando na Justiça e por isso estou tranquilo, mas indignado como todo inocente fica indignado quando é injustiçado.”

Hoje, organizadores da vigília convocaram entrevista coletiva para informar que a Comissão de Direitos Humanos do Senado será autorizada a visitar Lula na sede da Polícia Federal. Afirmaram ainda estar sendo construído acordo envolvendo a Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito de Curitiba, a Superintendência da Defesa Social e a Procuradoria Geral do Município, que alegam que o acampamento tem causado transtornos a moradores da região e ao atendimento da PF. Ficou acertada a manutenção do espaço da vigília e o direito à livre manifestação nas imediações. Leia nota dos organizadores abaixo

Nota: Vigília pela liberdade do presidente Lula se mantém

As organizações presentes no acampamento Lula Livre informam que:

1 – A partir de acordo entre as lideranças do movimento com a Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito de Curitiba, a Superintendência da Defesa Social e Procuradoria Geral do Município, acertou-se a manutenção do espaço da vigília e o direito à livre manifestação nas imediações da Superintendência da Polícia Federal, onde o ex-presidente Lula é mantido como preso político, bem como o trânsito na região ao longo do dia. A vigília e a luta continuam!

2 – Manteremos quatro tendas no local e estrutura de banheiros, de maneira a assegurar a estrutura necessária para a nossa vigilância e o direito ao uso do espaço para manifestação política. Seguiremos gritando todas as manhãs nosso “Bom dia Lula” e enviando força e mensagens ao ex-presidente ao longo do dia. 

3 – O local do acampamento para o pernoite, porém, será transferido para outro espaço da cidade. O que será definido pelo movimento, de acordo com as possibilidades legais oferecidas, a partir de amanhã.

4 – O acordo, a ser efetivado até às 18 horas do dia 17/4, ainda suspende a multa de R$ 500 mil fixada pela 3 Vara da Fazenda Pública do foro Central da Região Metropolitana de Curitiba.

5 – As atividades políticas e culturais da vigília democrática Lula Livre mantêm-se conforme programação a ser divulgada previamente.

6 – Agradecemos aos moradores que acompanham e apoiam há nove dias o movimento. São madrugadas frias, mas de calor humano, de aprendizado e relatos dos que desejam um Brasil mais justo. Aprendemos com vocês, na imensa solidariedade e entrega que esse momento da História nos colocou. Pedimos desculpas por qualquer contratempo a todos. Seguiremos juntos em vigília e nos espaços de debate, para onde estão todos e todas convidados.

7 – Reafirmamos que permaneceremos em luta não só em Curitiba, mas em todos os estados onde se realizam acampamentos, atos e mobilizações pela liberdade de Lula. Amanhã (17) teremos atos em todo o país pela liberdade do ex-presidente.

8 – Lula livre!

Curitiba, 16 de abril de 2018

Acampamento Lula Livre

MTST e Povo Sem Medo ocupam tríplex do Guarujá

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e da organização Povo Sem Medo ocuparam na manhã desta segunda-feira a cobertura tríplex do Edifício Solaris, no Guarujá (SP), imóvel que levou à condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“MTST e a Povo Sem Medo acabam de ocupar o tríplex do Guarujá, atribuído a Lula por Moro. Se é do Lula, o povo poderá ficar. Se não é, por que então ele está preso?”, escreveu Guilherme Boulos, presidenciável do PSOL e líder do MTST.

Uma das faixas estendidas na varanda do tríplex dizia “se é do Lula, é nosso”, em referência à propriedade do imóvel. O juiz federal Sérgio Moro viu elementos para considerar o petista dono do apartamento – José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, da OAS, afirmou em sua delação premiada que a reforma feita pela empreiteira era em prol do ex-presidente.

Preso há 9 dias em Curitiba, Lula sempre negou ser o dono do tríplex, afirmando que não há qualquer prova que comprove que ele seja do proprietário do imóvel. Mas Moro o condenou a 9 anos e 6 meses de prisão, e a sentença foi confirmada pelo Tribunal Regional da Quarta Região (TRF-4), que reformou a pena para 12 anos e 1 mês.

Para a Justiça, a OAS repassou o tríplex de número 164-A para Lula em troca de contratos superfaturados com a Petrobras.

Moro marcou para 15 de maio o leilão do imóvel do Guarujá. O preço estimado no edital é de R$ 2,2 milhões e, caso não sejam feitas ofertas pela internet, uma segunda data para o leilão já foi fixada para 22 de maio. O valor ficará depositado até o trânsito em julgado do caso.

De Sputinik News.

PCdoB do Maranhão homenageia ex-presidente Lula

Chegado na sua 10° edição na última sexta-feira (13), o prêmio José Augusto Mochel, num ato político, foi marcado por uma noite de defesa da democracia e de exaltação às grandes conquistas sociais. O evento é organizado pelo Partido Comunista do Brasil no Maranhão (PCdoB-MA), em parceria com a Fundação Maurício Grabois, já tendo homenageado dezenas de personalidades pela dedicação com a luta democrática e interesses coletivos. Este ano, entre os homenageados, destaque para o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.
O presidente do PCdoB-MA, Márcio Jerry, destacou a importância de valorizar o empenho de figuras que não medem esforços na luta pela transformação social, sendo ainda mais necessária neste momento em que a Democracia está sob ameaças.
“É uma honraria que homenageia, prometedoramente, o próprio José Augusto Mochel, um grande revolucionário maranhense. E, de 2007 para cá, já foram dezenas de pessoas, entidades e movimentos sociais homenageados, num tributo à Democracia, à luta popular e ao socialismo. Por tanto, é sempre uma noite festiva para os lutadores sociais do Maranhão. É sempre um momento de celebração por um mundo livre e de iguais”, explicou Márcio Jerry.
A lembrança ao ex-presidente Lula foi, conforme Márcio, pelo importante papel social que os seus governos representaram para a população mais pobre do Brasil e em solidariedade a situação de preso político que se encontra o ex-presidente. “Hoje levamos o nosso grito ao Brasil inteiro, que chegue até o ex-presidente Lula, de que ele é um preso político e que estamos solidários para que haja um julgamento justo, à luz da lei, e não movido por convicções políticas”, defendeu Márcio Jerry.
Mais homenageados 
Foram oito congratulações realizadas, entre lideranças, militantes, entidades e reconhecimento póstumo. Dentre os quais, o professor, fotógrafo e cineasta Murilo Santos. O trabalho social do documentarista se notabilizou por filmes como “Quem Matou Elias Zi?” (1986), “O Massacre de Alto Alegre” (2005) e “O Crime da Ulen” (2007). Murilo ressalta que a arte engajada o norte da sua produção. “Eu tomo essa homenagem como o reconhecimento a um lado meu trabalho que sempre foi voltado aos movimentos sociais. Desde o início, quando comecei a trabalhar com fotografia e cinema, lá na década de 70, fazendo o que se chamou de arte engajada”, relatou.
A entidade homenageada foi a Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária no Maranhão (Abraço-MA). Construída oficialmente em 1998, desativada em 2003 e reestruturada em 2009, foi reconhecida pela luta em busca da democratização da comunicação e dos veículos radiofônicos comunitários no estado. O jornalista e professor Ed Wilson recebeu, em nome da entidade, a premiação: “Estamos satisfeitos com esse reconhecimento. São 20 anos da lei que regulamentou a radiodifusão comunitária e estamos aqui hoje representando a Abraço, nesse momento delicado de convergência de esforços, em que o país passa por uma ameaça à democracia e a comunicação de base, essa comunicação popular e comunitária, é fundamental”, defende.
Durante toda a noite, foi lembrado com muita emoção o presidente municipal do PCdoB de São Luís, Haroldo Oliveira, o Haroldão, falecido em dezembro de 2017, e um dos principais incentivadores da realização do Prêmio.
José Augusto Mochel
A premiação reverencia a memória do líder comunista José Augusto Mochel, que faleceu em 25 de março de 1988, em São Paulo. Mochel foi militante do movimento estudantil secundarista e universitário, marcando sua atuação no combate à ditadura militar.
Tendo participado ativamente da luta pela redemocratização, José Augusto Mochel apoiou as lutas de resistência camponesa num momento de graves conflitos pela posse da terra. Participou da luta pela anistia e ajudou a fundar a Sociedade Maranhense dos Direitos Humanos. Foi um dos reorganizadores do PCdoB no Maranhão, tendo sido candidato a deputado federal nas eleições de 1982 pelo PMDB, já que à época esse era o espaço de atuação do PCdoB, partido que estava na ilegalidade imposta pela ditadura.
Lista completa de agraciados: 
1. Valdinar Pereira Barros – ex-deputado estadual
2. Professora Adelaide Coutinho – Professora da UFMA com atuação no PRONERA
3. Dona Célia – Presidente da Marambaia, escola de samba campeã do carnaval de São Luís em 2018
4. Prof. Murilo Santos – fotógrafo e cineasta
5. Wagner Lago –  ex-deputado Federal
6. Luís Inácio Lula da Silva – ex-Presidente da República
7. Flávio Dino – Governador do Maranhão
8. In memoriam – Edvar Bonoto – Doutor em Direito e Militante Histórico das Lutas do Povo no PCdoB
9. Entidade – ABRACO/MA(Associação Brasileira de Rádios Comunitárias)
De Assessoria.

Lula segue com o dobro da intenção de votos do segundo colocado, diz Datafolha

Da Rede Brasil Atual

Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada no início deste domingo (15) mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo cumprindo mandado de prisão expedido pelo juiz Sérgio Moro em Curitiba, segue na liderança das intenções de voto. Nos cenários em que o petista aparece como candidato, seus índices são em torno do dobro do segundo colocado.

Com o candidato do MDB sendo Henrique Meirelles, Lula aparece com 31%, seguido por Jair Bolsonaro (PSL), 15%, e Marina Silva (Rede), que tem 10%. Em seguida, vem Joaquim Barbosa (PSB), 8%; Geraldo Alckmin (PSDB), 6%; Ciro Gomes (PDT), 5%; Alvaro Dias (Podemos), 3%, e Manuela D’Ávila (PC do B), 2%. Fernando Collor de Mello (PTC), Rodrigo Maia (DEM) e Henrique Meirelles (MDB) aparecem com 1% cada. Os demais não pontuaram neste cenário.

Em outras duas simulações, Lula aparece com 30% e 31%.

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, não aparece em nenhum dos cenários com chances de chegar ao segundo turno. Em nenhuma das simulações ele supera os 8%, seu melhor índice, tendo sempre em torno da metade das intenções de voto do segundo colocado.

Entre os eleitores paulistas, o Datafolha aponta que Alckmin deixou o governo com 36% dos pesquisados qualificando sua gestão como boa ou ótima. Bem abaixo dos 66% de quando deixou o Palácio dos Bandeirantes para disputar o pleito presidencial de 2006, quando foi derrotado por Lula.

O ex-presidente Lula pode ser candidato à presidência da República mesmo condenado em segunda instância. Segundo a legislação eleitoral, os partidos têm até o dia 15 de agosto para registrar as suas candidaturas. A partir daí, começa a correr um prazo de cinco dias para que algum interessado possa fazer um pedido de impugnação da candidatura. A decisão fica a cargo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Uma das questões feitas aos eleitores era se Lula deveria ou não ser impedido de concorrer às eleições. Para 50%, o ex-presidente deveria disputar as eleições, já para 48%, não.

A pesquisa foi feita com mais de 4 mil eleitores de 227 municípios, entre os dias 11 e 13 de abril.

Flávio Dino manifesta solidariedade e defende liberdade de Lula

O governador Flávio Dino manifestou solidariedade pessoal e política e defendeu a liberdade do ex-presidente Lula, na tarde desta terça-feira (10), em Curitiba.

“Temos a convicção de que há um erro jurídico imenso tanto no tocante ao mérito, ou seja, o caso do dito apartamento do Triplex não sustenta uma condenação desse tipo e sabemos também que não houve o esgotamento dos recursos, que a Constituição e a Lei Brasileira asseguram a todos os brasileiros. Por isso, estamos diante de uma prisão de caráter mais político do que legal, jurídica”, disse.

Dino disse que há clara violação à Constituição e ao artigo 283 do Código Penal. “Não houve trânsito em julgado”, explicou o governador e ex-juiz federal.

Flávio Dino estava acompanhado de mais nove governadores de estados do Nordeste e do Norte, além de três senadores da República.

Impedidos de visitarem o ex-presidente Lula, os governadores assinaram carta entregue à Superintendência da Polícia Federal para que seja entregue ao líder petista.

Veja íntegra das declarações do governador Flávio Dino:

Governadores escrevem carta a mão pra ser entregue a Lula

Revista Fórum

Um ato político na porta da superintendência da Polícia Federal foi promovido por governadores e senadores, que foram impedidos de visitar o ex-presidente Lula, preso desde o último sábado (7). O protesto diante da proibição teve como ponto alto a entrega de uma carta assinada pelos nove governadores e três senadores em apoio a Lula.

Na saída, houve breves discursos dos políticos e líderes dos movimentos sociais: “Os juízes não deixaram um grupo de governadores de estado e senadores da República visitarem o ex-presidente Lula. Isso não é um favor, mas está previsto na lei. A razão é o exercício da força bruta. A mensagem que eles passam é a seguinte: nós não respeitamos o povo. Mas temos de deixar claro que Lula vale a luta. Ele é a resposta a todos os sonhos de um Brasil mais justo. Somos a voz, o sentimento, os braços e as pernas de Lula. E sairemos vitorioso”, disse Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão.

Flávio Dino pretende visitar Lula em Curitiba

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), será um dos 10 governadores brasileiros a visitar o ex-presidente Lula na prisão em Curitiba, nesta terça-feira (10), conforme anúncio do Partido dos Trabalhadores (PT).

A lista de governadores é composta por Tião Viana (Acre), Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará), Fernando Pimentel (Minas Gerais), Wellington Dias (Piauí), Flávio Dino (Maranhão), Renan Filho (Alagoas), Jackson Barreto (Sergipe) e Paulo Câmara (Pernambuco).

Os apoiadores do presidenciável caracterizam como “prisão política” e uma segunda fase do “golpe de 2016” o encarceramento de Lula na Polícia Federal.

Em declarações recentes, Flávio Dino, que é ex-juiz federal, classificou a decisão de Sergio Moro como “condenável, incorreta e desnecessária”.

“A decisão acirra o conflito no Brasil e gera agudização da polarização política. É uma decisão condenável, incorreta e desastrada”, afirmou Dino, em Boston, onde realizou palestra para alunos brasileiros da Universidade de Harvard.

Para Dino, Moro visa “criar uma espetacularização ou criar um fato consumado que impeça que a maioria do Supremo possa reavaliar a questão da prisão após a 2ª instância”.

Lula se entregou à PF no sábado, após ter habeas corpus negado pelo STF. Ex-presidente passou dois dias, entre o julgamento do Supremo e a prisão, em seu berço político, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, São Paulo.

Em seu discurso antes de ir para Curitiba, Lula falou sobre sua trajetória, as conquistas sociais em seus dois mandatos e apontou seus herdeiros políticos: Manuela D’Ávila (PCdoB) e Guilherme Boulos (PSOL), amos pré-candidatos à Presidência.

Lula diz que vai se entregar à Polícia Federal

Em seu discurso agora na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva diz que vai se entregar à Polícia Federal.

“Eles têm que saber que nós queremos mais casas, mais escolas, não queremos repetir a barbaridade que fizeram com a Marielle, não queremos repetir a barbaridade que fazem com meninos negros”, diz Lula.

Em seu discurso, Lula falou também sobre sua trajetória de metalúrgico à presidente do país. Lula: “Sonhei que era possível governar envolvendo milhares de pobres na economia, nas universidades, criando milhares de empregos, sonhei que era possível um metalúrgico, sem ter ido à universidade, cuidar mais da educação do que diplomados e concursados que governaram o país”

“Esse pescoço aqui não baixa. Vou de cabeça erguida e vou sair de lá de peito estufado, porque vou provar minha inocência”, completou o ex-presidente.

A presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleise Hoffman, diz que acompanhará Lula à Curitiba.

 

‘O Brasil deve muito a esse metalúrgico’, diz Dom Angélico

Dom Angélico Sândalo Bernardino conheceu Lula ainda nos anos 1970, quando atuava na Pastoral Operária. “Lula é meu amigo, o Brasil deve muito a esse metalúrgico”, afirmou o religioso ao chegar à sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, às 9 horas deste sábado (7). Dom Angélico celebra o ato religioso em memória da ex-primeira dama Marisa Letícia, que hoje completaria 68 anos.

Dom Angélico destacou que Lula “fez um governo voltado para o povo”. O religioso lembrou do golpe de 1964 para afirmar que o Brasil vive um momento semelhante, em golpe do poder econômico com apoio do Parlamento. “Isso é um desrespeito solene à democracia”, afirmou.

Ele afirmou ser amplamente favorável à punição de crimes de corrupção, mas lembrou que não basta ser acusado, é preciso provar. “Parte do Supremo foi politizada. O próprio comandante do Exército pisou na Constituição”, afirmou, em referência ao general Eduardo Villas Boas, que na noite anterior ao julgamento do pedido de habeas corpus preventivo de Lula no STF, na quarta-feira (4), pressionou a suprema corte, por meio de sua conta no Twitter, para que rejeitasse o pedido.

Mesmo assim, Dom Angélico prefere manter o otimismo. “Sou um brasileiro que era jornalista no golpe militar de 1964. “Minha palavra é sempre de esperança”. Falando de Lula, ele afirmou que “a cabeça dele e o coração não estão presos; espero que para o bem do Brasil não seja por muito tempo”.

Às 9h20, chegaram ao sindicato os senadores Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias, e pouco depois vários artistas, entre eles, Osmar Prado, Celso Frateschi e Ailton Graça. O ato religioso será celebrado em frente ao sindicato, com apoio do carro de som estacionado no local.

De RBA.