Dino, Haddad e Boulos assinam manifesto contra“celebração de golpe” militar

Na manhã desta terça-feira (26) em Brasília, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), reuniu-se com Fernando Haddad (PT), Guilherme Boulos (PSOL), Sônia Guajajara (PSOL) e Ricardo Coutinho (PSB). Juntos, lançaram um manifesto contra a decisão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de “celebrar” os 55 anos do golpe militar no Brasil.

“Manifestamos nossa solidariedade aos torturados e às famílias dos desaparecidos. Sublinhamos a centralidade da questão democrática, que se manifesta na defesa do Estado de Direito, das garantias fundamentais e no repúdio a atos de violência contra populações pobres e exploradas, a exemplo das periferias, dos negros e dos índios”, diz um trecho do manifesto.

Além disso, no texto assinado por eles consta o repúdio contra a reforma da Previdência proposta por Guedes e a desvalorização da soberania nacional. “Consideramos que por trás do suposto discurso patriótico do atual governo há, na prática, atitudes marcadamente antinacionais, como visto na recente visita presidencial aos EUA”, relatam no texto.

A carta chega a apontar a necessidade da soltura do ex-presidente Lula e com uma convocação da população para “resistir aos retrocessos e oferecer propostas progressistas para o Brasil.”

Edivaldo Holanda considera inadmissível ataques preconceituosos contra nordestinos

Um vídeo vem causando polêmicas nas redes sociais nos últimos dias. Nele, homens aparecem fazendo declarações ofensivas aos nordestinos e nortistas, o prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) se manifestou nas redes sociais sobre o caso. Em publicação, o pedetista pediu pelo fim da intolerância e disse ter orgulho de ser nordestino, maranhense e ludovicense.

“Inadmissível que o povo do Nordeste e do Norte continue sofrendo ataques preconceituosos. É preciso dar um basta nesta intolerância. Eu tenho orgulho de ser nordestino, maranhense e ludovicense! #MenosIntolerânciaMaisRespeito”, publicou o prefeito em suas redes sociais.

Edivaldo ganhou o apoio dos internautas, que também rebateram aos ataques. “Orgulho de ser maranhense, ludovicense. Orgulho da minha cidade, São Luís do Maranhão. Também orgulho do seu posicionamento, prefeito Edivaldo Holanda! Avante!”, publicou uma internauta. “Concordo plenamente. Somos seres humanos que trabalham duro pra ter uma vida digna. Devemos ser respeitados por todos! Tenho orgulho de ser nordestina, maranhense e ludovicense”, comentou outro seguidor.

Sobre o caso – No vídeo que viralizou nas redes sociais, um grupo de homens aparece atacando os moradores do Nordeste e do Norte. “Agora é faca na caveira. A gente não vai mais suportar esse pessoal do Acre, esse pessoal de Roraima, esse pessoal do Norte”, disse um deles. “Essa galera do Nordeste tem que parar de gastar o dinheiro que o Sudeste produz!”, fala outro, aos risos. “Exatamente! A gente está cansado de produzir e essa mula, não sei o quê, não tem água”, complementa.

Os comentários preconceituosos causaram revolta nas redes sociais. Em cerca de 24 horas, o vídeo já contabilizava 500 mil visualizações e mais de 20 mil compartilhamentos.