Abertas inscrições para o maior programa de popularização da ciência no Maranhão

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), lançou, na terça-feira (17), mais uma edição do maior programa de difusão e popularização da ciência e tecnologia de toda história do estado, o Luminar: Caravana da Ciência.

O Luminar: Caravana da Ciência leva aos municípios e escolas públicas de todo o Maranhão oficinas nas áreas de Astronomia, Eletricidade Básica, Química, Robótica, Paleontologia, Arqueologia e Matemática, além da exibição dos astros e Sistema Solar por meio de um planetário. Os investimentos do Governo do Maranhão para a implementação do programa são de cerca de R$ 300 mil.

“O Programa Luminar é uma das iniciativas do governo Flávio Dino por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) que ganharam mais destaque nos últimos anos. A Caravana da Ciência alcançou mais de 15 mil pessoas em 2016, e mais de 30 mil pessoas em 2017 e nós queremos levar as atividades e oficinas para um número ainda maior de pessoas”, destacou o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Davi Telles.

Para receber a Caravana da Ciência, as escolas da rede pública de ensino, prefeituras, secretarias municipais ligadas à educação de todo Maranhão devem acessar o edital para inscrição no site da Secti (www.secti.ma.gov.br).

Podem se inscrever na chamada pública escolas da rede pública do Maranhão que preencham os critérios mínimos de infraestrutura de acordo com a natureza das atividades solicitadas. As inscrições seguem até o dia 18 de maio, as caravanas devem ter início no mês de junho.

Maranhão deu resposta imediata aos danos causados pela chuva, diz secretário da Casa Civil

Diferentemente de um passado recente, o Governo do Maranhão conseguiu dar uma resposta imediata aos danos provocados pelas chuvas no Estado. “Neste ano, ainda não desembarcou dinheiro do Governo Federal, mas com recursos próprios demos respostas imediatas à população, que não ficou desassistida”, diz o secretário da Casa Civil e da Transparência do Maranhão, Rodrigo Lago, em entrevista à Nova 1290 Timbira.

“Antes da gestão Flávio Dino, toda vez que o rio se elevava, a população ribeirinha de Trizidela do Vale e Pedreiras ficava sem assistência. Desta vez, mandamos cestas básicas, filtros de água, colchões e outros itens imediatamente após as enchentes”, acrescenta Rodrigo Lago.

Além disso, também houve mobilização da Defesa Civil para atuar no resgate e no apoio aos desabrigados e desalojados.

“Agradeço também aos prefeitos, que estão colaborando com o governo Flávio Dino, indistintamente. O governo tem visitados todas as cidades afetadas e tem dado respostas efetivas graças a essa gestão proba, série e honesta”, afirma Rodrigo Lago.

Combate à corrupção

Na entrevista à Timbira, o secretário fez um balanço dos principais resultados alcançados desde 2015. Ele lembrou que, quando Flávio Dino assumiu o cargo, o Maranhão era nota zero na transparência das informações. E hoje é líder do ranking em todo o País.

“A transparência é a principal arma que a população tem contra a corrupção. E hoje todos têm acesso online a todas as ações executadas, todas as despesas. Tudo o que foi pago ontem, hoje está no portal”, conta.

Ele acrescenta que também foram removidos imediatamente os filtros que havia no Portal da Transparência. “Antes só apareciam 40% dos gastos. E hoje temos 100%, além de contarmos com ouvidoria e canal de denúncias.”

Museu do Reggae no Maranhão já recebeu mais de 10 mil visitantes

Mais de 10.500 pessoas já visitaram o Museu do Reggae no Maranhão em menos de 3 meses de funcionamento. O equipamento construído pelo Governo do Maranhão e administrado pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Sectur) é o segundo do gênero no mundo e segue ganhando notoriedade no circuito nacional e internacional.

O pesquisador do reggae, diretor e curador do Museu do Reggae Maranhão, Ademar Danilo, celebra os números e a iniciativa dos maranhenses e turistas em visitar a estrutura. Para ele, o equipamento chegou como reconhecimento e a personificação do maranhense em um elemento cultural.

Apesar do pouco tempo de fundação, Ademar relata que a casa cultural já conseguiu se posicionar positivamente no roteiro de atratividades artísticas e culturais, trazendo interatividade e prestação de serviço, funcionando de terça-feira a sábado das 10h às 20h e no domingo das 10h às 15h.

O diretor diz que o Governo do Maranhão reconhece a importância do reggae na formação e na maneira de ser do maranhense contemporâneo. Ademar acrescenta que o espaço traz uma proposta que gera impacto no cenário turístico do Estado. “E nós temos conseguido um grande fluxo de turistas que visitam o equipamento, além do próprio maranhense. É um fluxo grande, desejável e positivo, tanto que expressam nos números que temos”, pontua.

Espaço para Bob Marley

O Museu do Reggae Maranhão atua na preservação e na disseminação da cultura regueira, que tem forte raiz no Maranhão, principalmente em São Luís. O Museu do Reggae oferece um ambiente com recursos tecnológicos, linha do tempo, recursos audiovisuais, história das radiolas, objetos característicos do reggae – desde os antigos até os mais modernos – e um espaço exclusivo para homenagear Bob Marley.

Além do apelo cultural, o museu também tem uma forte atuação na atração de turistas. São Luís é conhecida internacionalmente como Jamaica Brasileira. Os turistas do mundo inteiro buscam referências sobre o tema na cidade e agora eles contam com um espaço adequado para essa finalidade.

Com a forte característica de representar parte da cultura maranhense, o Museu tem se tornado referência para quem deseja entender um pouco da história, como é o caso do Yuri Ramos, que veio de Belém do Pará para morar em São Luís. “Eu fiquei encantado com a cidade por ter essa miscelânea cultural. Isso aqui é demais. Agora que fixei residência na cidade, eu estou conhecendo todo dia um pouco da história da terra, e hoje eu tirei a tarde para conhecer o Museu do Reggae”, conta.

A administradora maranhense Samara Elaine visitou pela primeira o Museu do Reggae na última semana e disse que ficou surpresa com a quantidade de informações sobre o gênero musical exposto na casa.  “Nós temos uma cultura que cresce bastante, principalmente a do reggae. E esse espaço chega numa hora chave, se tornando essencial para apresentar a quem vem de fora, e a nós mesmo, ludovicenses, que às vezes não temos dimensão de todo esse arsenal de cultura que existe aqui”, diz.

Repercussão

O Museu do Reggae está repercutindo nacional e internacionalmente. O equipamento cultural foi destaque em matérias produzidas pela empresa de comunicação britânica BBC News, pela emissora chinesa CGTN, por diversos jornais jamaicanos; além da imprensa nacional, como a revista Carta Capital, o jornal Estado de S. Paulo e a revista de bordo da empresa área GOL. “Estamos pautando diversos veículos de comunicação no mundo todo. Desde a BBC de Londres, da chinesa CGTN, e de jornais e revistas de renome, que têm credibilidade no Brasil”, comenta Ademar Danilo.

Maranhão recebe a maior quantidade de chuva do Nordeste

Pelo menos até terça-feira (17),  o Maranhão e o centro-norte do Piauí irão receber a maior quantidade de chuva do Nordeste. É o que diz o boletim do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais,

A maior parte da chuva que cai sobre a Região está relacionada ao tempo quente e úmido e a áreas de instabilidade associadas à ZCIT – Zona de Convergência Intertropical que estão bastante ativas há alguns dias sobre a costa norte do Nordeste.

Entre o Maranhão e o Piauí,  há previsão de pancadas de chuva que por vezes podem cair com forte intensidade, principalmente em Teresina e São Luis, alertam os meteorologistas. Pelo menos até terça-feira (17),  o Maranhão e o centro-norte do Piauí irão receber a maior quantidade de chuva do Nordeste. O acumulado pode ultrapassar os 100 milímetros de chuva.

Organizações internacionais propõem parcerias com o Maranhão nas áreas oncológica e de combate ao diabetes mellitus

A palestra concedida pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) sobre o Fundo Estadual de Combate ao Câncer, durante o evento da Organização Mundial de Saúde (OMS), na Dinamarca, atraiu o interesse de instituições internacionais especializadas na área de doenças crônicas não-transmissíveis para as políticas de saúde desenvolvidas no Maranhão. A expectativa do Governo do Estado é garantir novos investimentos para as áreas oncológica e de combate ao diabetes mellitus.

“A partir do momento em que compartilhamos a experiência do Fundo, líderes de Estado e diretores de organizações internacionais demostraram interesse imediato em firmar acordos de cooperação com o nosso estado. Com mais essa participação do governo em eventos internacionais, a gestão Flávio Dino se mostra determinada na execução assertiva da política de saúde para nossa população”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Imediatamente após a palestra de apresentação do Governo do Maranhão sobre o Fundo Estadual de Combate ao Câncer, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, foi procurado por representantes da União Internacional para Controle do Câncer (UICC), com sede em Genebra, na Suíça. A diretora da UICC, a princesa Dina Mirad, explicou que a organização conta com mais de 1.000 membros e 56 parceiros em 162 países, que poderão contribuir com a formatação de um projeto que vise maior equidade no uso dos recursos do Fundo Estadual de Combate ao Câncer.

“Nós temos uma rede extensa de pessoas que podem ajudar a construir o projeto certo, a dar prioridade ao que realmente é necessário, evitando desperdício de recursos. Nossa organização serve para ajudar na construção de ações eficazes para o bem da comunidade que necessita desses serviços”, garantiu a princesa Dina Mirad.

Assim como a UICC, a Fundação Mundial do Diabetes aproveitou o encontro da OMS para confirmar a parceria com o Governo do Estado. O objetivo é a implantação do projeto ‘Cuidado Integral no Controle da Hipertensão Arterial Sistêmica e Diabetes Mellitus para a redução da mortalidade materna no Maranhão’.

Convênio

Até o mês de junho, o Governo do Maranhão e a Fundação Mundial do Diabetes realizarão a assinatura do convênio que permitirá a capacitação de mais de 2 mil profissionais, proporcionando esta linha de cuidado para 43 municípios.

“Nós já temos projetos desenvolvidos com o Ceará e a Bahia, agora vamos firmar essa parceria com o Maranhão. O projeto implementará serviços de atenção ao diabetes, o que resulta na melhoria de atendimento ao cidadão”, informou o assessor da América Latina da Fundação Mundial do Diabetes, Bent Lautrup-Nielsen.

Na Dinamarca, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) também revelou que estenderá as relações já estabelecidas com o Maranhão, como no último termo de cooperação técnica firmado entre Governo e OPAS, no ano passado, por meio do projeto ‘Estruturação da Atenção à Saúde’.

“Vamos expandir a cooperação já existente e expandir essa cooperação com o estado, a partir do recurso já garantido para o combate ao câncer. A OPAS contribuirá com as ações no sentido do planejamento e monitoramento do uso desses recursos, expandindo a visão de prevenção e tratamento”, informou a coordenadora de Doenças Não Transmissíveis da Organização Pan-Americana da Saúde/OMS, Kátia de Pinho.

Maranhão é o primeiro Estado do Nordeste a produzir energia através do lixo

Em boa parte do mundo, o problema do lixo se transformou em solução energética.  A produção de energia a partir do lixo já começa a ganhar escala no Brasil. É o que chama-se de biogás, a parte orgânica do lixo, que é aquela composta principalmente de restos de comida, podas de árvore ou qualquer resíduo de origem animal ou vegetal, leva aproximadamente seis meses para se decompor e virar gás metano, um gás de efeito estufa, de fácil combustão.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), a produção de energia elétrica no Brasil a partir do biogás, em 2017, foi 14% superior à geração comparada ao mesmo período do ano anterior, uma geração de 1.065,5 MWh/ano por ano. Considerando a média per capita de consumo de energia em 2016, que foi de 2,266 MWh por habitante, a atual capacidade instalada de biogás poderia alimentar uma cidade de quase 470 mil pessoas, conforme os cálculos da Associação Brasileira de Biogás e Biometano. Apesar do significativo avanço do setor nos últimos anos, essa é só uma mínima parte da capacidade de produção do Brasil e equivale a apenas 0,0817% da matriz elétrica brasileira, de acordo com a ANEEL.

São Paulo, Paraná e Minas Gerais são exemplos de estados que já aderiram ao sistema. Agora é a vez do Maranhão. O Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA), deu início às tratativas e o planejamento já está em andamento com a empresa Enc Energy, por meio do Projeto Valorgás, e a empresa Titara, que é gestora da Central de Gerenciamento Ambiental Titara S/A, localizada no município de Rosário/MA, para onde são destinados os resíduos de quase todos os municípios da Região Metropolitana da Grande São Luís, especialmente da capital, São Luís. “Temos o maior interesse em trazer esse investimento para o Estado, é energia limpa, um benefício, que além de tudo, minimizará os impactos ambientais causados pelo lixo”, disse o Secretário de Estado de Meio Ambiente, Marcelo Coelho.

Ele, ainda, completou: “Tanto o lixo urbano quanto os resíduos agrícolas têm potencial para turbinar a matriz energética brasileira. Para um país que tem fome de energia, não dá mais para abrir mão do que ainda insistimos em chamar de lixo”.

A usina gerará, inicialmente, 2 MWh de energia elétrica, o suficiente para abastecer cerca de duas mil residências populares, conforme a Enc Energy. Mas, ideia é chegar até 5 MWh.

“A produção do biogás desponta como uma fonte alternativa de energia e também como uma solução para vários aspectos econômicos, sociais e ambientais. Ambientalmente falando, com a produção do biogás por meio do reaproveitamento, deixa-se de contaminar o solo, lençóis freáticos, rios, açudes e o solo. Além disso, evita-se lançar na atmosfera gases de efeito estufa, como o metano e dióxido de carbono produzidos pela decomposição dos dejetos. Esses gases provocam a elevação da temperatura do planeta”, finalizou o gestor.

Vantagens

São várias as vantagens: redução dos custos de exploração; criação de fontes de receita adicional; cumprimentos de obrigações ambientais; redução de contaminação de efluentes; tratamentos de efluentes contaminados; redução de emissões de GEE; biogás como combustível renovável.

Restaurante Popular entrega refeições para atingidos pela chuva no Maranhão

Entregue há dois anos pelo governador Flávio Dino, o Restaurante Popular de Pedreiras tem funcionado como um local para garantir a alimentação de muitos moradores. Nesta semana, o restaurante passou a cumprir outra importante função: enviar refeições a moradores prejudicados com as fortes chuvas em Pedreiras e na vizinha Trizidela do Vale.

Normalmente, o Restaurante Popular cobra o valor simbólico de R$ 2 por um prato completo, balanceado e saboroso, com direito a suco e sobremesa.

Para os prejudicados pela chuva, a unidade de Pedreiras está enviando gratuitamente 900 refeições prontas diárias, de segunda a sexta-feira. A previsão é que a entrega seja feita por 15 dias, mas pode ser estendida em caso de necessidade.

Esta é uma ação inédita. “Eu enfrentei cinco enchentes e esta é a primeira vez que está chegando comida já pronta para entregar. A gente dá a cesta básica também, mas muitas pessoas não tem o gás”, disse o prefeito de Trizidela, Fred Maia.

Solidariedade

Quem recebe as quentinhas aprova a iniciativa. “Ajuda muito, com certeza, porque a gente que se alaga tem dificuldades de comprar as coisas, e graças a Deus temos ajuda”, diz Maria Mendes, de Trizidela do Vale.

“Foi muito bom, a gente ainda não tinha almoçado. Estamos melhor agora”, afirma Patrícia Dias, da mesma cidade.

Além disso, a entrega das refeições ajudou a reforçar a corrente de solidariedade às vítimas da chuva. “A gente entra cedo e sai tarde, mas faz isso com amor porque ajuda as pessoas que estão precisando”, conta a orientadora Valéria Ribeiro Brandão, uma das que entregam as refeições.

Restaurante Popular

O número de Restaurantes Populares aumentou de 6 para 20 desde 2015. Antes, eles só existiam em São Luís; agora estão espalhados por diversas regiões do Maranhão.

O número de refeições diárias cresceu 270%. Até 2014, eram 6,2 mil pratos diários. Agora, são mais de 24 mil refeições por dia. O número total em três anos já chegou a 8 milhões.

Chuvas fortes caírão até o fim de semana no Maranhão

A chuva forte desta terça-feira (10) não será isolada no Maranhão, onde deve chover forte todos os dias até o fim de semana, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

O mesmo deve ocorrer no Piauí e Ceará, com possibilidade de raios. Já no No interior do Rio Grande do Norte, leste da Paraíba e Pernambuco, no oeste e sul da Bahia, a chuva pode cair com moderada a forte intensidade.

Livres de chuva estão o nordeste da Bahia e em Sergipe. Nas demais áreas do Nordeste pode ocorrer pancadas de chuva à tarde.

Prazo para pagamento da terceira parcela do IPVA termina neste mês

Os proprietários de veículos automotores que optaram pelo parcelamento do IPVA têm até o final do mês de abril para efetuar o pagamento da terceira parcela do imposto. A Secretaria de Estado da Fazenda do Maranhão (Sefaz) informa que a data para quitação da 3ª cota corresponde à numeração final da placa dos veículos, conforme calendário que pode ser consultado em https://sistemas1.sefaz.ma.gov.br/portalsefaz/jsp/pagina/pagina.jsf?codigo=23.

Quem ainda não efetuou o pagamento da primeira e da segunda parcela do imposto pode quitar os débitos com os devidos acréscimos legais de 2% de juros, em até 30 dias após o vencimento, e 2% mais 1% ao mês, ou fração de mês, após o prazo de mais de 30 dias.

Segundo balanço da Sefaz, mais de 300 mil contribuintes se beneficiaram com desconto de 10% no pagamento em cota única até o dia 28 de fevereiro, data que encerrou o prazo para essa opção.

Pagamento

Para realizar o pagamento do IPVA, o contribuinte deve emitir o Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais (DARE) com o valor do imposto e demais taxas do licenciamento, que incluem seguro DPVAT e multas de trânsito, se houver. No site do Detran, o Dare é gerado no ícone “Licenciamento 2018” (http://licenciamento.detran.ma.gov.br/Licenciamento/consulta/Home.xhtml); no site da Sefaz, o documento está disponível na página do IPVA (https://sistemas1.sefaz.ma.gov.br/portalsefaz/jsp/pagina/pagina.jsf?codigo=23).

O IPVA pode ser pago no Banco do Brasil e correspondentes bancários. O banco aceita pagamento na “boca do caixa” até a data final da 3ª parcela. Após essa data, o pagamento só é aceito nos canais digitais e de autoatendimento.

O Banco Bradesco também está credenciado para o pagamento do IPVA. Além do imposto, também é possível pagar multas de trânsito no Bradesco, exceto originadas em outros estados (RENAINF). Nos bancos Itaú, Santander e BANCOOB só é possível pagar o imposto de veículos novos, que estão sendo licenciados pela primeira vez.

ARTIGO | Maranhão no lugar que merece

Fiquei muito feliz esta semana ao proferir palestra sobre gestão pública em uma das principais universidades do mundo, a de Harvard, dos Estados Unidos. Essa é mais uma prova de que, cada vez mais, o nosso estado vem
sendo reconhecido pelo processo que faz de superação de um passado de 50 anos de coronelismo, com o advento de programas vitoriosos como o Escola Digna.

No mês passado, recebemos em São Luís alguns dos principais executivos da China, interessados em novos investimentos em nosso estado. No começo de 2018, o Governo do Maranhão foi reconhecido pelo portal de
notícias G1 como o mais eficiente do Brasil. São reconhecimentos nacionais e internacionais de que estamos no caminho certo.

Estive na Universidade de Harvard para falar, a convite dos organizadores da “Brazil Conference”, sobre nossas ações para transformar o Maranhão. Expliquei lá que, para governar o Maranhão com foco em transformação de vidas, estamos valorizando o serviço público como fator decisivo para o desenvolvimento. Isso é especialmente importante nesses tempos em que, com propósitos escusos, há quem defenda que a corrupção e a ineficiência são atributos inerentes à esfera estatal. Para estes ideólogos, bastaria prender dois ou três políticos e privatizar o patrimônio público que tudo estaria perfeito.

O que sustentei na minha palestra é que o serviço público pode ser probo, transparente e eficiente, e que ter essa conquista é fundamental, pois o mercado não pode fazer tudo sozinho. Usei como exemplos vitórias que obtivemos no Maranhão, tais como: redução do tempo de espera de navios no Porto do Itaqui, ampliando a sua competitividade; retirada de São Luís da lista das 50 cidades mais violentas do mundo; expansão de serviços do
PROCON/VIVA; diminuição do tempo para abertura de novas empresas, incentivando o empreendedorismo.

Outro ponto que fiz questão de sublinhar: é imprescindível valorizar as boas práticas no serviço público e não ficar apenas atacando políticos e agentes públicos, pois os talentos nessas áreas precisam ser estimulados moral e economicamente. Cito como exemplo o fato de termos, no nosso mandato, efetuado número inédito de promoções e progressões em setores como a Polícia e a Educação, beneficiando diretamente cerca de 30.000 servidores públicos, visando estimula-los a melhores resultados.

Com tudo que vi e ouvi em Harvard, tenho certeza de que, quando o Brasil retomar o caminho do crescimento, estaremos muito mais aptos a gerar riquezas para todos e colocar o Maranhão no lugar que merece. Sem retrocessos, caminhando juntos na direção certa.

Advogado, 49 anos, Governador do Maranhão. Foi presidente da Embratur, deputado federal e juiz federal.