Moradores da Estiva começam a sentir melhorias no bairro com programa Asfalto na Rua

Com as obras do programa Asfalto na Rua, da Prefeitura de São Luís, moradores da Estiva, zona rural de São de Luís, aprovam os benefícios que a nova pavimentação já está trazendo para a região. Os trabalhos, que abrangerão todo o bairro, foram anunciados pelo prefeito Edivaldo no dia 19 deste junho, data em que foram iniciados os serviços, coordenados pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp). Com o Asfalto na Rua a gestão do prefeito Edivaldo garante mais mobilidade e qualidade de vida para a população.

“Aqui tem ruas onde carros não passavam mais, pessoas idosas tinham dificuldades de carregar mercadorias por conta da mobilidade e com o asfalto novo tudo isso melhorou”, afirmou Maria das Graças Reis, moradora da Estiva há 51 anos. O comerciante Fernando Palavra, de 36 anos, também já está sentindo os benefícios. “Esse asfalto traz um grande benefício para nós que trabalhamos com comércio, pois acabou com a lama, com a poeira e a rua ficou limpa”, disse.

Iracema Bezerra, que mora na travessa que dá acesso à Rua do Mangueirão, contou que antes da requalificação asfáltica era difícil até para fazer suas caminhadas. “A rua estava cheia de buracos e muito feia. Agora ficou bonita, valorizou a minha casa e o melhor é que vou poder fazer minhas caminhadas diárias”, relatou.

Ali perto, na Rua de Cima, está sendo feita a terraplanagem que prepara a via para ser asfaltada. E a moradora Etelvina Rodrigues, de 60 anos, já comemora. “Estou muito feliz em saber que terei minha rua asfaltada. Os ônibus vão poder descer e poderemos trazer nossas compras do mercado sem precisar saltar lá em cima”, declarou.

A nova frente de trabalho do programa de requalificação asfáltica transformará várias ruas da Estiva. Entre elas estão a Rua do Meio I e II, Rua da Ponte, Rua da Praça União, Rua do Barreiro, Rua São Benedito, Rua Nova, Travessa São Pedro, Rua São Pedro, Rua Emiliano Macieira, Rua Maria da Graça, Rua do Bacuri I e II, Rua Nossa Senhora da Conceição, Rua da Cerâmica, Rua Nova, entre outras.

ASFALTO NA RUA

O programa Asfalto na Rua contempla dezenas de bairros de São Luís com nova pavimentação. A iniciativa soma-se ao conjunto de obras de urbanização executados desde a primeira gestão do prefeito Edivaldo, quando foram pavimentadas centenas de vias.

De acordo com o titular da Semosp, Antonio Araújo, o Asfalto na Rua está promovendo o desenvolvimento dos bairros do município. “O programa melhora a qualidade de vida da população, os acessos, a circulação dos veículos e a interligação de bairros que estavam há décadas esperando por esse benefício que está sendo promovido pelo prefeito Edivaldo”, disse.

AÇÕES

Além dos trabalhos na Estiva, a Prefeitura de São Luís está realizando concomitantemente serviços de requalificação asfáltica em outros pontos da cidade, como na Avenida Jerônimo de Albuquerque; na Avenida Principal do Jardim América; na Estrada do Gapara; Estrada da Vitória; Avenida Daniel de La Touche; e via de contorno da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Equipes trabalham também na terraplanagem nos bairros Estiva, Ponta d’Areia, Comunidade do Arraial e Residencial 2000. No Anjo da Guarda, está sendo feita a construção de calçadas; e no Centro da cidade, na Rua Antonio Rayol, nas proximidades do Mercado Central, está sendo executada a sub base para aplicação de concreto estrutural.

Trabalhos no sistema de drenagem estão sendo feitos na Avenida Kennedy, Cohapan e Liberdade, com a desobstrução de bueiros. Já na iluminação pública estão sendo realizadas obras de modernização na Praça do Jardim América, na Vila Esperança e Coroadinho.

Prefeitura beneficia moradores do Cajueiro e da Cidade Olímpica com o programa Peixe Solidário

Cerca de oito mil quilos de peixe foram distribuídos nesta quarta-feira (13) para quatro mil famílias da região do Cajueiro e da Cidade Olímpica. A ação é resultado do Peixe Solidário, um programa permanente executado pela Prefeitura de São Luís com o objetivo de combater a desnutrição e a insegurança alimentar na cidade. Só em 2018, mais de 86 mil famílias foram beneficiadas com a entrega de mais de 170 toneladas de peixe. O prefeito Edivaldo esteve na Cidade Olímpica acompanhando a ação.

O programa Peixe Solidário é promovido em parceria com o Governo Federal e executado em São Luís pela gestão do prefeito Edivaldo, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar (Semsa). A secretária municipal de Segurança Alimentar, Fatima Ribeiro, explica que o programa é permanente e pretende alcançar os bairros que apresentam os maiores índices relacionados à insegurança alimentar.

“Conversando com a população, verificamos que tem gente que passa mais de mês sem comer peixe, um alimento super importante para a nutrição, que deve ser consumido com regularidade. Esse é um mecanismo do governo criado para favorecer essas pessoas em situação de vulnerabilidade alimentar. Essa é mais uma ação contínua do prefeito Edivaldo para fortalecer a Política de Segurança Alimentar no município de São Luís”, diz a titular da Semsa.

Moradora da Cidade Olímpica, Taiane Costa, 20 anos, conta que já foi beneficiada outras vezes pelo programa. “Já recebi outras vezes e acho esse um programa muito bom. Na minha casa só tem peixe de vez em quando”, conta. “Moro com mais três pessoas e é a primeira vez que venho receber o peixe aqui. Acho que é um programa muito bom pra gente, pois nem sempre temos condições de comprar”, completou a moradora Maria José Paixão.

Com a ação, são beneficiadas famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade social, atendidas pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) distribuídos pela cidade. Só em 2018, além do Cajueiro e da Cidade Olímpica, já foram contemplados com as ações do programa moradores de áreas como Apaco, Morro do Zé bombom, Vila Conceição, Vila Natal, Vila Riod, Janaina, Liberdade, Vila dos Nobres, Vila Brasil, Residencial Paraíso, Bairro de Fátima, Ipase de Baixo, Vinhais Velho e Ilhinha.

A ação também já passou por áreas como Gancharia, Vila Luizão, Centro, Vila Conceição, João de Deus, Sá Viana, Anjo da Guarda, Alto da Esperança, Vila Riod, Alto do São Sebastião, Estiva, Vila Ariri, Alto da Esperança, Vila Cruzado, Tadeu Palácio, Liberdade, Primavera, Coroadinho, Vera Cruz, Santa Cruz, Vila Isabel, Rio Anil, Pedrinhas, Vila Airton Sena, Itapera, Tajipuru, Vila Valian, Vila Lobão, Vila Palmeira, Barreto e Vila Nova República.

Moradores devem armazenar água para usar durante parada do Sistema Paciência

Os moradores de São Luís que são abastecidos pelo Sistema Paciência (veja os bairros abaixo) devem armazenar água para usar no período em que a operação será interrompida – entre as 8h desta segunda-feira (4) e às 18h de terça-feira (5). A recomendação é da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema).

A parada será feita para colocar o novo Sistema Paciência em operação, o que vai beneficiar 150 mil pessoas na região da Cohab e do Cohatrac.

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) vai fazer manobras no Sistema Italuís para reduzir o impacto da interrupção do abastecimento, mas os moradores devem armazenar água porque haverá bairros sem atendimento.

Além de novos poços, o novo Sistema Paciência conta com elevatória de água para solucionar os pontos da região onde ainda há alguma deficiência na distribuição.

“Vamos atender a região com distribuição de água regular e diária, substituindo o antigo sistema por outro inteiramente novo”, explica o presidente da Caema, Carlos Rogério.

Dicas para armazenar água:

– É importante não deixar a água exposta ao sol, principalmente se for para ser bebida. A exposição ao sol altera o equilíbrio químico do líquido.

– Prefira deixar a água armazenada em lugares escuros e com temperaturas amenas.

– Na hora de escovar os dentes, deixe um copo de água ao lado da pia. Um total de 200 mililitros (quase um copo grande) é suficiente para enxaguar a boca e fazer gargarejos.

– É possível aproveitar a água de cozimento de alimentos, caso esteja quente para desengordurar a louça suja.

– A água da chuva pode ser utilizada, mas não para consumo humano.

Bairros abastecidos pelo Sistema Paciência:

Cruzeiro do Anil, Residencial Santos Dumont, Vila Militar (anil), Rancho Dom Luís, Conjunto Jaguarema, Conjunto Alvorada, Aurora, Conjunto Planalto Pingão (Aurora), Jardim São José (Aurora), Parque Guanabara (Aurora), Residencial Turmalina (Aurora), Residencial Tábata (Aurora), Residencial Planalto Anil IV (Aurora), Vila Noronha, Residencial Centauros (Aurora), Parque Icaraí (Aurora), Parque São Luís (Aurora), Forquilha, Parque das Acácias, Conjunto SMV, Residencial Granada, Conjunto Esmeralda, Conjunto São Bernardo, Parque Sabiá, Cohab Anil I, II II e IV, Residencial Planalto Anil I, II, III (Cohab), Jardim de Fátima, Jardim das Margaridas, Loteamento Casaca, Parque Aurora (Cohab), Vila Isabel Cafeteira (Cohab), Itapiracó, Cohatrac I,  Vilagio do Cohatrac V, Jardim Alvorada , Residencial Araçagy I (Cohatrac), Residencial Itaguará I, II, e III (Cohatrac), Residencial Primavera (Cohatrac), Residencial Santiago e Vila Humaitá (Cohatrac).

Governador Flávio Dino entrega obras do Rua Digna a moradores do Anil

Com as obras do programa Rua Digna, os moradores da Rua da Matança, no bairro Anil, estão comemorando a melhoria das condições da via. A iniciativa do Governo do Estado recupera ruas dos bairros, em parceria com as comunidades. Na Travessa da Matança, a colocação de bloquetes, blocos de concreto, deu outro aspecto ao local, que há décadas aguardava infraestrutura. Neste sábado (14), o governador Flávio Dino, acompanhado por secretários de estado e autoridades como o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, esteve no bairro inaugurando a nova via para os moradores. Na área, foram melhorados aproximadamente 550 metros, com investimentos de quase R$ 200 mil.

“O Governo vem promovendo mudanças em todas as áreas e cidades. Próximo das comunidades e de todas as pessoas. Essa obra melhora a vida das pessoas, além de gerar oportunidades de trabalho envolvendo as comunidades. É de grande alcance para os moradores e que atende demandas de problemas imediatos das pessoas. É um programa que vai continuar, por ser bem sucedido”, pontua o governador Flávio Dino.

O secretário de Estado do Trabalho e da Economia Solidária (Setres), Sílvio Conceição Pinheiro, destacou o compromisso da gestão estadual com a melhoria da qualidade de vida das pessoas. “Era uma área que necessitava de serviços desta natureza e era uma determinação do nosso governador, que viu a realidade deste local. Certamente, vai melhorar a qualidade de vidas destes moradores”, destaca.

O presidente da União de Moradores do Pão de Açúcar, Charles Silva, avaliou os benefícios da ação. Morador da área, ele diz que era uma obra muito esperada, devido à precárias das condições da via. “Essa rua estava tão precária que mal se conseguia andar nela. Quando chovia era lama e quando estava sol, era poeira. Hoje, ver essa rua concluída é uma alegria para nós”, destacou.

Morador da área há 47 anos, Antônio Araújo, 74 anos, se mostrou satisfeito com o novo cenário que as obras deixaram na rua. “Na Rua da Matança era muita dificuldade para andar. Era só lama. Você saia limpo e voltava todo sujo. Hoje, a realidade é outra. Nossa rua está realmente digna”, enfatizou.

As obras também resolveram o problema do esgoto no bairro Pão de Açúcar, que fica acima da Rua da Matança. No período de chuvas, os dejetos invadiam as mais de cem casas da Travessa da Matança.

A rua recebeu bloquete do tipo intertravados, fruto de convênio com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), como parte do programa estadual para ressocialização dos apenados, que produzem o material que foi utilizado como pavimento. O projeto dá ao encarcerado a oportunidade de ter uma ocupação profissional durante o cumprimento da pena.

Ruas mais dignas

Em todo o estado, cerca de 80 ruas já foram melhoradas pelas ações do programa Rua Digna, sendo 27 ruas beneficiadas na capital. Os municípios incluídos no programa são: São Luís, São José de Ribamar, Raposa, Paço do Lumiar, Fernando Falcão, Marajá do Sena, Jenipapo dos Vieiras, Satubinha, Água Doce do Maranhão, Lagoa Grande do Maranhão, São João do Caru, Santana do Maranhão, Arame, Belágua, Conceição do Lago-Açu, Primeira Cruz, Aldeias Altas, Pedro do Rosário, São Raimundo do Doca Bezerra, São Roberto, São João do Sóter, Centro Novo do Maranhão, Itaipava do Grajaú, Santo Amaro do Maranhão, Brejo de Areia, Serrano do Maranhão, Amapá do Maranhão, Araioses, Governador Newton Bello, Cajari, Santa Filomena do Maranhão, Milagres do Maranhão, São Francisco do Maranhão, Afonso Cunha.

“Moradores afetados pelas chuvas receberão novas medidas de apoio”, diz Flávio Dino

O governador Flávio Dino afirmou, nesta quinta-feira (12), que os moradores atingidos pelas fortes chuvas no Maranhão receberão novas medidas de apoio do Estado, além das diversas ações que já estão em curso. A declaração foi feita durante entrevista à Rádio Trianon AM 740, de São Paulo.

“Estamos vivendo uma situação emergencial que tem o nosso acompanhamento pessoal há várias semanas, com equipes da Defesa Civil, Fesma, entrega de mantimentos, água e outras ações”, afirmou o governador. Flávio acrescentou que nesta sexta-feira haverá reforço nessas medidas de apoio.

Durante a entrevista, o governador também fez um rápido balanço sobre os avanços conquistados em todas as áreas desde 2015. Entre eles, o maior salário para os professores da rede estadual em todo o Brasil. São R$ 5.750,83 para a jornada de 40 horas para quem tem licenciatura plena.

“Temos um alto nível de acompanhamento dessa questão realmente estratégica da melhoria da educação, vamos ter neste ano a maior nota do Ideb da história do Maranhão”, acrescentou. O Ideb é o principal indicador sobre o ensino básico no Brasil.

Direção certa

“Temos um comando, uma direção de programas para a redução da desigualdade social. Temos transparência com o dinheiro público. Quando cheguei, nosso Portal da Transparência era um dos piores do Brasil, e hoje é um dos melhores. Tirou nota 10 no ranking da CGU (Controladoria Geral da União). Todas as informações sobre o dinheiro púbico estão lá”, disse.

Flávio também lembrou que, antes, o Complexo Penitenciário de Pedrinhas era conhecido mundialmente pelo caos. “Revertemos isso, conseguimos avançar bastante”, afirmou, referindo-se também ao aumento de mais de duas mil vagas no sistema penitenciário com a entrega de novos presídios.

Tudo isso foi feito, frisou o governador, mesmo com a perda de R$ 1,5 bilhão em transferências federais por causa da pior crise econômica do país nos últimos cem anos.

“Tivemos o maior crescimento da economia entre todos os Estados em 2017, e neste ano também vamos ter crescimento. Já há um interesse do empresariado em investir no nosso Estado. Tenho muita convicção de que o Maranhão vai conseguir passo a passo ser conhecido não como terra de problemas, como era antigamente, mas como terra de soluções, ideias, gente talentosa”, afirmou.

Firmado acordo entre MPMA, Cyrela e moradores dos condomínios Jardins e Pleno

Em reunião realizada nesta quinta-feira, 22, na 2ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de São Luís, foram firmados acordos entre o Ministério Público do Maranhão, os Condomínios Jardim de Provence, Jardim de Toscana e Pleno Residencial e as construtoras responsáveis pelos empreendimentos. Com os acordos, as Ações Civis Públicas que tratam dos dois primeiros condomínios serão encerradas.

Os acordos foram assinados pelos promotores de justiça integrantes da força-tarefa que atua no caso, Lítia Costa Cavalcanti, Pedro Lino Silva Curvelo e Haroldo de Paiva Brito; pelos síndicos dos condomínios e seus advogados; e pelo representante da Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações, Cybra de Investimento Imobiliário Ltda., Oaxaca Incorporadora Ltda. e Living Afenas Empreendimentos Imobiliários Ltda., Audery Leandro dos Santos Lima, além do advogado das empresas.

No caso do Jardim de Provence e do Jardim de Toscana, o acordo prevê a evacuação dos 672 apartamentos dos condomínios (384 do Jardim de Provence e 288 do Jardim de Toscana) no prazo máximo de 15 dias. As empresas deverão pagar a cada morador (representante de apartamento) o valor de R$ 12.048,00. O valor inclui o custeio de três meses de aluguel (R$ 3 mil por mês), acrescido dos custos de mudança (R$ 2 mil) e R$ 1 mil referentes à interrupção do fornecimento de gás ao condomínio desde o dia 2 de março. O valor total, para os dois condomínios, é de R$ 8.096.256,00.

Os valores iniciais deverão ser pagos até o dia 6 de abril. Para isso, o Condomínio deverá fornecer, até o dia 26 de março, a relação atualizada dos moradores responsáveis pelas unidades habitacionais. Caso o período de evacuação seja prorrogado, as empresas deverão efetuar o pagamento de R$ 3 mil, sempre até o dia 5 de cada mês. O retorno dos moradores somente acontecerá depois da eliminação dos riscos à habitalidade.

No Termo de Acordo também ficou acertada a realização de uma perícia técnica imediata, custeada pelas empresas, apontando as inadequações existentes no empreendimento, tanto as já comprovadas nos laudos existentes no processo quanto outras que venham a ser identificadas. O Ministério Público indicou, para a realização da perícia, o Instituto de Avaliações e Perícias de Engenharia do Maranhão (Ibape/MA) e o engenheiro civil calculista Marcelo Salgado Athayde.

Os trabalhos de perícia serão acompanhados pelos assistentes técnicos indicados pela empresa e pelo condomínio. A cada 15 dias será apresentado ao Ministério Público um relatório de execução das obras.

A readequação dos empreendimentos será realizada pelas empresas, em prazo a ser estabelecido após a perícia técnica. Em caso de contratação de empresa terceirizada para o serviço, sua capacidade deverá ser comprovada mediante apresentação de Atestado de Capacidade Técnica, Anotação de Responsabilidade Técnica de obras similares e análise prévia dos peritos nomeados.

INDENIZAÇÕES

No prazo de cinco dias a partir da assinatura do Termo de Acordo, as empresas se obrigam a formalizar nota pública de pedido de desculpas aos consumidores pelos problemas enfrentados nos empreendimentos.

A título de indenização por danos morais e materiais individuais, as empresas pagarão R$ 10.048,00, em até 40 dias, a cada morador representante de unidade habitacional. Os moradores recebem esse valor como quitação integral de todos os danos ou prejuízos existentes até a data de assinatura do acordo.

Nos dois acordos ficou acertada, a título de danos morais coletivos, a obrigação de fornecer veículos e equipamentos à Diretoria de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Maranhão. Em cada acordo, o valor acertado foi de R$ 100 mil. Os valores serão repassados em até 30 dias após a apresentação da relação de veículos e equipamentos, a ser feita pelo Ministério Público.

No caso de descumprimento de quaisquer dos itens, fica estabelecida multa de R$ 200 mil por item.

ENTENDA O CASO

As investigações do MPMA, baseadas em denúncias de moradores e em relatórios de vistorias realizadas pela Defesa Civil de São Luís, Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação, Corpo de Bombeiros e Conselho Regional de Engenharia, constataram diversos vícios de construção que comprometeram a estrutura dos prédios. Foram encontrados problemas nos sistemas de proteção contra descarga elétrica, combate a incêndio, abastecimento de água e fornecimento de gás, nas instalações elétricas, além de rachaduras e infiltrações em pilares e paredes do condomínio.

O inquérito civil do MPMA referente ao Jardim Toscana foi aberto em 7 julho de 2017 e o relativo ao Jardim de Provence em 7 de agosto do mesmo ano. Ao longo das investigações, foram relatados vazamentos no sistema de gás, sinistro em caixa de água que provocou alagamento, queda constante de pastilhas do revestimento, água poluída com presença de sal, barro e algas, entre outros.

Em outubro e novembro de 2017, após sucessivos termos de acordo, visando à solução do conflito, foi celebrado Termo de Ajustamento de Conduta no qual as construtoras se comprometeram a sanar os problemas relativos aos seguintes tópicos: piscina, cortinas e garagens, fachada, sistemas de gás, coberturas, instalações elétricas, paisagismo, sistema de proteção contra descarga elétrica e quadra poliesportiva. No entanto, as empresas não cumpriram os prazos do acordo.

Durante as obras, ambos os condomínios apresentaram relatórios de acompanhamento, indicando diversas irregularidades na execução das reformas, especialmente nos sistemas de fornecimento de gás e de combate a incêndio, nos serviços da piscina e nas obras de revestimento externo das torres.

Representantes do Condomínio Toscana informaram da impossibilidade de residir no imóvel, durante a reforma do revestimento externo, devido à poeira e detritos, ausência de ventilação em razão da tela protetora, ruídos e falta de privacidade.

Relatórios de vistoria coordenada pelo MPMA, realizada em fevereiro de 2018, em parceria com o Corpo de Bombeiros, Coordenação Estadual de Defesa Civil e Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação apontaram a inabitabilidade dos prédios e a ausência de condições mínimas de segurança exigidas por lei.

PLENO

Também foi firmado um termo de acordo relativo ao condomínio Pleno Residencial, que teve interditado o seu sistema de abastecimento de gás, pelo Corpo de Bombeiros, no dia 16 de março. A Cyrela/Living se comprometeu a realizar as intervenções de reparo, manutenção e restabelecimento do sistema de distribuição de GLP, com a edificação habitada.

Em três dias úteis após a apresentação, pelo Condomínio, da relação de moradores, será feita a compensação financeira pelos problemas, no valor de R$ 3.592,00 por apartamento habitado. Caso as obras se estendam por mais de 30 dias, serão feitos pagamentos mensais de R$ 1.012,00, por apartamento, até o restabelecimento do fornecimento de gás.

Caso sejam necessárias intervenções dentro dos apartamentos e as obras não puderem ser acompanhadas pelo morador ou pessoa indicada por ele, os trabalhos serão feitos sob supervisão do síndico ou conselheiros, além de oficial de cartório, que lavrará ata notarial, a ser custeada pelas empresas.

No caso do Pleno Residencial, também será realizada perícia técnica, custeada pela empresa, apontando as inadequações existentes no condomínio. Para este trabalho, o Ministério Público do Maranhão também indicou o Ibape/MA e o engenheiro Marcelo Salgado Athayde. Novamente, os trabalhos serão acompanhados por assistentes técnicos indicados pela construtora e pelo condomínio.

Após a conclusão das adequações, o Ministério Público do Maranhão viabilizará, imediatamente, junto ao Corpo de Bombeiros, para que seja feita inspeção para fins de restabelecimento do fornecimento de GLP em todas as unidades do condomínio. Em caso de atraso na vistoria, a responsabilidade pelos danos não poderá ser atribuída à Cyrela/Living.

Com revitalização e segurança, visitantes e moradores voltam à Odorico Mendes

A Praça Odorico Mendes se tornou um dos espaços mais apreciados por quem visita o Centro em São Luís. Localizada na Rua Rio Branco, a praça foi revitalizada pelo Governo do Maranhão que instalou na área o 9º Batalhão de Polícia Militar, e a região também contará com uma Delegacia de Polícia Civil. Com segurança e um espaço completamente recuperado, a Praça Odorico Mendes tem atraído antigos e novos admiradores ao local.

Moradora da Vila Embratel, a doméstica Caetana Rodrigues, de 60 anos, visita sempre uma prima que reside nas proximidades da Praça Odorico Mendes. Contente com a transformação ocorrida no espaço, ela elogia as novas instalações e ressalta a importância da presença da polícia. “Essa praça ganhou vida com a recuperação das árvores e também deu mais vida para quem vem aqui. Com a presença da polícia, a gente pode ficar mais tranquila, sem medo da criminalidade”, comenta.

Presenciando esse novo cenário na Praça Odorico Mendes, que durante a ampla obra de revitalização recebeu serviços estruturais e de paisagismo, o motorista Clênio Ramos, de 39 anos, aguardava debaixo de uma árvore sua esposa sair da faculdade. “Essa praça tem todo um valor, principalmente para quem mora aqui perto, e até para mim, que não moro, mas como você pode ver, estou aguardando minha esposa de uma forma bem confortável, curtindo essa brisa gostosa”, relata.

Já a estudante Andrea Câmara Moraes, de 16 anos, conta que sempre gostou de frequentar o local após o término das aulas, mas que partir de agora, ela passou a se sentir mais segura com a presença da polícia. “É um lugar onde a gente pode ter mais lazer com os nossos colegas, depois de horas intensas de estudos. Antes era perigoso, ouvíamos histórias de assalto todos os dias, agora o policiamento é constante”, conta.

A nova praça ganhou piso circular ao redor do busto do homenageado, o escritor e literato Odorico Mendes, iluminação artística no monumento e na vegetação; áreas de sombras com vegetação e bancos, para propiciar a vivência do espaço; disponibilização de áreas para instalações temporárias de brinquedos infantis ou feirinhas; melhoria da acessibilidade e mobilidade com rampas e piso tátil; instalação de bicicletário, lixeiras, bancos e sinalização adequada e resistente; além de melhores condições para a parada de ônibus, recuada da via.

Todo o novo aparato deixou o jovem Wanderson Reis Sousa, de 17 anos, mais estimulado a frequentar o espaço público. “A mudança na praça foi bom, até porque quando a gente saía do curso, tínhamos que ir para outras praças mais distantes e agora, nós ganhamos um espaço com lazer, o que faz eu vir sempre aqui”, comenta.

Maravilhosa, limpa e organizada.  Esses foram alguns adjetivos que a aposentada Maria Inês Pinheiro Marques, de 68 anos, utilizou para classificar o espaço. “Ficou lindo e o policiamento aqui vai garantir a segurança de muitas ruas, como a Rio Branco, a das Hortas e outras adjacentes, antes isoladas”, ressalta a aposentada.

Contente com o novo espaço, a estudante Nicole Beatriz Sampaio Maia, de 16 anos, disse que achou muito importante a reforma e a presença da polícia na área. “É bom porque é uma área que ficou bem urbanizada, dando um embelezamento maior para nossa São Luís. Ainda mais para a gente, estudante, que na hora do intervalo podemos aproveitar esse espaço. Outra coisa boa é que a parada de ônibus está aqui na frente e o policiamento do lado, garantido a nossa segurança”, comemora.

O conjunto de serviços para revitalização da praça faz parte das ações do Programa de Habitação promovido pelo Governo do Estado para a região do Centro de São Luís. “O objetivo é estimular a moradia e a promoção de negócios no bairro. A requalificação [dos espaços públicos] é o primeiro passo para revitalizar esta área urbana da cidade. Dessa forma, o Governo possibilita as condições de moradia com lazer e segurança”, enfatizou a secretária de Estado de Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), Flávia Alexandrina Moura.

Segurança 

O 9º Batalhão de Polícia Militar funciona em um prédio totalmente reformado ao lado da praça. Trata-se de um espaço mais amplo com três pavimentos que vai garantir mais condições de trabalho para as equipes militares. A estrutura física conta com salas de reunião, de plantão (corpo de guarda), de comandos e sub comandos para guarda de equipamentos e armamentos, administrativo, almoxarifado; banheiros e alojamentos feminino e masculino; sala de estar, cozinha, restaurante e refeitório modernos.

A unidade operacional conta com equipes de motocicletas, chamadas de Raio e Garra, e ainda com o Grupo Tático Móvel (GTM), além do uso de viaturas. O Batalhão integra a estrutura do Comando de Policiamento de Área Metropolitano (CPAM I), que cobre toda a região central e adjacências. O prédio vai abrigar, também, a Delegacia de Polícia Civil.

Histórico 

Inaugurada em 1901, a praça homenageia o político, literato e filósofo Manoel Odorico Mendes, cujos restos mortais estão enterrados no local. Além de um busto, a praça já teve elegantes palmeiras imperiais e pinheiros. Com a revitalização, a figura de Odorico Mendes ficou mais destacada. O maranhense dedicou sua vida à literatura e filosofia. O investimento para a reforma da praça corresponde a R$ 777 mil.